sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Aprenda mais sobre a Grécia Antiga


Saiba mais sobre a Grécia Antiga

Confira as principais características da civilização grega.
 
Roteiro de estudos: A Antiguidade Clássica – Grécia Antiga

1. (Unesp) "O escravo torna possível o jogo social, não porque garanta a totalidade do trabalho material (isso jamais será verdade), mas porque seu estatuto de anticidadão, de estrangeiro absoluto, permite que o estatuto do cidadão se desenvolva; porque o comércio de escravos e o comércio simplesmente, a economia monetária, permitem que um número bem excepcional de atenienses sejam cidadãos."
(Pierre Vidal-Naquet, TRABALHO E ESCRAVIDÃO NA GRÉCIA ANTIGA.)

Esse desenvolvimento paralelo da escravidão e da cidadania obrigou os atenienses a realizarem sucessivas reformas políticas. Discorra sobre o papel de Clístenes nesse processo.


resposta:
Clístenes foi o legislador grego que chegou ao conceito de democracia apesar de restrita a menos de 10% dos atenienses.

2. (Unesp 93) A civilização grega atingiu extraordinário desenvolvimento. Os ideais gregos de liberdade e a crença na capacidade criadora do homem têm permanente significado. Acerca do imenso e diversificado legado cultural grego, é correto afirmar que:
a) a importância dos jogos olímpicos limitava-se aos esportes.
b) a democracia espartana era representativa.
c) a escultura helênica, embora desligada da religião, valorizava o corpo humano.
d) os atenienses valorizavam o ócio e desprezavam os negócios.
e) poemas, com narrações sobre aventuras épicas, são importantes para a compreensão do período homérico.

resposta:[E]


3. (Unesp 94) As agitações sociais e políticas vivenciadas pelos atenienses no Século VI a.C. colocaram em evidência certos legisladores e tiranos. Indique duas contribuições de
Sólon para atenuar os conflitos.

resposta:
Sólon retirou os privilégios dos primogênitos e limitou as exportações de cereais, incentivou o comércio e acabou com a escravidão por dívidas.



4. (Unesp 96) "Depois da colonização grega do século VIII a. C., a riqueza fundiária não mais representou a única riqueza possível. Ninguém mais podia subestimar a riqueza mobiliária. Ora, com maior freqüência, esta não chegou às mãos dos nobres, afastados pelos velhos preconceitos das atividades comerciais e industriais. A classe dirigente teve de contar com as reivindicações dos novos-ricos encorajados pelos seus êxitos materiais e que também desejavam participar dos negócios da cidade."
(André Aymard e Jeannine Auboyer - O ORIENTE E GRÉCIA ANTIGA, texto adaptado).

O texto faz referência a um dos fatores da
a) guerra contra os persas.
b) decadência ateniense no período arcaico.
c) crise do regime aristocrático nas cidades gregas.
d) queda da monarquia e implantação da república.
e) criação do tribunato da plebe.

resposta:[C]



5. (Unesp 97) "A conseqüência mais aparente das invasões foi a destruição quase integral da civilização micênica. No espaço de um século, as criações orgulhosas dos arquitetos aqueus, palácios e cidadelas, não são mais do que ruínas. Ao mesmo tempo vemos desaparecer a realeza burocrática, a escrita, que não passava de uma técnica de administração, e todas as criações artísticas..."
(Pierre Lévêque, A AVENTURA GREGA.)

O texto refere-se às invasões
a) persas.
b) germânicas.
c) macedônicas.
d) dórias.
e) cretenses.

resposta:[D]


6. (Unesp 98) "Jamais usam eles qualquer título, ou modificam as leis:  ocupam o poder e suas vias pelos seus amigos, clientes, seu grupo, enfim; vigiam e lançam pontos de apoio nas assembléias, tribunais e conselhos, desenvolvendo uma incômoda inquisição policial; ferozes adversários dos nobres, confiscam suas terras, condenamnos ao exílio e por vezes executam-nos, em casos de conspiração; favorecem os marinheiros, artesãos, pequenos proprietários, realizam um amálgama igualitário das classes e deslocam deliberadamente o poderio dos genetas e dos 'eupátridas'."
(Paul Petit, "História Antiga".)

O autor refere-se ao fenômeno da tirania grega. Tomando como base o texto, caracterize o papel da tirania no processo de construção da democracia na Grécia.

resposta:
A tirania na Grécia Antiga foi instalada diante da incompatibilidade dos partidos aristocrático e popular, sobretudo quanto às reformas reclamadas pelos setores populares que encontravam resistência dos aristocratas. Os tiranos, em particular Pisístrato, usurparam o poder com apoio popular fragilizando a aristocracia. Dessa forma, abriram caminho para a democracia, ao favorecerem a expressão política dos setores populares.


7. (Unesp 99) Péricles, governante de Atenas no século V a.C., enaltecendo as glórias da democracia ateniense, declarou: "O poder está nas mãos não da minoria, mas de todo o povo, e todos são iguais perante a lei".
(Tucídides. "Guerra do Peloponeso".)

Na prática da vida política ateniense, a idéia de democracia na época de Péricles, diferentemente da atual, significava que:
a) os habitantes da cidade, ricos e pobres, homens e mulheres, podiam participar da vida política.
b) os escravos possuíam direitos políticos porque a escravidão constituída por dívida era temporária.
c) os direitos políticos eram privilégios dos cidadãos e vetados aos metecos, escravos e mulheres.
d) os metecos tinham privilégios políticos por sustentarem o comércio e a economia da cidade.
e) os pobres e os estrangeiros podiam ser eleitos para os cargos do Estado porque recebiam remuneração.

resposta:[C]



8. (Unesp 2000) "Existem numerosos tipos de alimentação que determinam diversos modos de vida, tanto nos animais como nos homens... Os mais indolentes são pastores...
Outros homens vivem da caça, alguns por exemplo vivem de pilhagem, outros vivem da pesca: são aqueles que vivem perto dos lagos, dos pântanos, dos rios ou de um mar piscoso; outros alimentam-se de pássaros ou de animais selvagens. Mas, de um modo geral, a raça humana vive, principalmente, da terra e do cultivo de seus produtos."
(Aristóteles, POLÍTICA, séc. IV a.C.)
a) Qual o conceito de economia expresso pelo texto de Aristóteles?
b) Aponte uma diferença entre o conceito de economia de Aristóteles e o conceito de economia no capitalismo.


resposta:
 
a) O texto de Aristóteles destaca a economia agropastoril ou de atividades primárias sendo a natureza o meio fundamental da sobrevivência.

b) Na economia capitalista o trabalho destaca-se como o meio de sobrevivência ou como principal fonte geradora de riquezas.
 


9. (Unesp 2003) A palavra democracia originou-se na Grécia antiga e ganhou conteúdo diferente a partir do século XIX. Ao contrário do seu significado contemporâneo, a democracia na polis grega
a) funcionava num quadro de restrições específicas de direitos políticos, convivendo com a escravidão, excluindo do direito de participação os estrangeiros e as mulheres.
b) abrangia o conjunto da população da cidade, reconhecendo o direito de participação de camponeses e artesãos em assembléias plebéias livremente eleitas.
c) pregava a igualdade de todas as camadas sociais perante a lei, garantindo a todos o direito de tomar a palavra na Assembléia dos cidadãos reunida na praça da cidade.
d) evitava a participação dos militares e guerreiros, considerando-os incapazes para o exercício da livre discussão e para a tomada de decisões consensuais.
e) era exercida pelos cidadãos de maneira indireta, considerando que estes escolhiam seus representantes políticos por intermédio de eleições periódicas e regulares.

resposta:[A]

10. (Unesp 2004) A oposição entre gregos e bárbaros motivou explicações e reflexões de diversos autores no período clássico da Grécia antiga. Esta visão dualista do mundo influenciou os romanos, herdeiros culturais dos gregos.
A partir destas informações, responda.
a) Que povo “bárbaro” invadiu, em duas oportunidades, a península grega, sendo derrotado?
b) Que relação é possível estabelecer entre a ocupação da Europa pelos "bárbaros" germânicos e a formação do feudalismo?

resposta:

a) Os persas no contexto das Guerras Greco-Pérsicas ou Guerras Médicas. A primeira incursão persa na Grécia foi conduzida por Dario I. e a segunda por Xérxes. Ambos foram derrotados pelos gregos nas Batalhas da Maratona (490 a.C) e de Platéia (479 a.C), respectivamente.
b) No contexto da desintegração do Império Romano, os povos germânicos que se estabeleceram no ocidente, integraram aos costumes romanos, costumes como o comitatus (fidelidade dos guerreiros ao um chefe tribal), o beneficium (concessão de terras pelos chefes aos seus colaboradores) e as imunidades (autonomia dos guerreiros concessionários em seus territórios). Tais costumes constituíram as bases das relações políticas feudais pautadas nas relações feudo-vassálicas e na conseqüente descentralização do poder político. Contribuíram ainda para a estruturação da economia agrária e amonetária do feudalismo.


11. (Unesp 2006) O historiador ateniense Tucídides, que viveu durante a Guerra do Peloponeso, escreveu sobre os gregos:
"... antes da Guerra de Tróia, [os habitantes da] Hélade nada [realizaram] em comum. Este nome mesmo não era empregado para designá-la no seu conjunto. [...] O que fica bem comprovado [nos livros de] Homero: ele que viveu numa época bem posterior à Guerra de Tróia, não utilizou a designação [de helenos] para o conjunto [dos gregos]. [...]
Não utilizou, também, a expressão "bárbaros" porque, na minha opinião, os gregos não se encontravam ainda reunidos [...] sob um único nome que [lhes] permitisse
[diferenciar-se de outros povos]. De qualquer forma, aqueles que receberam [mais tarde] o nome de Helenos [...] nada fizeram conjuntamente antes da Guerra de Tróia.
[...] Essa expedição mesma os reuniu apenas num momento, naquele em que a navegação marítima encontrava-se mais desenvolvida".
(Tucídides. "A guerra do Peloponeso". Século V a. C.)
Baseando-se no texto, responda.
a) Qual característica política dos gregos na Antigüidade é apresentada por Tucídides?
b) Por que, apesar da situação política expressa por Tucídides, pode-se falar de uma antiga civilização grega?

resposta:

a) Inexistência de unidade política, pois politicamente os antigos gregos se organizavam em comunidades autônomas, as cidades-estado.
b) Por que do ponto de vista étnico e cultural, os gregos apresentavam elementos comuns, tais como a religião, a língua e organização familiar e econômica.

12. (Unesp 2008) "É preciso dizer que, com a superioridade excessiva que proporcionam a força, a riqueza, [...] [os muito ricos] não sabem e nem mesmo querem obedecer aos magistrados [...] Ao contrário, aqueles que vivem em extrema penúria desses benefícios tornam-se demasiados humildes e rasteiros. Disso resulta que uns, incapazes de mandar, só sabem mostrar uma obediência servil e que outros, incapazes de se submeter a qualquer poder legítimo, só sabem exercer uma autoridade despótica."
(Aristóteles, "A Política".)
Segundo Aristóteles (384-322 a.C.), que viveu em Atenas e em outras cidades gregas, o bom exercício do poder político pressupõe
a) o confronto social entre ricos e pobres.
b) a coragem e a bondade dos cidadãos.
c) uma eficiente organização militar do Estado.
d) a atenuação das desigualdades entre cidadãos.
e) um pequeno número de habitantes na cidade.

resposta:[D]


13. (Unesp 2008) A palavra colonização deriva do verbo latino "colo", com significado de "morar e ocupar a terra". Nesse sentido geral, o termo colonização aplica-se a deslocamentos populacionais que visam ocupar e explorar novas terras. Nos séculos VIII e VII a.C., os gregos fundaram cidades na Ásia Menor, na península itálica, na Sicília, no norte da África. Identifique algumas das características desse processo de colonização que o diferenciam da colonização realizada pelos europeus no continente americano nos séculos XVI ao XIX.

resposta:
A colonização grega dos séculos VIII e VII a.C., relacionase ao processo conhecido como "Segunda Diáspora", vinculado à desintegração do sistema gentílico (dos genos).
Já a colonização do continente americano resultou daExpansão Marítimo-Comercial Européia, inserida no
contexto da transição feudo-capitalista.No caso da colonização grega, surgiram cidades-Estado quemantinham relações comerciais com a metrópole, mas nãose subordinavam à economia da segunda e a produçãobaseava-se no escravismo antigo. Quanto às colônias americanas da Idade Moderna,  não dispunham de autonomia econômica, pois estavam inteiramente subordinadas aos interesses da metrópole.
Nelas empregava-se o trabalho escravo, porém em moldes capitalistas, isto é, associado à acumulação primitiva de capitais.


14. (Fuvest 95) "Usamos a riqueza mais como uma oportunidade para agir que como um motivo de vanglória; entre nós não há vergonha na pobreza, mas a maior vergonha é não fazer o possível para evitá-la... olhamos o homem alheio às atividades públicas não como alguém que cuida apenas de seus próprios interesses, mas como um inútil... decidimos as questões públicas por nós mesmos, oupelo menos nos esforçamos por compreendê-las claramente, na crença de que não é o debate que é o empecilho à ação, e sim o fato de não se estar esclarecido pelo debate antes de chegar a hora da ação".
Esta passagem de um discurso de Péricles, reproduzido por Tucídides, expressa:
a) os valores ético-políticos que caracterizam a democracia ateniense no períodoclássico.
b) os valores ético-militares que caracterizaram a vida política espartana em toda a sua história.
c) a admiração pela frugalidade e pela pobreza que caracterizou Atenas durante a fase democrática.
d) o desprezo que a aristocracia espartana devotou ao luxo e à riqueza ao longo de toda a sua história.
e) os valores ético-políticos de todas as cidades gregas, independentemente de sua forma de governo.

resposta:[A]



15. (Fuvest 95) "Então Alexandre aproximou-se ainda mais dos costumes bárbaros que ele também se esforçou em modificar mediante a introdução de hábitos gregos, com a idéia de que essa mistura e essa comunicação recíproca de costumes dos dois povos... contribuiria mais do que a força para solidificar seu poder..."
(Plutarco, VIDAS PARALELAS)
O texto trata da política de conquista de Alexandre o Grande.
a) Quem eram os bárbaros?
b) No que consistiu a sua política de conquista?

resposta:
a) Bárbaros eram os povos pertencentes ao Império Persa que Alexandre conquistou.
b) Aproximou-se da cultura dos povos orientais e introduziu costumes gregos. Essa é a origem da cultura helenística.

16. (Fuvest 93) Com o advento da democracia na pólis grega durante o período clássico, foram:
a) abandonados completamente os ideais de autarquia da pólis, de glorificação da guerra e a visão aristocrática da sociedade e da política, que haviam caracterizado os períodos anteriores.
b) introduzidos novos ideais baseados na economia de mercado, na condenação da guerra e na valorização da democracia, mais condizentes com a igualdade vigente.
c) preservados os antigos ideais de autarquia, da guerra, da propriedade da terra, do ócio, como valores positivos.
d) recuperadas antigas práticas do período homérico -abandonadas no período arcaico - como a escravidão em grande escala e o imperialismo econômico.
e) adaptados aos antigos ideais aristocráticos e de autarquia (do período homérico e arcaico) os novos ideais de economia de mercado do período clássico.

resposta: [C]



                    
17. (Fuvest 92) Explique o processo de colonização grega,
 
a) identificando no mapa a seguir as áreas abrangidas;
b) destacando a contribuição das novas colônias.

resposta:
a) A colonização deu-se pela disputa por terras férteis na península grega levando-os a colonizar o Norte da África, a Magna Grécia e a entrada do Mar Negro.
b) As colônias mantinham intercâmbio cultural e forneciam alimentos para os peninsulares.

18. (Fuvest-gv 91) "A Constituição que nos rege nada tem de invejar à dos outros povos; não imita nenhuma; ao contrário serve-lhes de modelo.  Seu nome é democracia, porque não funciona no interesse de uma minoria mas em benefício do maior número. Tem por princípio fundamental a igualdade.  Na vida privada, a lei não faz diferença alguma entre os cidadãos.  Na vida pública a consideração não se ganha pelo nascimento ou pela fortuna, mas, unicamente, pelo mérito; e não são as distinções sociais, mas a competência e o talento que abrem o caminho das honrarias.  Em Atenas, todos entendem de política e se preocupam com ela; e aquele que se mantém afastado dos negócios públicos é considerado um ser inútil. Reunidos em Assembléia; os cidadãos sabem julgar corretamente quais são as melhores soluções, porque não acreditam que a palavra prejudique a ação e, pelo contrário, desejam que a luz surja da discussão."
(De um discurso de Péricles, apud Tucídites, HISTÓRIA DA GUERRA DO PELOPONESO, século V a.C.)
Este trecho do discurso de Péricles, que define a democracia ateniense, reflete intensa atualidade em relação aos estados democráticos contemporâneos.  Explique porquê.

resposta:
O Antigo Regime era fundamentado no poder absoluto dos reis, os súditos não tinham direitos e  a sociedade era caracterizada pela desigualdade. A posição do indivíduo na sociedade dependia do "berço" (nobreza) ou da "função", no caso do clero. As revoluções liberais, inspiradas na democracia ateniense,  provocaram mudanças estruturais que contribuíram para a transformação do súdito em cidadão e determinaram a divisão de poderes (Executivo, Legislativo e Judiciário). A valorização do indivíduo pela competência e a escolha dos governantes, através de sufrágio universal em muitas democracias modernas, reflete a atualidade do texto de Péricles.

19. (Fuvest 88) "Democracia e imperialismo foram duas faces da mesma moeda na Atenas do século V a.C.".
Tal afirmativa é:
a) correta, já que a prosperidade proporcionada pelos recursos provenientes das regiões submetidas liberava, aos cidadãos atenienses, o tempo necessário a uma maior participação na vida política.
b) falsa, pois aquelas práticas políticas eram consideradas contraditórias, tanto que fora em nome da democracia que Atenas enfrentara o poderoso Império Persa nas Guerras Peloponésicas.
c) correta, pois foi o desejo de manter a Grécia unificada e de estender a democracia a todas suas cidades que levou os atenienses a se oporem ao imperialismo espartano.
d) falsa, já que o orgulho por seu sistema político sempre fez com que Atenas ficasse fechada sobre si mesma, desprezando os contatos com outras cidades-Estado.
e) correta, se aplicada exclusivamente ao período das Guerras Médicas contra Esparta e sua liga aristocrática.

resposta: [A]

20. (Fuvest 85) Qual o papel social dos hilotas em Esparta ?
a) Cidadãos, com todas as funções políticas, dedicados principalmente às tarefas militares.
b) Estrangeiros, geralmente comerciantes e artesãos, sem participação política.
c) Servos, em geral trabalhadores braçais, sem direitos políticos reconhecidos.
d) Governantes de Esparta nos períodos de guerra e líderes nas Assembléias Gerais dos cidadãos.
e) Responsáveis pelas tarefas religiosas e membros da Assembléia de Anciãos.

resposta:[C]

21. (Fuvest 85) Nápoles, Paestum, Síbaris, Tarento, Siracusa e Agrigento eram:
a) colônias troianas, a leste da Península Grega, constituindo a Grécia da Ásia.
b) colônias fenícias no norte da África, que constituíam a Grande Cartago.
c) colônias romanas, estabelecidas ao longo da Península Itálica, formando a Etrúria Latina.
d) colônias gregas, fundadas a oeste da Península Grega, constituindo a Magna Grécia.
e) colônias persas, no Mediterrâneo Ocidental, formando a Grande Macedônia.

resposta:[D]



22. (Unicamp 99) "A época arcaica (séculos VIl-VI a. C.) é talvez o período mais importante da história grega. O período arcaico trouxe consigo inovações capitais em todos os domínios. A novidade maior é o desenvolvimento da pólis (cidade-estado grega) cuja característica essencial é a unificação entre cidade e campo. Outras conquistas da época arcaica foram o aparecimento da noção de cidadão e a codificação das leis, que limitavam os poderes arbitrários dos poderosos, a justiça torna-se, portanto, um negócio público".

(Adaptado de M. Austin e R Vidal-Naquet, "Economia e Sociedade na Grécia Antiga",Edições 70, s/d)

a) Cite três características da pólis grega.

b) Por que a codificação das leis foi uma etapa importante na formação da pólis?



resposta:

a) A autonomia política, a origem em bases aristocráticas e o emprego do trabalho escravo.

b) Porque amenizou as tensões político-sociais entre os setores aristocrático e popular e definiu o conceito de cidadania estabelecendo os direitos políticos de determinados grupos sociais.




23. (Fuvest 89) Na Antigüidade, a Europa mediterrânea e o Oriente Próximo viram o surgimento e o esfacelamento de diversos impérios. Sobre eles pode-se afirmar que
a) a unidade política acabou depois de algum tempo por se fazer acompanhar de uma unidade religiosa.
b) a diversidade racial e cultural enfraquecia-os, apesar da existência de mecanismos que pretendiam estabelecer uma real unidade.
c) os centros políticos coincidiam sempre com os centros econômicos.
d) com exceção do Império Romano, todos nasceram de confederações de cidades-Estado em constante luta interna.
e) seus centros dinâmicos localizavam-se nas zonas litorâneas, por terem economias essencialmente mercantis.

resposta:[B]

24. (Fuvest 97) Ajudaram os espartanos a vencer os atenienses na Guerra do Peloponeso, mas não foram eles que acabaram por conquistar toda a Grécia. Pelo contrário, posteriormente, eles foram também conquistados e integrados a um novo império. Trata-se dos
a) egípcios e do Império Romano.
b) fenícios e do Império Cartaginês.
c) persas e do Império Helenístico.
d) siracusanos e do Império Siciliota.
e) macedônios e do  Império Babilônico.

resposta:[C]

25. (Fuvest 87) Na estratificação da sociedade ateniense, os eupátridas constituíam:
a) a aristocracia, compondo a camada dirigente possuidora das melhores terras.
b) o campesinato, com direito a uma parte das terras.
c) a plebe, que não dispunha de nenhum direito político.
d) o segmento servil, que exercia o trabalho doméstico.
e) a população escrava, reduzida a completa sujeição política e econômica.

resposta:[A]

26. (Fuvest 99)  "Ao povo dei tanto privilégio quanto lhe bastasse, nada tirando ou acrescentando à sua honra;
Quanto aos que tinham poder e eram famosos por sua riqueza,também tive cuidado para que não sofressem nenhum dano...e não permiti que nenhum dos dois lados triunfasse injustamente."

Sobre esse texto, é correto afirmar que seu autor,
a) o dramaturgo Sólon, reproduz um famoso discurso de Péricles, o grande estadista e fundador da democracia ateniense;
b) o demagogo Sólon, recorre à eloqüência e à retórica para enganar as massas e assim obter seu apoio para alcançar o poder;
c) o tirano Sólon, lembra como, astutamente, acabou com as lutas de classes em Atenas, submetendo ricos e pobres às mesmas leis;
d) o filósofo Sólon, evoca de maneira poética a figura do lendário Drácon, estadista e criador da democracia ateniense;
e) o legislador Sólon, exprime o orgulho pelas leis, de caráter democrático, que fez aprovar em Atenas quando governou a cidade.
resposta:[E]



27. (Fuvest 2001) "Em verdade é maravilhoso refletir sobre a grandeza que Atenas alcançou no espaço de cem anos depois de se livrar da tirania... Mas acima de tudo é ainda mais maravilhoso observar a grandeza a que Roma chegou depois de se livrar de seus reis."
(Maquiavel, "Discursos sobre a primeira década de Tito Lívio").
Nessa afirmação, o autor
a) critica a liberdade política e a participação dos cidadãos no governo.
b) celebra a democracia ateniense e a República romana.
c) condena as aristocracias ateniense e romana.
d) expressa uma concepção populista sobre a antigüidade clássica.
e) defende a pólis grega e o Império romano.

resposta:[B]


28. (Fuvest 2002) A cidade e o Estado não surgiram na Grécia antiga. Mas a Pólis, entre os séculos VIII e III a.C., foi uma criação especificamente grega.
a) Indique as instituições básicas da Pólis.
b) Comente sua especificidade e sua importância histórica.

resposta:
a) A questão faz referência a Pólis Ateniense onde nasceu a democracia que assegurava a igualdade de direitos políticos aos cidadãos (somente os homens livres, adultos e nascidos na cidade). A Eclésia (Assembléia dos Cidadãos) e o Ostracismo (exílio temporário dos maus cidadãos) eram fundamentais à democracia.

b) A falta de unidade política entre as cidades-Estado gregas, resultou da dificuldade de comunicação entre as comunidades ainda no período de formação da civilização grega devido as condições geográficas (relevo acidentado inúmeras ilhas). As realizações culturais da Pólis grega, são consideradas alicerces da civilização ocidental.

29. (Fuvest 2003) "Cada um deve observar as religiões e os costumes, as leis e as convenções, os dias festivos e as comemorações que observavam nos dias de Dario. Cada um deve permanecer persa em seu modo de vida, e viver em sua cidade (...). Porque eu desejo tornar a terra bastante próspera e usar as estradas persas como pacíficos e tranqüilos canais de comércio."
"Edito de Alexandre para os cidadãos das cidades persas" conquistadas. 331 a. C.

A partir do texto, responda:
a) Quem foi Alexandre e quais os objetivos de suas conquistas?
b) Indique algumas características do "helenismo".

resposta:
a) Rei da Macedônia e da Grécia. Os objetivos de suas conquistas seriam preservar a paz nas regiões conquistadas e desenvolver as relações de comércio.
b) Preservação dos elementos culturais persas sob uma dominação política grega (helênica).

30. (Fuvest 2005) "Vendo Sólon [que] a cidade se dividia pelas disputas entre facções e que alguns cidadãos, por apatia, estavam prontos a aceitar qualquer resultado, fez aprovar uma lei específica contra eles, obrigando-os, se não quisessem perder seus direitos de cidadãos, a escolher um
dos partidos".
Aristóteles, em "A Constituição de Atenas"
A lei visava
a) diminuir a participação dos cidadãos na vida política da cidade.
b) obrigar os cidadãos a participar da vida política da cidade.
c) aumentar a segurança dos cidadãos que participavam da política.
d) deixar aos cidadãos a decisão de participar ou não da política.
e) impedir que conflitos entre os cidadãos prejudicassem a cidade.

resposta:[B]


31. (Fuvest 2007) "Num processo em que era acusado e a multidão ateniense atuava como juiz, Demóstenes [orador político, 384-322 a.C.] jogou na cara do adversário [também um orador político] as seguintes críticas: 'Sou melhor que Ésquines e mais bem nascido; não gostaria de dar a impressão de insultar a pobreza, mas devo dizer que meu quinhão foi, quando criança, freqüentar boas escolas e ter bastante fortuna para que a necessidade não me obrigasse a trabalhos vergonhosos. Tu, Ésquines, foi teu destino, quando criança, varrer como um escravo a sala de aula onde teu pai lecionava'. Demóstenes ganhou triunfalmente o processo."
Paul Veyne, "História da Vida Privada", I, 1992.
A fala de Demóstenes expressa a
a) transformação política que fez Atenas retornar ao regime aristocrático depois de derrotar Esparta na Guerra do Peloponeso.
b) continuidade dos mesmos valores sociais igualitários que marcaram Atenas a partir do momento em que se tornou uma democracia.
c) valorização da independência econômica e do ócio, imperante não só em Atenas, mas em todo o mundo grego antigo.
d) decadência moral de Atenas, depois que o poder político na cidade passou a ser exercido pelo partido conservador.
e) crítica ao princípio da igualdade entre os cidadãos, mesmo quando a democracia era a forma de governo dominante em Atenas.

resposta:[C]

32. (Fuvest 2008) Na atualidade, praticamente todos os dirigentes políticos, no Brasil e no mundo, dizem-se defensores de padrões democráticos e de valores republicanos. Na Antigüidade, tais padrões e valores conheceram o auge, tanto na democracia ateniense, quanto na república romana, quando predominaram
a) a liberdade e o individualismo.
b) o debate e o bem público.
c) a demagogia e o populismo.
d) o consenso e o respeito à privacidade.
e) a tolerância religiosa e o direito civil.
resposta:[B]





33. (Fuvest 2008) A cidade antiga (grega, entre os séculos VIII e IV a.C.) e a cidade medieval (européia, entre os séculos XII e XIV), quando comparadas, apresentam tanto aspectos comuns quanto contrastantes.
Indique aspectos que são
a) comuns às cidades antiga e medieval.
b) específicos de cada uma delas.

resposta:
a) Aspectos comuns:
- Os vínculos entre a área urbana e seu entorno rural;
- O fato de as cidades constituírem centros de trocas comerciais, salvo algumas exceções, como no caso de
Esparta;
- O fato de algumas comunas medievais apresentarem autonomia política como a verificada nas poleis grega.
b) Aspectos específicos de cada uma delas:
- A cidade grega antiga apresentava-se de forma mais dispersa e possuía um caráter mais urbanístico. Já a cidade medieval caracterizava-se pela aglomeração de edifícios que, em muitos casos, eram local de moradia e trabalho.  Além disso, seu espaço era delimitado por muralhas.
- Quanto às estruturas sociais, na cidade antiga predominava o poder de uma aristocracia vinculada à terra. Na cidade medieval, devido ao desenvolvimento do comércio (simultâneo ao das cidades), setores vinculados às atividades mercantis detinham o poder político e a disseminavam novos valores, com ênfase na liberdade, em contraposição aos valores calcados na submissão e dependência, típicos da sociedade feudal.


34. (Unicamp 93) Para a historiadora francesa J. Romillys, a Guerra do Peloponeso foi o "suicídio profundo da Grécia das Cidades".
a) O que foi a Guerra do Peloponeso?
b) Por que a autora afirma que a guerra foi o "suicídio" das cidades-Estado gregas?

resposta:
a) Conflito entre cidades-estado gregas (Atenas e Esparta).
b) Conflito fraticida enfraquecendo a Grécia e facilitando a conquista externa.



35. (Unicamp 2003) A relutância dos aliados da Liga de Delos em pagar tributos aumentou quando Atenas decidiu dedicar o enorme excedente acumulado por quase trinta anos para reconstruir os templos e monumentos da Acrópole ateniense, destruídos pelos persas em 480 e 479 a. C..
(Adaptado de Peter Jones (org.), "O Mundo de Atenas: uma introdução à cultura clássica ateniense". São Paulo, Martins Fontes, 1997, p. 241.)
a) O que foi a Liga de Delos e quais seus objetivos iniciais?
b) Quais os mecanismos que asseguravam a hegemonia ateniense sobre seus aliados neste período?
c) Qual a importância da Acrópole na Atenas clássica?

resposta:
a) Confederação militar liderada por Atenas, formada pela maioria das póleis gregas, com o objetivo de combater o imperialismo persa, dentro das Guerras Médicas.
b) Liderança política, comando militar da Liga de Delos e supremacia naval ateniense.
c) Simboliza o apogeu do desenvolvimento cultural da Grécia Antiga, ocorrido no século V a.C., dentro do Período Clássico.


36. (Unicamp 2006) A característica mais notável da Grécia antiga, a razão profunda de todas as suas grandezas e de todas as suas fraquezas, é ter sido repartida numa infinidade de cidades que formavam um número correspondente de Estados. As condições geográficas da Grécia contribuíram fortemente para dar-lhe sua feição histórica. Recortada pelo embate entre a montanha e o mar, há uma fragmentação física e política das diferentes sociedades.
(Adaptado de Gustave Glotz, "A cidade grega". São Paulo: Difel, 1980, p. 1.)
a) Segundo o texto, qual a organização política mais relevante da Grécia antiga? Indique suas principais características.
b) Relacione a economia da Grécia antiga com as condições geográficas indicadas no texto.

resposta:
a) A pólis ou cidade-Estado, cujas principais características eram a soberania, a autonomia e participação direta dos cidadãos nas questões políticas.
b) O relevo montanhoso e o clima árido no continente inibiu a prática da agricultura, restrita aos poucos vales férteis. Porém, nas áreas litorâneas, a facilidade de comunicação com as inúmeras ilhas e com outras regiões do Mediterrâneo, favoreceu o comércio marítimo.



37. (Unicamp 2008) Nada é mais presente na vida cotidiana da coletividade do que a oratória, que partilha com o teatro a característica de ser a manifestação cultural mais popular e mais praticada na Atenas clássica. A civilização da Atenas clássica é uma civilização do debate. As reações dos atenienses na Assembléia eram influenciadas por sua experiência como público do teatro e vice-versa. Trata-se de uma civilização substancialmente oral. O grego era educado para escutar. O caminho de Sócrates a Aristóteles ilustra perfeitamente o percurso da cultura grega da oralidade à civilização da escrita, que corresponde, no plano político e social, à passagem da cidade-estado ao ecumenismo helenístico.
(Adaptado de Agostino Masaracchia, "La prosa greca del V e del IV secolo a.C.". In: Giovanni D'Anna (org.). Storia della letteratura greca. Roma: Tascabile Economici Newton, 1995, p. 52-54.)
a) Estabeleça relações entre o modelo político vigente na Atenas clássica e a importância assumida pelo teatro e pela oratória nesse período.
b) Aponte características do período helenístico que o diferenciam da Atenas clássica.

resposta:
a) Na democracia anteniense, os cidadãos participavam diretamente da vida pública, atuando nos debates sobres as questões políticas, e envolviam-se praticamente da mesma forma nas apresentações das tragédias e comédias. A oratória, comum às duas situações, possuía valor relevante, tanto para a reflexão sobre questões políticas, quanto sobre valores morais.
b) O período helenístico caracterizou-se pela formação de um vasto império de caráter universal, diferentemente do regionalismo da Atenas clássica. A democracia foi superada pelo centralismo autocrático de Alexandre, o Grande. A cultura helênica, fundamentada no racionalismo, foi superada ao se fundir à cultura oriental, na qual se sobressaía a suntuosidade e o realismo excessivo, dando lugar à cultura helenística.

38. (Mackenzie) Acerca da participação política na Grécia Antiga, é correto afirmar que:
a) em Esparta, espartíatas, mulheres e periecos escolhiam membros da Gerúsia.
b) em Atenas, os eupátridas, mulheres, demiurgos e metecos escolhiam seus representantes na Assembléia Popular.
c) em Esparta, os espartíatas, hilotas e periecos escolhiam os membros da Ápela.
d) em Atenas, apenas os cidadãos participavam da Assembléia Popular.
e) em Atenas, todos os habitantes da cidade, exceto os escravos, participavam da Assembléia Popular.


resposta:[D]

39. (Mackenzie) Assinale a alternativa que corresponde, na História da Antiga Grécia, à II Guerra Médica:
a) Em 480 a.C., o rei Leônidas, no desfiladeiro das Termópilas, à frente de 300 espartanos, reteve temporariamente o avanço do poderoso exército de Xerxes.
b) O general tebano Epaminondas venceu Esparta, na Batalha de Leutras em 371 a.C., impondo a supremacia de Tebas sobre a Grécia.
c) Os espartanos, contando com um vultoso auxílio persa, construíram uma esquadra e derrotaram a marinha ateniense comandada por Alcebíades na Batalha de Egos-Potamos, em 404 a.C.
d) Felipe II, em 338 a.C., na Batalha de Queronéia (na Beócia), integrou a Grécia à sua monarquia.
e) A "Ilíada", poema épico de Homero, narra que o rapto de Helena por Páris levou Agamenon, rei de Micenas, a comandar os gregos na guerra contra Ilion.



resposta:[A]

 
40. (ENEM) Segundo Aristóteles, “na cidade com o melhor conjunto de normas e naquela dotada de homens absolutamente justos, os cidadãos não devem viver uma vida de trabalho trivial ou de negócios — esses tipos de vida são desprezíveis e incompatíveis com as qualidades morais —, tampouco devem ser agricultores os aspirantes à cidadania, pois o lazer é indispensável ao desenvolvimento das qualidades morais e à prática das atividades políticas”.
(VAN ACKER, T. Grécia. A vida cotidiana na cidade-Estado. São Paulo: Atual, 1994).

O trecho, retirado da obra Política, de Aristóteles, permite compreender que a cidadania

a) possui uma dimensão histórica que deve ser criticada, pois é condenável que os políticos de qualquer época fiquem entregues à ociosidade, enquanto o resto dos cidadãos tem de trabalhar.
b) era entendida como uma dignidade própria dos grupos sociais superiores, fruto de uma concepção política profundamente hierarquizada da sociedade.
c) estava vinculada, na Grécia Antiga, a uma percepção política democrática, que levava todos os habitantes da pólis a participarem da vida cívica.
d) tinha profundas conexões com a justiça, razão pela qual o tempo livre dos cidadãos deveria ser dedicado às atividades vinculadas aos tribunais.
e) vivida pelos atenienses era, de fato, restrita àqueles que se dedicavam à política e que tinham tempo para resolver os problemas da cidade.

 resposta:[B]
Para o filósofo grego Aristóteles, o trabalho era um empecilho para aqueles que se preocupavam com questões políticas. Desta forma, apenas os grupos mais privilegiados, podiam exercer plenamente a cidadania.






                 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário