quarta-feira, 21 de março de 2012

Aprenda mais sobre o renascimento comercial e urbano

Confira um resumo sobre a importância do renascimento comercial



Desafio de História

O Renascimento Comercial e Urbano

Teste seus conhecimento sobre o Renascimento comercial e urbano na Baixa Idade Média

1. (G1) No contexto da crise do feudalismo, as Cruzadas contribuíram para:

a) a retomada das terras cristãs em poder dos árabes.

b) a Igreja fortalecer sua autoridade sobre os senhores feudais.

c) a aquisição de novos feudos, dinamizando o comércio.

d) a reabertura do mar Mediterrâneo, dinamizando o comércio entre o oriente e o ocidente.

e) o estímulo da produção agrícola nos feudos.

resposta da questão 1:[D]

2. (FGV) (...) apesar de flutuações no tempo e desigualdades regionais, a população da Europa Ocidental passou de 18 milhões de pessoas por volta do ano 800, para 22 (em torno do ano 1000), quase 26 (ano 1100), mais de 34 (ano 1200) e mais de 50 (cerca do ano 1300). Apesar de paralelamente ter havido o desbravamento, a conquista e a ocupação de vastos territórios, a densidade populacional quase dobrou de fins do século VIII a fins do século XIII.

(Hilário Franco Jr., "O feudalismo")

Sobre o crescimento demográfico, apresentado no texto, é correto afirmar que

a) foi consequência direta da manutenção de um clima sempre muito úmido e quente, além dos fortes fluxos migratórios oriundos do norte da África, desde o século VII, trazendo mão-de-obra abundante e qualificada.

b) devido à passagem da servidão para a escravidão - por meio de um processo longo e progressivo -, melhoraram de maneira considerável as condições de vida dos trabalhadores rurais e urbanos a partir do século X.

c) apesar da diminuição da produtividade e da quantidade das terras agriculturáveis, houve o aumento da resistência da população européia a várias doenças contagiosas, além de um importante avanço nas práticas médicas.

d) tem uma forte ligação com o incentivo para o aumento da natalidade patrocinado pela Igreja Católica, desde o século IX, como mecanismo de defesa contra o avanço da presença árabe no sul da Europa e norte da África.

e) entre outros fatores, há a ausência de epidemias no Ocidente entre os séculos X e XIII, os limites da guerra medieval - recorrente, mas pouco destruidora - e as inovações técnicas que favoreceram o aumento da produção agrícola.

resposta da questão 2:[E]

3. (Mackenzie) "Chegou o dia em que o comércio cresceu, e cresceu tanto que afetou profundamente toda a vida da Idade Média. O século XI viu o comércio andar a passos largos; o século XIl viu a Europa ocidental transformar-se em conseqüência disso.

(Leo Huberman)

Assinale a alternativa relacionada ao texto anterior.

a) Os efeitos do renascimento urbano e comercial foram sentidos simultaneamente em todo o território europeu.

b) O modo de produção servil foi imediatamente substituído pelo desenvolvimento de centros industriais e pelo trabalho assalariado.

c) A ampliação de novos mercados e centros urbanos contribuiu para a redução do crescimento demográfico e da migração.

d) A expansão marítima comercial européia, através da aliança dos reis com a burguesia, consolidou as relações mercantis na Ásia, Europa e América.

e) O renascimento comercial trouxe o crescimento das cidades, a expansão do mercado e a ascensão de um novo grupo social.

resposta da questão 3:[E]

4. (Mackenzie) "Rotas e cidades, cidades e rotas não passam de um único e mesmo equipamento humano do espaço (...) a cidade do Mediterrâneo é criadora de rotas, e ao mesmo tempo é criada por elas."

(Fernando Braudel - "O Mediterrâneo e o mundo mediterrâneo")

Relacionando o texto acima com o renascimento comercial e urbano, podemos afirmar que:

a) as rotas das invasões bárbaras desenvolveram locais fixos de comércio, responsáveis pela formação de cidades.

b) as cidades costeiras da Itália tiveram seu crescimento ligado ao desenvolvimento das rotas comerciais marítimas.

c) as cidades do Mediterrâneo produtoras de lã e especiarias desenvolveram o monopólio das rotas comerciais através da liga hanseática.

d) as cidades da região dos Pirineus monopolizaram o comércio de produtos orientais, dominando a Rota da Champagne.

e) a rota do Mediterrâneo impedia o crescimento da rede de comunicação entre as cidades.

respostada questão 4:[B]

5. (Uel) "Durante os séculos XI a XIII verificou-se nas atividades agrícolas e artesanais da Europa Centro-Ocidental um conjunto de transformações (...) que repercutiram no crescimento das trocas mercantis. Situa-se aí historicamente o chamado renascimento urbano medieval."

Fonte: RODRIGUES, A. E.; FALCON, F. "A formação do mundo moderno". 2. ed. Rio de Janeiro: Elesevier, 2006, p.9.

Com base no texto e nos conhecimentos sobre o tema, é correto afirmar que tais mudanças econômicas:

a) Caracterizaram-se pelo desenvolvimento das técnicas de produção e amplo emprego de recursos energéticos, tais como carvão e petróleo.

b) Implicaram no capitalismo mercantil incrementado pelo amplo comércio atlântico, fomentado por negociantes italianos e príncipes alemães.

c) Aumentaram a produção no campo e na cidade e fomentaram a circulação de bens e moedas, viabilizados por novos instrumentos de crédito a governantes e comerciantes.

d) Privatizaram as terras e introduziram um modelo de produção fabril, promovido pelo governo britânico.

e) Reforçaram o predomínio político e comercial dos senhores feudais sobre os governos citadinos.

resposta da questão 5:[C]

6. (Unicamp) Nas entradas de muitas cidades da Liga Hanseática, estava escrito: "O ar da cidade liberta",

a) O que foi a Liga Hanseática?

b) Quais fatores impulsionaram o renascimento urbano europeu a partir do século XI?

c) Por que as cidades, naquele momento, eram concebidas como espaço da liberdade?

resposta da questão 6:

a) Foi uma associação de mercadores da região do Mar do Norte e Mar Báltico, que tinha por objetivo monopolizar o comércio naquela região.

b) Os fatores que impulsionaram o renascimento comercial e urbano foram o crescimento populacional devido ao fim das invasões bárbaras, as cruzadas, que reabriram o mar Mediterrâneo e intensificaram o comércio com o Oriente, o desenvolvimento das feiras nas principais rotas de comércio e a intensificação do êxodo rural, provocada pelo aumento da exploração servil no campo.

c) As cidades eram concebidas dessa maneira por estarem em contraposição ao feudo e por apresentarem uma estrutura social mais dinâmica, não só com senhores e servos, mas sim com mercadores, clérigos, artesãos e mesmo nobres.

7. (UFG) "O ar da cidade torna o homem livre".

PAIS, Marco Antonio de O. "O despertar da Europa". 4.ed. São Paulo: Atual, 1992. p. 38.

Relacione o provérbio alemão do século XI, anteriormente transcrito, com o renascimento comercial urbano.

resposta da questão 7:

O ar da cidade torna o homem livre, pois, na baixa Idade Média, os centros urbanos em luta por seus direitos libertaram-se, em parte, da tutela feudal. Os impostos cobrados em dinheiro, as atividades bancárias, a força política dos comerciantes (burguesia), o crescimento das corporações de ofícios, a retomada com mais vigor das rotas de comércio internacional impuseram um novo modo de viver ao mundo citadino.

8. (Puccamp) O renascimento urbano e comercial, ocorrido na Europa, na Baixa Idade Média, provocou profundas mudanças em toda a sociedade medieval.

Sobre essas mudanças, considere as afirmações abaixo.

I. As chamadas "cartas de franquia", outorgadas pelos reis, fortaleciam a nascente burguesia, uma vez que proporcionavam uma certa autonomia às cidades, libertando-a das obrigações tributárias para com os senhores feudais.

II. O renascimento comercial enfraqueceu as atividades desenvolvidas pelo artesanato que eram organizadas pelas corporações de ofícios nas cidades medievais.

III. O desenvolvimento do comércio e do artesanato reativou a vida urbana e deu origem à formação de uma nova classe social desvinculada socialmente dos laços feudais.

IV. O renascimento comercial proporcionou os recursos financeiros para o planejamento das cidades, que foram construídas fora dos limites dos feudos, em terrenos planos, com ruas largas e higiênicas, dificultando a proliferação de epidemias.

Pode-se afirmar que estão corretas SOMENTE

a) I e II.

b) I e III.

c) II e III.

d) II e IV.

e) III e IV.

resposta da questão 8:[B]

9. (UFRN) O crescimento das cidades é um fenômeno da Europa Ocidental a partir do século XI. Tratando sobre a questão, Pierre Vilar afirma: As cidades dependiam dos senhores. Mas elas foram mais fortes que as aldeias para discutir com seus amos, rebelarem-se, obter ou impor "cartas de franquias". Coletivamente, continuavam vinculadas ao sistema feudal (...). Mas em seu território, e sobretudo no recinto dentro da muralha, os habitantes eram livres e participavam da organização coletiva.

VILAR, Pierre. "Do feudalismo ao capitalismo". 4. ed. São Paulo: Contexto, 1992. p. 39.

Refletindo sobre essa afirmação, pode-se concluir que

a) os moradores das cidades gozavam de significativa autonomia, mesmo submetidos à autoridade dos senhores, que lhes cobravam taxas.

b) os camponeses das aldeias medievais impuseram aos senhores feudais um documento que garantia autonomia política à comunidade.

c) os habitantes das cidades libertaram-se de inúmeras obrigações, entre elas a de participar das corporações de ofício.

d) as populações urbanas eram isoladas por muralhas que as impediam de estabelecer relações socioeconômicas com o mundo feudal.

resposta da questão 9:[A]

10. (FGV) "(...) as cruzadas não foram as responsáveis pelas grandes transformações econômicas, mas produtos delas. Contudo, elas não deixaram de contribuir para os avanços daquelas transformações. (...) O intenso comércio praticado pelas cidades italianas, Gênova e Veneza, cresceu bastante com a abertura dos mercados orientais, para o que as cruzadas desempenharam papel decisivo (...)

(Hilário Franco Júnior, "As cruzadas")

Além da decorrência apresentada, pode-se atribuir a essas expedições

a) o desaparecimento das ordens mendicantes - especialmente franciscanos e dominicanos -, assim como a superação das heresias católicas.

b) o fortalecimento nas relações de vassalagem em toda a Europa Ocidental e um forte retraimento do poder econômico da burguesia comercial.

c) a estagnação das atividades comerciais entre algumas cidades comerciais do mar do Norte - como Bruges e Gand - e as cidades do litoral oeste da África.

d) a radicalização no processo de fragmentação político-territorial da Europa, com a importante ampliação do poder econômico da nobreza togada.

e) a relação entre os cruzados com bizantinos e muçulmanos, permitindo que a Europa voltasse a ter contato com algumas obras de filosofia greco-romana.

resposta da questão 10:[E]

11. (UFSM) As cruzadas se estenderam pelos séculos XI, XII e XIII, levando milhares de pessoas da Europa a deslocarem-se em direção ao Oriente Próximo.

Pode-se dizer que é(são) causa(s) dessas cruzadas:

I. aumento da população e pobreza na Europa.

II. ambições comerciais das cidades italianas (Gênova, Veneza, Pisa etc.).

III. reunificação da cristandade.

IV. liberação de rotas para o Oriente através de Constantinopla que se encontrava sob domínio mameluco.

Está(ão) correta(s)

a) apenas I e II.

b) apenas lII.

c) apenas I, II e III.

d) apenas IV.

e) I, II , III e IV.

resposta da questão 11:[C]

12. (Pucpr) Facilitando o comércio e evitando os perigos do transporte do dinheiro amoedado, surgiram os títulos de crédito, como cheques, letras de câmbio, conhecimentos de depósito, e outros, marcando inclusive o nascimento do direito comercial.

Esses progressos comerciais tiveram origem:

a) no livro de autoria de Marco Polo, que revelava idênticas práticas dos chineses.

b) durante a Primeira Cruzada, que conquistou Jerusalém.

c) na iniciativa dos monarcas ingleses do final da Guerra dos Cem Anos.

d) nas feiras medievais.

e) na corte portuguesa dos monarcas da dinastia de Avis.

resposta da questão 12:[D]

13. (FUVEST) "Se volveres a lembrança ao Gênese, entenderás que o homem retira da natureza seu sustento e a sua felicidade. O usuário, ao contrário, nega a ambas, desprezando a natureza e o modo de vida que ela ensina, pois outros são no mundo seus ideais."

(Dante Alighieri, A DIVINA COMÉDIA, Inferno, canto XI, tradução de Hernâni Donato).

Esta passagem do poeta florentino exprime:

a) uma visão já moderna da natureza, que aqui aparece sobreposta aos interesses do homem.

b) um ponto de vista já ultrapassado no seu tempo, posto que a usura era uma prática comum e não mais proibida.

c) uma nostalgia pela Antigüidade greco-romana, onde a prática da usura era severamente coibida.

d) uma concepção dominante na Baixa Idade Média, de condenação à prática da usura por ser contrária ao espírito cristão.

e) uma perspectiva original, uma vez que combina a prática da usura com a felicidade humana.

resposta da questão 13:[D]

14. (Unicamp) (Unicamp)No século XIII, um teólogo assim condenava a prática da usura: "O usurário quer adquirir um lucro sem nenhum trabalho e até dormindo, o que vai contra a palavra de Deus que diz: Comerás teu pão com o suor do teu rosto . Assim o usurário não vende a seu devedor nada que lhe pertença, mas apenas o tempo, que pertence a Deus. Disso não deve tirar nenhum proveito." (Adaptado de J. Le Goff, "A Bolsa e a Vida", Brasiliense, 1989)

a) O que é usura?

b) Por que a Igreja medieval condenava a usura?

c) Relacione a prática da usura com o desenvolvimento do capitalismo no final da Idade Média.

resposta da questão 14:

a) A prática de cobrar juros excessivos pelo empréstimo de dinheiro.

b) A igreja condenava o usura porque o usurário ganhava sobre algo que não lhe pertencia,o dinheiro ganho não vinha do seu suado trabalho, e para a Igreja dinheiro não gerava dinheiro, condenando assim essa prática.

c) Com o desenvolvimento do capitalismo no final da Idade Média tornou-se comum a prática da usura, realizar empréstimos de dinheiro era algo interessante, lucrativo.

15. (Uel) "Os homens da Idade Média procuravam na Bíblia um modelo que lhes guiasse o comportamento em relação à usura. [...] As transformações da sociedade ocidental cristã nos séculos XII e XIII tornavam a realidade da prática usurária possível e muitas vezes socialmente útil. [...] Às vésperas do nascimento dos grandes movimentos econômicos que preparam o advento do capitalismo moderno, a teologia medieval salvará o usurário do inferno ao inventar o purgatório. O usurário terá assim atingido seu duplo objetivo: salvaguardar sua bolsa na terra sem perder a vida eterna".

(FRANCO Jr. Hilário. "A Bolsa e a vida: a usura na Idade Média". 2. ed. São Paulo: Brasiliense, 1989. s.p.)

Com base no texto e nos conhecimentos sobre o tema, considere as afirmativas a seguir. I. Esse momento histórico caracteriza-se pelo início do processo de acumulação de riquezas monetárias.

II. Na Idade Média, as práticas da vida material estavam separadas das práticas da vida religiosa.

III. Nesse período da história, a sociedade medieval tornava a prática da usura socialmente aceitável.

IV. O fenômeno da usura era tanto econômico, quanto moral, clerical ou religioso.

Estão corretas apenas as afirmativas:

a) I e II.

b) II e III.

c) III e IV.

d) I, II e IV.

e) I, III e IV.

resposta da questão 15:[E]

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário