quinta-feira, 21 de julho de 2016

A formação da República Liberal

Roteiro de estudos
A formação da República Liberal

Atividades para a sala

1. Em 1945, Getúlio Vargas foi deposto, encerrando o Estado Novo. Foram convocadas eleições gerais e o General Eurico Gaspar Dutra foi eleito presidente da República e empossado em janeiro de 1946.

Sobre a economia no governo Dutra, é correto afirmar que:
a) o presidente Dutra deu prosseguimento à política de seu antecessor, estabelecendo o pleno controle estatal na economia e, ao final de seu governo lançou a campanha “O Petróleo é nosso”.
b) com a implementação do Plano Salte, foi feita a pavimentação da rodovia Rio-São Paulo e foram criadas a Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) e a Companhia Vale do Rio Doce.
c) o presidente Dutra propôs o Salte, um plano econômico desenvolvimentista que priorizava investimentos nas áreas da Saúde, Alimentação, Transporte e Energia, que seria controlado exclusivamente por empresas americanas.
d) o governo Dutra, inicialmente, seguiu um modelo antiliberal, todavia, com o começo da Guerra Fria, as pressões americanas fizeram com que houvesse urna mudança de orientação nessa política.
e) com a política de abertura aos produtos estrangeiros, o governo acabou facilitando as importações de produtos supérfluos, como brinquedos, e consumindo grande parte das reservas em moeda estrangeira acumuladas. 

2. (Uff 2011) “Visto que, de fato, a Constituição de 1946 estabeleceu normas e medidas para a instalação de uma estrutura democrática no país, dando ensejo a uma abertura do processo político nos dezoito anos subsequentes, ao observador mais descuidado a redemocratização pode parecer mais radical do que na realidade o foi.”
SOUZA, Maria do Carmo Campello de. Estado e Partidos Políticos no Brasil (1930-1964). São Paulo: Alfa-Omega, 1976, p. 105.


Com base nas afirmações contidas no texto, é possível afirmar que
a) a redemocratização iniciada em 1945 perdeu sua radicalidade por ter sido apenas um ritual político, vazio de efetivos partidos.
b) a redemocratização de 1945 só pôde existir em função da criação de três novos grandes partidos políticos, totalmente independentes de vínculos com o Estado Novo: o PSD, a UDN e o PTB.
c) o retorno do pluripartidarismo e de eleições diretas foi superposto à estrutura herdada do Estado Novo, marcada pelo sindicalismo corporativista e pelo sistema de interventorias.
d) a redemocratização não foi radical devido à preponderância que teve, junto a ela, a União Democrática Nacional (UDN), partido formado com o beneplácito de Vargas.
e) a hipertrofia do Poder Legislativo foi uma das consequências da redemocratização.

3. (UNESP 2014) Examine a charge do cartunista Théo, publicada na revista Careta em 27.12.1952. 
Getúlio: — Ser pai dos pobres dá mais trabalho do que ser Papei Noel! Você só se amofina no Natal: a mim eles chateiam o ano inteiro! 
                                (Isabel Lustosa. História de presidentes, 2008.) 

O apelido de “pai dos pobres”, dado a Getúlio Vargas, pode ser associado 
a) ao autoritarismo do presidente diante dos movimentos sociais, manifesto na repressão às associações de operários e camponeses. b) aos esforços de negociação com a oposição, com a decorrente distribuição de cargos administrativos e funções políticas. 
c) ao caráter popular do regime, originário de uma revolução social e empenhado no combate à burguesia industrial brasileira. 
d) à política de concessões desenvolvida junto a sindicatos, como contrapartida do apoio político dos trabalhadores. 
e) à supressão de legislação trabalhista no país, que obrigava o governo a agir de forma assistencialista. 


4. (Cefet MG)  Analise a imagem “Cortejo Fúnebre de Getúlio Vargas”, na Praia de Copacabana.

 

A repercussão da morte de Vargas, em 24 de agosto de 1954, explica-se politicamente pela

a) manipulação do povo para abafar escândalos políticos.
b) pressão dos desempregados para garantir direitos sociais.
c) atuação dos conservadores para barrar o avanço comunista.
d) manifestação das massas populares para expressar sua comoção.
e) articulação dos sindicatos para reconduzir os militares ao poder.

GABARITO
resposta da questão 1:[E]
Comentário da questão:
 O governo Dutra foi marcado pela abertura da economia brasileira a investimentos e empresas estrangeiras, algo como o caminho contrário feito por Vargas (Nacionalismo Econômico). Essa postura contribuiu para o aumento da dívida externa e da inflação. 

resposta questão 2:[C]
Mesmo com o fim do Estado Novo, algumas das práticas institucionais de atrelamento das decisões políticas e de controle da vida sindical permaneceram no âmbito do Estado, impedindo um controle por parte da população, seja através de eleições amplas, seja através de uma atuação sindical livre.

resposta da questão 3:[D]
A alternativa descreve, de maneira um tanto crua, o mecanismo de troca existente no populismo: concessões trabalhistas, trazendo em contrapartida o apoio dos sindicatos ao governo. Entretanto, deve-se se frisar que a alcunha de “Pai dos Pobres”, conferida à Getúlio pelas classes trabalhadoras, refere-se muito mais aos benefícios sociais advindos da CLT do que ao controle exercido sobre as organizações sindicais. 

resposta da questão 4:[D]
Comentário da questão:
Vargas governou o Brasil entre 1930 e 1945 em um contexto populista, construindo a imagem de pai dos pobres, e criou a CLT, a Consolidação das Leis Trabalhistas. Foi deposto em 1945, e posteriormente, eleito em 1950. Adotou uma política nacionalista ao criar a Eletrobras, a Petrobras, entre outras estatais. O Brasil vivia uma grave crise política e econômica, e, desgastado, Vargas se suicidou em 24 de agosto de 1954. O povo ficou profundamente comovido em seu cortejo fúnebre.

segunda-feira, 28 de março de 2016

Roteiro de estudos: Revolução Praieira

Roteiro de estudos: Revolução Praieira
Questão 1
(UFMG) Qual a afirmação CERTA em relação à Revolução Praieira, ocorrida na província de Pernambuco (1842-1849)?
a) Foi um movimento antilusitano que procurava a derrubada da Regência através do Partido da Ordem.
b) Defendia primordialmente o comércio a nível nacional para desenvolver a economia de trocas da província.
c) Pretendia a expropriação dos senhores da terra para a proclamação de uma república independente.
d) Foi um movimento popular que visava a reformas sociais, principalmente a nacionalização do comércio e a desapropriação dos engenhos.
e) Tinha um cunho nitidamente republicano como os demais movimentos de oposição à ordem imperial.


Questão 2
(UFPE) O segundo reinado no Brasil ocorreu sem as muitas instabilidades políticas que marcaram os primeiros anos da independência. Pernambuco, que mantinha uma tradição liberal, decorrente de movimentos como a Revolução de 1817 e a Confederação do Equador, mostrou seu descontentamento com o governo central na Revolução Praieira de 1848. Com relação ao movimento praieiro, podemos afirmar que:

a) tinha a liderança das elites políticas liberais e expressava também o radicalismo político dos grupos socialistas pernambucanos.
b) foi cenário de confrontos militares, que obrigaram o governo a reforçar suas tropas e a julgar os rebeldes presos com rigor.
c) foi um movimento político socialista, que expressou ideais de liberdade e de socialização das riquezas.
d) ameaçou o governo central, pois contou com o apoio militar de várias províncias do Norte e do Nordeste.
e) não passou de uma rebelião local, sem grandes repercussões políticas, restringindo-se a uma disputa por cargos administrativos.


Questão 3
A Revolução Praieira de 1842-1849 foi também inspirada por acontecimentos que estavam ocorrendo em solo europeu contra as forças conservadoras do Antigo Regime. Qual era essa inspiração?

a) Guerras Napoleônicas
b) Primavera dos Povos
c) Comuna de Paris
d) Revolução Francesa
e) Revolução Industrial Inglesa.


Questão 4
“E eu piso onde quiser, você está girando melhor, garota
Na areia onde o mar chegou, a ciranda acabou de começar, e ela é!
E é praieira!!! Segura bem forte a mão
E é praieira !!! Vou lembrando a revolução, vou lembrando a Revolução
Mas há fronteiras nos jardins da razão”

O trecho acima da música Praieira, de Chico Science, remete brevemente à Revolução Praieira de 1842-1849, ocorrida em Pernambuco. Essa revolução de caráter liberal tinha uma série de reivindicações, exceto:

a) a liberdade de imprensa.
b) a instituição do voto universal.
c) o fim do monopólio comercial dos portugueses.
d) o fim da propriedade privada dos meios de produção.
e) a extinção do poder moderador.


Questão 5
Durante os anos finais da década de 1840, Pernambuco viveu uma verdadeira guerra civil em decorrência da eclosão da Revolução Praieira, que tinha dentre seus objetivos colocar fim ao poder moderador exercido pelo Imperador e garantir a liberdade de imprensa. A Revolução recebeu esse nome pelo fato:

a) de o jornal Diário Novo, órgão de divulgação dos revolucionários, localizar-se na Rua da Praia, em Recife.
b) de as ações dos revolucionários restringirem-se à faixa litorânea do estado de Pernambuco.
c) de o movimento alastrar-se por todo o litoral nordestino, criando inúmeras dificuldades para a repressão das forças imperiais.
d) de a sede do novo governo revolucionário localizar-se na Rua da Praia, em Recife.

Questão 6
(FUVEST) Programa da Revolução Praieira: 
1. Voto livre e universal do povo brasileiro 
2. A plena e absoluta liberdade de comunicar os pensamentos por meio da imprensa 
3. O trabalho, como garantia da vida para o cidadão brasileiro 
4. O comércio a retalho só para os cidadãos brasileiros 
5. A inteira e efetiva independência dos poderes constituídos 
6. A extinção do Poder Moderador, e do direito de agraciar 
7. O elemento federal na nova organização 
8. Completa reforma do Poder Judicial, em ordem a segurar as garantias dos direitos individuais dos cidadãos 
9. Extinção da lei do convencional 
10. Extinção do atual sistema de recrutamento. 

Quais das idéias contidas no programa acima aproximam a Revolução Praieira das revoluções ocorridas na Europa no mesmo período? 


Questão 7
(Puccamp) Deflagrada em Pernambuco no ano a que o texto se refere, a Revolução Praieira se insere no contexto revolucionário do século XIX e ao mesmo tempo representa uma das últimas manifestações de rebeldia ao governo imperial. O núcleo urbano que aderiu ao movimento, sob a liderança de Borges da Fonseca, pretendia a 
a) antecipação da maioridade de D. Pedro, a extinção do voto censitário e a descentralização do poder político. 
b) adoção do sistema federalista, a introdução do ensino primário gratuito e a coletivização da propriedade privada. 
c) restauração do Conselho de Estado, a limitação do poder do rei e a instituição do parlamentarismo. 
d) abolição da escravatura, a autonomia das províncias e a criação do Partido Republicano Regional. 
e) extinção do Poder Moderador, a proclamação da república e a instituição do sufrágio universal. 

Questão 8
(PITÁGORAS) Em 1848, o Império Brasileiro foi sacudido pela Revolução Praieira, deflagrada em Pernambuco, sobre a qual se comenta “Longe de simples ‘massa de manobra’, pobres e libertos atuaram em defesa de interesses próprios, muitos deles conflitantes com os da liderança dos senhores de engenho.” 
Magali Gouvêa Engel, in VAINFAS, Ronaldo. Dicionário do Brasil Imperial, verbete Praieira. 

A partir da argumentação da autora, conclui-se que a Praieira foi também uma revolta social, já que 
(A) defendia o comércio internacional como forma de desenvolver a economia da Província e a melhor repartição dos lucros daí advindos. 
(B) pretendia a expropriação dos latifúndios açucareiros e sua imediata distribuição a posseiros e trabalhadores rurais não proprietários. 
(C) reivindicava a extinção das diferenciações e dos privilégios sociais existentes no país e, em especial, na Província Pernambucana. 
(D) repudiava toda e qualquer influência de Portugal nas atividades econômicas da Província, defendendo o rompimento de relações diplomáticas e econômicas com a antiga metrópole. 
(E) tinha um cunho nitidamente republicano e democrático, defendendo o sufrágio universal masculino a exemplo dos Estados Unidos. 


Questão 9
(ETEC 2015)


Marietta Maria Baderna foi uma bailarina italiana que chegou ao Brasil em 1849. Seus fãs eram apelidados de “badernistas”. Leia um pouco mais sobre ela.
Sempre à frente de seu tempo, Baderna se interessou pelos ritmos afro-brasileiros, danças com movimentos bastante ousados para a época de Dom Pedro II. Interessante que sempre que os moralistas tentavam boicotá-la (diminuindo seu tempo no palco, ou a colocando em segundo plano), os badernistas protestavam, batendo os pés no chão e interrompendo o espetáculo. Ao término da apresentação, saíam do teatro batendo os pés e gritando o nome da musa: Baderna!

(http://tinyurl.com/ko35was Acesso em: 01.07.2014. Adaptado)

Desde então, parte dos movimentos populares, que se destacam pelos gritos e barulhos dos manifestantes, levam o nome dessa ousada bailarina. É correto afirmar que, no período histórico em que Baderna chegou ao Brasil, o governo enfrentava

a) a Revolução Praieira. 
b) a Guerra de Canudos. 
c) a Revolta da Vacina.
d) a Inconfidência Mineira.
e) o Quilombo dos Palmares.

Questão 10
(G1) A “Revolução Praieira”, apesar de ter brotado em meio aos conflitos políticos entre liberais e conservadores, foi antes de mais nada uma revolta social. Isso significa dizer que:
a) Seus ideários e sua plataforma de lutas estavam inspirados nos manifestos da social democracia da época.
b) As reivindicações expressas em seu programa questionavam as diferenciações e os privilégios sociais existentes no país em geral e em Pernambuco em particular.
c) A rebelião foi apontada essencialmente na insatisfação dos proprietários de terras de Pernambuco.
d) Os proprietários rurais se mostraram descontentes com a proteção comercial dada aos ingleses.


GABARITO

Resposta da questão 1:[D]
Comentário da questão:
A Revolução Praieira tinha influência liberal e pretendia combater o monopólio português do comércio e o poder da elite açucareira.


Resposta da questão 2:[B]
Comentário da questão:
Pernambuco durante a Revolução Praieira foi palco de uma verdadeira guerra civil dos rebeldes contra as tropas do governo central, mas o isolamento da luta dificultou sua continuidade.


Resposta da questão 3:[B]
Comentário da questão:
As revoluções ocorridas em 1848 em diversos países europeus contra o Antigo Regime foram também fonte de inspiração para a Revolução Praieira.



Resposta da questão 4:[D]
Comentário da questão: A Revolução Praieira, apesar de ser influenciada por ideias de pensadores socialistas europeus de meados do século XIX, não tinha por objetivo o fim da propriedade privada dos meios de produção.



Resposta da questão 5:[A]
Comentário da questão:
O jornal Diário Novo, localizado na rua da Praia, era o centro de difusão dos ideais dos liberais pernambucanos que se envolveram no processo revolucionário.

Resposta da questão 6
A defesa dos ideais de liberalismo e nacionalismo expressos no programa da Revolução Praieira.

Resposta da questão 7:[E]

Resposta da questão 8:[C]

Resposta da questão 9:[A]

Resposta da questão 10:[B]

quinta-feira, 24 de março de 2016

Roteiro de estudos: Caudilhismo

Roteiro de estudos: Caudilhismo
1. (UNESP 2011) O caudilhismo é um fenômeno político hispano-americano do século XIX, que se associa 
A) à resistência contra o intervencionismo norte-americano, sobretudo nas áreas do Caribe e América Central. 
B) às guerras civis entre unitários e federalistas durante o processo de formação dos Estados nacionais. 
C) aos pensadores liberais que lutaram pela emancipação política e econômica do continente. 
D) às lideranças militares que atuaram nas guerras de independência e defenderam a unificação do continente. 
E) ao temor, manifesto sobretudo na região do Prata, de que o Império brasileiro avançasse militarmente para o sul. 

2. (UFF) Ao final das guerras de independência na América Espanhola, o clima de instabilidade política alastrou-se por toda parte, multiplicando-se as lutas de facções e a sucessão de governos frágeis em quase todos os territórios hispano-americanos.

Assinale a opção que explica melhor a instabilidade política vigente na América Espanhola na primeira metade do século XIX.

a) Nesse período não foi possível a formação de blocos de poder hegemônicos que viabilizassem estruturas estatais sólidas nos países resultantes do esfacelamento do império hispano-americano. Isto favoreceu o poder pulverizado e efêmero de vários caudilhos.
b) As economias hispano-americanas estavam totalmente destruídas, rompendo-se, por conseguinte, o comércio com a Europa, outrora vigoroso, e a possibilidade de alianças políticas no interior das classes dominantes.
c) A manutenção das heranças políticas coloniais, sobretudo a estrutura dos Vice-Reinados, favoreceu o caudilhismo e retratou a formação dos Estados Nacionais.
d) A opção pelo regime republicano, ao invés do monárquico, é a chave para se compreender não só a instabilidade política das jovens nações hispano-americanas, mas também a fragmentação territorial e a descentralização dos regimes nelas instauradas.
e) A instabilidade política hispano-americana deveu-se, basicamente, à multiplicação de regimes militares, a exemplo do pan-americanismo bolivariano, herança do pós-independência que marcaria a tradição política do continente.


3. (UERJ) "Veja, se eu sair à rua e disser ao primeiro homem que encontrar 'siga-me', ele me seguirá". 
A frase, do general e político argentino do século XIX, traduz muito bem o caráter do caudilhismo, que marcou a vida política das ex-colônias espanholas na América após os processos de emancipação. Estabeleça a relação existente entre o fracionamento político-territorial das colônias espanholas na América após suas independências e o surgimento do caudilhismo. Em seguida, indique um fator econômico ou social que explique a constituição desse fenômeno na região.

4. (G1) O caudilhismo é um conceito aplicado a uma forma de organização social baseada no poder político e econômico pessoal de oligarquias rurais. Assinale a alternativa que indica corretamente o continente em que se manifestou o caudilhismo.

a) África.
b) América do Norte.
c) Ásia.
d) América Latina.
e) Europa.




5. (G1) Sobre o caudilhismo aponte a alternativa que indica uma característica incorreta desse fenômeno social latino-americano.

a) Descende da elite colonial crioulla.
b) Não utilizava o poder econômico pessoal para o alcance das instituições políticas.
c) Criava milícias destacadas dos corpos militares institucionais.
d) Eram grandes proprietários de terras.
e) Seus interesses estavam acima das leis, das constituições e dos Estados.

6. (G1) Uma das principais contradições presentes no caudilhismo, e que marcava sua caracterização, ocorria entre a exposição de um tipo de ideias e uma prática política totalmente contrária. Indique a alternativa que apresenta corretamente esta contradição do caudilhismo.

A) Eram defensores do monarquismo, mas se organizavam politicamente em instituições republicanas.
B) Eram defensores do socialismo, mas se organizavam politicamente em democracias representativas.
C) Eram defensores das democracias representativas, mas o que prevalecia era a organização oligárquica local.
D) Eram defensores do republicanismo, mas participavam no comando de governos monárquicos.

7. (UFJF) Sobre o caudilhismo, fenômeno que marcou a história de boa parte dos países da América Latina, no período pós-Independência, marque a alternativa INCORRETA: 

a) No caudilhismo, o chefe político sobrepõe-se à lei, sua vontade é lei. Em geral, ele não admite críticas e oposição à sua autoridade. 
b) O caudilho cerca-se de servidores fiéis, que são designados para cargos importantes, formando um aparelho administrativo no qual a coisa pública é vista como particular. 
c) A base econômica e social do caudilhismo é sempre o latifúndio, já que o fenômeno se desenvolve em comunidades rurais, não tendo significado junto às populações urbanas. 
d) Os primeiros caudilhos lutaram pela independência, pregavam a liberdade e, em geral, assumiram o governo com apoio popular. 
e) Uma das explicações para o surgimento do caudilhismo relaciona-se às dificuldades de afirmação de uma autoridade nacional claramente definida, de um “centro” que simbolize o poder de Estado.  

8. (FUVEST) O caudilhismo como fenômeno característico das sociedades latino-americanas após a independência foi a expressão

a) das mudanças radicais pelas quais a estrutura fundiária e a economia dessa região passaram com a independência.
b) do aumento da importância política das camadas médias urbanas com a industrialização.
c) do surgimento de um proletariado politicamente forte,decorrente do desenvolvimento industrial.
d) da aliança da burguesia nacional emergente politicamente com os interesses do capitalismo internacional.
e) da manutenção da estrutura fundiária concentrada e de uma economia voltada para o exterior.

9. (G1)  Sobre o caudilhismo NÃO se deve afirmar:
a) Baseava-se na mobilização por chefes locais de massas de despossuídos.
b) Dentre suas causas, deve-se considerar a permanência das desigualdades sociais e do atraso econômico após a Independência.
c) Foi um fenômeno restrito à América espanhola não surgindo, portanto, na América portuguesa.
d) Pode ser interpretado como expressão do viés autoritário que permeia a sociedade e a política na América Ibérica.

10. (UFMG) O caudilhismo foi um fenômeno político surgido na América Hispânica, na primeira metade do século XIX, a partir da crise do sistema colonial e em meio às guerras de independência que se seguiram. 
1. EXPLIQUE por que a ação dos caudilhos dificultou a consolidação dos Estados nacionais em vários países hispano-americanos. 

2. EXPLIQUE por que o Brasil, ao contrário do que ocorreu em países da América Hispânica, conseguiu manter sua unidade territorial em meio ao processo de independência verificado na primeira metade do século XIX.

11. (G1) Poder regional forte, de cunho modernizante ou não, sustentando à custa do apoio de grupamentos militares e em consequência da fraqueza institucional dos Estados que se estabeleceram na América Espanhola logo após os processos de independência no século XIX. 

A definição acima nos remete ao conceito de:
a) regionalismo
b) coronelismo
c) federalismo
d) caudilhismo

GABARITO
resposta da questão 1:[B]
Resolução 
O caudilhismo é uma modalidade de exercício do poder político que marcou a América Latina no século XIX. Caracterizado pelo autoritarismo e pelos vínculos com as elites locais, o caudilhismo emergiu das divergências que marcaram o processo de independência entre as propostas unitaristas e federalistas quanto aos rumos que a América Hispânica deveria seguir. As rivalidades internas entre as elites, as guerras civis e a dificuldade de construir um projeto de integração gestaram as condições para o aparecimento de líderes ditatoriais, que garantiram o exercício do poder pelo uso da força e do apoio de setores da elite. 

resposta da questão 2:[A]

Resposta questão 3:

As disputas pelo poder empreendidas por lideranças locais e regionais, interessadas em afirmar e ampliar sua autonomia, contribuíram diretamente para a fragmentação político-territorial que se verificou no Império espanhol na América à época das independências. O fenômeno do caudilhismo encontra-se na base de uma tensão entre centralização/descentralização que marcou a história dos Estados americanos de colonização hispânica ao longo do século XIX e influiu, inclusive, em posteriores secessões.  

Um dentre os fatores:             
- econômicos:  exploração excessiva da mão de obra  permanência do domínio da grande propriedade  estrutura econômica baseada na exportação de gêneros primários             
-sociais: concentração de renda e riquezas manutenção da desigualdade social existente no período colonial estabelecimento de uma sociedade caracterizada por grande exclusão e hierarquização social 

resposta da questão 4: [D]
O caudilhismo foi um fenômeno latino-americano surgido após os processos de independência.



 resposta da questão 5:[B]
A utilização do poder econômico pessoal era sim uma das vias de alcance das instituições políticas.


resposta da questão 6:[C]
O caudilhismo surgiu das lutas pela independência, principalmente na América Hispânica, formando repúblicas que expressavam em suas constituições ideais democráticos liberais, mas que na prática eram governados por oligarquias locais que se sobrepunham a estes princípios.

resposta da questão 7:[C]


resposta da questão 8:[E]

resposta da questão 9:[C]


resposta da questão 10

1. Os caudilhos eram, de uma forma geral, grandes proprietários de terras, chefes políticos regionais. Nesse sentido, era esperado que o estudante relacionasse o poder local desse grupo social e seu interesse na fragmentação política da América Latina, assim como na não criação dos Estados Nacionais. Esses representariam a centralidade burocrática e o enfraquecimento do poderio dessa elite. 
2. A manutenção da unidade territorial brasileira, diferentemente do que ocorrera com os demais países da América Latina, o Brasil conseguiu manter sua unidade territorial devido a presença da corte portuguesa (que proporciona uma ordenação política social diferenciada se comparada ao restante da América Latina), a manutenção do regime monárquico e a coesão da elite latifundiária e escravista.

resposta da questão 11:[D]
A ideia de caudilho surgiu na América Latina para designar líderes conservadores que assumiam o poder político por meio de golpes de Estado e implantavam ditaduras personalistas. Em muitos casos, eram militares ou grandes proprietários de terras.

segunda-feira, 14 de março de 2016

Teste seus conhecimentos

Teste seus conhecimentos

Mesopotâmia

28. (FUVEST 2015) A maior parte das regiões vizinhas [da antiga Mesopotâmia] caracteriza-se pela aridez e pela falta de água, o que desestimulou o povoamento e fez com que fosse ocupada por populações organizadas em pequenos grupos que circulavam pelo deserto. Já a Mesopotâmia apresenta uma grande diferença: embora marcada pela paisagem desértica, possui uma planície cortada por dois grandes rios e diversos afluentes e córregos. 
(Marcelo Rede. A Mesopotâmia, 2002.) 

A partir do texto, é correto afirmar que 
(A) os povos mesopotâmicos dependiam apenas da caça e do extrativismo vegetal para a obtenção de alimentos. 
(B) a ocupação da planície mesopotâmica e das áreas vizinhas a ela, durante a Antiguidade, teve caráter sedentário e ininterrupto.
(C) a ocupação das áreas vizinhas da Mesopotâmia tinha características nômades e os povos mesopotâmicos praticavam a agricultura irrigada. 
(D) a ocupação sedentária das regiões desérticas representava uma ameaça militar aos habitantes da Mesopotâmia. 
(E) os povos mesopotâmicos jamais puderam se sedentarizar, devido às dificuldades de obtenção de alimentos na região.
29. (IFSP 2014) Leia o texto, a seguir, que explica os mecanismos de escravização na Assíria da Antiguidade.
Os pequenos cultivadores, que tomavam valores ou mercadorias emprestados, deviam encontrar-se constantemente na impossibilidade de reembolsar seus credores, os quais se ressarciam escravizando-os. O resultado dessa situação é que pessoas arruinadas vendiam seus filhos para subsistir. Entretanto, a grande massa de escravos provinha dos prisioneiros de guerra, resultados de operações militares.
(GARELLI, Paul. Oriente próximo asiático: impérios mesopotâmicos, Israel. São Paulo: EDUSP, 1982, p.120. Adaptado)

Considerando as informações apresentadas, é correto afirmar que a escravidão da Assíria antiga
(A) empregava predominantemente a mão de obra de negros africanos escravizados em batalhas.
(B) estava relacionada às práticas econômicas de empréstimos e às guerras de expansão territorial.
(C) resultava do excesso populacional na Assíria durante o período de expansão do Império Islâmico.
(D) baseava-se na discriminação racial aos povos de origem judaica que circulavam como nômades.
(E) organizava-se de acordo com o modelo econômico mercantilista, visando à acumulação de capitais.

30. (UFRR 2015) O Iraque, país localizado no Oriente Médio, atualmente, convivendo com instabilidade política e social, bem como, ameaças de grupos terroristas, já foi palco de uma importante civilização da antiguidade denominada Mesopotâmia. 

Sobre esta importante civilização pode se afirmar que: 
A) foi a primeira civilização da História, era formada de povos nômades que mudavam-se constantemente em busca de alimentos; 
B) é considerada o berço da civilização, pois foi o primeiro povo que utilizou instrumentos importantes que, posteriormente, deram origem à medicina; 
C) foi a primeira civilização que cultivou o milho e a cevada dando início assim a agricultura, e o sistema era plantation; 
D) foi pioneira na utilização da escrita, da matemática e da astronomia; 
E) foi a primeira civilização a praticar o cultivo dos alimentos dando início ao que mais tarde chamou-se agricultura, o primeiro e principal produto era o café.

GABARITO
Resposta da questão 28:[C]
Resposta da questão 29:[B]
Resposta da questão 30:[D]


Revolução Francesa

31. (ENEM 2010) Em nosso país queremos substituir o egoísmo pela moral, a honra pela probidade, os usos pelos princípios, as conveniências pelos deveres, a tirania da moda pelo império da razão, o desprezo à desgraça pelo desprezo ao vício, a insolência pelo orgulho, a vaidade pela grandeza de alma, o amor ao dinheiro pelo amor à glória, a boa companhia pelas boas pessoas, a intriga pelo mérito, o espirituoso pelo gênio, o brilho pela verdade, o tédio da volúpia pelo encanto da felicidade, a mesquinharia dos grandes pela grandeza do homem.
HUNT, L. Revolução Francesa e Vida Privada. In: PERROT, M. (Org.) História da Vida Privada: da Revolução Francesa à Primeira Guerra. Vol. 4. São Paulo: Companhia das Letras, 1991 (adaptado).

O discurso de Robespierre, de 5 de fevereiro de 1794, do qual o trecho transcrito é parte, relaciona-se a qual dos grupos político-sociais envolvidos na Revolução Francesa?
A) À alta burguesia, que desejava participar do poder legislativo francês como força política dominante.
B) Ao clero francês, que desejava justiça social e era ligado à alta burguesia.
C) A militares oriundos da pequena e média burguesia, que derrotaram as potências rivais e queriam reorganizar a França internamente.
D) À nobreza esclarecida, que, em função do seu contato, com os intelectuais iluministas, desejava extinguir o absolutismo francês.
E) Aos representantes da pequena e média burguesia e das camadas populares, que desejavam justiça social e direitos políticos.

32. (ENEM) Algumas transformações que antecederam a Revolução Francesa podem ser exemplificadas pela mudança de significado da palavra "restaurante". Desde o final da Idade Média, a palavra 'restaurant' designava caldos ricos, com carne de aves e de boi, legumes, raízes e ervas. Em 1765 surgiu, em Paris, um local onde se vendiam esses caldos, usados para restaurar as forças dos trabalhadores. Nos anos que precederam a Revolução, em 1789, multiplicaram-se diversos 'restaurateurs', que serviam pratos requintados, descritos em páginas emolduradas e servidos não mais em mesas coletivas e mal cuidadas, mas individuais e com toalhas limpas. Com a Revolução, cozinheiros da corte e da nobreza perderam seus patrões, refugiados no exterior ou guilhotinados, e abriram seus restaurantes por conta própria. Apenas em 1835, o Dicionário da Academia Francesa oficializou a utilização da palavra restaurante com o sentido atual.

A mudança do significado da palavra restaurante ilustra
a) a ascensão das classes populares aos mesmos padrões de vida da burguesia e da nobreza.
b) a apropriação e a transformação, pela burguesia, de hábitos populares e dos valores da nobreza.
c) a incorporação e a transformação, pela nobreza, dos ideais e da visão de mundo da burguesia.
d) a consolidação das práticas coletivas e dos ideais revolucionários, cujas origens remontam à
Idade Média.
e) a institucionalização, pela nobreza, de práticas coletivas e de uma visão de mundo igualitária.

33. (UECE 2014) “Quem era a burguesia? Eram os escritores, os doutores, os professores, os advogados, os juízes, os funcionários – as classes educadas; eram os mercadores, os fabricantes, os banqueiros – as classes abastadas, que já tinham direitos e queriam mais.
Acima de tudo, queriam – ou melhor, precisavam – lançar fora o jugo da lei feudal numa sociedade que realmente já não era feudal. Precisavam deitar fora o apertado gibão feudal e substituí-lo pelo folgado paletó capitalista. Encontraram a expressão de suas necessidades no campo econômico, nos escritos dos fisiocratas de Adam Smith; e a expressão de suas necessidades, no campo social, nos trabalhos de Voltaire, Diderot e dos enciclopedistas. O laissez-faire no comércio e indústria teve sua contrapartida no ‘domínio da razão’ na religião e na ciência.”
HUBERMAN, Leo. História da Riqueza do Homem. 21ª ed. Rio de Janeiro, Editora Guanabara, 1986, p. 149.

Essa Burguesia, descrita por Leo Huberman, foi responsável por uma das principais transformações políticas e sociais, que teve um impacto duradouro na história do país onde ocorreu e, mais amplamente, em todo o continente europeu. Essa Burguesia está ligada à
a) Revolução Gloriosa, de 1688 a 1689.
b) Revolução Francesa, de 1789 a 1799.
c) Revolução Russa, de 1917.
d) Revolução de Avis, de 1383 a 1385.

34. (FUVEST 2013) Oh! Aquela alegria me deu náuseas. Sentia-me ao mesmo tempo satisfeito e descontente. E eu disse: tanto melhor e tanto pior. Eu entendia que o povo comum estava tomando a justiça em suas mãos. Aprovo essa justiça, mas poderia não ser cruel? Castigos de todos os tipos, arrastamentos e esquartejamentos, tortura, a roda, o cavalete, a fogueira, verdugos proliferando por toda parte trouxeram tanto prejuízo aos nossos costumes! Nossos senhores colherão o que semearam.
Graco Babeuf, citado por R. Darnton. O beijo de Lamourette. Mídia, cultura e revolução. São Paulo: Companhia das Letras, 1990, p. 31. Adaptado.

O texto é parte de uma carta enviada por Graco Babeuf à sua mulher, no início da Revolução Francesa de 1789. O autor
a) discorda dos propósitos revolucionários e defende a continuidade do Antigo Regime, seus métodos e costumes políticos.
b) apoia incondicionalmente as ações dos revolucionários por acreditar que não havia outra maneira de transformar o país.
c) defende a criação de um poder judiciário, que atue junto ao rei.
d) caracteriza a violência revolucionária como uma reação aos castigos e à repressão antes existentes na França.
e) aceita os meios de tortura empregados pelos revolucionários e os considera uma novidade na história francesa.

GABARITO
Resposta da questão 31:[E]
Resposta da questão 32:[B]
Resposta da questão 33:[B]
Resposta da questão 34:[D]


Economia colonial na América Portuguesa

31. (ENEM) O açúcar e suas técnicas de produção foram levados à Europa pelos árabes no século VIII, durante a Idade Média, mas foi principalmente a partir das Cruzadas (séculos XI e XIII) que a sua procura foi aumentando. Nessa época passou a ser importado do Oriente Médio e produzido em pequena escala no sul da Itália, mas continuou a ser um produto de luxo, extremamente caro, chegando a figurar nos dotes de princesas casadoiras.
CAMPOS, R. Grandeza do Brasil no tempo de Antonil (1681-1716). São Paulo: Atual, 1996.

Considerando o conceito do Antigo Sistema Colonial, o açúcar foi o produto escolhido por Portugal para dar início à colonização brasileira, em virtude de
A) o lucro obtido com o seu comércio ser muito vantajoso.
B) os árabes serem aliados históricos dos portugueses
C) a mão de obra necessária para o cultivo ser insuficiente.
D) as feitorias africanas facilitarem a comercialização desse produto.
E) os nativos da América dominarem uma técnica de cultivo semelhante.

32. (VUNESP 2012) Observe o seguinte trecho do Tratado de Methuen.
Artigo 1º  – Sua Sagrada Majestade El-Rei de Portugal promete admitir para sempre de aqui em diante, no Reino de Portugal, os panos de lã e mais fábricas de lanifício da Inglaterra.
Artigo 2º  – É estipulado que Sua sagrada e Real Majestade Britânica será obrigada para sempre, de aqui em diante, de admitir na Grã-Bretanha os vinhos de Portugal, de sorte que em tempo algum não se poderá exigir direitos de Alfândega nestes vinhos.
Tratado de Methuen – 1703. In: Nelson Werneck Sodré, As Razões da Independência. Adaptado.

Entre outros fatores, foi devido ao Tratado de Methuen que:
a) as manufaturas têxteis se desenvolveram muito no Brasil.
b) Inglaterra e Portugal foram os primeiros países a se industrializarem.
c) a burguesia portuguesa enriqueceu e lutou contra a monarquia.
d) o ouro explorado no Brasil foi transferido para a Inglaterra.
e) Portugal diminuiu o seu interesse pela exploração da colônia.

33. (VUNESP) "E o pior é que a maior parte do ouro que se tira das minas passa em pó e em moedas para os reinos estranhos e a menor é a que fica em Portugal e nas cidades do Brasil, salvo o que se gasta em cordões, arrecadas e outros brincos, dos quais se vêem hoje carregadas as mulatas de mau viver e as negras, muito mais que as senhoras".
(André João Antonil. "Cultura e opulência do Brasil", 1711.)

No trecho transcrito, o autor denuncia:
 a) a corrupção dos proprietários de lavras no desvio de ouro em seu próprio benefício e na compra de escravos.
b) a transferência do ouro brasileiro para outros países em decorrência de acordos comerciais internacionais de Portugal.
c) o prejuízo para o desenvolvimento interno da colônia e da metrópole gerado pelo contrabando de ouro brasileiro.
d) o controle do ouro por funcionários reais preocupados em esbanjar dinheiro e dominar o poder local.
e) a ausência de controle fiscal português no Brasil e o desvio de ouro para o exterior pelos escravos e mineradores ingleses.

34. (FUVEST 2013) A economia das possessões coloniais portuguesas na América foi marcada por mercadorias que, uma vez exportadas para outras regiões do mundo, podiam alcançar alto valor e garantir, aos envolvidos em seu comércio, grandes lucros. 

Além do açúcar, explorado desde meados do século XVI, e do ouro, extraído regularmente desde fins do XVII, merecem destaque, como elementos de exportação presentes nessa economia:
a) tabaco, algodão e derivados da pecuária.
b) ferro, sal e tecidos.
c) escravos indígenas, arroz e diamantes.
d) animais exóticos, cacau e embarcações.
e) drogas do sertão, frutos do mar e cordoarias.

GABARITO
Resposta da questão 31:[A]
Resposta da questão 32:[D]
Resposta da questão 33:[C]

Resposta da questão 34:[A]