segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Atividades de fixação sobre o capitulo Era Vargas: a construção de um Brasil novo

Era Vargas: a construção de um Brasil novo

1. (PITÁGORAS) Analise o trecho:

“Logo após a posse de Getúlio Vargas, começaram as divergências entre os vários segmentos que haviam integrado a Aliança Nacional.”

DETERMINE o modelo de Estado desejado, na ocasião,

a) pelos tenentes.

resposta: Os tenentes desejavam a implantação de um governo forte e centralizado destinando maior poder político no Executivo.

b) pelas oligarquias dissidentes.

resposta: O desejo das oligarquias dissidentes era a descentralização política, ou seja, queriam maior autonomia política para as unidades federativas.

2. (PITÁGORAS) A Revolução Constitucionalista de 1932 representou, no contexto da Era Vargas,

a) o descontentamento dos tenentes com a repressão desencadeada sobre eles após o movimento de 1930.

b) a revolta popular contra as determinações autoritárias impostas após a decretação do Estado Novo.

c) a reação dos paulistas frente à perda da hegemonia na política nacional após a Revolução de 1930.

d) a tentativa golpista da tomada do poder e instalação do socialismo, liderada por Luiz Carlos Prestes.

e) a articulação da alta cúpula das Forças Armadas contra a ampliação das liberdades políticas.

resposta: [C]

3. (FUVEST)

Reprodução de Cartaz da Revolução de 1932. Observando o cartaz:

a) Identifique os três personagens.

resposta: No cartaz percebe-se um soldado portando a bandeira de São Paulo, ao lado do qual está um bandeirante segurando Getúlio Vargas, identificado como ditador.

b) Explique a frase "Abaixo a Ditadura".

resposta: Getúlio Vargas era visto como um ditador pelos paulistas porque assumiu o governo provisoriamente, prometendo convocar uma Assembleia Constituinte, que elaborasse uma nova Constituição brasileira, o que não havia ocorrido até 1932. Soma-se a esse motivo, o fato de os paulistas haverem perdido a presidência da República. Por isso mesmo, o cartaz lembra o papel dos paulistas como leais defensores da pátria desde os tempos coloniais. Combatendo o governo "inconstitucional" de Vargas, os paulistas associavam o presente de São Paulo ao passado de glórias dos tempos dos bandeirantes.

4. (UERJ) Na década de 30, para combater o governo estabelecido por Getúlio Vargas, os paulistas pegaram em armas.

(Nosso século, 26/11/2000)

Os cartazes acima fazem parte da sua propaganda, pedindo a colaboração da população no esforço de guerra. A Revolução de 1932 ocorre na seguinte conjuntura política nacional:

a) aprovação do novo Código Eleitoral sem o voto secreto

b) perda da hegemonia política pela oligarquia paulista em nível federal

c) intervenção do poder federal no governo de São Paulo por meio da política dos governadores

d) aliança entre o Partido Popular Progressista e produtores rurais intermediada por militares tenentistas

resposta: [C]

5. (PUCCAMP)

(Joel Rufino dos Santos. "História do Brasil". São Paulo: Marco Editorial, 1979. p. 196.)

A caricatura revela um momento da chamada "era de Vargas", quando Getúlio preparava-se para

a) assumir a presidência da República, após a sua eleição indireta pela Assembleia Constituinte.

b) liderar um golpe militar, instaurando um período histórico conhecido por Estado Novo.

c) disputar as eleições diretas para a presidência da República, no contexto da redemocratização do país.

d) executar os princípios do Plano Cohen, visando impedir o avanço dos comunistas e dos integralistas ao poder.

e) comandar uma revolução constitucionalista, contra a oligarquia do setor agroexportador.

resposta: [A]

6. (MACKENZIE) A política industrial da Era Vargas caracterizou-se por promover:

a) a internacionalização da economia, com ênfase na produção de bens de consumo.

b) as bases para a expansão industrial, por meio de uma política econômica intervencionista, pragmática e nacionalista.

c) a introdução de capitais estrangeiros e a prática econômica liberal.

d) a redução do papel do Estado no desenvolvimento econômico.

e) a reintegração do país no sistema econômico mundial, por meio da monocultura cafeeira.

resposta: [B]

7. (UFRRJ)

"Foi em 1930

que à frente da Revolução

Getúlio Vargas assumiu

a Presidência do Brasil.

Era um tempo novo que se abria

o desenvolvimento industrial

as leis trabalhistas ele cria

é a Previdência Social

Eram anos de conquista

e de grande agitação pelo poder

de 32 a 37,

aquele estadista

reprimiu os paulistas

comunistas e integralistas.

Mas não há quem esconda

seu valor de idealista,

basta falar em Volta Redonda, (...) "

(Gomes, Dias e Gullar, Ferreira. Dr. Getúlio: sua vida e sua glória. São Paulo, Civilização Brasileira, 1968. pp. 10 e 11)

a) Indique duas características do governo de Getúlio Vargas, no período entre 1930 e 1937.


b) Explique uma característica do Estado Novo.

Comentários para Resolução: Dentre duas características do Governo Provisório e constitucional (entre 1930-1937) podemos destacar a centralização do poder; a elaboração da constituição de 1934 (onde são incorporados os direitos trabalhistas e o voto feminino); a promoção do desenvolvimento industrial. Já sobre o Estado Novo pode-se dizer que os traços marcantes foram a implantação da ditadura; a criação do Departamento de Imprensa e Propaganda (DIP); a formação do Ministério do Trabalho e o controle do movimento sindical através da estrutura corporativista; a construção do trabalhismo enquanto modelo de atuação varguista, elevando Getúlio à condição de líder, guia, estadista e "pai dos pobres".

8. (PUC-PR) O fato é que de obra de ficção o documento foi transformado em realidade, passando das mãos dos integralistas à cúpula do Exército. A 30 de setembro, era transmitido pela "Hora do Brasil" e publicado em parte nos jornais.

(Fausto, Boris. História do Brasil. São Paulo. Edusp, 1996).

O documento a que o texto se refere ajudou Getúlio Vargas a dar o golpe que criou o Estado Novo. Trata-se do:

a) Plano Bresser

b) Plano Quinquenal

c) Plano de Metas

d) Plano Nacional de Desenvolvimento

e) Plano Cohen

resposta: [E]

9. (UFV) Durante a Era Vargas, notadamente no período de 1934-37, houve uma polarização ideológica entre a direita fascista, nucleada em torno do Movimento Integralista de Plínio Salgado, e a esquerda aliancista, tendo à frente o PCB de Luís Carlos Prestes. A respeito do Integralismo, qual das características abaixo NÃO fazia parte de seu ideário?

a) Nacionalismo.

b) Militarismo.

c) Monopartidarismo.

d) Liberalismo.

e) Anticomunismo.

resposta: [D]

10. (UFPEL)

A charge relaciona-se ao

a) final do Estado Novo e às ações políticas do Partido Comunista de Luís Carlos Prestes, dos integralistas e dos movimentos tenentistas.

b) último governo de Vargas e aos movimentos insurrecionais como o Levante dos Dezoito do Forte de Copacabana, a Coluna Prestes e o "Putsch" integralista.

c) Governo Provisório de Vargas, quando ocorreram as Intentonas Comunista e Integralista, representadas, respectivamente, pelas figuras de Luís Carlos Prestes e Plínio Salgado.

d) Governo Constitucional de Vargas, momento que coincide com a Segunda Guerra Mundial, e movimentos militares, como a República do Galeão e o Levante de Aragarças.

e) Governo Provisório e ao Constitucional de Getúlio Vargas, quando ocorreram a Ação Integralista, a Revolução Constitucionalista, a Intentona Comunista e o Plano Cohen.

resposta: [E]

11. (FUVEST) Com respeito à Ação Integralista no Brasil, na década de 1930, é correto afirmar que

a) foi uma cópia fiel do fascismo italiano, inclusive nas cores escolhidas para o uniforme usado nas manifestações públicas.

b) foi um movimento sem expressão política, pois não tinha líderes intelectuais, nem adesão popular.

c) tinha como principais marcas o nacionalismo, a base sindical corporativa e a supremacia do Estado.

d) elegeu católicos, comunistas e positivistas como antagonistas mais significativos.

e) foi um movimento financiado pelo governo getulista, o que explica sua sobrevivência.

resposta:[C]

12. (PUC) Analise o texto adiante. Por um lado, é a ameaça do prolongamento indefinido da ditadura e, acima do predomínio no código fundamental do país de idéias não só visceralmente incompatíveis com as tradições democráticas, consciência e cultura da nação, senão também atentatórias da segurança, direitos e progresso econômico de São Paulo. Por outro lado, são as dores desta soberba Unidade da Federação, usurpada na faculdade inauferível de se governar, talada na opulência de suas riquezas, destroçada na organização de seus serviços públicos. São Paulo martirizado nunca poderia perdoar aos seus filhos manterem-se desunidos ante tantos perigos e infortúnios.

(Adaptado de "O Estado de S. Paulo", fevereiro de 1932)

A partir do texto e tendo como referenciais o contexto histórico do movimento paulista de 1932, pode-se afirmar que

a) a grande imprensa demonstra sempre uma postura eqüidistante no tocante a questões históricas conflituosas, haja vista o predomínio do interesse comercial dos seus proprietários.

b) o jornal revela um posicionamento radical contra o extremo nacionalismo do movimento paulista, que pretendia depor o primeiro governo constitucional de Getúlio Vargas.

c) o jornal concorda plenamente com o movimento paulista, já que este procura fortalecer o getulismo contra a oligarquia que governa o Brasil até 1930.

d) o discurso presente no texto do jornal traduz uma parte do sentimento de alguns defensores do movimento paulista, que questiona a legitimidade do poder político vigente no país.

e) as idéias contidas no texto do jornal mostram o grau de união e a convergência de interesses de todos os participantes do movimento paulista pela Consolidação da União Nacional.

resposta:[D]

13. A proclamação a seguir é do movimento que, em nome da Aliança Nacional Libertadora, os comunistas deflagraram ao final de 1935 contra o governo Getúlio Vagas (1930/45) e que trouxe conseqüências que marcaram as décadas seguintes da História do Brasil. O Rio Grande do Norte, desafrontado dos dias amargos em que viveu tiranizado por um governo forjado na prostituição dos princípios republicanos de outrora, hasteia-se soberbo, (...) abrindo caminho largo no solo abençoado da Pátria à entrada triunfal do Cavaleiro da Esperança - Luiz Carlos Prestes. (...) A Aliança Nacional Libertadora assegura garantias plenas a todos os cidadãos, sem distinção de credo político ou religioso (...).

Proclamação dos revoltosos de Natal (RN) em 24 de novembro de 1935, apud: ALVES FILHO, I. "Brasil", 500 anos em documentos. Rio de Janeiro: Mauad, 1999. 2. ed., p. 446.

a) Explique o aparecimento do nome de Luiz Carlos Prestes na proclamação dos revoltosos.

resposta: Luiz Carlos Prestes ao voltar do exílio na URSS passou a liderar a ANL e comandou o levante conhecido como Intentona Comunista, que visava derrubar o presidente Getúlio Vargas em 1935.

b) Cite uma consequência do fracasso do levante de 1935 para a História brasileira dos anos 30.

resposta: O fracasso do levante foi usado por Vargas para enrijecer o regime, colocar a ANL na ilegalidade e preparar o caminho para o golpe de Estado que implantou o Estado Novo (1937-1945)

14. (Fuvest) “São Paulo não está apenas descontente. Está ferido na sua sensibilidade. O que a Revolução lhe pediu ele lho deu... Por que a Revolução tarda em restaurá-lo na sua autonomia e no governo direto de seus filhos? Cansado de viver como terra conquistada, São Paulo... pede apenas, à frente da administração de seus negócios, um de seus filhos que lhe compreenda o espírito e não lhe golpeie o coração”.

(O Estado de S. Paulo, 27 de janeiro de 1932)

Explique os impasses políticos discutidos por esse jornal e indique seus desdobramentos.

resposta : Basicamente, a nomeação do interventor federal João Alberto por Getúlio Vargas confrontou-se com as elites de São Paulo que perderam a influência e o poder político que detinham antes da Revolução de 1930. A crescente campanha contra o intervencionismo de Getúlio Vargas e a exigência de uma Constituição para o país resultariam na Revolução Constitucionalista de 1932.

Um comentário: