sábado, 1 de dezembro de 2012

Correção da avaliação de recuperação (Segundo ano)



Confira a correção da avaliação de recuperação de História (Segundo Ano 2012) 

1. (Uerj) " (...) a guerra de 1914-18 foi, de ambos os lados, uma guerra imperialista (isto é, uma guerra de conquista, de pilhagem, de pirataria), uma guerra pela partilha do mundo, pela distribuição e redistribuição das colônias, das zonas de influência do capital financeiro , etc. ...O capitalismo se transformou num sistema universal de opressão colonial e de asfixia financeira da imensa maioria da população do globo por um punhado de países avançados. E a partilha deste saque faz-se entre duas ou três aves de rapina, com importância mundial, armadas até os dentes (América, Inglaterra, Japão), que arrastam consigo toda a Terra na sua guerra pela partilha de seu saque".
(LENIN, Vladimir I. "O imperialismo: fase superior do capitalismo". São Paulo, Global, 1985. p.9-11.)

a) Explique uma das principais características da fase monopolista do capitalismo.
b) Relacione capitalismo monopolista à Primeira Guerra Mundial.



resposta:
a) Iniciada no século XX, esta fase vai ter no sistema bancário, nas grandes corporações financeiras e no mercado globalizado as molas mestras de desenvolvimento. Podemos dizer que este período está em pleno funcionamento até os dias de hoje. Grande parte dos lucros e do capital em circulação no mundo passa pelo sistema financeiro.
b) As potências imperialistas do século XIX começaram uma briga por domínios que garantiriam as empresas sediadas em suas nações mercados e fontes de matérias primas. Quando não havia mais como os monopólios industriais de cada país se expandirem, estas empresas começaram a pressionar seus governos a entrarem em disputas com outras nações, tais atritos transformaram a Europa em um barril de pólvora e quando Francisco Ferdinando foi assassinado, isso serviu de desculpa para se iniciar esta guerra sangrenta.



2. (Fuvest) Como se deu a ascensão de Hitler na conjuntura alemã, no período entre guerras, e quais as conseqüências do nazismo?



resposta:
Hitler surgiu com um discurso nacionalista e salvacionista para uma Alemanha mergulhada em grave crise econômica e social. Trouxe consigo a reconstrução da Alemanha e a II Guerra Mundial.




3. (UFBA)
TEXTO I: "O caráter intolerável atingido pelo desemprego entre as duas guerras, na Grã-Bretanha, deve-se à conjugação da sua amplitude com a sua duração. O desemprego devastou regiões inteiras: (...) Por toda a parte, lojas fechadas, casas arruinadas, janelas com tábuas e cartão no lugar de vidros. Únicos ofícios prósperos: o dos corretores de apostas. Nesta existência sem esperança, recorre-se desesperadamente ao jogo, às apostas."
(Bedarida apud MARQUES, p. 33)

TEXTO II: "Alemanha, 1923: dinheiro vira papel de parede (...) em 1923, no auge da crise econômica, iniciou-se o ano com o dólar valendo 18.000 marcos. Em julho, a moeda americana chegou a 160.000 marcos e, em novembro, os alemães precisavam amontoar 2,5 trilhões de marcos para comprar 1 dólar. Naquele mês, em Berlim, um pão, que no começo do ano já valia fantásticos 250 marcos, passou a custar 200 bilhões de marcos. As donas-de-casa passaram a ir às compras carregando baldes de dinheiro. " 
(Veja apud MARQUES, p. 40)

TEXTO III: "Na Rússia a revolução da classe trabalhadora teve êxito. Mas a desilusão, a fome e a miséria, que se seguiram à I Guerra Mundial, atraíram muitos recrutas às fileiras dos revolucionários, em toda parte. (...) Isso ocorreu particularmente na Itália e na Alemanha. Os capitalistas desses países tiveram pela frente uma classe trabalhadora revolucionária que lhes ameaçava o poder."
(Huberman apud MARQUES, p. 36)

Tomando-se por base a análise dos textos e os conhecimentos sobre o período entre guerras, pode-se afirmar:
a) O texto I retrata a situação de sociedades em crise, nas quais as necessidades básicas não são satisfeitas, e a desesperança leva à busca de dinheiro fácil através do jogo.
b) No texto II, as referências à utilização do dinheiro como papel de parede e à quantidade de dinheiro utilizado pelas donas-de-casa nas compras demonstram a desvalorização da moeda e a crise inflacionária vivida pelos alemães, nos anos subseqüentes à Primeira Guerra Mundial.
c) As "fileiras dos revolucionários", referidas no texto III, que ameaçavam o poder dos capitalistas da Itália e da Alemanha possibilitaram a afirmação do poder socialista na Europa Central, nos anos trinta.
d) Os textos I, II e III prenunciam em sociedades diferentes, a evolução da crise econômica que afetou o mundo nos anos vinte deste século, provocando significativas transformações econômico-financeiras e sociopolíticas.

e) Os textos I, II e III retratam as condições sociais que ampliaram a contestação à democracia liberal e favoreceram o desenvolvimento da proposta fascista como alternativa válida.







resposta:[C]




4. (Puccam) Considere os excertos a seguir.
I. "As crises políticas e sociais nos países liberados (da dominação nazista), proporcionavam aos russos uma excelente oportunidade para influir na transformação de seus regimes políticos."
II. "Com este Plano, adotado entre 1948 a 1952, e que consistia na aplicação maciça de capitais norte-americanos na reconstrução européia, pretendia-se conter a ameaça comunista e consolidar a influência dos Estados Unidos na Europa Ocidental."
III. "A Grande Depressão (...) levou a Europa a revisar não apenas seu papel de economia periférica face às nações industriais do Atlântico sul, mas, igualmente, sua crença nos padrões de transformação econômica sem o recurso à prática revolucionária levada a cabo na União Soviética."

Os problemas políticos e estratégicos que resultariam na chamada Guerra Fria tiveram sua origem ainda nas relações entre os Aliados durante a Guerra, mas foi somente no fim dos anos 40 que assumiram sua forma mais característica. Estes problemas estão identificados em:
a) apenas II
b) apenas I e II
c) apenas I e III
d) apenas II e III
e) I, II e III





resposta:[B]




(Ufes) Em agosto de 1961, na "Conferência Econômica e Social de Punta Del Este", o presidente John Kennedy apresentou aos países latino-americanos o projeto da "Aliança para o Progresso", o qual previa, em linhas gerais, o aperfeiçoamento e fortalecimento das instituições democráticas, mediante a autodeterminação dos povos, a aceleração do desenvolvimento econômico e social dos países latino-americanos, a erradicação do analfabetismo e a garantia aos trabalhadores de uma justa remuneração e adequadas condições de trabalho. Situando a "Aliança para o Progresso" no contexto das relações internacionais vigentes no Pós-Guerra, constatamos que sua criação se deveu ao desejo do governo norte-americano de
a) bloquear a acentuada evasão de capitais latino-americanos, resultante da importação maciça de bens de consumo japoneses e das altas taxas de juros pagas aos países integrantes do "Pacto de Varsóvia" por conta dos empréstimos contraídos na década de 50.
b) conter o avanço dos movimentos revolucionários na América Latina, reafirmando assim a liderança exercida pelos EUA sobre o Continente, numa conjuntura de acirramento da Guerra Fria por conta da Revolução Cubana.
c) desviar, para a América Latina, parte dos investimentos previstos no "Plano Global de Descolonização Afro-Asiática", em virtude das revoluções socialistas de Angola e Moçambique, que tornaram a posição norte-americana na África insustentável.
d) impedir que a República Federal Alemã, país de orientação socialista, firmasse acordos com a finalidade de transplantar tecnologia nuclear para o Terceiro Mundo, a exemplo do que havia ocorrido no Brasil sob o governo JK.
e) reabilitar os acordos diplomáticos entre os EUA e os demais países latino-americanos, que haviam sido rompidos quando da invasão de Honduras e do Equador pelas tropas norte-americanas, fortalecendo assim a OEA.









resposta:[B]




(Unesp 2013) Durante o regime militar brasileiro (1964-1985), ocorreram:
(A) fim do intervencionismo estatal na economia, ampliação da autonomia dos estados e controle militar do sistema de informações.
(B) ampliação dos programas sociais voltados à saúde e à educação, crescimento industrial e saneamento completo das contas públicas.
(C) limitação dos investimentos estrangeiros no país, erradicação da inflação e pagamento da dívida externa brasileira.
(D) fortalecimento do poder executivo, relativo esvaziamento do legislativo e do judiciário e aumento da participação estatal na economia.
(E) modernização tecnológica nas comunicações, incremento dos transportes aéreo e ferroviário e maior equilíbrio na distribuição de renda.







resposta:[D]

 A Ditadura Militar brasileira constituiu-se em um regime autoritário que, apesar de todas as concessões feitas à iniciativa privada e ao capital internacional, buscou ampliar a participação do Estado na economia. Esta participação ocorreu por meio da fundação de empresas estatais em setores estratégicos, na construção das chamadas “obras faraônicas” que ampliaram consideravelmente a divida externa brasileira e na revisão de diferentes benefícios trabalhistas, tais como a substituição da estabilidade no emprego pela criação do FGTS. Apesar do crescimento expressivo durante ochamado Milagre Econômico, a péssima distribuição de renda acabou legando para a década seguinte uma sociedade marcada pela forte desigualdade social. Tratando-se de uma ditadura, obviamente os poderes legislativo e judiciário teriam sua atuação limitada  pelo fortalecimento do poder executivo representado pelos marechaispresidentes, apesar da confirmação da divisão dos três poderes garantida na Constituição de 1967. A possibilidade de recorrerem aos atos institucionais para impor os ditames do Poder Executivo praticamente anulava o suposto equilíbrio entre os três poderes.



 7. (PITÁGORAS) Observe a caricatura a seguir.