sábado, 19 de fevereiro de 2011

Confira as avaliações de História do primeiro bimestre

CNDL - COLÉGIO NOTRE DAME DE LOURDES

AVALIAÇÃO DE HISTÓRIA -
PRIMEIRO ANO


Atenção: As questões de números 01 a 02 referem-se aos versos que seguem.

Erro de português
Quando o português chegou
Debaixo duma bruta chuva
Vestiu o índio
Que pena!
Fosse uma manhã de sol
O índio tinha despido
O português
(Oswald de Andrade. Poesias reunidas. 2. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1972)

01. Os versos descrevem um momento histórico ligado à
a) Expansão Marítima Européia.
b) Revolução Industrial Inglesa.
c) Crise do Antigo Regime.
d) Guerra dos Cem Anos.
e) Partilha Afro-Asiática.

RESPOSTA: [A]




2. Sobre o contexto histórico em que se insere o fenômeno que os versos identificam é correto afirmar que
a) a descoberta de metais preciosos favoreceu o estabelecimento das primeiras relações econômicas entre portugueses e indígenas.
b) a agressividade demonstrada pelos nativos despertou o interesse metropolitano pela ocupação efetiva das novas terras.
c) a conquista da América pelos portugueses contribuiu para o crescimento demográfico da população indígena no Brasil.
d) no chamado período pré-colonial, o plantio e a exploração do pau-brasil incentivaram o tráfico africano.
e) apesar de ter tomado posse da terra em nome do rei de Portugal, o interesse da monarquia estava voltado para o Oriente.


RESPOSTA: [E]



3. “Dos 12 donatários, quatro jamais estiveram no Brasil. Dos oito que vieram, três morreram em circunstâncias dramáticas; um outro (Pero de Campos Tourinho) foi acusado de heresia, preso e enviado para tribunais de inquisição em Portugal; três pouco se interessaram por suas propriedades e apenas Duarte Coelho – que foi o primeiro navegador europeu a chegar na Tailândia – realizou uma administração brilhante, em Pernambuco.”

(Bueno, Eduardo, Brasil: Uma História – A incrível saga de um país, São Paulo:Editora Ática, p.42)

Com base no texto, é possível afirmar que o sistema de capitanias hereditárias no Brasil:

a) fracassou em razão da falta de experiência e do desinteresse de todos os donatários.
b) foi um sucesso, pois apesar de não haver adesão de muitos donatários, todas as capitanias prosperaram.
c) representou uma experiência nova para Portugal, e apresentou relativo sucesso.
d) foi mal sucedido devido à falta de investimentos e da participação efetiva dos donatários.


RESPOSTA: [D]



4. (PITÁGORAS) Observe a charge abaixo.



INTERPRETE, dentro do contexto histórico do Brasil colonial, o problema retratado pela charge.

RESPOSTA: O Governo Geral foi criado para centralizar a administração portuguesa na América, combater os estrangeiros (franceses) que faziam contrabando do pau-brasil no litoral brasileiro, e ainda, incentivar a produção açucareira.


Analise a charge e responda à questão desafio.





(NOVAES, Carlos Eduardo. RODRIGUES, César. Capitalismo para Principiantes.São Paulo, Ática, 2001. P. 24.)

a) Identifique o tratado do qual a charge faz referência e o nome dos dois países envolvidos.

RESPOSTA: Corresponde ao Tratado de Tordesilhas, assinado entre as Coroas Ibéricas (Portugal e Espanha), em 1494.


b) Explique o que definia esse acordo.


RESPOSTA: Por esse acordo diplomático, Portugal e Espanha dividiam entre si as terras do Novo Mundo destinadas às suas respectivas colonizações.



AVALIAÇÃO DE HISTÓRIA – SEGUNDO ANO

1. (UERJ) O Sete de Abril de 1831, mais do que o Sete de Setembro de 1822, representou a verdadeira independência nacional, o início do governo do país por si mesmo, a Coroa agora representada apenas pela figura quase simbólica de uma criança de cinco anos. O governo do país por si mesmo, levado a efeito pelas regências, revelou-se difícil e conturbado. Rebeliões e revoltas pipocaram por todo o país, algumas lideradas por grupos de elite, outras pela população tanto urbana como rural, outras ainda por escravos. (...) A partir de 1837, no entanto, o regresso conservador ganhou força, até que o golpe da Maioridade de 1840 colocou D. Pedro II no trono, inaugurando o Segundo Reinado. Estava estruturado o Império do Brasil com base na unidade nacional, na centralização política e na preservação do trabalho escravo.
(CARVALHO, J. Murilo et al. Documentação política, 1808-1840. In: "Brasiliana da Biblioteca Nacional". Rio de Janeiro: Fundação Biblioteca Nacional/Nova Fronteira, 2001.)

Indique um exemplo de revolta popular, ocorrida no período regencial e explique por que a antecipação da maioridade de D. Pedro II foi uma solução para a crise.


RESPOSTA: O aluno poderia mencionar um dos movimentos rebeldes ocorridos no Período Regecial, tais como Sabinada, Balaiada, Cabanagem, Revolta dos Malês, Revolução Farroupilha. A antecipação da maioridade de D. Pedro II, em 1840 visava pacificar o país abalado pelo vulcão da anarquia e estabilizar politicamente o país.




2. (UFV) Das afirmativas abaixo, referentes ao Período Regencial no Brasil, assinale a CORRETA:
a) Ocorreram vários movimentos e revoltas que não se enquadravam em um único propósito, pois cada um resultava de realidades regionais específicas e de grupos sociais distintos.
b) A unidade política e territorial deste período visou à superação da crise econômica que se arrastava desde o período colonial, tendo como conseqüência o abandono da vocação agrícola brasileira.
c) O período regencial foi um dos mais agitados da história política brasileira até então, durante o qual surgiram vários partidos políticos que representavam os setores sociais revoltosos.
d) A ausência de instabilidade política neste período, devia-se ao rigor das políticas regenciais diante do federalismo e da centralização administrativa.
e) O liberalismo, marca do período regencial, incentivou a participação popular e, ao mesmo tempo, fortaleceu o poder das oligarquias sulistas e nortistas.



RESPOSTA: [A]



3.(UNICAMP) O historiador José Murilo de Carvalho, analisando o período monárquico no Brasil, afirma: "A melhor indicação das dificuldades em estabelecer um sistema nacional de dominação com base na solução monárquica encontra-se nas rebeliões regenciais". (José Murilo de Carvalho, TEATRO DE SOMBRAS, Ed. UFRJ/Relume-Dumará, p. 230)
a) Identifique três rebeliões regenciais brasileiras.

RESPOSTA: O aluno deveria mencionar três revoltas, por exemplo, Cabanagem, Revolta dos Malês, Sabinada, Balaiada e a Guerra dos Farrapos.


b) De que maneira tais revoltas dificultavam a ordem monárquica?


RESPOSTA: Pois colocavam em perigo a unidade territorial brasileira, como o caso da Guerra dos Farrapos, e ainda poderiam abalar a ordem social vigente, como no caso da Cabanagem, da Balaiada e da Revolta dos Malês que traziam no corpo de suas reivindicações atendimento aos anseio das camadas menos favorecidas.


4. (PUC) Ao estabelecer critérios para o exercício da cidadania, a Constituição brasileira de 1824 criou limites à participação de diversos grupos sociais na organização política do Estado. Assinale a opção que identifica corretamente revoltas e conflitos, ocorridos no Brasil, envolvendo demandas desses grupos excluídos do exercício da cidadania.
a) Revoltas Liberais de 1842 e a Revolta de Manuel Congo.
b) Sabinada e a Confederação do Equador.
c) Balaiada e a Guerra dos Farrapos.
d) Revolta dos Malês e a Cabanagem.
e) Revolta dos Praieiros e a Revolta do Quebra Quilos.


RESPOSTA: [D]


5. (UMC) - O golpe da maioridade, datado de julho de 1840 e que elevou D. Pedro II a imperador do Brasil, foi justificado como sendo:
a) uma estratégia para manter a unidade nacional, abalada pelas sucessivas rebeliões provinciais
b) o único caminho para que o país alcançasse novo patamar de desenvolvimento econômico e social
c) a melhor saída para impedir que o partido Liberal dominasse a política nacional
d) a forma mais viável para o governo aceitar a proclamação da República e a abolição da escravatura
e) uma estratégia para impedir a instalação de um governo ditatorial e simpatizante do socialismo utópico.


RESPOSTA: [A]


Questão Desafio


(Unesp) “Diante do Trono vazio defrontavam-se as províncias, com a propriedade territorial lhes ditando a contextura política, sequiosas de comandar o governo-geral, espreitadas por um gigante tolhido, mas ameaçador: o elemento monárquico, agarrado, em parte, ao manto roto de D. Pedro I e às fraldas do Imperador menino.”

Identifique o período de nossa história a que se refere o texto acima e ofereça subsídios adequados à compreensão dos motivos para as agitações políticas e sociais.


RESPOSTA: A citação anterior diz respeito ao Período Regencial que se caracterizou como um momento histórico tão turbulento e instável. Entre os fatores desencadeadores das principais revoltas desse período poderíamos mencionar a desigualdade regional, a insatisfação social, a crise econômica, o anseio de oligarquias periférica que desejavam mais poder, o desejo de autonomia provincial, a propaganda federalista, defendida pelos farroupilhas.




AVALIAÇÃO DE HISTÓRIA – TERCEIRO ANO



1. (CNDL) Plantation é um sistema agrícola que ficou bastante conhecido na época do colonialismo europeu. As metrópoles, visando seu próprio lucro, exploravam as colônias por meio do plantation, originando as chamadas colônias de exploração.
Apresente as características gerais da Plantation açucareira implantada pelos portugueses no Brasil durante o século XVI.


RESPOSTA: Monocultura de produtos tropicais, cultivada em grandes extensões de terra (latifúndios), visando o abastecimento do mercado externo e utilizando-se de mão de obra escrava, primeiramente indígena e depois africana.



2. (CNDL) O cultivo da cana-de-açúcar deu-se pela necessidade imperativa de colonizar e explorar um território até então sem muita importância econômica para Portugal.
Apresente três fatores que influenciaram a Coroa Portuguesa a introduzir a lavoura de cana de açúcar no Brasil, dando início a colonização efetiva da América Portuguesa.


RESPOSTA: A experiência portuguesa no cultivo de cana de açúcar nas ilhas da Madeira e dos Açores, a grande lucratividade que o açúcar proporcionava para a Coroa Portuguesa, o grande mercado consumidor na Europa, as condições geográficas favoráveis que o Brasil reunia, e o apoio financeiro exercido pelos comerciantes holandeses que financiavam a produção de açúcar na América portuguesa.




3. A organização político administrativa do Brasil tinha um caráter central, tendo como base o Governo Geral. Entretanto, essa administração centralizadora tinha um poder mais formal do que prático. Efetivamente, o poder estava descentralizado pelas vilas e municípios, ficando em geral nas mãos dos grandes proprietários.

Essa administração de âmbito local ficava a cargo das (dos)

a) Capitanias Hereditárias
b) Centros Administrativos
c) Conselhos Ultramarinos
d) Câmaras Municipais


RESPOSTA: [D]

4. Observe a charge abaixo.









NOVAES, Carlos Eduardo & LOBO, César. História do Brasil para principiantes. São Paulo, Ática, 2003. P. 40.

No contexto imediatamente posterior à sua chegada ao Brasil, os portugueses

a) Investiram na produção açucareira, na tentativa de lucrar com a venda desse produto na Europa.
b) Exploraram o interior da colônia de onde extraiam as drogas do sertão, valorizadas na Europa.
c) Continuaram a privilegiar o comércio oriental que lhes garantia um lucro razoável.
d) Concentraram seus esforços no tráfico negreiro, pois garantiam lucros para a colônia e a metrópole.


RESPOSTA: [C]



5. “Dos 12 donatários, quatro jamais estiveram no Brasil. Dos oito que vieram, três morreram em circunstâncias dramáticas; um outro (Pero de Campos Tourinho) foi acusado de heresia, preso e enviado para tribunais de inquisição em Portugal; três pouco se interessaram por suas propriedades e apenas Duarte Coelho – que foi o primeiro navegador europeu a chegar na Tailândia – realizou uma administração brilhante, em Pernambuco.”

(Bueno, Eduardo, Brasil: Uma História – A incrível saga de um país, São Paulo:Editora Ática, p.42)

Com base no texto, é possível afirmar que o sistema de capitanias hereditárias no Brasil:

a) fracassou em razão da falta de experiência e do desinteresse de todos os donatários.
b) foi um sucesso, pois apesar de não haver adesão de muitos donatários, todas as capitanias prosperaram.
c) representou uma experiência nova para Portugal, e apresentou relativo sucesso.
d) foi mal sucedido devido à falta de investimentos e da participação efetiva dos donatários.


RESPOSTA: [D]

Questão desafio

(...)
Olhe a nossa história
Os nossos ancestrais
O Brasil colonial não era igual a Portugal
A raiz do meu país era multirracial
Tinha Índio, Branco Amarelo, Preto
Nascemos da mistura, então por que preconceito?
Barrigas cresceram
O tempo passou...
Nasceram brasileiros cada um com sua cor
Uns com pele clara outros, mais escura
Mas todos viemos da mesma mistura
Então presta atenção nessa sua babaquice
Pois como eu já disse
Racismo é burrice
Dê a ignorância um ponto final
Faça uma lavagem cerebral.

(Gabriel, o Pensador, Lavagem Cerebral, 1993)

A letra da música de Gabriel, o pensador faz referência a idéia de um Brasil multirracial. Podemos entender esse termo como:

a) um fenômeno fruto do processo de miscigenação que tem origem, ainda no período colonial, a partir da fusão de negros, índios e brancos.
b) um processo de curta duração iniciado no final do século XVIII com as idéias iluministas e o fim do sistema colonial.
c) a mistura de culturas, com predomínio da visão de mundo dos europeus, principalmente, escandinavos.
d) uma mera expressão do racismo, uma vez que o Brasil, historicamente, sempre foi dividido em raças que viviam harmoniosamente.

RESPOSTA: [A]

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário