sexta-feira, 17 de agosto de 2012

O segundo governo Vargas


Saiba mais sobre o segundo governo de Getúlio Vargas 

Roteiro de estudo: O Segundo governo Vargas (1951-1954)

1. (Unesp) Leia o trecho de uma marchinha do carnaval de 1951.
Bota o retrato do Velho outra vez,
Bota no mesmo lugar.
O sorriso do velhinho faz a gente trabalhar.
(Haroldo Lobo e Marino Pinto, 1951.)

Cantada por Francisco Alves, essa música se tornou um recurso de propaganda política do período. Responda.
a) A letra da música faz referência a qual personagem da História do Brasil?
b) Comente o significado desse personagem na História Republicana Brasileira.


resposta:

a) Getúlio Vargas, à época do seu segundo período de governo (1951-1954).

b) Getúlio Vargas destacou-se por melhor representar o populismo no Brasil, pelo incentivo à industrialização, pelo reconhecimento dos direitos trabalhistas e pelo nacionalismo. Foi o governante que mais tempo atuou no regime republicano, tendo governado de 1930 a 1945 e de 1951 a 1954. Eternizou-se como o "Pai dos Pobres" em razão da conduta populista e do reconhecimento dos direitos trabalhistas.

2. (Ufmg) Observe esta figura:

 
(TEIXEIRA, Francisco M. P. "Brasil: História e sociedade". São Paulo: Ática, 2000. p. 274.) Essa figura está relacionada
a) à campanha eleitoral de 1950, quando Getúlio se apresentou como um candidato democrático apoiado pela massa de trabalhadores.
b) à propaganda da Aliança Liberal, que defendia a coligação dos tenentes com a oligarquia gaúcha, tendo Getúlio Vargas como seu líder.
c) ao culto do regionalismo político, que os órgãos de propaganda do Estado Novo alimentaram usando a origem gaúcha de Getúlio Vargas.
d) ao movimento conhecido como queremismo, que, ao final do Estado Novo, uniu comunistas e trabalhistas na luta pela Constituinte com Getúlio.

resposta:[A]


3. (Cesgranrio) Na década de 1950, durante o segundo governo de Getúlio Vargas (1951 -1954), setores da sociedade brasileira se mobilizaram numa campanha:
a) por uma política externa independente, que fez com que o Presidente criasse, sem a ajuda de capitais estrangeiros, a Companhia Siderúrgica Nacional.
b) pela nacionalização da pesquisa, exploração e refino do petróleo, que culminou com a criação da Petrobrás, símbolo do nacionalismo econômico.
c) que exigia reformas de base, forçando o Congresso a votar leis que permitissem a reforma agrária e a nacionalização das empresas estrangeiras.
d) pela entrada sem restrições do capital estrangeiro no país, que culminou com a formulação, por setores governamentais, do Plano de Metas.
e) pela modernização tecnológica do país, que resultou no investimento estatal em novas fontes de energia e na criação de usinas nucleares.


resposta:[B]

4. (UFMG) O segundo Governo Vargas (1951-1954) caracterizou-se por forte orientação nacionalista. Entre as iniciativas que marcaram esse período, destaca-se a criação da Petróleo Brasileiro S.A., a Petrobras, mediante a Lei n. 2.004, aprovada pelo Congresso em 3 de outubro de 1953. É CORRETO afirmar que essa Lei
a) deu origem à campanha "O petróleo é nosso", o que reforçou o sentimento nacionalista entre os brasileiros e fez crescer o apoio a Vargas.
b) foi o estopim da crise política que levou ao suicídio de Vargas, pois a Lei deixou a distribuição do petróleo nas mãos de empresas estrangeiras.
c) motivou a crítica, por parte do escritor paulista Monteiro Lobato, à criação da empresa estatal de petróleo.
d) teve como eixo a imposição do monopólio estatal sobre a produção de petróleo, considerado condição necessária para a soberania nacional.


resposta:[D]

5. (cftmg) Getúlio Vargas marcou a história do Século XX no Brasil, porque
a) marcou sua trajetória por um estilo anti-nacionalista, antidemocrático e anti-personalista.
b) diminuiu drasticamente a influência política dos coronéis, fortalecendo a industrialização da economia.
c) manteve-se ao lado dos aliados, combatendo o nazi-fascismo, durante a Segunda Guerra Mundial.
d) fez a transição do Brasil rural para o urbano, através de uma política de defesa do Estado na vida econômica, incorporando as massas urbanas ao processo político.


resposta:[D]

6. (cftmg) O governo Getúlio Vargas (1951-1954) foi marcado por medidas econômicas e políticas de longo alcance. Em relação a esse Governo, NÃO se pode afirmar que
a) travou forte oposição da imprensa, que lhe movia violentos ataques, sensibilizando setores das Forças Armadas.
b) estabeleceu a legislação que obrigava o pagamento do salário mínimo, bem como criou o sistema previdenciário no País.
c) criou a Petrobrás, estabelecendo o monopólio estatal do petróleo, mesmo com a forte oposição das multinacionais do setor.
d) enfrentou graves crises de abastecimento de produtos industrializados, devido ao enfraquecimento das relações comerciais com os Estados Unidos.


resposta:[D]

7. (cftce) Getúlio Vargas foi normalmente considerado um governante populista. Explique o que foi o populismo.


resposta:
 
O termo populismo é utilizado para designar um conjunto de práticas políticas que consiste no estabelecimento de uma relação direta entre as massas e o líder carismático, sem a intermediação de partidos políticos. Historicamente, no entanto, o termo populismo acabou por ser mais identificado com certos fenômenos políticos típicos da América Latina, principalmente a partir de 1930, estando associado à industrialização, à urbanização e à dissolução das estruturas políticas oligárquicas, que concentravam firmemente o poder político na mão de aristocracias rurais. Daí a gênese do populismo, no Brasil, estar ligada à Revolução de 1930, que derrubou a República Velha oligárquica, colocando no poder Getulio Vargas, que viria a ser a figura central da política brasileira até seu suicídio, em 1954.

8. (Unesp) "Quis criar a liberdade nacional na potencialização das nossas riquezas através da Petrobrás; mal começa esta a funcionar, a onda de agitação se avoluma. A Eletrobrás foi obstaculizada até o desespero. Não querem que o trabalhador seja livre. Não querem que o povo seja independente (...). Lutei contra a espoliação do Brasil. Lutei contra a espoliação do povo. Tenho lutado de peito aberto. O ódio, as infâmias, a calúnia não abateram meu ânimo. Eu vos dei a minha vida. Agora ofereço a minha morte. Nada receio. Serenamente dou o primeiro passo no caminho da eternidade e saio da vida para entrar na História." 

(Getúlio Vargas. CARTA-TESTAMENTO, 1954.)

a) Por que Getúlio Vargas associa "liberdade nacional" à criação da Petrobrás?
b) Identifique no texto elementos que caracterizam o populismo de Getúlio Vargas.


resposta:
a) Para Vargas, a extração e a produção de petróleo era indispensável ao desenvolvimento industrial e econômico. Sob o controle do capital nacional, representava a independência econômica do país.

b) A defesa do trabalhismo (não querem que o trabalhador seja livre) como expressão do controle das massas e o nacionalismo ao defender a criação da Eletrobrás e da Petrobrás como meios de combate à presença do capital estrangeiro na economia nacional.

9. (Puc-rio) Leia atentamente trechos da entrevista que o jornalista Villas-Bôas Corrêa concedeu à revista Nossa História, em agosto de 2004 (n.10, p. 39-40): "Os jornais eram todos muito hostis a Vargas, faziam uma campanha extremamente violenta". "A notícia do suicídio [24 de agosto de 1954] explodiu quando eu estava na altura da [rua] Uruguaiana. Bem na minha frente estava uma senhora negra, baixota, gorda, com duas sacas na mão. Ela parou e parecia inchar. De repente, berrou com violência: Canalhas, ladrões, mataram nosso amigo, mataram o velhinho! ." O depoimento de Villas-Bôas Corrêa caracteriza algumas ambigüidades, explicitando rejeições e apoios, associadas à figura do Presidente Getúlio Vargas.
a) Caracterize UM motivo para a hostilidade de muitos órgãos de imprensa durante o 2.o Governo Vargas.
b) Caracterize UM motivo para o apoio popular a Vargas.


resposta:
 
 a) - o posicionamento político de boa parte da grande imprensa contra o nacionalismo econômico e o trabalhismo defendidos pelo Governo Vargas.
    - a crítica ao financiamento público, pelo Banco do Brasil, à criação do jornal varguista Última Hora.
    - a acusação e o temor generalizado na grande imprensa da retomada de práticas autoritárias provenientes do Estado Novo, com destaque para as ações de censura.

b) - o reconhecimento em relação à implementação das leis trabalhistas advindas do 1o Governo Vargas e atualizadas neste momento.
    - o apoio às medidas relacionadas ao nacionalismo econômico, expresso, por exemplo, na criação da Petrobrás.  


10. (ENEM) Zuenir Ventura, em seu livro "Minhas memórias dos outros" (São Paulo: Planeta do Brasil, 2005), referindo-se ao fim da "Era Vargas" e ao suicídio do presidente em 1954, comenta: Quase como castigo do destino, dois anos depois eu iria trabalhar no jornal de Carlos Lacerda, o inimigo mortal de Vargas (e nunca esse adjetivo foi tão próprio). Diante daquele contexto histórico, muitos estudiosos acreditam que, com o suicídio, Getúlio Vargas atingiu não apenas a si mesmo, mas o coração de seus aliados e a mente de seus inimigos. A afirmação que aparece "entre parênteses" no comentário e uma conseqüência política que atingiu os inimigos de Vargas aparecem, RESPECTIVAMENTE, em:
a) a conspiração envolvendo o jornalista Carlos Lacerda é um dos elementos do desfecho trágico e o recuo da ação de políticos conservadores devido ao impacto da reação popular.
b) a tentativa de assassinato sofrida pelo jornalista Carlos Lacerda por apoiar os assessores do presidente que discordavam de suas idéias e o avanço dos conservadores foi intensificado pela ação dos militares.
c) o presidente sentiu-se impotente para atender a seus inimigos, como Carlos Lacerda, que o pressionavam contra a ditadura e os aliados do presidente teriam que aguardar mais uma década para concretizar a democracia progressista.
d) o jornalista Carlos Lacerda foi responsável direto pela morte do presidente e este fato veio impedir definitivamente a ação de grupos conservadores.
e) o presidente cometeu o suicídio para garantir uma definitiva e dramática vitória contra seus acusadores e oferecendo a própria vida Vargas facilitou as estratégias de regimes autoritários no país.


resposta:[A]

11. (Mackenzie) Durante o governo de Getúlio Vargas (1951-1954), a política econômica era marcadamente nacionalista. A adoção de uma política voltada para os interesses da nação determinou:
a) o choque com os interesses imperialistas, principalmente o norte-americano, já que os países capitalistas, durante a Guerra Fria, se agrupavam sob a direção e de acordo com os interesses dos Estados Unidos.
b) o estremecimento das relações entre Vargas e os EUA. Mas o presidente norte-americano, Eisenhower, viu-se impossibilitado de não conceder os empréstimos prometidos, para não perder um aliado na América.
c) a falência dos projetos ligados à criação de empresas estatais, que monopolizariam setores importantes da nossa economia, dada a falta de capital estrangeiro.
d) o afastamento, do governo, do movimento trabalhista, que criava obstáculos para a implantação do programa econômico.
e) a retomada de uma campanha liderada pelo próprio presidente, que denunciava a remessa de lucros para o exterior por parte das empresas nacionais.


resposta:[A]

12. (Uel) "Tomara que chova/Três dias sem parar/ A minha grande mágoa/É lá em casa não ter água/ Eu preciso me lavar/ De promessa eu ando cheio/ Quando eu conto a minha vida/ Ninguém quer acreditar/ O trabalho não me cansa/ O que me cansa é pensar/ Que lá em casa não tem água/ Nem pra cozinhar." 
("Tomara que chova", Paquito e Romeu Gentil, sucesso do carnaval de 1951.) 
 
O tempo passou desde o carnaval de 1951. Contudo, na maioria das cidades brasileiras persiste o problema da falta de saneamento básico. Considerando os seus conhecimentos sobre a urbanização no Brasil da década de 1950, é correto afirmar:
a) Os imigrantes que habitavam os cortiços nas cidades do Rio de Janeiro e São Paulo possuíam rede de esgoto e água encanada.
b) A falta de canalização de esgoto e de abastecimento de água, sobretudo nas moradias populares, era responsável pela propagação de várias doenças.
c) O Plano de Metas de Getúlio Vargas implementou soluções para a crise habitacional e de serviços de infra-estrutura urbana.
d) A urbanização tardia do território nacional desobrigava os políticos de propor soluções para o saneamento básico.
e) As letras consagradas nas marchas carnavalescas dos anos 50 revelavam o distanciamento da população urbana dos temas sociais.


resposta:[B]

13. (Ufpel) "[...] Depois de decênios de domínios e espoliação dos grupos econômicos e financeiros internacionais, fiz-me chefe de uma revolução e venci. [...] A campanha subterrânea dos grupos internacionais aliou-se à dos grupos nacionais revoltados contra o regime de garantia do trabalho. A lei de lucros extraordinários foi detida no Congresso. Contra a justiça da revisão do salário-mínimo se desencadearam os ódios. Quis criar a liberdade individual na potencialização das nossas riquezas através da Petrobrás, mal começa esta a funcionar, a onda de agitação se avoluma. A Eletrobrás foi obstaculada até o desespero. Não querem que o trabalhador seja livre. Não querem que o povo seja independente. Assumi o Governo dentro da espiral inflacionária que destruía os valores do trabalho. Os lucros das empresas estrangeiras alcançavam até 500% ao ano. [...] Lutei contra a exploração do Brasil. Lutei contra a espoliação do povo. [...] Eu vos dei a minha vida. Agora ofereço a minha morte. Nada receio. Serenamente dou o primeiro passo no caminho da eternidade e saio da vida para entrar na História." 
"Carta Testamento de Getúlio Vargas" - 24/08/1954.

O documento expressa uma política de
a) liberalismo econômico e nacionalismo, características do período em que governou provisoriamente.
b) estatização, restrição ao capital externo e financeiro, que corresponde ao período no qual foi eleito diretamente pelo povo.
c) abertura ao capital externo, criação de empresas estatais, como a Eletrobrás e a Petrobrás, representando o período do Estado Novo.
d) protecionismo estatal e populismo, sintetizando a ditadura legalizada pela constituição "polaca", momento político no qual a Carta foi redigida.
e) assistência aos trabalhadores e liberalismo, que ensejava o "Estado mínimo", durante o seu Governo Constitucional".


resposta:[B]

14. (Uff) "Em janeiro de 1953 o general Eisenhower assumiu o mandato presidencial (...). Além de converter o anticomunismo em uma verdadeira cruzada, o governo dos Estados Unidos adotou uma postura rígida diante dos problemas financeiros dos países em desenvolvimento. A linha dominante consistiria em abandonar a assistência estatal e dar preferência aos investimentos privados. As possibilidades de o Brasil obter créditos públicos para obras de infra-estrutura e para cobrir os déficits do balanço de pagamentos encolheram sensivelmente"
(FAUSTO, Boris. "História Concisa do Brasil". SP, Edusp/Imprensa Oficial, 2002, p. 227).
Partindo da citação, analise a conjuntura histórica brasileira em relação à política externa americana, estabelecendo conexões com o suicídio do presidente Getúlio Vargas.


resposta:
 
 - A contradição, então existente, entre a política econômica fortemente nacionalista adotada pelo presidente Vargas, que voltara, eleito, ao poder, e a mudança verificada na política externa norte-americana, uma vez que esse nacionalismo baseava-se no investimento estatal em empresas públicas produtivas e de serviços - tais como a Eletrobrás ou mesmo a Petrobrás - que visavam a dar continuidade ao desenvolvimento do capitalismo no país, via suporte do Estado.
Tal orientação, por sua vez, prendia-se à correlação de forças políticas que davam sustentação ao Segundo governo Vargas, respaldada pelo voto dos trabalhadores urbanos e das camadas populares em geral, concretizada na aliança entre o PTB, o PSD e mesmo o Partido Comunista Brasileiro. Ao mesmo tempo, o presidente nomearia como ministro do Trabalho João Goulart, figura associada aos interesses sindicais, tido como capaz de conter influência do PCB junto aos trabalhadores.
Em paralelo a esse processo, alguns grupos interessados na entrada do capital privado estrangeiro no país (contando com forte apoio das classes médias conservadoras e militares antigetulistas, via de regra alinhados União Democrática Nacional - UDN -, capitaneados por Carlos Lacerda) iniciariam campanha contrária ao presidente. Nessa campanha, denunciaram o caráter "antiprogressista" da política econômica do governo, que praticara confisco cambial sobre os exportadores de café a fim de gerar recursos a serem investidos na indústria nacional, ampliando, ainda mais, as reações adversas a seu governo.

- As greves operárias de 1953 (por aumento salarial) não controladas pelo ministro João Goulart, bem como o aumento da insatisfação de setores militares que viam na mobilização operária uma ameaça de implantação de uma "república sindicalista" e comunista. Diante de pressões oriundas de todos os lados, a campanha pela renúncia de Vargas adquiriu grandes proporções. O suicídio do presidente consequência dessa pressão - foi um ato político através do qual ele denunciava que as pressões eram oriundas de forças impopulares que haviam levado ao impasse a que chegara, associadas aos grupos internacionais aliados a seus inimigos internos.


15. (FGV) "...Nada mais vos posso dar a não ser meu sangue. Se as aves de rapina querem o sangue de alguém, querem continuar sugando o povo brasileiro, eu ofereço em holocausto a minha vida... Cada gota de meu sangue será uma chama imortal em vossa consciência e manterá a vibração sagrada para a resistência. Ao ódio respondo com o perdão. E aos que pensam que me derrotaram respondo com a minha vitória... Lutei contra a espoliação do Brasil. Lutei contra a espoliação do povo. Tenho lutado de peito aberto. O ódio, as infâmias, a calúnia não abateram meu ânimo. Eu vos dei a minha vida. Agora ofereço a minha morte. Nada receio. Serenamente dou o primeiro passo no caminho da eternidade e saio da vida para entrar na história." "Carta-Testamento de Getúlio Vargas" in Documentos de História do Brasil, organizado por Mary Del PRIORE e outros, São Paulo, Scipione, 1999, pp. 98-99. A Carta-Testamento de Getúlio Vargas foi publicada pela imprensa brasileira em 24 de agosto de 1954. O suicídio do presidente da República foi um dos episódios mais dramáticos da História brasileira no século passado e ocorreu em meio a uma grave crise política. 
Analise tal situação, considerando: - O panorama da crise política de 1954. - As características da política de massas do período. - As conseqüências políticas da morte de Vargas.


resposta:
 
De volta ao governo em 1951, com um projeto desenvolvimentista  e nacionalista, Getúlio Vargas passou a enfrentar uma  intensa oposição de setores ligados ao capital estrangeio e dos segmentos conservadores da sociedade representados pela UDN. Estes, contestavam o nacionalismo econômico e a política populista caracterizada pela aproximação e incorporação das classes trabalhadoras urbanas à cena política, sob a tutela do Estado. Vargas enfretava também campanhas na imprensa contra o governo, sobretudo pelo Jornal Tribuna da Imprensa de Carlos Laderda e a perda de apoio no Exército. O cenário desfavorável, agravou-se com o atentado ao jornalista Carlos Lacerda, no qual morreu o Major-do-Ar Rubens Vaz, sendo apontados como responsáveis, pessoas próximas do presidente. Pressionado a renunciar, Vargas optou pelo suicídio.
Após a morte de Getúlio Vargas e o afastamento do vice Café Filho em 1955, evidenciaram-se conflitos políticos envolvendo o presidente da Câmara dos Deputados Carlos Luz e o Marechal Henrique Teixeira Lott que levaram o país a um Estado de Sítio até a posse de Juscelino Kubtischeck em janeiro de 1956.  


16. (Ufrs) Leia o trecho abaixo. "Mais uma vez, as forças e os interesses contra o povo condenaram-me novamente e se desencadeiam sobre mim. [...] Sigo o destino que me é imposto. Depois de decênios do domínio e espoliação dos grupos econômicos e financeiros internacionais, fiz-me chefe de uma revolução e venci. Iniciei o trabalho de libertação e instaurei o regime de liberdade social. Tive de renunciar. Voltei ao Governo nos braços do povo. A campanha subterrânea dos grupos internacionais aliou-se à dos grupos nacionais revoltados contra o regime de garantia do trabalho. A lei dos lucros extraordinários foi detida no Congresso. Contra a justiça da revisão do salário mínimo se desencadearam os ódios. [...] Se as aves de rapina querem o sangue de alguém, querem continuar sugando o povo brasileiro, eu ofereço em holocausto a minha vida. Escolho este meio de estar sempre convosco." DEL PRIORE, Mary. "Documentos de história do Brasil: de Cabral aos anos 90". São Paulo: Scipione, 1997. p. 98-99. Pode-se afirmar que o trecho acima faz parte da
a) proposta de reformas de base do presidente João Goulart, de 1964.
b) carta de renúncia do presidente Fernando Collor de Mello, de 1992.
c) carta-testamento do presidente Getúlio Vargas, de 1954.
d) declaração ao povo brasileiro feita pelo governador Leonel Brizola, de 1962.
e) carta de abdicação de Dom Pedro I, de 1831.


resposta:[C]
                     
 
17. (Puc-rio) A partir da análise da charge acima e dos conhecimentos que você possui a respeito da política republicana entre 1945 e 1964, em especial durante o segundo governo Vargas (1951-1954), é correto afirmar que:
I - A oposição da UDN contra Vargas acentuou-se, de forma dramática, após o atentado da Rua Tonelero, do qual teria saído ferido o jornalista e deputado Carlos Lacerda, principal porta-voz das denúncias contra o "mar de lama" que assolava o Palácio do Catete.
II - Os militares constituíram-se, ao longo do período compreendido entre 1945 e 1964, em árbitros da vida política brasileira, tanto que o posicionamento adotado por vários de seus expoentes possivelmente contribuiu para que Vargas optasse pelo suicídio em 1954.
III - A presença das setas, apontando em sentidos contrários - para "golpe" e "ditadura", de um lado, e para "31/1/1956", data de posse do novo presidente eleito, de outro, - evidenciava o dilema que perpassou a vida política brasileira ao longo do período, ou seja, a tensão entre as soluções golpistas e legalistas.

Assinale:
a) Se somente a afirmativa II está correta.
b) Se somente a afirmativa III está correta.
c) Se somente as afirmativas I e II estão corretas
d) Se somente as afirmativas I e III estão corretas.
e) Se todas as afirmativas estão corretas.

resposta:[E]

18. (Ufu) Tomando como referência a imagem anterior e o contexto político-cultural da década 1950 no Brasil, assinale a alternativa correta.
a) O período, embora tenha se iniciado com a derrota do Brasil na copa do mundo de futebol em 1950, culminou com o seu primeiro título mundial em 1958 e a euforia expressa nos versos "a taça do mundo é nossa, com brasileiro não há quem possa". Essa euforia foi acompanhada pela liberalização da mulher brasileira, promovida por publicações femininas, entre as quais, "Jornal das Moças", "Querida" e "Cláudia".
b) A imagem revela o fascínio exercido pelas novidades científicas e tecnológicas, alimentado pelos investimentos em publicidade, criando novas necessidades para estimular o consumo. O acesso das classes populares aos novos bens de consumo angariou grande apoio ao trabalhismo de Vargas, corroborando para amenizar a crise do populismo no Brasil.
c) O governo Vargas foi marcado por intensos debates entre nacionalistas e defensores da entrada de capital estrangeiro no país. No interior desse embate, ganhou fôlego a campanha "o petróleo é nosso", culminando com a fundação da estatal Petrobrás, apesar das pressões contrárias dos Estados Unidos e da UDN, liderada por Carlos Lacerda.
d) Ao clima de transformações culturais, juntava-se o quadro político de liberdade democrática iniciado pelo Governo Dutra ao liberalizar o funcionamento do PCB, Partido Comunista do Brasil. Neste período, houve grande promoção da cultura brasileira nos programas de rádio e televisão, evitando, assim, a penetração de valores e hábitos de consumo importados dos Estados Unidos.

resposta:[C]

19. (Ufsm) No período que antecedeu o suicídio de Vargas, o jornal "Tribuna da Imprensa", ostensivamente anti-getulista, apresentava manchetes que refletiam o(a)
a) crise do modelo agrário-exportador e o início de uma campanha pró-desenvolvimento industrial no país, com base exclusiva no capital nacional.
b) pressão da oposição conservadora para pôr fim ao nacionalismo econômico em prol de uma política mais adequada aos interesses do capital oligopolista.
c) descontentamento popular com a política nacionalista de Vargas.
d) fim do pacto populista no Brasil, resultando na eleição de Juscelino Kubitschek pelas forças contrárias a Vargas.
e) fim do acordo de Vargas com a União Democrática Nacional (UDN) e a sua aproximação com o Partido Trabalhista Brasileiro (PTB).

resposta:[B]
 

20. (puc-sp) Leia o texto abaixo para responder à questão a seguir.
“O suicídio de Vargas não interrompeu um possível golpe udenista, tanto que Café Filho assumiu a Presidência da República e governou com um ministério conservador. A grande derrota da direita, aí sim, foi em outubro de 1955, quando Juscelino Kubitschek venceu as eleições presidenciais em aliança com João Goulart. A crise de 1961 acabou fortalecendo a democracia como valor fundamental da República.”
Marco Antonio Villa. Jango. Um perfil (1945-1964). São Paulo: Globo, 2004, p. 240


A frase
a) "O suicídio de Vargas não interrompeu um possível golpe udenista" indica que o autor acredita que o suicídio do Presidente, em agosto de 1954, não impediu a ascensão política da direita.
b) "A grande derrota da direita, aí sim, foi em outubro de 1955" indica que o autor acredita que a vitória eleitoral de Juscelino Kubitschek tenha sido um histórico triunfo político dos comunistas brasileiros.
c) "A crise de 1961 acabou fortalecendo a democracia como valor fundamental da República" indica que o autor acredita que, após a renúncia de Jânio Quadros, o Brasil se tornou definitivamente uma democracia.
d) "Café Filho assumiu a Presidência da República e governou com um ministério conservador" indica que o autor acredita que a direita conseguiu impor seu projeto de governo de 1954 em diante.
e) "Juscelino Kubitschek venceu as eleições presidenciais em aliança com João Goulart" indica que o autor acredita que não havia, em 1955, qualquer risco para a continuidade da hegemonia política do varguismo.

resposta:[A]

O vice-presidente Café Filho, ao assumir a presidência em seguida ao suicídio de Vargas, aproximou-se de setores notoriamente anti-getulistas, que viam na eleição de Juscelino Kubitschek uma continuidade no poder das forças ligadas ao varguismo.

21. (G1 - ifsp 2011)  Pai dos Pobres” e ” Mãe dos Ricos “ foram atributos concedidos ao presidente
a) Juscelino Kubitscheck, que com seu ambicioso Plano de Metas construiu Brasília, rodovias, abriu as portas do país ao capital estrangeiro, assegurando trabalho para os pobres e vida farta e confortável para os ricos. 
b) Eurico Gaspar Dutra, que abriu o Brasil às importações estrangeiras, pois nossas reservas estavam altas, devido às exportações à época da Segunda Guerra Mundial. Foi chamado de “mãe dos ricos” pelas facilidades de acesso aos produtos estrangeiros que estes teriam e “ pai dos pobres” porque trouxe milhares de empregos na construção civil. 
c) Getúlio Vargas, pois foi o responsável pela primeira legislação trabalhista no Brasil. Transformou a “questão operária é caso de polícia“ (no dizer de Washington Luis) em “ questão operária é caso de política”. Essa legislação garantia inúmeros direitos aos trabalhadores e assegurava aos ricos um cenário sem greves e manifestações, em que os lucros fluíam naturalmente para os cofres de suas empresas, trazendo a paz social ao Brasil. 
d) Fernando Collor de Mello, que fez sua campanha presidencial em 1989 apresentando-se como o “caçador de marajás”. Dispunha-se a eliminar os altos salários de funcionários públicos (era assim, o “pai dos pobres”); como sofreu o impeachment em 1992, não realizou suas promessas e tornou-se então a “ mãe dos ricos”. 
e) Tancredo Neves, o primeiro presidente civil após 21 anos de governos militares. A expressão “pai dos pobres e mãe dos ricos”, significa, na verdade, o “ presidente de uma nação que em 1985 nascia" (daí as expressões pai e mãe) após os anos de chumbo. 

resposta:[B]

A questão apresenta duas características fundamentais do populismo, o industrialismo e o nacionalismo. A industrialização do país ganhou impulso ao se aproveitar da crise internacional que, se por um lado reduziu os espaços internacionais para o café, por outro abriu possibilidades de crescimento industrial, na medida em que a capacidade das potências se reduziu.



2 comentários:

  1. A última questão, não seria a alternativa C?
    Getúlio = pai dos pobres e mãe dos ricos...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, a resposta é C, Getúlio Vargas foi considerado o "Pai dos pobres", e também chamado de "Mãe dos ricos".

      Excluir