domingo, 8 de julho de 2012

Ingleses, franceses e holandeses no Novo Mundo


Saiba mais sobre a colonização inglesa, francesa e holandesa na América


Lista de exercícios do capítulo: Ingleses, franceses e holandeses no Novo Mundo

1. Observe a imagem abaixo e responda às questões.

 

 Pescando almas do pintor holandês Adriaen Van de Venne, 1614, representa o esforço de católicos e protestantes pela conquista de fiéis no período que se seguiu ao início da Reforma, no século XVI. A colonização da América teve um caráter missionário para a época.

a) de que modo a disputa por fiéis durante a Reforma foi retratada na tela?
b) por que a Igreja Católica se fez presente na América desde o início do processo de colonização?
c) explique a relação entre os conflitos religiosos europeus e a vinda de europeus para a América.

resposta:
a) A obra faz uma alegoria do conflito religioso na Europa ao representar os pregadores como "pescadores de homens", ou seja, aqueles que convertem as pessoas para a sua causa.
b) Porque tanto Portugal quanto Espanha, países que iniciaram o processo colonizador, eram países católicos.
c) A América serviu de refúgio ou exílio para as vítimas dos conflitos religiosos europeus ou para os que buscavam um lugar melhor para viver.

2. (PITÁGORAS) Nas colônias inglesas da América do Norte, a procura de mão-de-obra sempre foi grande. As pessoas pobres da Inglaterra que iam para as colônias se sujeitavam aos mais injustos contratos de trabalho.

Sobre essas formas de trabalho, podemos considerar VERDADEIRA a seguinte alternativa:
a) No sul, predominou a mão-de-obra livre.
b) No Norte predominou a mão-de-obra escrava.
c) No Norte predominou a servidão.
d) No sul predominou a escravidão negra.

resposta:[D]

 
3. (G1) O mapa abaixo mostra as Treze Colônias Inglesas. Cada uma possuía características próprias e de um modo geral podiam ser reunidas em três grupos bem definidos:
 

· Colônias do Norte: New Hampshire, Massachusetts, Rhode Island e Connecticut.
· Colônias do Centro: New York, New Jersey, Pensilvânia e Delaware
· Colônias do Sul: Virgínia, Carolina do Norte, Carolina do Sul, Geórgia e Maryland.

São características das Colônias do Norte, EXCETO:

a)  economia independente da Metrópole;
b)  pequena propriedade familiar;
c)  predomínio da utilização de mão-de-obra escrava;
d) classe dirigente formada por grandes comerciantes.

resposta:[C]

4. (Unicamp) O mapa adiante ilustra o comércio triangular realizado pelos habitantes das colônias do norte dos Estados Unidos, durante o período de colonização da América.

a) Observando o mapa, descreva esse comércio.
b) Explique por que outros produtos lucrativos, como o tabaco e o algodão, não participavam desse comércio.
 
resposta:
a) Comércio triangular era uma forma de comércio muito lucrativa que incluía três lugares: a América do Norte, as Antilhas e a África.
b) Pois eram produtos que a Inglaterra comercializava, tendo assim uma maior fiscalização.

5. (PITÁGORAS) Analise o mapa a seguir.


 

EXPLIQUE o que foi o comércio triangular, conforme apresentado no mapa anterior.

resposta:
Período em que os grandes comerciantes dominavam as rotas comerciais para outras colônias inglesas, para a Inglaterra e as Índias Ocidentais, onde vendiam cereais e peixe seco e compravam escravos para venderem aos fazendeiros das colônias do sul.

 
6. (UNICAMP) Contestando o Tratado de Tordesilhas, o rei da França, Francisco I, declarou em 1540:
Gostaria de ver o testamento do Adão para saber, de que forma este dividira o mundo.

a) O que foi o Tratado de Tordesilhas?
b) Por que alguns países da Europa, como a França, contestavam aquele tratado?

resposta:

a) O tratado marca a partilha colonial. O tratado foi assinado entre Portugal e Espanha, em 1494, estabelecendo uma divisão de territórios a partir de uma linha imaginaria que passaria a 370 léguas a oeste de Cabo Verde.

b) Porque inviabilizava qualquer possibilidade de expansão francesa, já que o tratado dividia todas as terras “descobertas e a descobrir” entre lusitanos e espanhóis.

7. (FGV)As tentativas francesas de estabelecimento definitivo no Brasil ocorreram entre a segunda metade do século XVI e a primeira metade do século XVII. As regiões que estiveram sob ocupação francesa foram:
a) Rio de Janeiro (França Antártica) e Pernambuco (França Equinocial);
b) Pernambuco (França Antártica) e Santa Catarina (França Equinocial);
c) Bahia (França Equinocial) e Rio de Janeiro (França Antártica);
d) Maranhão (França Equinocial) e Rio de Janeiro (França Antártica);
e) Espírito Santo (França Equinocial) e Rio de Janeiro (França Antártica).


resposta:[D]

8. (Fuvest) "Depois de permanecermos ali pelo espaço de dois meses, durante os quais procedemos ao exame de todas as ilhas e sítios da terra firme, batizou-se toda a região circunvizinha, que fora por nós descoberta, de França Antártica. (...) Em seguida, o senhor de Villegagnon, para se garantir contra possíveis ataques de selvagens, que se ofendiam com extrema facilidade e também contra os portugueses, se estes alguma vez quisessem aparecer por ali, fortificou o lugar da melhor maneira que pôde."
André Thevet, As singularidades da França Antártica, 1556.

Tendo por base o texto, indique:
a) A qual região brasileira o autor se refere e por que afirma ter sido "por nós descoberta"?
b) Quais foram os resultados do estabelecimento da França Antártica?


resposta:
 
a) O autor refere-se ao litoral do atual Rio de Janeiro. A afirmação, está ligada ao fato, na época da ocupação francesa no Rio de Janeiro (1555-1567), a presença portuguesa era muito pequena, limitava-se a São Vicente e a alguns pontos do Nordeste. Como na região da baia da Guanabara não havia presença lusitana, justifica-se, de certa forma, a afirmação do autor.

b) A maior preocupação da Metrópole em relação a ocupação do território, sua respectiva defesa. A autoridade do governador geral foi fortalecida nos planos militar-político com o objetivo de manter os territórios para Portugal. Pode-se destacar a fundação da cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro (1565).


9. (Ufrj) "(...) Assim, antes de partir de França, Villegagnon prometeu a alguns honrados personagens que o acompanharam, fundar um puro serviço de Deus no lugar em que se estabelecesse. E depois de aliciar os marinheiros e artesãos necessários, partiu em maio de 1555, chegando ao Brasil em novembro, após muitas tormentas e toda a espécie de dificuldades. Aí aportando, desembarcou e tratou imediatamente de alojar-se em um rochedo na embocadura de um braço de mar ou rio de água salgada a que os indígenas chamavam Guanabara e que (como descreverei oportunamente) fica a 23° abaixo do equador, quase à altura do Trópico de Capricórnio. Mas o mar daí o expulsou. Constrangido a retirar-se avançou quase uma légua em busca de terra e acabou por acomodar-se numa ilha antes deserta, onde, depois de desembarcar sua artilharia e demais bagagens, iniciou a construção de um forte, a fim de garantir-se tanto contra os selvagens como contra os portugueses que viajavam para o Brasil e aí já possuem inúmeras fortalezas".
IN: LÉRY, Jean. DE VIAGEM À TERRA DO BRASIL. Rio de Janeiro, Bibliex, 1961, pp. 51
"(... ) Por esse tempo, agitava-se importante controvérsia entre os dirigentes da Companhia (Cia. Das Índias Ocidentais), a qual se travou principalmente entre as câmaras da Holanda e da Zelândia. Versava sobre se seria proveitoso à Companhia franquear o Brasil ao comércio privado, ou se devia competir a ela tudo o que se referisse ao comércio e às necessidades dos habitantes daquela região. Cada um dos dois partidos sustentava o seu parecer. Os propugnadores do monopólio escudavam-se com o exemplo da Cia. Oriental, usando o argumento de que se esperariam maiores lucros, se apenas a Cia. comerciasse, porque, com o tráfico livre, dispersar-se-ia o ganho entre muitos, barateando as mercadorias pela concorrência".
IN: BARLÉU, Gaspar. HISTÓRIA DOS FEITOS RECENTEMENTE PRATICADOS DURANTE OITO ANOS NO BRASIL. São Paulo, Ed. ltatiaia, 1974, pp.90

Ao longo dos séculos XVI, XVII e início do XVIII, várias potências européias invadiram a América Portuguesa. Houve breves invasões e atos de pirataria ao longo do litoral no início do século XVI. Posteriormente outras invasões iriam adquirir características diferenciadas. As formas de invasão e ocupação, assim como estratégias e interesses econômicos seriam diversos.
a) Aponte duas razões para a invasão e o estabelecimento colonial de franceses (a França Antártica) no litoral do Rio de Janeiro entre 1555 e 1567.
b) Identifique o principal interesse da Cia. das Índias Ocidentais na invasão de Pernambuco, em 1634.


resposta:
 
a) Disputa pelo comércio colonial (o tráfico do pau-brasil), controle sobre as áreas de produção de gêneros tropicais e refúgio para huguenotes e outros perseguidos religiosos.

b) As invasões holandesas eram relativas ao controle sobre o comércio do açúcar.

10. (Pucrs) As invasões holandesas no Brasil, no século XVII, estavam relacionadas à necessidade de os Países Baixos manterem e ampliarem sua hegemonia no comércio do açúcar na Europa, que havia sido interrompido
a) pela política de monopólio comercial da Coroa Portuguesa, reafirmada em represália à mobilização anticolonial dos grandes proprietários de terra.
b) pelos interesses ingleses que dominavam o comércio entre o Brasil e Portugal.
c) pela política pombalina, que objetivava desenvolver o beneficiamento do açúcar na própria colônia, com apoio dos ingleses.
d) pelos interesses comerciais dos franceses, que estavam presentes no Maranhão, em relação ao açúcar.
e) pela Guerra de Independência dos Países Baixos contra a Espanha, e seus conseqüentes reflexos na colônia portuguesa, devido à União Ibérica.


resposta:[E]

Um comentário: