sábado, 11 de agosto de 2012

Conheça as principais características da Crise de 1929

Saiba mais sobre a crise mundial de 1929


Confira acima um resumo com as principais características da crise de 1929 e suas repercussões sobre o mundo capitalista.


Roteiro de estudo: A crise mundial de 1929 e suas repercussões

1. (Unicamp) "Uma família isolada mudava-se de suas terras. O pai pedira dinheiro emprestado ao banco e agora o banco queria as terras. A companhia das terras quer tratores em vez de pequenas famílias nas terras. Se esse trator produzisse os compridos sulcos em nossa própria terra, a gente gostaria do trator, gostaria dele como gostava das terras quando ainda eram da gente. Mas esse trator faz duas coisas diferentes: traça sulcos nas terras e expulsa-nos dela. Não há quase diferença entre esse trator e um tanque de guerra. Ambos expulsam os homens que lhes barram o caminho, intimidando-os, ferindo-os."
(John Steinbeck, AS VINHAS DA IRA, 1972)

a) De acordo com o texto, como pode ser caracterizada a situação do camponês norte-americano após a crise de 1929?
b) Cite duas medidas adotadas pelo programa de reformas de Roosevelt (New Deal) para solucionar os problemas sociais criados pela crise de 1929.


resposta:
a) Os camponeses ficaram arruinados, desempregados e em condições totalmente precárias
b) Entre as várias medidas adotadas pelo programa de Roosevelt (New Deal) as principais eram: o investimento maciço em obras públicas e o controle dos preços e da produção.

2. (Fuvest) "A crise atingiu o mundo inteiro. O operário metalúrgico de Pittsburgo, o plantador de café brasileiro, o artesão de Paris e o banqueiro de Londres, todos foram atingidos".
(Paul Raynaud - LA FRANCE A SAUVÉ L EUROPE, T. I. Flamarion )

O autor se refere à crise mundial de 1929, iniciada nos Estados Unidos, da qual resultou:
a) o abalo do liberalismo econômico e a tendência para a prática da intervenção do Estado na economia.
b) o aumento do número das sociedades acionárias e da especulação financeira.
c) a expansão do sistema de crédito e do financiamento ao consumidor.
d) a imediata valorização dos preços da produção industrial e fim da acumulação de estoques.
e) o crescimento acelerado das atividades de empresas industriais e comerciais, e o pleno emprego.


resposta:[A]

3. (Unesp) A crise capitalista desencadeada em 1929 nos EUA e na Europa Ocidental estendeu-se para a América Latina contribuindo para:
a) a revogação de todas as tarifas protecionistas, o intervencionismo estatal e a substituição de importações.
b) abalar o poder das oligarquias e o surgimento de regimes populistas e ditaduras conservadoras.
c) a modernização do campo através do deslocamento de mão-de-obra que sobrevivia precariamente nas cidades.
d) Juan Domingo Perón destacar-se como governante populista no México.
e) a ruptura da estrutura de espoliação do povo latino-americano.


resposta:[B]

4. (Unirio) Explique um fator relacionado com a origem da crise de 1929.


resposta:
A superprodução agrícola por conta de não encontrar comprador interno ou externamente e a diminuição do consumo pois a indústria cresceu ,porém o salário da população não acompanhava esse crescimento, falindo muitas empresas.


5. (Unirio) Relacione uma ocorrência da crise de 1929 no Brasil.


resposta:
Queda nas exportações de café para os EUA e crise da política do café com leite, levando ao rompimento político da aliança entre as oligarquias paulista e mineira.


6. (Cesgranrio) O Entre-Guerras (1918-1939) pode ser considerado, no seu conjunto, como um período de crises econômicas. Assinale a opção que expressa corretamente um problema relacionado às conjunturas desse período:
a) A rápida recuperação da produção européia foi impulsionada pelos novos mercados abertos pela expansão colonial.
b) A crise alemã de 1924 representou um desdobramento da decadência da economia dos EUA, o principal centro econômico do mundo.
c) A crise de 1929, iniciada nos EUA, propagou-se rapidamente, pelos países capitalistas, cujas economias estavam em interdependência com a norte-americana.
d) Os desajustes da economia mundial tiveram como principal causa o abalo provocado pela Revolução Russa.
e) A reconversão foi caracterizada pela expansão da industrialização, em escala mundial, principalmente em economias periféricas.


resposta:[C]

7. (UFPE) Após a Primeira Guerra Mundial, a febre de negócios baseada na especulação provocou a Crise de 1929. Identifique, nas alternativas a seguir, os principais fatos que a produziram.
a) Aparecimento de ideologias como o Fascismo e o Nazismo.
b) Superprodução de mercadorias e saturação dos mercados consumidores.
c) Retraimento do crédito e proibição das exportações.
d) Equilíbrio entre a agricultura e o comércio.
e) Má colheita e demanda ilimitada da indústria.


resposta:[B]

8. (UFPR) A crise econômica de 1929, por sua profundidade e extensão, atingiu todo o mundo ligado ao capitalismo. Quais foram os efeitos dessa crise no Brasil, sob os aspectos econômico e político?


resposta:
A crise de 29 provocou uma queda nas exportações (principalmente do café), fazendo "cair"a política dominante e precipitando a Revolução de 30.

9. (G1) A Crise de 1929, com a queda da Bolsa de Nova York e a Grande Depressão nos EUA, começaram a ser superadas com a política do NEW DEAL (protecionismo alfandegário, subvenção às empresas privadas e aumento dos gastos públicos). Essa política representou um marco na passagem do:
a) capitalismo clássico, liberal e concorrencial para o capitalismo monopolista e estatal.
b) capitalismo monopolista e estatal para o capitalismo clássico, liberal e concorrencial.
c) capitalismo monopolista e estatal para o socialismo cooperativista.
d) do capitalismo clássico, liberal e concorrencial para o mercantilismo monopolista.
e) do capitalismo clássico, liberal e concorrencial para o capitalismo humanitário sem intervenção do Estado na economia.


resposta:[A]

10. (UFRJ) "NOVA YORK, 29 (U.P.) - Os diretores de meia dúzia das maiores instituições financeiras desta cidade, com recursos que somam aproximadamente sete bilhões de dólares, reuniram-se às primeiras horas da noite de ontem (... ) para discutir a situação da Bolsa, em face das últimas baixas das cotações dos títulos. Foi noticiado, que nessa reunião foi deliberado prepararem-se planos de mobilização de toda a potencialidade financeira daquelas instituições, a fim de evitar novos desastres. (...) A Bolsa de Títulos abriu com uma baixa de proporções sem precedentes. (...)
BERLIM, 29 (A.B.) - A crise verificada nas praças de Nova York e Amsterdam causou nova inquietação na Bolsa de Berlim." "Folha da Manhã". São Paulo, 30 de outubro de 1929
a) Cite dois fatores que contribuíram para a crise de 29 nos EUA.
b) Explique as razões da internacionalização da crise de 29.


resposta:
a) Superprodução,saturação do mercadoria e falta de planejamento.
b) A interdependência do capital e dos países.

11. (Fuvest) Da Grande Depressão, ocorrida no mundo capitalista com a crise econômica de 1929, resultou:
a) o desemprego, o reforço do liberalismo e a modernização do setor industrial.
b) a arte expressionista, um avanço dos movimentos anarquistas e o Nazi-Fascismo.
c) o intervencionismo estatal, múltiplos problemas sociais e nova corrida armamentista.
d) o surgimento do neoliberalismo, o fim da hegemonia européia e a popularidade das correntes culturais existencialistas.
e) o sucesso dos partidos socialistas ocidentais, o recuo do desemprego e o início de uma aproximação com a União Soviética.


resposta:[C]

12. (Fuvest) O Brasil recuperou-se de forma relativamente rápida dos efeitos da crise de 1929 porque
a) o governo de Getúlio Vargas promoveu medidas de incentivo econômico, com empréstimos obtidos no exterior.
b) o país, não tendo uma economia capitalista desenvolvida, ficou menos sujeito aos efeitos da crise.
c) houve redução do consumo de bens e, com isso, foi possível equilibrar as finanças públicas.
d) acordos internacionais, fixando um preço mínimo para o café, facilitaram a retomada da economia.
e) um efeito combinado positivo resultou da diversificação das exportações e do crescimento industrial.


resposta:[E]

13. (Mackenzie) As causas da crise de 1929 foram:
a) aumento das taxas de juros, explosão de consumo, quebra da produção agrícola e nacionalização de empresas.
b) consolidação do Nazi-Fascismo, aumento do consumo, valorização do mercado financeiro e aumento das exportações.
c) "crack" da Bolsa de New York, aumento dos preços do petróleo, redução dos salários.
d) intervenção do Estado na economia, contradição entre capacidade de consumo e produção e concorrência com os produtos asiáticos.
e) superprodução agrícola e industrial, diminuição do consumo, "crack" da Bolsa de New York e diminuição das exportações.


resposta:[E]

14. (G1) A crise de 1929, que teve início nos Estado Unidos, afetou o Brasil econômica e politicamente, provocando sobretudo:
a) a crise nas exportações industriais, prejudicando a burguesia;
b) a redução dos investimentos estrangeiros na extração do látex;
c) o aumento do desemprego nas atividades comerciais e as greves operárias;
d) um salto nas exportações devido ao desabastecimento norte-americano;
e) a crise na lavoura cafeeira, comprometendo a "República das Oligarquias".


resposta:[E]

15. (Cesgranrio) A adoção do "New Deal", após a crise de 1929, nos Estados Unidos, identifica-se com:
a) o intervencionismo do Estado na Economia, para controlar o sistema de crédito, regulamentar os salários e garantir o investidor;
b) a intenção de socializar progressivamente a economia norte-americana através de mecanismos nitidamente estatizantes;
c) a política de juros baixos adotadas pelos bancos privatizados pelo governo de F. D. Roosevelt;
d) a recuperação econômica das indústrias falidas (com o "crack" da Bolsa), através da entrada de capitais estrangeiros;
e) o emprego de mão-de-obra, subsidiada pelo governo, tanto na indústria como na agricultura.


resposta:[A]

16. (Unesp) A crença liberal no equilíbrio espontâneo do mercado foi reforçada em 1803 pela "lei de Say". Formulada pelo francês Jean-Baptiste Say, essa lei afirmava que toda oferta cria a sua demanda e inversamente, de tal modo que excluía a possibilidade de crise de superprodução no capitalismo. Qual, dentre os seguintes acontecimentos, constitui a refutação mais importante e direta da "lei de Say"?
a) Revolução Russa de 1917.
b) Crise de 1929.
c) Movimento de independência da América Latina.
d) Unificação da Alemanha.
e) Ascensão dos Estados Unidos depois da Segunda Grande Guerra.


resposta:[B]

17. (Cesgranrio) A solução americana para a crise de 1929 caracteriza-se como:
a) o processo de busca de alternativas socialistas para a crise do capitalismo com a mudança de regime político.
b) o resultado das pressões comunistas sobre o governo americano, que acaba assumindo, como política, a eliminação dos interesses privados na economia.
c) o resultado da insatisfação da sociedade americana com relação aos princípios liberais assumidos pelos partidos de esquerda que se vinculavam ao governo.
d) a introdução, na cultura americana, de valores europeus através da incorporação de tecnologia à economia americana e de alternativas de seguridade total.
e) uma saída nacional que acentua o papel dirigente do Estado em determinados setores econômicos, conhecida como "New Deal".


resposta:[E]

18. (Puccamp) "Para Keynes (...) para criar demanda, as pessoas deveriam obter meios para gastar. Uma conclusão daí decorrente é que os salários de desemprego não deveriam ser considerados simplesmente como débito do orçamento, um meio por intermédio do qual a demanda poderia aumentar e estimular a oferta. Além do mais, uma demanda reduzida significava que não haveria investimento suficiente para produzir a quantidade de mercadorias necessárias para assegurar o pleno emprego. Os governos deveriam, portanto, encorajar mais investimentos, baixando as taxas de juros (...), bem como criar um extenso programa de obras públicas, que proporcionaria emprego e geraria uma demanda maior de produtos industriais."

O texto refere-se a uma teoria cujos princípios estiveram presentes
a) no "New Deal", planejamento econômico baseado na intervenção do Estado, elaborado devido à crise de 1929.
b) na obra MEIN KAMPF, que desenvolveu os fundamentos do nazismo: idéia da existência da raça ariana.
c) no Plano Marshall, cujo objetivo era recuperar a economia européia através de maciços investimentos.
d) na criação da Comunidade Econômica Européia, organização que visa o livre comércio entre os países.
e) no livro O CAPITAL, onde se encontram os princípios básicos que fundamentam o socialismo marxista.


resposta:[A]

19. (Unicamp) Em 1929, o mundo foi abalado por uma profunda crise econômica e o Brasil sofreu diretamente os seus efeitos.
a) Cite duas características dessa crise na economia mundial.
b) Quais foram as conseqüências dessa crise econômica para a agricultura e indústria brasileiras?


resposta:
 a) - O aumento da produção não acompanhou o aumento dos salários. Além de a mecanização ter gerado muito desemprego.
- A recuperação dos países europeus, logo após a 1ª Guerra Mundial. Esses eram potenciais compradores dos Estados Unidos, porém reduziram isso drasticamente devido à recuperação de suas econômicas.
b) A crise nas exportações de café desestruturou a República das oligarquias e iniciou-se aimplantação da indústria de base conduzida pelo Estado durante a Era Vargas, para asubstituição das importações.


20. (UFRJ) "O dinamismo da economia capitalista derivou, assim, da interação de dois processos: de um lado, a inovação técnica - a qual se traduz em elevação da produtividade e em redução da demanda de mão-de-obra -, de outro, a expansão do mercado - que cresce junto com a massa dos salários. O peso do primeiro desses fatores (a inovação técnica) depende da ação dos empresários em seus esforços de maximização de lucros, ao passo que o peso do segundo (a expansão do mercado) reflete a pressão das forças sociais que lutam pela elevação de seus salários. O processo atual de globalização a que assistimos desarticula a ação sincrônica dessas forças que garantiram no passado o dinamismo dos sistemas econômicos nacionais. Quanto mais as empresas se globalizam, quanto mais escapam da ação reguladora do Estado, mais tendem a se apoiar nos mercados externos para crescer. Ao mesmo tempo, as iniciativas dos empresários tendem a fugir do controle das instâncias políticas. Voltamos assim ao modelo do capitalismo original, cuja dinâmica se baseava nas exportações e nos investimentos no estrangeiro. (...) Já não existe o equilíbrio garantido no passado pela ação reguladora do poder público. Disso resulta a baixa da participação dos assalariados na renda nacional de todos os países, independentemente das taxas de crescimento."
(Furtado, Celso. O CAPITALISMO GLOBAL. São Paulo: Paz e Terra, 1998. P.29)

a) Em nosso século, a "ação reguladora do poder público", a que se refere o autor, teve origem, no entre-guerras (1919-1939), período marcado por graves problemas econômicos e sociais que determinaram intensas mudanças no perfil dos Estados Liberais. Cite duas medidas governamentais que, nos Estados Unidos da América, visaram a minorar os efeitos da crise de 1929 no campo das relações entre capital e trabalho.
b) Pode-se identificar o período que se estende do final da Segunda Guerra Mundial até meados da década de 1970 como os anos dourados do capitalismo mundial, época em que se atingiu o auge da interação entre as inovações técnicas e a expansão do mercado a que se refere Celso Furtado. Esta foi também a época do chamado Estado do Bem-Estar Social. Relacione o Estado do Bem-Estar Social ao contexto da Guerra Fria.


resposta:
 
a) O candidato deverá mencionar, para o caso norte-americano, ao menos duas das seguintes medidas do New Deal: montagem de uma alta comissão de intelectuais (“brain trust”), que deveria sugerir medidas para ultrapassar a crise também no campo das relações entre trabalhadores e empresários; planificação regional em grande escala, que se traduziu em realização de obras públicas, construção de complexos industriais, obras de irrigação, medidas contra a erosão, todas elas visando minorar o desemprego; limitação da produção, em especial a dos cultivos de tabaco e algodão, visando garantir os interesses patronais; fixação de salário mínimo e de jornada de trabalho máxima; reconhecimento dos sindicatos; instituição de instâncias de arbitragem e fiscalização das relações trabalhistas; reconhecimento do direito de greve e da liberdade de organização e negociação dos trabalhadores; criação de mecanismos de seguridade social para desempregados, inválidos, idosos e demais; e, por fim, construção de casas para trabalhadores e instituição de mecanismos que promoviam melhores condições de trabalho.
b) O candidato deverá indicar que a existência do bloco socialista foi um dos fatores que motivou os governos dos países capitalistas avançados a assumir como legítimos direitos sociais estranhos ao ideário liberal (democratização dos sistemas de saúde e educação, da seguridade social, preservação do poder aquisitivo das classes trabalhadoras, direitos trabalhistas, etc.). Poderá mencionar também o papel desempenhado pela crítica do pensamento marxista ao empobrecimento do proletariado, ocasionado pelo desenvolvimento capitalista.

21. (Puccamp) O processo em que as firmas maiores passaram a comprar empresas menores em dificuldade financeira, independentemente de seu ramo de produção, formando agregados de firmas que se dedicavam a múltiplas atividades, coordenadas por uma direção centralizada; criando-se imensos conglomerados multifuncionais, iniciou-se, nos Estados Unidos, com
a) a Guerra de Secessão.
b) o Tratado de Versalhes.
c) a Primeira Guerra Mundial.
d) a crise econômica de 1929.
e) o Sistema de Alianças em 1907.


resposta:[D]

22. (Uerj) "Os estados ocidentais inquietam-se sob os efeitos da metamorfose incipiente. Texas e Oklahoma, Kansas e Arkansas, Novo México, Arizona, Califórnia. Uma família isolada mudava-se de suas terras. O pai pedira dinheiro emprestado ao banco e agora o banco queria as terras. A companhia das terras - que é o banco, quando se ocupa dessas transações - quer tratores, em vez de pequenas famílias nas terras. Um trator é mau? A força que produz os compridos sulcos na terra não presta? Se esse trator fosse nosso, não meu, nosso, prestaria. Se esse trator produzisse os compridos sulcos em nossa própria terra, prestaria, na certa. Não nas minhas terras, nas nossas. Então, aí sim, a gente gostaria do trator, gostaria dele como gostava das terras quando ainda eram da gente. Mas esse trator faz duas coisas diferentes: traça sulcos na terra e expulsa-nos delas (...). Há que pensar sobre isso."
(STEINBECK, John. "As Vinhas da Ira." São Paulo: Círculo do Livro /s.d./)

Esse trecho do romance de Steinbeck reflete as dificuldades de famílias de agricultores norte-americanos durante a Grande Depressão de 1929. A crise de 1929 resultou de um fator acentuado após a 1 Guerra Mundial, a saber:
a) diminuição da produção agrícola norte-americana, devido a problemas climáticos
b) recuo da produção industrial, devido à falência das instituições de crédito em todo o mundo
c) falência da democracia-liberal, devido à não-intervenção do Estado nas questões econômicas
d) desequilíbrio entre produção e consumo, devido ao crescimento não integrado da economia norte-americana


resposta:[D]

23. (Pucmg) A crise econômica de 1929 não deixa intocado nenhum ramo da economia e atingiu diferentes segmentos sociais, determinando, EXCETO:
a) diminuição drástica do volume do comércio internacional.
b) afastamento do poder público do cenário econômico.
c) desemprego em massa e aumento do número de falências.
d) a queda acentuada da produção em nível mundial.
e) a retração da taxa de crescimento e da renda nacional.


resposta:[B]


24. (Unesp) Em 1929, a Bolsa de Valores de Nova Iorque quebrou. As ações se desvalorizaram drasticamente; os estoques de cereais se acumularam; os preços dos produtos baixaram. Fazendeiros faliram. As grandes indústrias diminuíram fortemente a produção; as médias e pequenas fecharam. Grandes massas de trabalhadores ficaram desempregadas. O Estado, essencialmente liberal, não intervinha na produção e o mercado sozinho não controlava a crise. Para controlar a crise, Franklin Delano Roosevelt, democrata eleito presidente em 1932, lançou um programa de reconstrução nacional, o New Deal, cuja meta era promover reformas profundas na sociedade norte-americana. Baseando-se no texto, responda.
a) Qual a diferença entre o liberalismo econômico clássico e o liberalismo praticado pelo New Deal?
b) Quais os reflexos da crise de 1929 no Brasil?


resposta:
a) No liberalismo clássico pregava-se o ideal de que a economia seria um organismo auto-regulamentado. Segundo sua lógica, quanto maior a liberdade dada às atividades econômicas, maior seriam as condições para que determinado país conseguisse ampliar suas fontes de riqueza. Dessa maneira, o liberalismo clássico desaprovava qualquer esforço governamental com o objetivo de regular os costumes e práticas econômicas de sua sociedade.Entre outras ações o New Deal estabelecia o controle na emissão de valores monetários, o investimento em setores básicos da indústria e a criação de políticas de emprego.Além de controlar o progresso econômico, o New Deal também implantou uma série de ações que conciliavam as questões econômicas e sociais.
b) No Brasil, a crise de 1929 gerou uma acentuada queda nas exportações e a falência de várias empresas, contribuindo para agravar a crise da República das oligarquias.


25. (Puccamp) A crise de 1929
I. estava inserida dentro de um contexto do próprio desenvolvimento do capitalismo e resultou do caráter contraditório desse capitalismo, onde a capacidade de consumo do mercado não acompanhava o ritmo de crescimento da produção.
II. foi uma crise de superprodução que atingiu, em maior ou menor intensidade, todos os países do mundo, fenômeno que pode ser explicado pela interdependência da economia capitalista como um todo, fazendo com que a crise se propagasse rapidamente.
III. estava relacionada ao baixo nível de produtividade existente nas economias centrais, principalmente nos Estados Unidos, provocando a falta de gêneros alimentícios de primeira necessidade e bens de consumo duráveis.
IV. foi uma crise financeira, que provocou pânico entre os acionistas das principais companhias dos Estados Unidos, não tendo grandes repercussões no processo de produção industrial e agrícola das economias americanas.

Pode-se afirmar que são corretas SOMENTE:
a) I e II.
b) I e III.
c) II e III.
d) II e IV.
e) III e IV.


resposta:[A]

26. (FGV) No início dos anos 30 a produção industrial estava, aproximadamente, 38% menor do que anteriormente a 1929. Os EUA, para responder a essa crise mundial do capitalismo, implementaram internamente a política do "New Deal", que consistia em :
a) sob a influência da teoria keynesiana, redistribuir renda através da geração de empregos e outros incentivos coordenados e controlados pelo Estado;
b) ampliar a produção agrícola, abrindo crédito aos desempregados industriais para montagem e gestão de pequenas fazendas;
c) reduzir a interferência do Estado na economia, através da abertura irrestrita do mercado interno e, fundamentalmente. do saneamento das dívidas públicas;
d) produzir mais alimentos, criando um órgão regulador de crédito agrícola para fazendeiros endividados;
e) privatizar as empresas estatais, obtendo capitais de investimento para políticas sociais: seguro-desemprego, formação em serviço e (re)qualificação profissional.


resposta:[A]


27. (Fuvest) A crise de 1929 foi muito mais do que um crash financeiro, do que uma quebra generalizada das bolsas de valores. Foi uma crise profunda do próprio capitalismo.
a) Por que houve a crise?
b) Como repercutiu no Brasil?


resposta:
 
a) A crise de 1929 foi uma crise onde se produzia cada vez mais e se consumia cada vez menos, graças a vários motivos que mostrarei agora:
-> Os Estados Unidos, desde que se tornaram independentes da Inglaterra, desenvolveram-se bastante economicamente, sendo, no século XX, já a grande potência mundial. Com tanto desenvolvimento, foi-se desenrolando naquele país a II Revolução Industrial, que veio com o fordismo e o taylorismo. Esses novos meios de trabalho eram muito produtivos, pois eram rápidos e produziam em massa, mas também despediam muitas pessoas, precisando de cada vez menos mão de obra. Se as pessoas são demitidas, elas não recebem mais salário e não possuem mais dinheiro para poderem comprar. Com isso, esse desenvolvimento acabou se tornando um dos motivos para a crise de 1929, onde os produtos eram fabricados cada vez mais rápido, mas as pessoas não podiam consumir assim tão rapidamente.
-> Além de ter uma grande parcela da população que não colaborava para o crescimento do mercado interno simplesmente porque não tinha dinheiro para comprar os produtos fabricados, ainda havia uma parcela desempregada no campo, pois era nesse tempo que os homens estavam sendo substituídos por colheitadeiras, aradores e outras máquinas. Esse povo do campo que começou a perder seus empregos e suas terras para as grandes corporações migrou para a cidade, num intenso processo de êxodo rural. Mais gente na cidade, mas ainda assim gente que não podia consumir o que era fabricado.
-> A I Guerra Mundial aconteceu um pouco antes da crise começar e os Estados Unidos entraram nessa guerra em seu penúltimo ano lucrando bastante. Aumentou consideravelmente a venda da indústria bélica e depois que a guerra acabou, os Estados Unidos financiaram a reconstrução da Europa destruída. Só que depois de um tempo, a Europa já estava refeita e não precisava mais do apoio financeiro dos Estados Unidos, o que resultou em cada vez menos lucro até a crise que estava dentro do país também ir para fora dele.
 b) O Brasil é um país capitalista que contava com um forte apoio dos Estados Unidos, assim como vários outros países do mundo. Mas ao contrário dos países europeus, o Brasil teve de enfrentar muitos problemas com isso, já que não tinha uma industrialização sólida própria. Em 1930 ocorre a Revolução de 30, que coloca Getúlio Vargas no poder, e começa a investir na indústria brasileira, que desde então era muito debilitada. Ele constrói indústrias de base, que refinam a matéria prima, para tentar salvar a economia do Brasil em meio a crise de 1929.

28. (UFPE) Sobre a crise econômica de 1929 e sua relação com o liberalismo, assinale a alternativa correta.
a) A crise de 1929 foi provocada, sobretudo, pelo alto grau de desenvolvimento tecnológico, combinado à política liberal com base na ociosidade de capitais europeus do pós-guerra.
b) Baseados em uma política liberal, os empresários norte-americanos mantiveram o ritmo de produção que vinha sendo adotado durante a Primeira Guerra e o mercado internacional não respondeu às ofertas.
c) Para enfrentar a crise econômica de 1929, foi adotada a política liberal de empréstimos através da qual os países europeus mais ricos passaram a dar crédito aos Estados Unidos.
d) Com a crise de 1929, a política econômica liberal passou a ser desacreditada pelos empresários norte-americanos que passaram a apoiar uma política estatal intervencionista.
e) A política liberal adotada no período do pós-guerra dos EUA proibiu os empréstimos a juros e as especulações com ações, numa tentativa de frear a crise econômica, então, já prevista.


resposta:[B]




29. (Puc-rio)
Fonte: Hilário Franco Jr. e Ruy de Oliveira Andrade Filho. "Atlas de História Geral". São Paulo: Scipione, 1993, p. 70. O gráfico apresenta a variação do número de desempregados na sociedade norte-americana, entre 1929 e 1942. A partir da leitura do gráfico e de seus conhecimentos, assinale a afirmativa correta:
a) A política do "New Deal", estimulando investimentos em obras públicas e na agricultura e regulamentando o mercado de trabalho, teve como um de seus principais desdobramentos a redução do número de desempregados.
b) A quebra da Bolsa de Valores de Nova York ocasionou, de imediato, o aumento dos investimentos industriais nos Estado Unidos, especialmente no setor bélico, estimulando uma nova guerra mundial.
c) O retorno aos índices de desemprego a níveis inferiores ao da crise de 1929 somente ocorreu por ocasião do início da II Guerra Mundial, em 1939, quando o governo norte-americano enviou tropas para as frentes de combate.
d) Correlacionada ao enorme índice de desempregados, a economia norte-americana viveu, entre 1929 e 1942, uma crise recessiva ininterrupta e sem precedentes nos setoresagrícola, industrial e financeiro.
e) O governo Roosevelt, através do New Deal, estimulou o livre cambismo internacional durante os anos 30, de uma tal forma, que essa política repercutiu na ampliação da entrada de novos capitais, estimulando a geração de empregos.

resposta:[A]


30. (Puc-rio) A Grande Depressão, iniciada em 1929, com a crise da Bolsa de Nova York, foi, possivelmente, o acontecimento do século XX cujas repercussões se fizeram sentir sobre um maior número de homens e mulheres em todo o planeta.
a) Explique por que os efeitos da Grande Depressão afetaram mais a economia da Alemanha do que a economia da União Soviética.
b) Roosevelt, ao assumir a presidência em 1933, deu início à implementação do New Deal, um conjunto de medidas que visava a combater os efeitos recessivos da Grande Depressão sobre a economia norte-americana. Indique 1 (uma) dessas medidas.


resposta:

a) Os efeitos da Grande Depressão se fizeram sentir mais sobre a Alemanha, pois esta não apenas se__ encontrava inserida na dinâmica das relações capitalistas internacionais, mas também ressentia-se_ profundamente com o repatriamento dos capitais norte-americanos que vinham sendo vitais para__ seu reerguimento econômico, após as crises por ela atravessadas no início da década de 1920. Já a União Soviética sofria, desde o triunfo da Revolução de Outubro de 1917, os efeitos do isolamento imposto pela maioria dos países ocidentais, ao que se somava o fato de seus dirigentes estarem empreendendo uma política econômica comprometida com a implementação do socialismo.
b) O candidato poderá indicar, por exemplo:
- A realização de maciços investimentos estatais em obra públicas de grande porte;
- A reorganização do sistema bancário, ampliando o controle do mesmo pela União;
- A criação de um sistema federal de seguro desemprego;
- A concessão de empréstimos a rendeiros, a fim de que pudessem comprar sua própria terra

31. (Uel) O "crack" da Bolsa de Valores de Nova Iorque, em 1929, provocou falências de centenas de indústrias, de bancos, de companhias de comércio e de transportes e um desemprego em massa, que chegou a alcançar cerca de 15 milhões de trabalhadores nos Estados Unidos. No plano internacional, é correto afirmar que essa crise financeira
a) não afetou o desenvolvimento das economias dos países europeus.
b) contribuiu para ampliar a comercialização de matérias-primas dos países subdesenvolvidos.
c) não teve desdobramentos, já que era um fenômeno restrito aos Estados Unidos.
d) provocou graves conseqüências para os países que exportavam para os Estados Unidos.
e) teve repercussões apenas nos países que perderam a Primeira Guerra Mundial.


resposta:[D]

32. (Puc-pr) A crise da Bolsa de Nova Iorque, em 1929/1930, refletiu-se nos Estados Unidos e em todo o mundo, com exceção dos países componentes da URSS. No Brasil, a conseqüência política foi o(a):
a) Revolução de 1930, que derrubou a República Oligárquica.
b) início da política do "Café-com-Leite".
c) surgimento do Movimento Tenentista.
d) formação da Política dos Governadores.
e) revolta dos posseiros do Contestado.


resposta:[A]

33. (Puc-rs) O processo de internacionalização da economia mundial tem-se tornado, desde o final do século XIX, cada vez mais intenso. Nesse sentido, o desempenho econômico de determinadas nações passou a ter influências crescentes sobre as demais, seja em períodos de prosperidade ou de crise, como no caso do "crack" da bolsa de valores de Nova Iorque, em 1929. Dentre as causas desta crise, pode-se citar:
a) a moratória decretada pelo governo russo, que prejudicou diretamente os Estados Unidos, principal credor da Rússia.
b) a desvalorização da moeda tailandesa, que deflagrou a crise asiática, afetando rapidamente as indústrias norte-americanas, exportadoras de produtos para o Oriente.
c) a crise econômica mexicana, que gerou o chamado "efeito tequila" sobre a produção industrial norte-americana, levando a uma desvalorização do dólar em relação ao peso mexicano.
d) o rápido crescimento industrial dos Estados Unidos no período pós-Primeira Guerra, não acompanhado de um significativo aumento do mercado consumidor, levando a uma crise de superprodução.
e) o aumento do preço do petróleo após o primeiro conflito mundial, o que aumentou os custos de produção das indústrias americanas, que tiveram seus lucros reduzidos.


resposta:[D]

34. (Mackenzie) Tomei consciência pela primeira vez do problema do desemprego em 1929. Lembro-me do choque, do espanto que senti, quando pela primeira vez me misturei com vagabundos e mendigos, ao descobrir que uma boa parte, talvez uma quarta parte dessa gente, eram jovens e honestos contemplando seu destino: era como se nunca mais fossem ter a oportunidade de voltar a trabalhar. Nessas circunstâncias era inevitável, no início, que fossem perseguidos por um sentimento de degradação pessoal.
(George Orwell)

A solução dessa crise econômica foi implementada por F.D. Roosevelt, que formulou um conjunto de medidas denominada de:
a) Plano Marshall.
b) Corolário Roosevelt.
c) Macartismo.
d) New Deal.
e) Estado Mínimo.


resposta:[D]






35. (Ufsm)
(AQUINO, Rubim, LISBOA, Ronaldo e PEREIRA NETO, André. "Fazendo a História". Rio de Janeiro: Ao Livro Técnico, 1986. p. 134.) A charge se refere a uma das crises cíclicas do Capitalismo, a queda da Bolsa de Valores de New York, em 1929. Nela evidencia-se uma das características dessa crise, ou seja,
a) a falência dos banqueiros e o alastramento da recessão nos países do leste europeu.
b) a venda desenfreada das ações na Bolsa de Valores em New York e maciços investimentos dos E.U.A. nos países não-alinhados.
c) as greves gerais empreendidas pelos operários, os quais lutavam pela manutenção do emprego, aumento salarial e negociação das dívidas das fábricas.
d) o agravamento da questão social, expresso nas manifestações dos operários, dos trabalhadores sem terra e dos desempregados do comércio, o que precipitou a crise do FMI.
e) o alastramento do desemprego e a conseqüente redução do poder aquisitivo do mercado consumidor norte-americano.

resposta:[E]

36. (Mackenzie) Os Estados Unidos viviam seus dias de glória. A dança agitava os salões, principalmente aquelas que tivessem características menos convencionais como a valsa, que predominou no século XIX. Houve uma verdadeira busca de ritmos e sons diferentes, emocionantes, como os africanos e latino-americanos. (....) o jazz e o blues conseguiram espaços e se espalharam por todo o mundo, com muita rapidez, auxiliados pelo gramofone e pela prosperidade dos "Anos Felizes" do capitalismo norte-americano. Eric J. Hobsbawm - "História social do jazz"

Assinale a alternativa que NÃO corresponde ao período caracterizado no fragmento de texto acima.
a) O clima de otimismo econômico do período do pós-guerra dissimulou os conflitos envolvendo negros e imigrantes, assim como a intolerância social, o crime organizado e a corrupção política.
b) Possuindo aproximadamente a metade de todo o ouro que circulava nos mercados financeiros do mundo, os EUA saíram da Primeira Guerra como grandes credores da Europa.
c) O pós-guerra, período conhecido como os "anos felizes", foi uma fase de enorme euforia e prosperidade para os EUA, que durou até a crise econômica de 1929.
d) A prosperidade econômica dos EUA, na década de 1920, não era partilhada por todos os norte-americanos; havia grande concentração de renda e cerca de 50% da população vivia abaixo da linha de pobreza.
e) Nessa época, as leis de segregação racial, que proibiam os negros de freqüentar as mesmas escolas e bares que os brancos e até de entrar em ônibus e banheiros públicos exclusivos dos brancos, foram abolidas na região sul dos EUA.


resposta:[E]

37. (Mackenzie) Hoje, os historiadores chamam, de revolução, as transformações profundas (políticas e econômicas, técnicas, de valores, costumes, etc) que provocam a destruição total ou parcial da velha ordem e a sua substituição por uma nova ordem. (...) Toda vez que técnicas, costumes, tradições ou valores que eram dominantes são substituídos por outros, alterando profundamente a vida das pessoas e as relações entre elas, nós usamos a palavra revolução. Joelza Éster Rodrigues - "História em documentos"

Assinale a alternativa que NÃO corresponde ao conceito acima apresentado.
a) A independência dos EUA.
b) A descoberta da agricultura e domesticação dos animais na Pré-História.
c) Os movimentos liberais e nacionalistas europeus de 1830 e 1848.
d) A crise da bolsa de Nova York em 1929.
e) A tomada do poder pelos bolcheviques, em 1917, na Rússia.


resposta:[D]

38. (Puc-pr) O governo de Washington Luís, entre várias dificuldades, teve também de enfrentar os efeitos:
a) da campanha contra seu ministro Oswaldo Cruz a respeito da obrigatoriedade da vacina contra a varíola.
b) da inflação provocada pela política do Encilhamento.
c) das restrições às importações provocadas pela 1 Guerra Mundial.
d) da crise de 1929 com a quebra da Bolsa de Valores de Nova Iorque.
e) das revoluções em São Paulo e Minas Gerais que reivindicavam melhores salários-mínimos.


resposta:[D]

39. (Unesp) Encontrando-se o Estado em situação de poder calcular a eficiência (...) dos bens de capital a longo prazo e com base nos interesses gerais da comunidade, espero vê-lo assumir uma responsabilidade cada vez maior na organização direta dos investimentos.
(J. M. Keynes. A Teoria Geral do Emprego, do Juro e da Moeda. 1936.)

O ponto de vista de Keynes opõe-se a uma teoria econômica que predominou na política governamental dos Estados Unidos da América nos anos imediatamente anteriores à crise de 1929. Baseando-se nestas informações, responda.
a) A que teoria econômica Keynes se opunha?
b) Exemplifique, com duas medidas implementadas pelo New Deal, o esforço do governo Roosevelt para superar os efeitos sociais da crise econômica de 1929.


resposta:
a) Ao liberalismo.
b) Investimentos estatais na construção civil para a geração de empregos e o Ato de Ajuste Agrícola (AAA). Outras medidas: abandono temporário do padrão-ouro; leis trabalhistas, instituição do salário mínimo, protecionismo alfandegário e  repatriação dos capitais norte-americanos

40. (UFV) O crash da Bolsa de Nova York em 1929 afetou a economia mundial. Os Estados Unidos, sob o comando do Presidente Franklin Delano Roosevelt, adotaram o New Deal , como saída para a crise que o país atravessava. São características do New Deal :
I. a intervenção deliberada do Estado na economia, contrapondo-se à tradição liberal americana.
II. a criação de um amplo plano de obras públicas, como barragens e auto-estradas, para gerar novos empregos.
III. o incentivo ao aumento da produção para alimentar a população desempregada.
IV. a criação de um fundo monetário destinado a financiar os países europeus em crise. V. a adoção de medidas visando ao equilíbrio entre o custo da produção e o valor final das mercadorias.

Das alternativas abaixo, assinale aquela que apresenta apenas as características CORRETAS:
a) I, II e V.
b) I, III e IV.
c) I, IV e V.
d) II, III e IV.
e) II, III e V.


resposta:[A]

41. (UFG) A crise de 1929 abalou os Estados Unidos. Em 1933, Franklin Delano Roosevelt foi eleito com o objetivo de recuperar o país por meio do programa conhecido como New Deal, que propunha
a) a defesa do isolacionismo e do planejamento econômico, por meio dos quais os Estados Unidos abdicavam do engajamento em questões internacionais.
b) a mudança do centro das decisões econômicas de Nova York, símbolo do poder dos grandes banqueiros, para Washington, sede do poder federal.
c) a redução das importações estadunidenses que afetaram os países dependentes de seu mercado, repatriando capitais norte-americanos.
d) a intervenção e o planejamento do Estado na economia, em quatro setores: agricultura, trabalho, segurança social e administração.
e) o conservadorismo em questões econômicas e na política externa, ampliando a "missão civilizadora" dos Estados Unidos.


resposta:[D]


42. (UFRJ) "Tomei consciência pela primeira vez do problema do desemprego em 1928 [...] Lembro-me do choque, do espanto que senti quando pela primeira vez me misturei com vagabundos e mendigos, ao descobrir que uma boa parte, talvez uma quarta parte dessa gente [...] eram mineiros e colhedores de algodão, jovens e honestos, contemplando seu destino com aquele assombro estúpido de uma animal que caiu numa armadilha. Simplesmente não conseguiam entender que acontecia com eles.Tinham sido criados para trabalhar, e - vejam! - era como se nunca mais fossem ter a oportunidade de voltar ao trabalho. Nessas circunstâncias, era inevitável, no início, que fossem perseguidos por um sentimento de degradação pessoal. Tal era a atitude para com o desemprego naquele tempo: era um desastre que acontecia a você como indivíduo e a culpa era sempre sua." Fonte: Orwell, George. "O Caminho para Wigan Pier", in: "História do século XX". São Paulo, Abril Cultural, 1974, vol. 6, p. 1351.

O relato do escritor George Orwell nos dá conta do ambiente de crise em que viveu a sociedade norte-americana no final da década de 20, especialmente a partir de 1929.
a) Comente um problema que a economia norte-americana enfrentou ao longo da década de 1920 e que colaborou para a crise de 1929.
b) Identifique duas medidas do New Deal, programa adotado pelo governo Roosevelt, que procuravam atenuar os efeitos da crise para os trabalhadores.


resposta:
a) Estagnação dos salários das classes trabalhadoras e do desemprego em função do grande desenvolvimento tecnológico, o que no conjunto acarretou em uma queda na capacidade interna de consumo.
b) A destruição dos estoques de gêneros agrícolas; a diminuição da jornada de trabalho e o controle sobre os preços e a produção.


43. (Ufsm) Considerando a crise do capitalismo liberal nos EUA, nas décadas de 1920 e 30, é possível afirmar:
a) A quebra da Bolsa de Valores de Nova York, em outubro de 1929, foi o fato gerador da crise de superprodução da economia norte-americana.
b) A produção industrial mantida num patamar elevado, sem que houvesse mercado consumidor, foi o elemento desencadeador da crise.
c) O crescimento econômico dos anos 20 aparelhou a agricultura e a indústria dos EUA, para enfrentar as crises decorrentes da retração do mercado.
d) A Bolsa de Valores de Nova York, ao longo da década de 1920, pautou seus negócios com objetividade, sem permitir especulações com o valor das ações.
e) A aspiração por enriquecimento rápido e fácil, comum na sociedade dos EUA, não colaborou para a quebra da Bolsa de Valores de Nova York.


resposta:[B]

44. (IFPR) No período chamado de Entre Guerras, um acontecimento norte-americano alcançou repercussão mundial. Trata-se da Quebra da Bolsa de Valores de Nova Iorque, em outubro de 1929. Foram causas dessa crise econômica:
a) intervenção do Estado na economia, contrariando o ideal do liberalismo, profundamente arraigado na cultura norte-americana.
b) retomada da produção européia, aumento do preço do petróleo no mercado internacional e redução do consumo interno.
c) explosão do consumo, aumento das taxas de juros e uma seqüência de nacionalizações de empresas estrangeiras.
d) aumento das exportações e dos preços dos produtos, sem que houvesse um aumento de produção de matérias-primas.
e) superprodução agrícola e industrial, diminuição nos níveis de exportação e queda nos preços no mercado interno.


resposta:[E]


45. (Uerj) Alan Greenspan, ex-presidente do Banco Central dos Estados Unidos, ao comentar a recente turbulência econômica que abalou os principais mercados financeiros mundiais no mês de agosto, afirmou que tendemos a pensar que os mesmos fatores regem tanto a expansão quanto a retração do mercado. "A fase de expansão da economia é bastante diferente, e o medo como suporte, como ocorre atualmente, é muito mais potente do que a euforia."
(Adaptado do "Jornal de Brasília", 08/09/2007)

Euforia e medo são elementos que já se fizeram presentes em outras crises econômicas mundiais, como a Grande Depressão de 1929 e seus desdobramentos na América Latina. Aponte duas características da conjuntura econômica mundial de 1929 que possibilitaram a Grande Depressão e indique um desdobramento deste processo na Argentina.


resposta:

Duas das características:
• crescimento econômico dos países capitalistas sem sustentação na produção
• especulação financeira nas bolsas de valores
• dependência financeira da Europa em relação aos EUA
• aumento gradativo do desemprego em todas as áreas de produção
• forte dependência em relação aos bancos por parte dos setores produtivos
• crescimento desordenado da produção, com presença de fontes de estrangulamento

Um dos desdobramentos:
• enfraquecimento do comércio externo
• diminuição das exportações de gêneros agropecuários
• crescimento de uma indústria de transformação destinada ao consumo local
• controle estatal de câmbio
• tentativas do Partido Radical de apropriar-se das bases do poder
• tentativas do Partido Radical em afastar do poder as oligarquias dominantes

3 comentários: