segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Correção Unesp 2015

Confira a correção comentada do vestibular 2015 da Unesp (Questões de História)

Leia o texto para responder às questões de números 31 e 32.

A partir do século VII a.C., muitas comunidades nas ilhas, na Grécia continental, nas costas da Turquia e na Itália construíram grandes templos destinados a deuses específicos: os deuses de cada cidade.
As construções de templos foram verdadeiramente monumentais. [...] Tornaram-se as novas moradias dos deuses. Não eram mais deuses de uma família aristocrática ou de uma etnia, mas de uma pólis. Eram os deuses da comunidade como um todo. A religião surgiu, assim, como um fator aglutinador das forças cooperativas da pólis. [...]
A construção monumental foi influenciada por temático, desenvolvidas na Mesopotâmia e no Egito, os grandes monumentos gregos teriam sido impossíveis.
(Norberto Luiz Guarinello. História antiga, 2013.)

Questão 31
Segundo o texto, um papel fundamental da religião, na Grécia antiga, foi o de
(A) eliminar as diferenças étnicas e sociais e permitir a igualdade social.
(B) estabelecer identidade e vínculos comunitários e unificar as crenças.
(C) impedir a persistência do paganismo e afirmar os valores cristãos.
(D) eliminar a integração política, militar e cultural entre as cidades-estados.
(E) valorizar as crenças aristocráticas e eliminar as formas de culto populares.

Resolução
Alternativa escolhida por eliminação, por dois motivos: 1) seria temerário enfatizar a influência da arte monumental mesopotâmica na formação urbanística das pólis, no século VII a.C.; 2) a expressão “unificar as crenças” foi empregada inadequadamente, pois, no caso, tratar-se-ia apenas de fortalecer a devoção da comunidade à divindade protetora local, e não unificar a doutrina e a mitologia como um todo, o que envolveria o conjunto da população grega.
Resposta: B


Questão 32
A relação estabelecida no texto entre a arquitetura grega e a arquitetura egípcia e oriental pode ser justificada pela
(A) circulação e comunicação entre povos da região mediterrânica e do Oriente Próximo, que facilitaram a expansão das construções em pedra.
(B) dominação política e militar que as cidades-estados gregas, lideradas por Esparta, impuseram ao Oriente Próximo.
(C) presença hegemônica de povos de origem árabe na região mediterrânica, que contribuiu para a expansão do Islamismo.
(D) difusão do helenismo na região mediterrânica, que assegurou a incorporação de elementos culturais dos povos dominados.
(E) força unificadora do cristianismo, que assegurou a integração e as recíprocas influências culturais entre a Europa e o norte da África.

Resolução
Outra alternativa escolhida por eliminação porque acentua de forma prematura – por se referir ao século VII a.C. – as relações entre a arquitetura grega e a egípcia (além de outras de origem igualmente oriental) na produção arquitetônica dos gregos.
Resposta: [A]

Questão 33
Observemos apenas que o sistema dos feudos, a feudalidade, não é, como se tem dito frequentemente, um fermento de destruição do poder. A feudalidade surge, ao contrário, para responder aos poderes vacantes. Forma a unidade de base de uma profunda reorganização dos sistemas de autoridade […].
(Jacques Le Goff. Em busca da Idade Média, 2008.)

Segundo o texto, o sistema de feudos
a) representa a unificação nacional e assegura a imediata centralização do poder político.
b) deriva da falência dos grandes impérios da Antiguidade e oferece uma alternativa viável para a destruição dos poderes políticos.
c) impede a manifestação do poder real e elimina os resquícios autoritários herdados das monarquias antigas.
d) constitui um novo quadro de alianças e jogos políticos e assegura a formação de Estados unificados.
e) ocupa o espaço aberto pela ausência de poderes centralizados e permite a construção de uma nova ordem política.


Resolução
Interpretação de texto. Segundo Le Goff, a desagregação do Império Romano do Ocidente e a fraqueza ou desorganização dos reinos bárbaros que lhe sucederam provocaram uma reordenação das forças político-sociais, tomando como base inicial de poder a nobreza guerreira senhorial (origem da aristocracia feudal).
Resposta: [E]

Questão 35
Que significa o advento do século XVI? [...] Se essa passagem de século tem hoje um sentido para nós, um sentido que talvez não tinha nos séculos anteriores, é porque vemos que aí é que surgem as primícias da globalização. E essa globalização é mais que um processo de expansão de origem ibérica, mesmo se o papel da península foi dominante. [...] Em 1500, ainda estamos bem longe de uma economia mundial. No limiar do século XVI, a globalização corresponde ao fato de setores do mundo que se ignoravam ou não se frequentavam diretamente serem postos em contato uns com os outros.
(Serge Gruzinski. A passagem do século: 1480-1520, 1999.)


O texto

a) defende a ideia de que a expansão marítima dos séculos XV e XVI tenha provocado a globalização, pois tal expansão eliminou as fronteiras nacionais.
b) rejeita a ideia de que a expansão marítima dos séculos XV e XVI tenha provocado a globalização, pois muitos povos do mundo se desconheciam.
c) identifica a expansão marítima dos séculos XV e XVI com o atual contexto de globalização, destacando, em ambos, a completa internacionalização da economia.
d) compara a expansão marítima dos séculos XV e XVI com o atual contexto de globalização, demonstrando o papel central, em ambos, dos países ibéricos.
e) relaciona a expansão marítima dos séculos XV e XVI com o atual contexto de globalização, ressalvando, porém, que são processos históricos distintos.


Resolução
O conceito exposto no texto transcrito estabelece uma comparação entre as Grandes Navegações e a atual globalização. Na verdade, trata-se da reformulação de uma constatação que historiadores não tão recentes consideravam como a “europeização do mundo” ou integração de economias distintas em um grande quadro mundial, dominado pelo capital mercantil europeu.
Resposta: [E]


Leia o texto para responder às questões de números 35 e 36.

O Brasil colonial foi organizado como uma empresa comercial resultante de uma aliança entre a burguesia mercantil, a Coroa e a nobreza. Essa aliança refletiu-se numa política de terras que incorporou concepções rurais tanto feudais como mercantis.
             (Emília Viotti da Costa. Da Monarquia à República, 1987).


Questão 35
A afirmação de que “O Brasil colonial foi organizado como uma empresa comercial resultante de uma aliança entre a burguesia mercantil, a Coroa e a nobreza” indica que a colonização portuguesa do Brasil.
a) desenvolveu-se de forma semelhante às colonizações espanhola e britânica nas Américas, ao evitar a exploração sistemática das novas terras e privilegiar os esforços de ocupação e povoamento.
b) implicou um conjunto de articulações políticas e sociais, que derivavam, entre outros fatores, do exercício do domínio político pela metrópole e de uma política de concessões de privilégios e vantagens comerciais.
c) alijou, do processo colonizador, os setores populares, que foram impedidos de se transferir para a colônia e não puderam, por isso, aproveitar as novas oportunidades de emprego que se abriam.
d) incorporou as diversas classes sociais existentes em Portugal, que mantiveram, nas terras coloniais, os mesmos direitos políticos e trabalhistas de que desfrutavam na metrópole.
e) alterou as relações políticas dentro de Portugal, pois provocou o aumento da participação dos burgueses nos assuntos nacionais e eliminou a influência da aristocracia palaciana sobre o rei.



Resolução
O arranjo descrito pela autora está consubstanciado nas regras do Pacto Colonial, uma vez que o exclusivo comercial metropolitano (imposição de uma Coroa absolutista) beneficiava a burguesia mercantil na exploração da economia colonial. À nobreza cabia exercer a alta administração da colônia, ocupando tanto os cargos civis como os militares, o que podia envolver outras compensações além dos vencimentos da função. Quanto às camadas populares – não mencionadas no texto –, forneceram o contingente necessário à ocupação e povoamento do território.

Resposta: [B]


Questão 36
A constatação de que “Essa aliança refletiu-se numa política de terras que incorporou concepções rurais tanto feudais como mercantis” justifica-se, pois a política de terras desenvolvida por Portugal durante a colonização brasileira.
a) permitiu tanto o surgimento de uma ampla camada de pequenos proprietários, cuja produção se voltava para o mercado interno, quanto a implementação de sólidas parcerias comerciais com o restante da América.
b) determinou tanto uma rigorosa hierarquia nobiliárquica nas terras coloniais, quanto o confisco total e imediato das terras comunais cultivadas por grupos indígenas ao longo do litoral brasileiro.
c) envolveu tanto a cessão vitalícia do usufruto de terras que continuavam a ser propriedades da Coroa, quanto
a orientação principal do uso da terra para a monocultura exportadora.
d) garantiu tanto a prevalência da agricultura de subsistência, quanto a difusão, na região amazônica e nas áreas centrais da colônia, das práticas da pecuária e da agricultura de exportação.
e) assegurou tanto o predomínio do minifúndio no Nordeste brasileiro, quanto uma regular distribuição de terras entre camponeses no Centro-Sul, com o objetivo de estimular a agricultura de exportação.




Resolução
A empresa agrícola lusitana no Brasil foi viabilizada por dois aspectos fundamentais: a produção em sistema de plantation, voltada para a exportação, e a garantia do direito de posse da terra à particulares (donatários e sesmeiros), ainda que a propriedade – ao menos em tese – continuasse a pertencer à Coroa.
Resposta: [C]


Questão 37
Era o fim. O general Simón José Antonio de la Santísima Trinidad Bolívar y Palacios ia embora para sempre. Tinha arrebatado ao domínio espanhol um império cinco vezes mais vasto que as Europas, tinha comandado vinte anos de guerras para mantê-lo livre e unido, e o tinha governado com pulso firme até a semana anterior, mas na hora da partida não levava sequer o consolo de acreditarem nele. O único que teve bastante lucidez para saber que na realidade ia embora, e para onde ia, foi o diplomata inglês, que escreveu num relatório oficial a seu governo: “O tempo que lhe resta mal dá para chegar ao túmulo.”
(Gabriel García Marquez. O general em seu labirinto, 1989.)


O perfil de Simón Bolívar, apresentado no texto, acentua alguns de seus principais feitos, mas deve ser relativizado, uma vez que Bolívar
a) foi um importante líder político, mas jamais desempenhou atividades militares no processo de independência da América Hispânica.
b) obteve sucesso na luta contra a presença britânica e norte-americana na América Hispânica, mas jamais conseguiu derrotar os colonizadores espanhóis.
c) defendeu a total unidade das Américas, mas jamais obteve sucesso como comandante militar nas lutas de independência das antigas colônias espanholas.
d) teve papel político e militar decisivo na luta de independência da América Hispânica, mas jamais governou a totalidade das antigas colônias espanholas.
e) atuou no processo de emancipação da América Hispânica, mas jamais exerceu qualquer cargo político nos novos Estados nacionais.

Resolução
Embora Bolívar seja o responsável, direto ou indireto, pela libertação de cinco Estados sul-americanos (Venezuela, Colômbia, Equador, Peru e Alto Peru/Bolívia), jamais administrou diretamente esse vasto conjunto territorial, menos ainda “a totalidade das antigas colônias espanholas”. Apesar de suas intenções unionistas, não conseguiu viabilizá-las devido às diversidades regionais e às ambições de seus lugar-tenentes. Bolívar foi presidente da Venezuela, da Grã-Colômbia (Venezuela e Colômbia), do Peru e do Alto Peru, embora nos dois últimos casos seu título fosse praticamente honorífico.

Resposta: [D]


Questão 38
A escravatura, que realmente tantos males acarreta para a civilização e para a moral, criou no espírito dos brasileiros este caráter de independência e soberania, que o observador descobre no homem livre, seja qual for o seu estado, profissão ou fortuna. Quando ele percebe desprezo, ou ultraje da parte de um rico ou poderoso, desenvolve-se imediatamente o sentimento de igualdade;
e se ele não profere, concebe ao menos, no momento, este grande argumento: não sou escravo. Eis aqui no nosso modo de pensar, a primeira causa da tranquilidade de que goza o Brasil: o sentimento de igualdade profundamente arraigado no coração dos brasileiros. 
(Padre Diogo Antônio Feijó apud Miriam Dolhnikoff. O Pacto Imperial, 2005.)

O texto, publicado em 1834 pelo Padre Diogo Antônio Feijó, 
a) parece rejeitar a escravidão, mas identifica efeitos positivos que ela teria provocado entre os brasileiros.
b) caracteriza a escravidão como uma vergonha para todos os brasileiros e defende a completa igualdade entre brancos e negros.
c) defende a escravidão, pois a considera essencial para a manutenção da estrutura fundiária.
d) revela as ambiguidades do pensamento conservador brasileiro, pois critica a escravidão, mas enfatiza a importância comercial do tráfico escravagista.
e) repudia a escravidão e argumenta que sua manutenção demonstra o desrespeito brasileiro aos princípios da igualdade e da fraternidade.


Resolução
Interpretação de texto. Em princípio, Feijó posicionava-se se contra a escravatura, mas vê na sua existência, no Brasil, uma contribuição positiva: a formação de um “espírito dos brasileiros”, igualados na consciência de que não são escravos e que, portanto, permanecem
equiparados na liberdade, independentemente de sua condição. 
Resposta: [A]

Questão 39
A influência e o domínio do povo pelo “partido”, isto é, por alguns recém-chegados (os ideólogos comunistas procedem dos centros urbanos), já destruiu a influência e a energia construtiva desta promissora instituição que eram os sovietes. No momento atual, são os comitês do partido e não os sovietes que governam a Rússia. E sua organização padece de todos os defeitos da organização burocrática. 
(Piotr Kropolkin. “Carta a Lênin (04.03.1920)” Textos escolhidos. 1987.) 


As críticas do anarquista Kropotkin a Lênin, presentes nessa carta de 1920, indicam a sua 
a) crença de que o partido bolchevique consiga reconhecer o poder supremo dos sovietes e extinguir a injustiça social, a hegemonia burguesa e o autoritarismo.
b) insatisfação em relação à diminuição da influência das associações de soldados e trabalhadores e ao aumento da influência política das lideranças bolcheviques.
c) disposição de anular a influência dos sovietes, para que o Estado russo seja eliminado e se instale uma nova organização política, baseada na supressão de toda forma de poder.
d) avaliação de que o partido social-democrata se tornou, após a Revolução de Outubro de 1917, o único grupo político capaz de conter as manifestações sociais e reestruturar o Estado russo.
e) discordância diante do esforço organizativo do país, empreendido pelos bolcheviques, e sua aposta no retorno da monarquia parlamentar derrubada pela Revolução de Outubro de 1917.



Resolução
Os sovietes (conselhos de operários, soldados e camponeses) surgiram na Revolução de 1905 e tiveram uma importância decisiva na ascensão dos bolcheviques ao poder na Rússia, em outubro/novembro de 1917. Entretanto, a ideia de “Todo poder aos sovietes”, proclamada por Lênin em suas Teses de Abril, foi rapidamente substituída por um mecanismo que apenas referendava a ação dos comitês do Partido [Bolchevique] – estes últimos, aliás,
meros executores das decisões do Comitê Central, dirigido por Lênin. Com isso, o caráter popular do início da Revolução foi substituído por uma estrutura burocrática centralizada e imposta à população.
Resposta: [B]


Questão 40
Em 1924, uma caravana formada por Mário de Andrade, Oswald de Andrade, Tarsila do Amaral e o poeta franco-suíço Blaise Cendrars, entre outros, percorreu as cidades históricas mineiras e acabou entrando para os anais do Modernismo. O movimento deflagrado em 1922 estava se reconfigurando.
(Ivan Marques. “Trem da modernidade”. Revista de História da Biblioteca Nacional, fevereiro de 2012. Adaptado.)


Entre as características da “reconfiguração” do Modernismo, citada no texto, podemos incluir
a) a politização do movimento, o resgate de princípios
estéticos do parnasianismo e o indigenismo.
b) a retomada da tradição simbolista, a defesa da
internacionalização da arte brasileira e a valorização das tradições orais.
c) a incorporação da estética surrealista, o apoio ao movimento tenentista e a defesa do verso livre.
d) a defesa do socialismo, a crítica ao barroco brasileiro e a revalorização do mundo rural.
e) a maior nacionalização do movimento, o declínio da influência futurista e o aumento da preocupação primitivista.


Resolução
A questão aborda algumas características do “Movimento Pau-Brasil”, ao qual pertenceram os artistas brasileiros mencionados e cujo manifesto propunha um redirecionamento do modernismo, de acordo com as propostas elencadas na alternativa E.
Resposta: [E]



Questão 41
Examine a charge do cartunista Théo, publicada na revista Careta em 27.12.1952.


Getúlio: — Ser pai dos pobres dá mais trabalho do que ser Papei Noel! Você só se amofina no Natal: a mim eles chateiam o ano inteiro!
(Isabel Lustosa. História de presidentes, 2008.)

O apelido de “pai dos pobres”, dado a Getúlio Vargas, pode ser associado
a) ao autoritarismo do presidente diante dos movimentos sociais, manifesto na repressão às associações de operários e camponeses.
b) aos esforços de negociação com a oposição, com a decorrente distribuição de cargos administrativos e funções políticas.
c) ao caráter popular do regime, originário de uma revolução social e empenhado no combate à burguesia industrial brasileira.
d) à política de concessões desenvolvida junto a sindicatos, como contrapartida do apoio político dos trabalhadores.
e) à supressão de legislação trabalhista no país, que obrigava o governo a agir de forma assistencialista.



Resolução
A alternativa descreve, de maneira um tanto crua, o mecanismo de troca existente no populismo: concessões trabalhistas, trazendo em contrapartida o apoio dos sindicatos ao governo. Entretanto, deve-se se frisar que a alcunha de “Pai dos Pobres”, conferida à Getúlio pelas classes trabalhadoras, refere-se muito mais aos benefícios sociais advindos da CLT do que ao controle exercido sobre as organizações sindicais.
Resposta: [D]



Questão 42
Em minha proclamação como Rei, já há quase quatro décadas, assumi o firme compromisso de servir aos interesses gerais da Espanha, com o afã de que os cidadãos chegassem a ser os protagonistas do seu próprio destino, e nossa Nação, uma democracia moderna, plenamente integrada na Europa.
Propus-me então a encabeçar a apaixonante tarefa nacional que permitiu aos cidadãos elegerem seus legítimos representantes e levarem a cabo essa grande e positiva transformação da Espanha, da qual tanto necessitávamos.
Hoje, quando olho para trás, não posso sentir senão orgulho e gratidão por vocês.
(Discurso de abdicação do Rei Juan Cartos, da Espanha,  em 02.06.2014. http//brasil.elpais.com) 

A ascensão de Juan Carlos ao trono da Espanha, mencionada no texto, deu-se com 
a) o fim da Guerra Civil Espanhola, vencida pelos fascistas, que extinguiram a república e reinstauraram a monarquia no país.
b) a revolução social encabeçada pelos republicanos, que contaram com amplo apoio de tropas internacionais de voluntários.
c) a derrota dos movimentos separatistas basco e catalão, que, durante a ditadura franquista, haviam provocado a fragmentação política e territorial da Espanha.
d) a incorporação da Espanha à União Europeia, após o golpe monárquico que derrubou o regime fascista que controlou o país por quase quatro décadas.
e) o início de um processo amplo de redemocratização do país, após ter atravessado quase quatro décadas sob a ditadura franquista.


Resolução
O general Francisco Franco, ditador da Espanha entre 1939 e 1975, malgrado sua conotação ideológica fascista, teve a percepção de que o regime por ele fundado não sobreviveria a sua morte, o que criaria um vácuo político com consequências imprevisíveis.
Para realizar uma transição política sem abalos e que congregasse as diversas forças do país, Franco optou pela neutralização de sua sucessão. Trazendo para a Espanha o neto do último soberano (exilado em 1931), restabeleceu a Monarquia e proclamou-se regente, tendo como sucessor presuntivo o príncipe Juan Carlos. Coube a este último, depois de entronizado, articular o Pacto de Moncloa, que realizou com êxito a passagem da Espanha do totalitarismo para a democracia.
Resposta: [E]




segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Confira a correção das questões de Ciências Humanas e suas Tecnologias, do ENEM 2014 (parte 2)




QUESTÃO 21

Texto I
Olhamos o homem alheio às atividades públicas não como alguém que cuida apenas de seus próprios interesses, mas como um inútil; nós, cidadãos atenienses, decidimos as questões públicas por nós mesmos na crença de que não é o debate que é empecilho à ação, e sim o fato de não se estar esclarecido pelo debate antes de chegar a hora da ação.
TUCÍDIDES. História da Guerra do Peloponeso. Brasília: UnB, 1987 (adaptado).


Texto II
Um cidadão integral pode ser definido por nada mais nada menos que pelo direito de administrar justiça e exercer função públicas; algumas destas, todavia, são limitadas quanto ao tempo de exercício, de tal modo que não podem de forma alguma ser exercidas duas vezes pela mesma pessoa, ou somente podem sê-lo depois de certos intervalos de tempo prefixados.
ARISTÓTELES. Política. Brasilía: UnB, 1985.


A) Prestígio social.
B) Acúmulo de riqueza.
C) Participação política.
D) Local de nascimento.
E) Grupo de parentesco.


Resposta da questão 21: [C] 
Comentário da questão:
Ambos os textos exortam o cidadão à participação política. Tucídides e Aristóteles defendem o exercício político como uma forma de definir o próprio conceito de cidadão.


QUESTÃO 22

Antes de o sol começar a esquentar as terras da faixa ao sul do Saara conhecida como Sahel, duas dezenas de mulheres da aldeia de Widou, no norte do Senegal, regam a horta cujas frutas e verduras alimentam a população local. É um pequeno terreno que, visto do céu, forma uma mancha verde – um dos primeiros pedaços da “Grande Muralha Verde”, barreira vegetal que se estenderá por 7.000 km do Senegal ao Djibuti, e é parte de um plano conjunto de vinte países africanos.
GIORGI, J. Muralha Verde. Folha de S. Paulo, 20 maio 2013 (adaptado)

O projeto ambiental descrito proporciona a seguinte consequência regional imediata:
A) Facilita as trocas comerciais.
B) Soluciona os conflitos fundiários.
C) Restringe a diversidade biológica.
D) Fomenta a atividade do pastoreio.
E) Evita a expansão da desertificação.


Resposta da questão 22:[E] 
Comentário da questão:
Os projetos, como a “Grande Muralha Verde”, servem, além da questão social de abastecimento local, como forma de impedir a expansão dos processos de desertificação.

QUESTÃO 23


A charge, datada de 1910, ao retratar a implantação de rede telefônica no Brasil, indica que está
A) Permitiria aos índios se apropriarem da telefonia móvel.
B) Ampliaria o contato entre a diversidade de povos indígenas.
C) Faria a comunicação sem ruídos entre grupos sociais distintos.
D) Restringiria a sua área de atendimento aos estados do norte do país.
E) Possibilitaria a integração das diferentes regiões do território nacional.


Resposta da questão 23:[E]
Comentário da questão:
A observação da charge nos permite localizar extremos do país nas extremidades do índio. A leitura da legenda que também faz referência da ligação dos pés à cabeça nos levam a pensar que o objetivo do chargista é destacar a capacidade do Brasil se comunicar, sendo, na imagem, o Índio uma personificação da nação brasileira. Assim, a melhor alternativa é a E.


QUESTÃO 24

Sou uma pobre mulher,
Muito ignorante, que nem sabe ler.
Mostraram-me na igreja da minha terra
Um Paraíso com harpas pintado
E o Inferno onde fervem almas danadas,
Um enche-me de júbilo, o outro me aterra.
VILLON, F. In: GOMBRICH, E. História da arte. Lisboa: LTC, 1999.


Os versos do poeta francês François Villon fazem referência às imagens presentes nos templos católicos medievais. 

Nesse contexto, as imagens eram usadas como objetivo de
A) Refinar o gosto dos cristões.
B) Incorporar ideias heréticos.
C) Educar os fiéis através do olhar.
D) Divulgar a genialidade dos artistas católicos.
E) Valorizar esteticamente os templos religiosos. 


Resposta da questão 24:[C]
Comentário da questão:
O poema do François Villon tem como Eu lírico uma mulher que se diz pobre e analfabeta, que descreve o que vê e o que sente ao ver as imagens na Igreja. Muito além da importância estética, temos um sentido pedagógico nas ilustrações dos tempos católicos que tinham por missão ensinar passagens da Bíblia e princípios do cristianismo aos fiéis por toda a Europa. A Alternativa que traduz esta realidade Medieval é a C.

QUESTÃO 25

A Imagem indica pontos com ativo uso de tecnologia, correspondentes a que processo de intervenção no espaço?
A) Expansão das áreas agricultáveis, com ativo uso intensivo de maquinário e insumos agrícolas.
B) Recuperação de águas eutrofizadas em decorrência da contaminação por esgoto doméstico.
C) Ampliação da capacidade de geração de energia, com alteração do ecossistema local.
D) Impermeabilização do solo pela construção civil nas áreas de expansão urbana.
E) Criação recente de grandes parques industriais de mediano potencial poluidor.




Resposta da questão 25:[C]
Comentário da questão:
O mapa identifica as principais obras de expansão do complexo energético brasileiro. Destacam-se as Usinas de Jiral, Santo Antônio (RO), Belo Monte (PA) e a termo nuclear de Angra III, responsáveis por ampliar a geração de energia e produzir consideráveis impactos sócio-espaciais.

QUESTÃO 26
A convecção na Região Amazônica é um importante mecanismo da atmosfera tropical e sua variação, em termos de intensidade e posição, tem um papel importante na determinação do tempo e do clima dessa região. A nebulosidade e o regime de precipitação determinam o clima amazônico.
Fisch, G.; MARENGO, J.A.; NOBRE, C.A. Uma revisão geral sobre o clima da Amazônia.Acta Amazônica, v. 28,n. 2, 1998 (adaptado)

O mecanismo climático regional descrito está associado à característica do espaço físico de
A) Resfriamento da umidade da superfície.
B) Variação da amplitude de temperatura.
C) Dispersão dos ventos contra-alísios.
D) Existência de barreiras de relevo.
E) Convergência de fluxos de ar.


Resposta da questão 26:[E]
Comentário da questão:

A baixa pressão, provocada pelas baixas latitudes, leva à convecção de ar e umidade, provocando chuvas convectivas constantes

QUESTÃO 27

A partir da análise da imagem, o aparecimento da Dorsal Mesoatlântica está associada ao(à)

A) Separação da Pangeia a partir do período Permiano.
B) Deslocamento de fraturas no período Triássico.
C) Afastamento da Europa no período Jurássico.
D) Formação do Atlântico Sul no período Cretáceo.
E) Constituição de orogêneses no período Quaternário.



Resposta da questão 27:[D]
Comentário da questão:
Analisando as imagens, a Dorsal Atlântica está em evidência no cretáceo – durante o processo de expansão do Oceano Atlântico.


QUESTÃO 28
A Comissão Nacional da Verdade (CNV) reuniu representantes de comissões estaduais e de várias instituições para apresentar um balanço dos trabalhos feitos e assinar termos de cooperação com quatro organizações. O Coordenador da CNV estima que, até o momento, a comissão examinou, “por baixo”, cerca de 30 milhões de páginas de documentos e fez centenas de entrevistas.
Disponível em: www.jb.com.br. Acesso em: 2 mar. 2013 (adaptado).

A notícia descreve uma iniciativa do Estado que resultou da ação de diversos movimentos sociais no Brasil diante de  eventos ocorridos entre 1964 e 1988. 
O objetivo dessa iniciativa é
A) Anular a anistia concedida aos chefes militares.
B) Rever as condenações judiciais aos presos políticos.
C) Perdoar os crimes atribuídos aos militantes esquerdistas.
D) Comprovar o apoio da sociedade aos golpistas anticomunistas.
E) Esclarecer as circunstancias de violações aos direitos humanos.

Resposta da questão 28:[C]
Comentário da questão:

A CNV, (criada pela lei 12528/2011), foi instituída em maio de 2012 tendo por finalidade apurar graves violações de Direitos humanos ocorridos entre 1946 – 1988. Assim, contrariando todas as outras alternativas, a CNV do Brasil NÃO anulou a lei da anistia de 1979, e não tem a função de julgar muito menos punir os crimes cometidos pelo aparelho repressivo brasileiro. Vale notar que outras ditaduras militares no Cone Sul, como Argentina, Chile e Uruguai, instauraram suas comissões, julgaram e puniram seus principais articuladores – o que não aconteceu no Brasil.


QUESTÃO 29
A filosofia encontra-se escrita neste grande livro que continuamente se abre perante nossos olhos (isto é, o universo), que não se pode compreender antes de entender a língua e conhecer os caracteres com os quais está escrito. Ele está escrito em língua matemática, os caracteres são triângulos, circunferências e outras figuras geométricas, sem cujos meios é impossível entender humanamente as palavras; sem eles, vagamos perdidos dentro de um obscuro labirinto.
GALILEI, G. O ensaiador. Os pensadores. São Paulo: Abril Cultural, 1978.


No contexto da Revolução Científica do século XVII, assumir a posição de Galileu Significava defender a
A) Continuidade do vínculo entre ciência e fá dominante na Idade Média.
B) Necessidade de o estudo linguístico ser acompanhado do exame matemático.
C) Oposição da nova física quantitativa aos pressupostos da filosofia escolástica.
D) Importância da independência da investigação cientifica pretendida pela Igreja.
E) Inadequação da matemática para elaborar uma explicação racional da natureza.


Resposta da questão 29:[C]
Comentário da questão:
Galileu admitia que a Natureza se revela pela linguagem matemática e não seria, portanto,  uma manifestação das vontades divinas, como defendida pelos pressupostos da filosofia escolástica. A Natureza poderia e deveria ser quantificada para melhor ser estudada.


QUESTÃO 30
A transferência da corte trouxe para a América portuguesa a família real e o governo da metrópole. Trouxe também, e sobretudo, boa parte do aparato administrativo português. Personalidades diversas e funcionários régios continuaram embarcando para o Brasil atrás da corte, dos seus empregos e dos seus parentes após o ano de 1808.
NOVAIS, F. A; ALENCASTRO, L. F. (Org.) História da vida privada no Brasil.São Paulo: Cia. Das Letras, 1997


Os fatos apresentados se relacionam ao processo de independência da América portuguesa por terem
A) Incentivo o clamor popular por liberdade.
B) Enfraquecido o pacto de dominação metropolitana.
C) Motivado as revoltas escravas contra a elite colonial.
D) Obtido o apoio do grupo constitucionalista português.
E) Provocado os movimentos separatistas das províncias.


Resposta da questão 30:[B]
Comentário da questão:
O texto da questão aborda uma das consequências da transferência da Corte portuguesa para o Brasil: o enfraquecimento do pacto de dominação metropolitana, como a alternativa B evidencia. Isso ocorreu devido a transformação ocorrida no Brasil após 1808, como: fim do exclusivismo metropolitano com a abertura dos portões e a estruturação de um aparelho de estado (Banco do Brasil, imprensa Régia, Casa da Moeda, Alfândega do Rio de Janeiro etc.). Essa medida cria certa autonomia econômica e administrativa, fundamentais posteriormente para o processo de independência do Brasil.

QUESTÃO 31
Respeitar a diversidade de circunstâncias entre as pequenas sociedades locais que constituem uma mesma nacionalidade, tal deve ser a regra suprema das leis internas de cada Estado. As leis municipais seriam as cartas de cada povoação doadas pela assembleia provincial, alargadas conforme o seu desenvolvimento, alteradas segundo os conselhos da experiência. Então, administrar-se-ia de perto, governar-se-ia de longe, alvo a que jamais se atingirá de outra forma.
Bastos, T. A província (1870). São Paulo: Cia. Editora Nacional, 1937 (adaptado).

O discurso do autor, no período do Segundo Reinado no Brasil, tinha como meta a implantação do
A) regime monárquico representativo.
B) sistema educacional democrático.
C) modelo territorial federalista.
D) padrão político autoritário.
E) poder oligárquico regional.


Resposta da questão 31:[C]
Comentário da questão:
Trata-se de uma questão conceitual. O federalismo pressupõe ampla autonomia local perante os poderes da União. O texto discorre a respeito da diversidade de circunstâncias locais, que devem ser administradas de perto, e governados de longe, ou seja, é possível perceber que Tavares Bastos defende em seu discurso o modelo territorial federalista ao permitir maior autonomia às cidades.


QUESTÃO 32


De volta do Paraguai
Cheio de glória, coberto de louros, depois de ter derramado seu sangue em defesa da pátria e libertado um povo da escravidão, um voluntário volta ao seu país natal para ver sua mãe amarrada a um tronco horrível de realidade!...
Agostini. A vida fluminense, ano 3, n. 128, 11 jun. 1870. In: Lemos, R. (Org.) Uma história do Brasil através da caricatura (1840-1870). Rio de Janeiro. Letras e Expressões, 2001 (adaptado).

Na charge, identifica-se uma contradição no retorno de parte dos “voluntários da Pátria” que lutaram na Guerra do Paraguai (1864-1870), evidenciada na 
A) negação da cidadania aos familiares cativos.
B) concessão de alforrias aos familiares escravos.
C) perseguição dos escravistas aos soldados negros.
D) punição dos feitores aos recrutados compulsoriamente.
E) suspensão das indenizações aos proprietários prejudicados.

Resposta da questão 32:[A]
Comentário da questão:

Os benefícios que o Estado Imperial dava aos “Voluntários da Pátria”, que participaram da Guerra do Paraguai, não se estendiam aos familiares. A charge mostra isso, ao mesmo tempo que faz uma crítica contra a escravidão no país.



QUESTÃO 33
O problema central a ser resolvido pelo Novo Regime era a organização de outro pacto de poder que pudesse substituir o arranjo imperial com grau suficiente de estabilidade. O próprio presidente Campos Sales resumiu claramente seu objetivo: “É de lá, dos estados, que se governava a República, por cima das multidões que tumultuam agitadas nas ruas da capital da União. A política dos estados é a política nacional”. 
CARVALHO, J.M. Os Bestializados: o Rio de Janeiro e a República que não foi. São Paulo: Companhia das Letras, 1987 (adaptado). 


Nessa citação, o presidente do Brasil no período expressa uma estratégia política no sentido de
A) governar com a adesão popular.
B) Atrair o apoio das oligarquias regionais.
C) conferir maior autonomia às prefeituras.
D) democratizar o poder do governo central.
E) ampliar a influência da capital no cenário nacional. 


Resposta da questão 33:[B]
Comentário da questão:

A questão trata da “Política do Governadores”, mecanismo criado pelo presidente Campos Sales, que consistia na troca de favores entre o governo central e as oligarquias estaduais, visando garantir a estabilidade no poder.





QUESTÃO 34
A Estrada de Ferro Noroeste do Brasil, que começa a ser construída apenas em 1905, foi criada, ao contrário das outras grandes ferrovias paulistas, para ser uma ferrovia de penetração, buscando novas áreas para a agricultura e povoamento. Até 1890, o café era quem ditava o traçado das ferrovias, que eram vistas apenas como auxiliadoras da produção cafeeira. 
CARVALHO, D. F. Café, ferrovias e crescimento populacional: o florescimento da região noroeste. Disponível em: www.historica.arquivoestado.sp.gov.br. Acesso em: 2 ago. 2012.


Essa nova orientação dada à expansão ferroviária, durante a Primeira República, tinha como objetivo a
A) articulação de polos produtores para a exportação.
B) criação de infraestrutura de atividade industrial.
C) interação de pequenas propriedades policultoras.
D) valorização de regiões de baixa densidade demográfica.
E) promoção de fluxos migratórios do campo para a cidade.

Resposta da questão 34:[D]
Comentário da questão:

A questão se refere à expansão da malha ferroviária no período da Primeira República, demonstrando uma mudança de postura do governo republicano. Se durante o Império e parte da República as ferrovias estavam ligadas ao setor cafeeiro, o texto demonstra que a construção da Estrada de Ferro Noroeste do Brasil se preocupava em desbravar novas áreas, sobretudo no interior Brasil, nas regiões de baixa densidade demográfica.
A questão exigia do candidato uma leitura atenta do texto, pois ele deixa claro que o governo republicano estava “buscando novas áreas para a agricultura e povoamento”, comprovando o que a alternativa D afirma.


QUESTÃO 35
Em 1961, o presidente De Gaulle apelou com êxito aos recrutas franceses contra o golpe militar dos seus comandados, porque os soldados podiam ouvi-lo em rádios portáteis. Na década de 1970, os discursos do aiatolá Khomeini, líder exilado da futura Revolução Iraniana, eram gravados em fita magnética e prontamente levados para o Irã, copiados e difundidos. 
HOBSBAWM, E. Era dos extremos: o breve século XX (1914-1991).São Paulo: Cia. Das Letras, 1995. 

Os exemplos mencionados no texto evidenciam em uso dos meios de comunicação identificado na
A) manipulação da vontade popular.
B) promoção da mobilização política.
C) insubordinação das tropas militares.
D) implantação de governos autoritários.
E) valorização dos socialmente desfavorecidos.

Resposta da questão 35:[B]
Comentário da questão:

Questão de interpretação de texto, na qual o candidato deveria atentar para os diferentes usos dos meios de comunicação. Tanto no caso de Charles de Gaulle, que se utilizou do rádio para a difusão de seu apelo de auxílio contra a tentativa de golpe (Putsch de Argel) organizado na Argélia por generais franceses aposentados. Quanto no caso do aiatolá Khomeini, futuro líder da Revolução Iraniana, os meios de comunicação são utilizados como promotores de ações políticas.

QUESTÃO 36

Texto I
O presidente do jornal de maior circulação de país destacava também os avanços econômicos obtidos naqueles vinte anos, mas, ao justificar sua adesão aos militares em 1964, deixava clara sua crença de que a intervenção fora imprescindível para a manutenção da democracia.
Disponível em: http://oglobo.globo.com. Acesso em: 1 set. 2013 (adaptado)


Texto II
Nada pode ser colocado em compensação à perda das liberdades individuais. Não existe nada de bom 
quando se aceita uma solução autoritária.
FICO, C. A educação e o golpe de 1964. Disponível em: www.brasilrecente.com. Acesso em: 4 abr. 2014 (adaptado).


Embora enfatizem a defesa da democracia, as visões do movimento político-militar de 1964 divergem ao focarem, 
respectivamente: 
A) Razões de Estado – Soberania popular.
B) Ordenação da nação – Prerrogativas religiosas.
C) Imposição das Forças Armadas – Deveres sociais.
D) Normatização do Poder Judiciário – Regras morais.
E) Contestação do sistema de governo – Tradições culturais.




Resposta da questão 36:[A]
Comentário da questão:

A questão avalia a habilidade do candidato analisar visões diferentes sobre um mesmo episódio histórico, no caso, o golpe de 1964. A primeira visão relata sua crença no golpe militar como iniciativa necessária para garantir a democracia, ressaltando as razões de Estado que justificam tal atitude. A segunda ressalta as consequências perversas do golpe, como a perda das liberdades individuais e da soberania popular.


QUESTÃO 37
O modo artesanal da fabricação do queijo em Minas Gerais foi registrado nesta quinta feira (15) como patrimônio cultural imaterial brasileiro pelo Conselho Consultivo do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). 
O veredicto foi dado em reunião do conselho realizado no Museu de Artes e Ofícios, em Belo Horizonte. O presidente do Iphan e do conselho ressaltou que a técnica de fabricação artesanal do queijo está “inserida na cultura do que é ser mineiro”.

Entre os bens que compõem o patrimônio nacional, o que pertence à mesma categoria citada no texto está 
representado em:


Resposta da questão 37:[C]
Comentário da questão:
Apesar do tema da questão ser específico – Patrimônio Histórico Imaterial Brasileiro – o candidato atenderia à demanda tranquilamente ao perceber que as outras alternativas representam obras de arte ou arquitetônicas. A forma artesanal de se fazer o queijo é da mesma categoria do oficio de fazer panelas de barros, ou seja, constituem saberes específicos, expressões culturais e tradições de um determinado grupo ou região. 


QUESTÃO 38


Na imagem, é ressaltado, em tom mais escuro, um grupo de países que na atualidade possuem características político-econômicas comuns, no sentido de
A) adotarem o liberalismo político na dinâmica dos seus setores públicos.
B) constituírem modelos de ações decisórias vinculadas à social-democracia.
C) instituírem fóruns de discussão sobre intercâmbio multilateral de economias emergentes.
D) promoverem a integração representativa dos diversos povos integrantes de seus territórios.
E) apresentarem uma frente de desalinhamento político aos polos dominantes do sistema-mundo.

Resposta da questão 38:[C]
Comentário da questão:

O mapa destaca os “BRICS”, fórum de países emergentes responsáveis pela expansão do comércio multilateral e referência da expansão das economias emergentes.


QUESTÃO 39

A preservação da sustentabilidade do recurso natural exposto pressupõe
A) impedir a perfuração de poços.
B) coibir o uso pelo setor residencial.
C) substituir as leis ambientais vigentes.
D) reduzir o contingente populacional na área.
E) introduzir a gestão participativa entre os municípios.


Resposta da questão 39: [E] 

Comentário da questão:
A administração desse recurso hídrico compete aos municípios no qual ele se encontra.

QUESTÃO 40

O fluxo migratório representado está associado ao processo de
A) fuga das áreas degradadas.
B) inversão da hierarquia urbana.
C) busca por amenidades ambientais.
D) conurbação entre municípios contíguos.
E) desconcentração dos investimentos produtivos.


Resposta da questão 40:[D]
Comentário da questão:  
O mapa mostra o movimento das populações das cidades conurbadas a Belo Horizonte, em direção ao centro da metrópole.




QUESTÃO 41

A urbanização brasileira, no início da segunda metade do século XX, promoveu uma radical alteração nas 
cidades. Ruas foram alargadas, túneis e viadutos foram construídos. O bonde foi a primeira vítima fatal. O destino do 
sistema ferroviário não foi muito diferente. O transporte coletivo saiu definitivamente dos trilhos.
JANOT, L. F. A caminho de Guaratiba. Disponível em: www.iab.org.br. Acesso em: 9 jan. 2014 (adaptado).



A relação entre transportes e urbanização é explicada, no texto, pela 
A) retirada dos investimentos pelas estatais aplicados ao transporte de massa.
B) demanda por transporte individual ocasionada pela expansão da mancha urbana.
C) presença hegemônica do transporte alternativo localizado nas periferias das cidades.
D) aglomeração do espaço urbano metropolitano impedindo a construção do transporte metroviário.
E) predominância do transporte rodoviário associado à penetração das multinacionais automobilísticas.


Resposta da questão 41:[E]
Comentário da questão:

O processo de urbanização do Brasil, na segunda metade do século XX, alterou consideravelmente as cidades na sua infraestrutura, ao priorizar o transporte rodoviário em detrimento do transporte sobre trilhos; favorecendo as empresas montadoras multinacionais. 


QUESTÃO 42
Mas plantar pra dividir
Não faço mais isso, não.
Eu sou um pobre caboclo,
Ganho a vida na enxada.
O que eu colho é dividido
Com quem não planta nada.
Se assim continuar
vou deixar o meu sertão,
mesmo os olhos cheios d’água
e com dor no coração.
Vou pro Rio carregar massas
pros pedreiros em construção.
Deus até que está ajudando:
está chovendo no sertão!
Não faço mais isso, não.
VALE, J.; AQUINO, J. B. Sina de Caboclo. São Paulo: Polygram, 1994 (fragmento).

No trecho da canção, composta na década de 1960, retrata-se a insatisfação do trabalhor rural com 
A) a distribuição desigual da produção.
B) os financiamentos feitos ao produtor rural.
C) a ausência de escolas técnicas no campo.
D) os empecilhos advindos das secas prolongadas .
E) a precariedade de insumos no trabalho do campo.


Resposta da questão 42:[A]
Comentário da questão:

O fragmento da música deixa clara a contradição vivenciada pelo modelo agrícola em que a produção e a apropriação das riquezas se encontram dissociadas.

QUESTÃO 43
O cidadão norte-americano desperta num leito construído segundo padrão originário do Oriente Próximo, mas modificado na Europa Setentrional antes de ser transmitido à America. Sai debaixo das cobertas feitas de algodão cuja planta se tornou doméstica na Índia. No restaurante, toda uma série de elementos tomada de empréstimo o espera. O prato é feito de uma espécie de cerâmica inventada na China. A faca é de aço, liga feita pela primeira vez na índia do Sul; o garfo é inventado na Itália medieval; a colher vem de um original romano. Lê notícias do dia impressas em caracteres inventados pelos antigos semitas, em material inventado na China e por um processo inventado na Alemanha. 

LINTOR, R. O homem: uma introdução à antropologia. São Paulo: Martins, 1959 (adaptado).

A situação descrita é um exemplo de como os costumes resultam da
A) assimilação de valores de povos exóticos.
B) experimentação de hábitos sociais variados.
C) recuperação de heranças da Antiguidade Clássica.
D) fusão de elementos de tradições culturais diferentes.
E) Valorização de comportamento de grupos privilegiados.


Resposta da questão 43:[D]
Comentário da questão:

Trata-se de uma questão simples e que exige unicamente interpretação do texto pelo candidato. Ao descrever o início do dia de um americano, crivado por objetos que remetem a diferentes culturas e que se fundem diante dele graças aos resultados da integração econômica e comercial dos continentes. Assim, o texto busca construir a noção de que os costumes se formam da associação de elementos de culturas distintas.

QUESTÃO 44
TEXTO I


TEXTO II
A Índia deu um passo alto no setor de teleatendimento para países mais desenvolvidos, como os Estados Unidos e as nações europeias. Atualmente mais de 245 mil indianos realizam ligações para todas as partes do mundo a fim de oferecer cartões de créditos ou telefones celulares ou cobrar contas em atraso.
Disponível em: www.conectacallcenter.com.br. Acesso em: 12 nov. 2013 (adaptado).


Ao relacionar os textos, a explicação para o processo de territorialização descrito está no(a) 
A) aceitação das diferenças culturais.
B) adequação da posição geográfica.
C) incremento do ensino superior.
D) qualidade da rede logística.
E) custo da mão de obra local.


Resposta da questão 44:[E]
Comentário da questão:

A grande população absoluta concentrada na região leva naturalmente ao barateamento da mão de obra local.

QUESTÃO 45
O jovem espanhol Daniel se sente perdido. Seu diploma de desenhista industrial e seu alto conhecimento de inglês devem ajudá-lo a tomar um rumo. Mas a taxa de desemprego, que supera 52% entre os que têm menos de 25 anos, o desnorteia. Ele está convencido de que seu futuro profissional não está na Espanha, como o de, pelo menos, 120 mil conterrâneos que emigraram nos últimos dois anos. O irmão dele, que é engenheiro-agrônomo, conseguiu emprego no Chile. Atualmente, Daniel participa de uma “oficina de procura de emprego” em países como Brasil, Alemanha e Chile. A oficina é oferecida por uma universidade espanhola.
GUILAYN, P. Na Espanha, universidade ensina a emigrar. O Globo, 17 fev. 2013 (adaptado).

A situação ilustra uma crise econômica que implica
A) valorização do trabalho fabril.
B) expansão dos recursos tecnológicos.
C) exportação de mão de obra qualificada.
D) diversificação dos mercados produtivos.
E) intensificação dos intercâmbios estudantis.


Resposta da questão 45:[C] 
Comentário da questão:
A questão ressalta os efeitos da crise europeia sobre o emprego e a consequente transformação do Brasil em país receptor de imigrantes, inclusive qualificados.