quinta-feira, 19 de julho de 2012

Saiba mais sobre o Império Bizantino

Conheça a história do Império Bizantino

O professor Rodolfo Neves, do site História on line, apresenta nesta video aula, de forma bastante didática e elucidativa, as principais características do chamado Império Romano do Oriente, também conhecido como Império Bizantino (395-1453). Bons estudos.

Roteiro de estudo: lista de questões sobre o Império Romano do Oriente (Império Bizantino)

 
01. Defina o movimento iconoclasta, ocorrido no Império Bizantino.


resposta: 
O movimento iconoclasta caracterizou-se como um longo conflito religioso iniciado pelo imperador Leão III, o qual proibiu o uso e ordenou a destruição das imagens existentes nos templos. Não obstante, a veneração das imagens foi restabelecida mais tarde.

02. (FUVEST) Entre os fatores citados abaixo, assinale aquele que não concorreu para a difusão da civilização bizantina na Europa Ocidental:

a) Fuga dos sábios bizantinos para o Ocidente, após a queda de Constantinopla.
b) Expansão da Reforma Protestante, que marcou a quebra da unidade da Igreja Católica.
c) Divulgação e estudo da legislação de Justiniano, conhecida como Corpus Juris Civilis.
d) Intercâmbio cultural ligado ao movimento das Cruzadas.
e) Contatos comerciais das repúblicas marítimas italianas com os portos bizantinos nos mares Egeu e Negro.

 
resposta:[B]

  
03. Justiniano (527 - 565), no Império Romano do Oriente, enfrentou diferentes dificuldades internas, inclusive nas relações entre a Igreja e o Estado, devido a heresias como a dos monofisistas. Estes, entre outros princípios:

a) pretendiam a destruição de todas as imagens;
b) negavam a natureza humana de Cristo;
c) defendiam o conhecimento de Deus inspirado no misticismo;
d) admitiam o dualismo de inspiração budista;
e) acreditavam na reencarnação das almas em corpos animais.

 resposta:[B]

  
04. (PUC) Em relação ao Império Bizantino, é certo afirmar que:

a) o governo era ao mesmo tempo teocrático e liberal;
b) o Estado não tinha influência na vida econômica;
c) o comércio era sobretudo marítimo;
d) o Império Bizantino nunca conheceu crises sociais;
e) o imperialismo bizantino restringiu-se à Ásia Menor.

  resposta:[C]

   
05. Sobre o Império Bizantino, considere as afirmações abaixo se são verdadeiras ou falsas:

(    ) Constantinopla, a "Nova Roma" de Constantino, foi fundada para servir como capital do Império.
(    ) Sua localização geográfica era péssima, descampada por todos os lados, facilitando as invasões.
(    ) O grande imperador de Bizâncio foi Justiniano, de origem humilde, mas protegido por seu tio, o imperador Justino.
(    ) No Corpus Juris Civilis, Justiniano organizou uma compilação das leis romanas desde a República até o Império.
(  ) Com o objetivo de reconstruir o Antigo Império Romano, Justiniano empreendeu campanhas militares conhecidas pelo nome genérico de "Reconquista".

 resposta: V F V V V

06. (UFPB 2009) A imagem abaixo está em um mosaico da igreja de San Vitale, na cidade de Ravena, na Itália. A figura é de influência cultural bizantina e repre­senta o imperador Justiniano cercado de corte­sãos.
 Grandes Impérios e Civilizações. Grande Atlas da História Universal. Tradução da edição espanhola das Edições del Prado. Edição 10, Fascículo 3, p. 40.



O Império Romano do Oriente tinha como capi­tal Constantinopla. Originou-se da divisão do Império Romano em 395 d.C e, no período me­dieval, passou a ser mais conhecido como Impé­rio Bizantino, perdurando cerca de mil anos, até 1453 d.C, quando foi dominado pelos turcos. A sua longa duração produziu uma civilização que deixou uma herança cultural com repercussões significativas até os dias atuais.

Da herança cultural bizantina fazem parte:

1) O Corpus Juris Civilis, uma compilação da le­gislação e jurisprudência romanas e, tam­bém, bizantinas, base do direito civil mo­derno em muitos países.
2) A atitude iconoclasta, contra a adoração de imagens nas igrejas, contribuição de consi­derável influência sobre o catolicismo oci­dental.
4) A religião cristã ortodoxa, decorrente do chamado Cisma do Oriente, devido a dispu­tas político-religiosas com o Papado de Roma.
8) A organização de uma cultura artística laica, desvinculada da religião, especialmente na pintura dos ícones e na arquitetura.
16) A separação entre Igreja e Estado, ardorosa­mente defendida pelos adeptos do Estado laico, concepção política decisiva na forma­ção do Estado ocidental moderno.

resposta: VFVFF



07. (UFES) Segundo a crença dos cristãos de Bizâncio, os ícones (imagens pintadas ou esculpidas de Cristo, da Virgem e dos Santos) constituíam a "revelação da eternidade no tempo, a comprovação da própria encarnação, a lembrança de que Deus tinha se revelado ao homem e por isso era possível representá-lo de forma visível."
(Franco Jr., H. e Andrade Filho, R. O. O IMPÉRIO BIZANTINO. São Paulo: Brasiliense, 1994. p. 27).
Apesar da extrema difusão da adoração dos ícones no Império Bizantino, o imperador Leão III, em 726, condenou tal prática por idolatria, desencadeando assim a chamada "crise iconoclasta". Dentre os fatores que motivaram a ação de Leão III, podemos citar o (a):
a) intolerância da corte imperial para com os habitantes da Ásia Menor, região onde o culto aos ícones servia de pretexto para a aglutinação de povos que pretendiam se emancipar.
b) necessidade de conter a proliferação de culto às imagens, num contexto de reaproximação da Sé de Roma com o imperador bizantino, uma vez que o papado se posicionava contra a instituição dos ícones e exigia a sua erradicação.
c) tentativa de mirar as bases políticas de apoio à sua irmã, Teodora, a qual valendo-se do prestígio de que gozava junto aos altos dignitários da Igreja Bizantina, aspirava secretamente a sagrar-se imperatriz.
d) aproximação do imperador, por meio do califado de Damasco, com o credo islâmico que, recuperando os princípios originais do monoteísmo judaico-cristão, condenava a materialização da essência sagrada da divindade em pedaços de pano ou madeira.
e) descontentamento imperial com o crescente prestígio e riqueza dos mosteiros (principais possuidores e fabricantes de ícones), que atraíam para o serviço monástico numerosos jovens, impedindo-os, com isso de contribuírem para o Estado na qualidade de soldados, marinheiros e camponeses.


resposta:[E]

08. (G1) Forma de poder instituída por Justiniano no Império Bizantino, em que o imperador possuía autoridade política e religiosa, adquirindo um caráter divino:
a) Cesaropapismo.
b) Teocracia militar.
c) Monarquia Teocrática.
d) República Teocrática.
e) Plutocrassia.


resposta:[A]

09. (UFPB) Em inícios do século VIII, o império Bizantino, tendo à frente Leão Isáurico, encontrava-se abatido diante da expansão muçulmana. Leão entendeu que as derrotas do Império deviam-se à adoração crescente dos fiéis às imagens de santos e resolveu destruí-las. Esse movimento ficou conhecido como:
a) Monofisista
b) Cesaropapista
c) Iconoclasta
d) Telefisista
e) Legitimista


resposta:[C]

10. (Uece) Na origem do chamado "cisma do Oriente", pode-se assinalar corretamente:
a) as desavenças entre os membros da hierarquia católica e o Imperador bizantino diziam respeito à cobrança das indulgências e à corrupção dos bispos.
b) significou o aparecimento de inúmeras seitas "reformadas", que se desligaram da Igreja romana.
c) no Império Bizantino, a Igreja era submetida ao Imperador e promoviam um excessivo culto aos ídolos e às imagens.
d) em Bizâncio, ao contrário do cristianismo ocidental, as imagens e os ídolos dos santos não eram objetos de adoração e culto.


resposta:[C]

11. (FGV) Entre as múltiplas razões que explicam a sobrevivência do Império Romano no Oriente, até meados do século XV, está a:
a) capacidade política dos bizantinos em manter o controle sobre seu território sobordinado a uma Monarquia Despótica e Teocrática;
b) autonomia comercial das Cidades-estados otomanas subordinadas ao Império Romano do Ocidente;
c) essencial ruralização da sociedade para proteger-se de migrações desagregadoras;
d) capacidade do Sultão Maomé II de manter, ao longo de seu governo, a unidade otomana do Império Bizantino;
e) política descentralizada, conseqüência das migrações gregas e romanas.


resposta:[A]


12. (Puc-pr) No século VI, o Império Bizantino foi governado pelo seu mais célebre imperador, Justiniano. Conseguiu anexar várias regiões ao seu território, praticou o cesaropapismo, isto é, fazia constantes intervenções nos assuntos religiosos e mandou edificar a suntuosa Igreja de Santa Sofia. Na cultura jurídica, organizou o Corpus Juris Civilis, no qual podemos destacar:
I. Um código, que continha toda a legislação romana revisada desde o Imperador Adriano.
 II. O Digesto ou Pandectas, que incluía um sumário da jurisprudência romana.
III. A Recomendação, que teve suas origens no antigo Patronato romano.
IV. As Institutas, que constituíram um resumo para ser utilizado pelos estudiosos de Direito.
V. As Novelas ou Autênticas, que reuniam as novas leis do Imperador.
VI. O Dominus Noster, inspiração nas Monarquias Despóticas e Teocráticas do Oriente. 
VII. As Leis Licínia e Ogúlnia, que tratavam de assuntos referentes ao Direito Civil e ao Direito Penal.

a) I, II, IV e V.
b) I, II, III e VII.
c) II, III e IV.
d) II, IV, VI e VII.
e) I, IV, V e VI.


resposta:[A]

13. (Puc-pr) A História do Império Bizantino abrangeu um período equivalente ao da Idade Média, apesar da instabilidade social, decorrente, entre outros fatores:
a) dos freqüentes conflitos internos originados por controvérsias políticas e religiosas.
b) da excessiva descentralização política que enfraquecia os imperadores.
c) da posição geográfica de sua capital, Constantinopla, vulnerável aos bárbaros que com facilidade a invadiam freqüentemente.
d) da constante intromissão dos imperadores de Roma em sua política.
e) da falta de um ordenamento jurídico para controle da vida social.


resposta:[A]

14. (UFV) O Império Bizantino se originou do Império Romano do Oriente, reunindo diferentes povos: gregos, egípcios, eslavos, semitas e asiáticos. Em razão disso, foi preciso criar um eficiente sistema político e administrativo para dar força e coesão àquele mosaico de povos e culturas. Sobre o Império Bizantino é INCORRETO afirmar que:
a) a religião fornecia a fundamentação do poder imperial, mas absorvia grande parte dos recursos econômicos, originando várias crises.
b) a intolerância religiosa não deixava espaço de autonomia para que os indivíduos escolhessem seus próprios caminhos para a salvação.
c) a estrutura eclesiástica era extensa e muito influente, provocando intensa espiritualidade popular e várias controvérsias teológicas.
d) a fusão entre poder temporal e poder espiritual permitia que o Imperador indicasse laicos para postos na hierarquia eclesiástica.
e) a importância política do Imperador impediu que o Patriarcado se desenvolvesse independentemente, tal como o Papado do Ocidente.


resposta:[B]


15. (Puc-pr) O Império Bizantino ou Romano do Oriente existiu durante a Idade Média, sendo-lhe cronologicamente coincidente. Sobre o tema, assinale a alternativa correta:
a) Seu período de maior esplendor e expansão ocorreu sob o governo de Justiniano, que mandou fazer a codificação das leis romanas.
b) Sua posição geográfica correspondia às terras da parte ocidental do Império Romano.
c) Apresentava excessiva descentralização política, o que enfraquecia os imperadores (baliseus).
d) Reprimiu violentamente a heresia dos cátaros, que ameaçava a sua unidade religiosa.
e) A força da cultura romana fez com que o latim fosse língua de emprego geral.


resposta:[A]

16. (Puc-pr) "É bizantino esperar de uma política bancária que aumenta os depósitos compulsórios e que eleva a alíquota do PIS/Cofins uma redução expressiva das taxas de crédito. Também o é culpar a Selic e o lucro dos bancos pelos empréstimos caros no Brasil, ignorando as demais causas. A superação da barreira do crédito demanda um diagnóstico realista e a eliminação das bizantinices."
(Roberto Luis Troster, "Folha de S.Paulo", 03. Ago.2006, p. A3).

O autor nos compara, com muita propriedade, com o Império Bizantino, onde:
a) o povo não era atingido por tributações exageradas, causa da paz e equilíbrio sempre presentes naquela sociedade.
b) seus habitantes deleitavam-se com discussões filosóficas, sutis e que não levavam a nenhuma conclusão.
c) as decisões econômicas eram tomadas democraticamente.
d) havia programas de previdência e aposentadorias bastante complexos.
e) as decisões políticas eram tomadas com grande objetividade e rapidez.


resposta:[B]

17. (Unesp) O culto de imagens de pessoas divinas, mártires e santos foi motivo de seguidas controvérsias na história do cristianismo. Nos séculos VIII e IX, o Império bizantino foi sacudido por violento movimento de destruição de imagens, denominado "querela dos iconoclastas". A questão iconoclasta
a) derivou da oposição do cristianismo primitivo ao culto que as religiões pagãs greco-romanas devotavam às representações plásticas de seus deuses.
b) foi pouco importante para a história do cristianismo na Europa ocidental, considerando a crença dos fiéis nos poderes das estátuas.
c) produziu um movimento de renovação do cristianismo empreendido pelas ordens mendicantes dominicanas e franciscanas.
d) deixou as igrejas católicas renascentistas e barrocas desprovidas de decoração e de ostentação de riquezas.
e) inviabilizou a conversão para o cristianismo das multidões supersticiosas e incultas da Idade Média européia.


resposta:[A]

18. (Unesp) A Civilização Bizantina floresceu na Idade Média, deixando em muitas regiões da Ásia e da Europa testemunhos de sua irradiação cultural. Assinale importante e preponderante contribuição artística bizantina que se difundiu expressando forte destinação religiosa:
a) Adornos de bronze e cobre.
b) Aquedutos e esgotos.
c) Telhados de beirais recurvos.
d) Mosaicos coloridos e cúpulas arredondadas.
e) Vias calçadas com artefatos de couro.


resposta:[D]

19. (Unesp 2010)  Observe a figura.


O ícone, pintura sobre madeira, foi uma das manifestações características da Civilização Bizantina, que abrangeu amplas regiões do continente europeu e asiático. A arte bizantina resultou
a) do fim da autocracia do Império Romano do Oriente.  
b) da interdição do culto de imagens pelo cristianismo primitivo.  
c) do “Cisma do Oriente”, que rompeu com a unidade do cristianismo.  
d) da fusão das concepções cristãs com a cultura decorativa oriental.  
e) do desenvolvimento comercial das cidades italianas.  


resposta:[D]
O enunciado e a alternativa correta por si só justificam a produção de ícones como uma das principais características da arte bizantina. Consistiam numa representação sacra pintada sobre um painel de madeira, com ampla utilização de ornamentos em dourado. Podem ser considerados a representação da mensagem cristã descrita por palavras nos Evangelhos. 

20. (Upe 2009)  Na Idade Média, Bizâncio era um importante centro comercial e político. Merecem destaques seus feitos culturais, mostrando senso estético apurado e uso das riquezas existentes no Império. Na sua arquitetura, a igreja de Santa Sofia destacou-se pela
a) sua afinação com o estilo gótico, com exploração dos vitrais e o uso de metais na construção dos altares.  
b) simplicidade das suas linhas geométricas, negando a grandiosidade como nas outras obras existentes em Bizâncio.  
c) grande riqueza da sua construção, com uso de mosaicos coloridos e colunas de mármores suntuosas.  
d) imitação que fazia dos templos gregos, com altares dedicados aos mitos mais conhecidos, revelando paganismo.  
e) consagração dos valores católicos medievais, em que a riqueza interior era importante em toda cultura existente.   
 
resposta:[C]

Construída pelo Imperador Constantino em 360, foi destruída por um incêndio durante as insurreições de 532. Reconstruída com incrível rapidez, até 537, Justiniano dedicou-a a Sagrada Sabedoria. O objetivo dos arquitetos, Anthemius de Tralles e Isidorus de Mileto, era construir um interior não só impressionante, mas também funcional. Os mosaicos foram uma característica marcante nos vitrais das igrejas bizantinas e as colunas demonstram a influencia da arquitetura grega. 


21. (Ufrgs 2008)  Assinale a alternativa que apresenta um dos resultados do entrecruzamento de culturas no Império Bizantino.
a) As artes visuais diversificaram-se a ponto de serem eliminadas as características estéticas de inspiração greco-cristã.  
b) A adoração popular a ícones religiosos gerou crises na Igreja de Bizâncio.  
c) Elementos clássicos, como a retórica e a língua grega, foram superados em função da interação cultural cosmopolita.  
d) A arquitetura passou a primar pela simplicidade, a fim de se adequar à doutrina religiosa ortodoxa.  
e) A estrutura jurídica do Império Bizantino não sofreu a influência do direito romano.

 resposta:[B] 


5 comentários:

  1. Valeu tirei 10 na prova caiu tudo daqui

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom, Weslley! Parabéns pela sua conquista! Continue acessando o Mestres da História. Grande abraço e bons estudos!

      Excluir
  2. Muito bom!!! Mas, acharia melhor se o gabarito estivesse no final.

    ResponderExcluir