sexta-feira, 27 de abril de 2012

Saiba mais sobre a Primeira Guerra mundial


A competição imperialista e a primeira guerra mundial



1. (Uff 2012)  No século XIX, um dos eventos mais importantes foi a unificação alemã. A partir dela o mundo europeu e colonial caminhou na direção da hegemonia da Alemanha.

Assinale a alternativa que melhor identifica o período.
a) A Conferência Colonial de Berlim, em 1884/1885, simboliza a força do Império alemão nas conquistas das regiões africanas, como o Egito.  
b) A política alemã no processo de expansão colonial do século XIX reacendeu as rivalidades entre as potências, como a crise franco-italiana ocasionada pela conquista da Tunísia pela França.  
c) O prussiano Bismark foi o responsável único pela unificação alemã e pela vitoriosa expansão colonial na região da Ásia Menor.  
d) A política socialista de Bismark permitiu o fortalecimento econômico da Alemanha, pautado no apoio ás pequenas empresas de origem familiar.  
e) O período é marcado, não somente pelo isolamento da França, mas também pelo enfraquecimento das relações internacionais entre a Alemanha e a Itália.  

Resposta da questão 1:[B]

A afirmação é discutível, pois, se a ideia de hegemonia alemã no mundo europeu pode ser considerada devido ao seu rápido crescimento econômico, a hegemonia colonial ficou longe de se concretizar. Necessitada de ampliar seus mercados coloniais – a grande maioria de territórios coloniais na África e Ásia estavam sob controle inglês e francês. As pretensões expansionistas alemãs determinaram intenso processo de militarização dos países europeus e foi uma das causas para a Grande Guerra.  



2. (Ufu 2011)  Tirinha publicada no Dia dos Veteranos norte-americano
 
No quadrinho, uma aranha diz para o Garfield: “Se você me esmagar, eu ficarei famoso”. A aranha continua: “Eles irão criar um dia anual de celebração em minha honra”. No terceiro quadrinho, uma “aranha professora” pergunta, diante da sala de aula: “Alguém aqui sabe por que nós celebramos o ‘dia nacional da estupidez’”?
A celebração do Dia dos Veteranos ocorre em 11 de novembro e marca o aniversário do armistício que pôs fim à Primeira Guerra Mundial (1914-1918). Trata-se de feriado nacional nos EUA.

Disponível em: . Acesso em 13/11/2010.

Assinale a alternativa incorreta.
a) A tirinha mostra a existência do consenso nacional em torno da defesa das minorias sociais.  
b) O autor deixa a entender que considera estúpida a celebração do Dia dos Veteranos.  
c) A tirinha satiriza a onda do politicamente correto na sociedade norte-americana.  
d) O autor concede à escola o lugar de transmissão dos valores nacionais norte-americanos.  

Resposta da questão 2:[A]

Questão de interpretação: a tirinha trata de uma minoria, a dos veteranos, porém entendida pela maioria da sociedade como setor a ser valorizado, aqueles que combateram pela pátria em uma guerra. 

3. (Uff 2011)  Diante dos resultados da Primeira Guerra Mundial na Europa, entraram em decadência os valores
civilizacionais construídos no século XIX e com eles as matrizes fundadoras do Ocidente, sendo substituídos por novos valores.
Assinale a alternativa que relaciona corretamente eventos do período posterior a 1918 com os eventos anteriores a 1930.
a) Começo da militarização europeia com a criação da OTAN. / Crise econômica de 1929.  
b) Início da hegemonia norte-americana com a Segunda Revolução Industrial. / Construção do Muro de Berlim.  
c) Ascensão do nazismo na Alemanha com a liderança de Hitler. / Crise do socialismo real.  
d) Fim da hegemonia inglesa e de seu modelo industrial. / Início de movimentos sociais críticos do liberalismo, como o fascismo italiano.  
e) Inauguração dos movimentos vanguardistas europeus. / Surgimento das teorias psicanalistas com Freud.  

Resposta da questão 3:[D]

O período pós Primeira Guerra Mundial, ou período entre guerras, foi caracterizado pela crise do liberalismo. A ideia de crescimento e progresso foi derrubada e a destruição e mortalidades da guerra tiveram um efeito devastador nas sociedades europeias. A Europa, destruída pela Guerra, não conseguiu garantir as condições básicas de vida para milhões de pessoas e o modelo liberal e democrático foi condenado por diversos grupos políticos, destacando-se fascistas e nazistas, mas também socialistas, comunistas e anarquistas. Na União Soviética, a guerra contribuiu para a ascensão dos comunistas ao poder. 
 
4. (Ufjf 2011)  Observe o mapa abaixo:
 

O mapa retrata a África partilhada por países europeus em um processo conhecido como imperialismo.
a) Analise as repercussões desse processo de desenvolvimento do capitalismo desde o final do século XIX.
b) Relacione os impactos desse processo sobre as origens da Primeira Grande Guerra Mundial.
 
Resposta da questão 4:
 a) A partilha da África levou ao fortalecimento das potências europeias, mais especialmente Inglaterra e França. O capitalismo entra em sua fase monopolista, aproveitando-se da disponibilidade de matérias-primas, mercados consumidores e mercados de trabalho provenientes das colônias africanas.

b) Para além de uma série de outros conflitos que acabaram por contribuir para a eclosão da Primeira Guerra Mundial destaca-se o clima de disputa em torno da partilha da África, bem como de sua expansão para a Ásia. A Alemanha, pouco beneficiada com a partilha de territórios e incomodada com a expansão inglesa, buscou se fortalecer estendendo sua área de influência à Europa central.

Comentário:

a) Pode-se considerar também que o capitalismo entra em uma fase imperialista, pois necessita de conquistas que não são apenas econômicas, de mercados, mas principalmente militares, com a utilização da força militar e a imposição de novos padrões culturais, religiosos e comportamentais, que envolvem um novo ritmo de consumo.

b) A Grande Guerra é entendida como uma disputa imperialista, que envolveu as grandes potências e arrastou países diretamente dependentes, como a Áustria e Rússia. A desigualdade da “partilha afro-asiática”, que limitou o desenvolvimento do capitalismo alemão e fortaleceu Inglaterra e França, foi determinante para o início do conflito. 



5. (Fuvest 2011)  Este livro não pretende ser um libelo nem uma confissão, e menos ainda uma aventura, pois a morte não é uma aventura para aqueles que se deparam face a face com ela. Apenas procura mostrar o que foi uma geração de homens que, mesmo tendo escapado às granadas, foram destruídos pela guerra.

Erich Maria Remarque, Nada de novo no front. São Paulo: Abril, 1974 [1929], p.9.

Publicado originalmente em 1929, logo transformado em best seller mundial, o livro de Remarque é, em boa parte, autobiográfico, já que seu autor foi combatente do exército alemão na Primeira Guerra Mundial, ocorrida entre 1914 e 1918. Discuta a ideia transmitida por “uma geração de homens que, mesmo tendo escapado às granadas, foram destruídos pela guerra”, considerando:
a) As formas tradicionais de realização de guerras internacionais, vigentes até 1914 e, a partir daí, modificadas.
b) A relação da guerra com a economia mundial, entre as últimas décadas do século XIX e as primeiras do século XX.

Resposta da questão 5:
 a) Antes da Primeira Guerra Mundial as batalhas eram caracterizadas por “guerras de movimento”, com o deslocamento de grande contingente humano, com armas pessoais e enfrentamentos “corpo-a-corpo” nos quais os indivíduos eram decisivos. Com o avanço da tecnologia bélica durante a Primeira Guerra Mundial, houve grande modificação nos conflitos, com a percepção de que as armas de destruição em massa é que determinavam as possibilidades de vitória, com a destruição da infraestrutura inimiga e não necessariamente com a eliminação do exército adversário.

b) A Primeira Guerra Mundial foi um conflito que tem forte relação ao momento vivido pelo capitalismo do final do século XIX e início do XX, pois um dos principais motivos geradores do conflito foi a disputa imperialista entre as nações europeias, envolvidas no neocolonialismo com o objetivo de explorarem matéria-prima, mão de obra barata e garantir mercado consumidor, instalando suas indústrias e ampliando o poderio econômico. Portanto foi a expansão do capitalismo em sua fase imperialista, com intensa disputava por territórios na África e Ásia que deu origem à Grande Guerra. 
 
6. (Mackenzie 2010)  “Morrer pela Pátria, pela Ideia! [...] Não, isso é fugir da verdade.
Mesmo no front, matar é que é importante [...] Morrer não é nada, isso não existe. Ninguém pode imaginar sua própria morte. Matar é o importante.
Essa é a fronteira a ser cruzada. Sim, esse é um ato concreto de vontade. Porque aí você torna sua vontade viva na de outro homem.”
Da carta de um jovem voluntário da República Social Fascista, de 1943

A respeito do contexto em que se inserem as Grandes Guerras Mundiais do século XX, considere I, II e III a seguir.

I. Os conflitos econômicos, sociais e ideológicos entre as principais potências capitalistas, tanto no período anterior a 1914, quanto naquele que antecede à Segunda Guerra, levaram à disputa imperialista e à corrida armamentista.
II. Nas origens dos dois grandes conflitos mundiais, podemos identificar a intensificação da propaganda nacionalista e a formação de um sistema de alianças político-militares entre as nações imperialistas.
III. Nas duas guerras, o conflito armado entre as potências imperialistas, apesar do pesado custo em termos de vítimas, conseguiu solucionar os problemas econômicos, as divergências e os ressentimentos entre as nações beligerantes.

Desse modo,
a) somente I está correta.  
b) somente II está correta.  
c) somente III está correta.  
d) somente II e III estão corretas.  
e) somente I e II estão corretas.  

Resposta da questão 6:[E]

A imprecisão da afirmativa III está no fato de entre as razões da Segunda Guerra Mundial, identificarem-se os problemas econômicos, as divergências e os ressentimentos entre as nações beligerantes, remanescentes da Primeira. Por exemplo, as cláusulas do Tratado de Versalhes impostas Alemanha, associadas aos problemas econômicos desta, foram exploradas pelo governo nazista, principal responsável pela eclosão da Segunda Guerra Mundial. 
 
7. (Ufg 2010)  Leia os documentos a seguir.

            Os camponeses partem para o front com incrível entusiasmo; e as classes superiores da sociedade, quer sejam liberais ou conservadoras, os aclamam, desejando-lhes boa sorte […] Habitualmente, os camponeses sentiam que não tinham nada a fazer a não ser beber; mas agora não é mais assim. É como se a guerra lhes desse uma razão para viver […] No ardor dos soldados russos se percebe o entusiasmo que agita o coração dos antigos mártires se lançando para a morte gloriosa.

LE BON, Gustave. 1916 apud JANOTTI, Maria de Lourdes. A Primeira Guerra Mundial. O confronto de imperialismos. São Paulo: Atual, 1992. p.17.

            Após um ano de massacre, o caráter imperialista da guerra cada vez mais se afirmou; essa é a prova de que suas causas encontram-se na política imperialista e colonial de todos os governos responsáveis pelo desencadeamento desta carnificina. […] Hoje, mais do que nunca, devemos nos opor a essas pretensões anexionistas e lutar pelo fim desta guerra […] que provocou misérias tão intensas entre os trabalhadores de todos os países.

CONFERÊNCIA DE ZIMMERWALD - 5 a 8 de setembro de 1915. Apud JANOTTI, Maria de Lourdes. A Primeira Guerra Mundial. O confronto de imperialismos. São Paulo: Atual, 1992. [Adaptado].

No início da Primeira Guerra Mundial (1914-1918), estabeleceu-se, sobretudo na Europa, uma disputa de ideias em torno do envolvimento nesse conflito. Com base na leitura de cada um dos documentos, explique as posições assumidas sobre a participação na guerra.
 
Resposta da questão 7:
 No caso do primeiro documento, datado de 1916, expressa-se uma posição favorável à participação no conflito, em acordo com o princípio nacionalista. Para os nacionalistas, a guerra associava-se à defesa da Pátria, o que exigia a unidade do povo para defender os interesses internos. Nesse sentido, os nacionalistas atribuíram ao combate um caráter positivo e saneador, inclusive moral. No interior dessa atribuição, o soldado era visto como um herói e o entusiasmo articulava-se a um sentimento de dever para com a pátria que, por sua vez, preenchia de sentido a vida do combatente.
No caso do segundo documento, datado de 1915, a posição é contrária à guerra, sendo a expressão de um princípio socialista. Mesmo considerando as tensões internas ao movimento e a existência de alguns socialistas que apoiavam a participação no conflito, a guerra é interpretada, neste documento, como um sintoma da disputa imperialista e como um entrave aos interesses dos trabalhadores. 


8. (Uerj 2009)  A Primeira Guerra Mundial não resolveu nada. As esperanças que gerou - de um mundo pacífico e democrático de Estados-nação sob a liga das nações; de um retorno à economia mundial de 1913; mesmo (entre os que saudaram a revolução russa) de capitalismo mundial derrubado dentro de anos ou meses por um levante dos oprimidos - logo foram frustradas. O passado estava fora de alcance, o futuro fora adiado, o presente era amargo, a não ser por uns poucos anos passageiros em meados da década de 1920.
            ERIC J. HOBSBAWM. "A era dos extremos: o breve século XX (1914-1991)". São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

O período entre-guerras (1919-1939) começou com uma combinação de esperança e ressentimento.
Diversos acordos foram impostos pelos Estados vencedores aos derrotados. O mais conhecido deles é o Tratado de Versalhes de 1919. Outros tratados complementares também foram assinados e igualmente tiveram grande importância para a geopolítica mundial.
Indique duas transformações na geopolítica mundial decorrentes desses tratados complementares.
Em seguida, cite dois países que foram submetidos a eles.
 
Resposta da questão 8:
 Duas das transformações:
- desaparecimentos de impérios centrais multiétnicos e pluriculturais, como o austro-húngaro e o turco-otomano.
- surgimento de novos Estados no leste europeu: Tchecoeslováquia, Polônia, Iugoslávia, além da Áustria e da Hungria, separadas uma da outra.
- entrega de territórios anteriormente turcos ao Reino Unido (Palestina, Jordânia e Mesopotâmia) e à França (Líbano e Síria) pela Liga das Nações.
- reforço da política de isolamento imposta à Rússia, com a criação de um cordão sanitário, formado também por países surgidos da desagregação do império austro-húngaro.
Dois dos países:
- Áustria
- Hungria
- Bulgária
- Turquia 

9. (Mackenzie 2009)  "Em 1916, em meio à guerra, Marcel Duchamp (1887-1968) produzia a obra Roda de bicicleta. Nem a roda servia para andar, nem o banco servia para sentar. Algo aparentemente irracional, ilógico, diriam muitos (...). Mais do que uma outra forma de produzir arte, Duchamp estava propondo uma outra forma de ver a arte, de olhar para o mundo. (...) Depois de sua Roda de bicicleta, o mundo das artes não seria mais o mesmo. Depois da Primeira Guerra Mundial, o mundo não seria mais o mesmo."
            Flávio de Campos e Renan G. Miranda, "Primeira Guerra Mundial (1914-1918)".

De acordo com o texto acima, a Primeira Guerra Mundial (1914-1918) 
a) fortaleceu a crença dos homens da época na capacidade de construção de uma sociedade melhor, por meio da racionalidade tecnológica.   
b) consolidou a hegemonia cultural europeia perante o mundo ocidental, desprezando as demais manifestações artísticas.   
c) possibilitou o surgimento de novas vanguardas artísticas, preocupadas em defender os modelos acadêmicos clássicos europeus.  
d) assinalou a crise da cultura europeia, baseada no racionalismo e no fascínio iluminista pela tecnologia e pelo progresso.   
e) manifestou a decadência cultural em que se encontrava o mundo ocidental na segunda metade do século XIX.  
 
Resposta da questão 9:[D] 




10. (Uel 2009)  A Grande Guerra de 1914 foi uma consequência da remobilização contemporânea dos anciens regimes da Europa. Embora perdendo terreno para as forças do capitalismo industrial, as forças da antiga ordem ainda estavam suficientemente dispostas e poderosas para resistir e retardar o curso da história, se necessário recorrendo à violência. A Grande Guerra foi antes a expressão da decadência e queda da antiga ordem, lutando para prolongar sua vida, que do explosivo crescimento do capitalismo industrial, resolvido a impor a sua primazia. Por toda a Europa, a partir de 1917, as pressões de uma guerra prolongada afinal abalaram e romperam os alicerces da velha ordem entricheirada, que havia sido sua incubadora. Mesmo assim, à exceção da Rússia, onde se desmoronou o antigo regime mais obstinado e tradicional, após 1918 - 1919 as forças da permanência se recobraram o suficiente para agravar a crise geral da Europa, promover o fascismo e contribuir para retomada da guerra total em 1939.
            (MAYER, A. "A força da tradição: a persistência do Antigo Regime". São Paulo: Companhia das Letras, 1987. p. 13 - 14.)

De acordo com o texto, é correto afirmar que a Primeira Guerra Mundial:
a) Teria sido resultado dos conflitos entre as forças da antiga ordem feudal e as da nova ordem socialista, especialmente depois do triunfo da Revolução Russa.  
b) Resultou do confronto entre as forças da permanência e as forças de mudança, isto é, do escravismo decadente e do capitalismo em ascensão.  
c) Foi consequência do triunfo da indústria sobre a manufatura, o que provocou uma concorrência em nível mundial, levando ao choque das potências capitalistas imperialistas.  
d) Foi produto de um momento histórico específico em que as mudanças se processavam mais lentamente do que fazem crer os historiadores que tratam a guerra como resultado do imperialismo.  
e) Engendrou o nazi-fascismo, pois a burguesia europeia, tendo apoiado os comunistas russos, criaram o terreno propício ao surgimento e à expansão dos regimes totalitários do final do século.  

Resposta da questão 10:[D] 



11. (Unifesp) ... a multiplicação dos confortos materiais; o avanço e a difusão do conhecimento; a decadência da superstição; as facilidades de intercâmbio recíproco; o abrandamento das maneiras; o declínio da guerra e do conflito pessoal; a limitação progressiva da tirania dos fortes contra os fracos; as grandes obras realizadas em todos os cantos do globo graças à cooperação de multidões.
(do filósofo John Stuart Mill, em 1830.)

O texto apresenta uma concepção
a) de progresso, que foi dominante no pensamento europeu, tendo chegado ao auge com a belle époque .
b) da evolução da humanidade, a qual, por seu caráter pessimista, foi desmentida pelo século XX.
c) positivista, que serviu de inspiração a Charles Darwin para formular sua teoria da evolução natural.
d) relativista das culturas, a qual considera que não há superioridade de uma civilização sobre outra.
e) do desenvolvimento da humanidade que, vista em perspectiva histórica, revelou-se profética.


resposta:[A]


12. (UFU) Em 1889, mostraremos aos nossos filhos o que seus pais fizeram, em um século, pelo progresso da instrução, amor ao trabalho e respeito à liberdade; nós os faremos ver, do alto, a encosta abrupta que foi escalada desde as trevas do passado... BERGER, Georges. "A Exposição de Paris", 1889, Apud BARBUY, H. "A Exposição Universal de 1889 em Paris". São Paulo: Loyola-USP, 1999, p. 51.

Ah! A ciência! [...] Sim, foi essa mesma ciência de que te mostras tão ufano, que constitui tua glória, foi essa mesma ciência que te perdeu.
"Jornal Cidade do Rio", 31/12/1900. Apud SCHWARCZ, L.M., COSTA, A.M. "1890-1914: no tempo das certezas". São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

Considere os trechos anteriores e o contexto em que foram escritos e marque a alternativa INCORRETA.
a) No século XIX e início do XX, consolidou-se a convicção na superação de problemas do passado por meio dos progressos das ciências. Os governos da França, Irlanda e Alemanha se engajaram nesse movimento civilizador, difundido igualmente e percebido como positivo e desejável.
b) O otimismo científico marcou um período da história ocidental conhecido como "Belle Époque". Materializado nos avanços técnicos e inventos cotidianos (como locomotivas, telégrafo, navios a vapor, pilhas, luz elétrica etc.), esse otimismo foi sintetizado e muito difundido por meio das exposições universais.
c) No decorrer do século XIX, os conhecimentos científicos se difundiram como elementos fundamentais na busca de compreensão para a maior parte das questões humanas. A medicina e a engenharia, outras áreas, tornaram-se saberes indispensáveis na solução de problemas, até os mais cotidianos.
d) O otimismo científico predominante, mesmo durante a "Belle Époque", não impediu algumas críticas a essa euforia pelo progresso. O engenheiro e escritor brasileiro Euclides da Cunha, por exemplo, questionava a imposição da civilização como um caminho sem volta e lamentava: "estamos condenados ao progresso".


resposta:[A]

13. (UFRRJ) Em julho de 1883, o bailado Excelsior, da Companhia de Ópera Italiana, agitou a cidade do Rio de Janeiro. O relato a seguir, de um espectador, revela um "estado de espírito" próprio da Belle Époque, que tomou conta não somente da Europa no fim do século XIX e início do XX, mas também do Brasil . O motivo do bailado é a luta da treva contra a luz. A treva (o obscurantismo) é representada por um cavaleiro da Idade Média, e a luz pelo gênio do progresso (...) A Segunda parte nos mostra uma povoação camponesa na proximidade de Bremen, à margem do Weser; Papin aparece então, com o primeiro bote a vapor, construído por ele; querem afogar Papin, mas o Gênio do Progresso aparece e o salva (...) A parte seguinte nos mostra o laboratório de Volta, em Como; ele trabalha na construção da sua pilha, e finalmente consegue fazer saltar a centelha elétrica; o Obscurantismo aparece, quer destruir a pilha, mas recebe um choque elétrico que o perturba; o Gênio aparece, o fundo se abre e vê-se um posto telegráfico onde centenas de gênios recebem e expedem telegramas num bailado realmente encantador. O Obscurantismo foge e a luz triunfa uma vez mais(...)
COSTA, A. M. da. "1890-1914: no tempo das certezas". São Paulo: Companhia das Letras, 2000, pp. 7-8.

a) De acordo com o texto, como podemos caracterizar este "estado de espírito" do final do século XIX europeu?
b) Retire do texto dois elementos que denotem esta "euforia modernizante" do final do século XIX.

 resposta:

14. (Fuvest) As lâmpadas estão se apagando na Europa inteira. Não as veremos brilhar outra vez em nossa existência". Sobre esta frase, proferida por Edward Grey, secretário das Relações Exteriores da Grã-Bretanha, em agosto de 1914, pode-se afirmar que exprime:
a) a percepção de que a guerra, que estava começando naquele momento e que iria envolver toda a Europa, marcava o fim de uma cultura, de uma época conhecida como a Belle Époque;
b) a desilusão de quem sabe que a guerra, que começava naquele momento, entre Grã-Bretanha e Alemanha, iria sepultar toda uma política de esforços diplomáticos visando evitar o conflito.
c) a compreensão de quem, por ser muito velho, consegue perceber que também aquela guerra, embora longa e sangrenta, iria terminar um dia, permitindo que a Europa voltasse a brilhar;
d) a ilusão de que, apesar de tudo, a guerra que estava começando, iria, por causa de seu caráter mortal e generalizado, ser o último grande conflito armado a envolver todos os países da Europa;
e) a convicção de que à guerra que acabava de começar, e que iria envolver todo o continente europeu, haveria de suceder uma outra, a Segunda Guerra Mundial, antes da paz definitiva ser alcançada.


resposta:[A]

15. (G1) Explique a Paz Armada, que antecedeu a Primeira Guerra Mundial.


resposta:

16. (G1) Quais foram as alianças políticas e militares na Europa que antecederam a Primeira Guerra Mundial?

17.(Cesgranrio) Considerando-se as relações internacionais presentes na conjuntura pré-1ª Grande Guerra, podemos afirmar que:
I - As rivalidades anglo-germânicas foram agravadas pela construção da Estrada de Ferro Berlim-Bagdá.
II - As pretensões da Rússia de dominar os Estreitos de Bósforo e Dardanelos aumentaram os seus conflitos com o Império Turco.
III - As desavenças entre a Sérvia e o Império Austro-Húngaro estavam diretamente ligadas à disputa pela anexação da Bósnia-Herzegovina pela Inglaterra.
IV - A morte do futuro Imperador Austro-Húngaro, Francisco Ferdinando, em Sarajevo, na Bósnia, precipitou o início da Guerra.
V - A união da Inglaterra, França e Japão para formar a Tríplice Entente foi uma maneira de neutralizar a Tríplice Aliança, que unia Alemanha, Rússia e Itália.

Estão corretas as afirmativas:
a) somente I, II e III.
b) somente I, II e IV.
c) somente I, III e V.
d) somente II, III e IV.
e) somente III, IV e V.


resposta:[B]

18. (UFMG) Observe o mapa.
 
 











(BARRACLOUGH, G. (ed). ATLAS DA HISTÓRIA DO MUNDO. São Paulo: Folha de São Paulo/The Times, 1995. p. 249)

Assinale a alternativa que ilustra a conjuntura representada no mapa.
a) A derrota da Tríplice Entente, articulada com o desembarque na Normandia.
b) A expansão francesa, detida pelo Império Russo após a Batalha de Stalingrado.
c) A expansão alemã e austríaca, que gerou uma política de alianças e a guerra.
d) A união entre Estados Unidos e França, determinante para a vitória dos aliados.

resposta:[C]

19. (Pucrs) Responder à questão com base no texto a seguir, que reproduz um trecho de célebre mensagem do Presidente dos Estados Unidos ao Congresso desse país, em 1823.

"Julgamos propícia esta ocasião para afirmar como um princípio que afeta os direitos e interesses dos Estados Unidos que os continentes americanos, em virtude da condição livre e independente que adquiriram e conservam, não podem mais ser considerados, no futuro, como suscetíveis de colonização por nenhuma potência européia". O princípio a que se refere a mensagem presidencial tornou-se um fundamento da política externa norte-americana conhecido como ________, que seria a base ideológica de um conjunto de ações políticas chamado ________ e que, no contexto original de sua formulação, dirigia-se contra os propósitos do grupo de países europeus articulados na ________.
a) Doutrina Monroe - Isolacionismo - Tríplice Entente
b) Diplomacia do Dólar - Pan-Americanismo - Santa Aliança
c) Diplomacia do Dólar - Isolacionismo - Santa Aliança
d) Diplomacia do Dólar - Pan-Americanismo - Tríplice Entente
e) Doutrina Monroe - Pan-Americanismo - Santa Aliança


resposta:[E]

20. (Fatec) "O clima internacional na Europa era carregado de antagonismos que se expressavam na formação de alianças secretas e de sistemas de alianças, tornando a ameaça de uma guerra inevitável. O desenvolvimento desigual dos países capitalistas, a partir do século XIX, levara países que chegaram tarde à competição internacional, como a Alemanha, a reivindicarem uma redivisão do território econômico mundial. Cada vez mais aumentou a rivalidade pela luta por mercados consumidores de produtos industriais, pela aquisição de matérias-primas fundamentais e por áreas de investimento." AQUINO, Rubim Leão de et al. "História das sociedades: da Moderna à Contemporânea". Rio de Janeiro: Record, 2000. No sistema de alianças, às vésperas da I Guerra Mundial, estavam a Tríplice Aliança e a Tríplice Entente, compostas, respectivamente, pelos seguintes Estados-nações:
a) Alemanha, Áustria-Hungria e Rússia e, na defesa de interesses antagônicos, Inglaterra, Itália e França.
b) Alemanha, Áustria-Hungria e Itália e, na defesa de interesses antagônicos, Inglaterra, França e Rússia.
c) Alemanha, Rússia e Itália e, na defesa de interesses antagônicos, Inglaterra, Áustria-Hungria e França.
d) Alemanha, Áustria-Hungria e Inglaterra e, na defesa de interesses antagônicos, Itália, França e Rússia.
e) Alemanha, França e Rússia e, na defesa de interesses antagônicos, Inglaterra, Itália e Áustria-Hungria.


resposta:[B]

21. (Mackenzie) Segundo o historiador Eric J. Hobsbawn, a discussão sobre a gênese da Primeira Guerra Mundial tem sido ininterrupta desde agosto de 1914. A questão permaneceu viva porque o problema das origens das guerras mundiais infelizmente tem se recusado a desaparecer desde 1914. De fato, em nenhum outro ponto a vinculação entre as preocupações passadas e presentes é mais evidente que na história da Era dos Impérios. Assinale a alternativa que apresenta as causas da I Guerra Mundial.
a) O imperialismo, o rompimento do equilíbrio europeu, o nacionalismo, a política das alianças, as questões balcânicas, o incidente de Sarajevo.
b) A ascensão militar dos EUA, o fascismo, o desemprego, a partilha da África, o neocolonialismo e o desmembramento da Tchecoslováquia.
c) O Anschluss, a Política de apaziguamento, a crise da Etiópia, a formação do Eixo, a Conferência de Versalhes.
d) O fim dos Impérios Otomano e Áustro-Húngaro, a formação da Tríplice Entente, o Plano Schlieffen, o assassinato do Arquiduque Ferdinando.
e) A crise do Marrocos, o Pan-eslavismo russo, a ascensão de Lênin, a partilha da África e da Ásia, e o surgimento da Liga das Nações.


resposta:[A]

22. (Pucrs) No interior do sistema de alianças que caracterizava a diplomacia dos conflitos entre as potências imperialistas no começo do século XX, a Inglaterra abandonou a política do "esplêndido isolamento" da era vitoriana (1837-1901), consolidando, através da Tríplice Entente, de 1907, sua aproximação com
a) a Itália e a França.
b) a Rússia e a Áustria.
c) os Estados Unidos e a Rússia.
d) a França e a Rússia.
e) a Áustria e a Itália.


resposta:[D]

23. (Puccamp) Em relação às causas da Primeira Guerra Mundial é correto afirmar que
a) a incapacidade dos Estados liberais em solucionar a crise econômica do século XIX colocou em xeque toda a estrutura do sistema capitalista. A instabilidade política e social das nações européias impulsionou as disputas colonialistas e o conflito entre as potências.
b) a desigualdade de desenvolvimento das nações capitalistas européias acentuou a rivalidade imperialista. A disputa colonial marcada por um nacionalismo agressivo e pela corrida armamentista expandiu os pontos de atrito entre as potências.
c) o sucesso da política de apaziguamento e do sistema de aliança equilibrou os sistema de forças entre as nações européias, acirrando as lutas de conquistas das colônias da África e da Ásia.
d) o expansionismo na Áustria, a invasão da Polônia pelas tropas alemãs assustaram a Inglaterra e a França que reagiram contra a agressão declarando guerra ao inimigo.
e) o desequilíbrio entre produção e consumo incentivou a conquista de novos mercados produtores de matérias-primas e consumidores de bens-de-produção reativando as rivalidades entre os países europeus e os da América do Norte.


resposta:[B]

24. (Puccamp)
I."... a disputa de mercados pela indústria inglesa, mais antiga, e a emergente indústria alemã;"
II. "... conflitos do capital internacional e problemas das minorias nacionais oprimidas pelos grandes impérios;"
III. "... interesse anglo-francês em manter a sua hegemonia imperialista sobre as áreas periféricas do planeta, situação privilegiada, ameaçada pela concorrência da Alemanha Imperial, recém-chegada à corrida neocolonialista."

Aos itens I, II e III pode-se associar
a) as conseqüências da escalada militarista e expansionista durante o Nazi-fascismo.
b) os aspectos das relações políticas internacionais no período Entre-Guerras.
c) as razões da descolonização afro-asiática após a Segunda Guerra Mundial.
d) as causas principais dos conflitos étnicos no Leste Europeu.
e) os fatores responsáveis pela Primeira Guerra Mundial.


resposta:[E]


25. (Pucpr) Uma das causas da Primeira Guerra Mundial (1914-1918) foi o rompimento do equilíbrio europeu, representado
a) pela França, potência em crescente expansão após dominar enormes áreas da África do Norte.
b) pela Rússia, cujo crescimento industrial a equiparava à Inglaterra e à Alemanha.
c) pela Alemanha, unificada em 1870/71, em rápido crescimento industrial e capaz de desafiar o poderio inglês.
d) pela Inglaterra, que monopolizava a produção industrial européia.
e) pelos Estados Balcânicos, unificados pela "Grande Sérvia", que ameaçavam apoderar-se do Egito e Mesopotâmia.


resposta:[C]



26.(UFRS) Entre a Unificação Alemã (1871) e a Primeira Guerra Mundial (1914 - 1918), o mundo extra-europeu foi dividido entre as grandes potências. Com isto foram constituídos impérios coloniais e desenvolveu-se uma intensa rivalidade. Considere as afirmações a seguir, em relação a essa conjuntura.
I - A Alemanha era o estado europeu com a economia de maior crescimento, o qual, por ter chegado atrasado à partilha colonial, ameaçava o poderio inglês através da corrida naval.
II - A rivalidade entre os impérios levou à divisão da Europa em dois blocos, que se enfrentaram na Primeira Guerra Mundial, desencadeada pelo atentado de Sarajevo.
III - A Alemanha aliou-se à Inglaterra para neutralizar a França e os EUA, pois estes países eram seus adversários na constituição de impérios coloniais.

Quais estão corretas?
a) Apenas I.
b) Apenas II.
c) Apenas III.
d) Apenas I e II.
e) Apenas II e III.


resposta:[D]

27. (UFF) Muitos historiadores consideram a Primeira Guerra Mundial como fator de peso na crise das sociedades liberais contemporâneas. Assinale a opção que contém argumentos todos corretos a favor de tal opinião.
a) A economia de guerra levou a um intervencionismo de Estado sem precedentes; a "união sagrada" foi invocada em favor de sérias restrições às liberdades civis e políticas e, em função da guerra recém-terminada, eclodiram em 1920 graves dificuldades econômicas que abalaram os países liberais sobretudo através da inflação.
b) Em todos os países, a economia de guerra forçou a abolir os sindicatos operários, a confiscar as fortunas privadas e a fechar os Parlamentos, pondo assim em cheque os pilares básicos da sociedade liberal.
c) Durante a guerra foi preciso instaurar regimes autoritários e ditatoriais em países antes liberais como a França e a Inglaterra, num prenúncio do fascismo ainda por vir.
d) A guerra transformou Estados antes liberais em gestores de uma economia militarizada que utilizou de novo o trabalho servil para a confecção de armas e munições, em flagrante desrespeito às liberdades individuais.
e) Derrotadas na Primeira Guerra Mundial, as grandes potências liberais foram, por tal razão, impotentes para conter, a seguir, o desafio comunista e o fascismo.


resposta:[A]

28.(Fuvest) Qual a relação entre a Primeira Guerra Mundial e os acontecimentos políticos que ocorreram na Rússia entre fevereiro e outubro de 1917?


resposta:

29. (Puccamp) Em relação às causas da Primeira Guerra Mundial é correto afirmar que
a) a incapacidade dos Estados liberais em solucionar a crise econômica do século XIX colocou em xeque toda a estrutura do sistema capitalista. A instabilidade política e social das nações européias impulsionou as disputas colonialistas e o conflito entre as potências.
b) a desigualdade de desenvolvimento das nações capitalistas européias acentuou a rivalidade imperialista. A disputa colonial marcada por um nacionalismo agressivo e pela corrida armamentista expandiu os pontos de atrito entre as potências.
c) o sucesso da política de apaziguamento e do sistema de aliança equilibrou os sistema de forças entre as nações européias, acirrando as lutas de conquistas das colônias da África e da Ásia.
d) o expansionismo na Áustria, a invasão da Polônia pelas tropas alemãs assustaram a Inglaterra e a França que reagiram contra a agressão declarando guerra ao inimigo.
e) o desequilíbrio entre produção e consumo incentivou a conquista de novos mercados produtores de matérias-primas e consumidores de bens-de-produção reativando as rivalidades entre os países europeus e os da América do Norte.


resposta:[B]

30. (Unesp) "A guerra atual é, por parte de ambos os grupos de potências beligerantes, uma guerra (...) conduzida pelos capitalistas pela partilha das vantagens que provêm do domínio sobre o mundo, pelos mercadores do capital financeiro (bancário), pela submissão dos povos fracos etc."
("Resolução sobre a Guerra", publicada no jornal PRAVDA em abril de 1917.)

O texto oferece uma interpretação característica dos bolcheviques sobre a
a) Guerra Russo-Japonesa.
b) Guerra da Coréia.
c) Guerra da Criméia.
d) Primeira Guerra Mundial.
e) Primeira Guerra Balcânica.


resposta:[D]

31. (Fuvest) Os Tratados de Paz assinados ao fim da Primeira Guerra Mundial "aglutinaram vários povos num só Estado, outorgaram a alguns o status de povos estatais e lhes confiaram o governo, supuseram silenciosamente que os outros povos nacionalmente compactos (como os eslovacos na Tchecoslováquia ou os croatas e eslovenos na Iugoslávia) chegassem a ser parceiros no governo, o que naturalmente não aconteceu e, com igual arbitrariedade, criaram com os povos que sobraram um terceiro grupo de nacionalidades chamadas minorias, acrescentando assim aos muitos encargos dos novos Estados o problema de observar regulamentos especiais, impostos de fora, para uma parte de sua população. (... ) Os Estados recém-criados, por sua vez, que haviam recebido a independência com a promessa de plena soberania nacional, acatada em igualdade de condições com as nações ocidentais, olhavam os Tratados das Minorias como óbvia quebra de promessa e como prova de discriminação."
(Hannah Arendt, AS ORIGENS DO TOTALITARISMO)

A alternativa mais condizente com o texto é:
a) após a Primeira Guerra, os Tratados de Paz estabelecidos solaparam a soberania e estabeleceram condicionamentos aos novos Estados do Leste europeu através dos Tratados das Minorias, o que criou condições de conflitos entre diferentes povos reunidos em um mesmo Estado.
b) o surgimento de novos Estados-nações se fez respeitando as tradições e instituições dos povos antes reunidos nos impérios que desapareceram com a Primeira Guerra Mundial.
c) os Tratados de Paz e os Tratados das Minorias restabeleceram, no mundo contemporâneo, o sistema de dominação característico da Idade Média.
d) apesar dos Tratados de Paz estabelecidos depois da Primeira Guerra terem tido algumas características arbitrárias em relação aos novos Estados-nações do Leste europeu, o desenvolvimento histórico destas regiões demonstra que foi possível uma convivência harmoniosa e gradativamente ocorreu a integração entre as minorias e as maiorias nacionais.
e) os Tratados de Paz depois da Primeira Guerra conseguiram satisfazer os vários povos do Leste europeu. O que perturbou a convivência harmoniosa foi o movimento de refugiados das revoluções comunistas.


resposta:[A]

32. (Unesp) Ao eclodir a Primeira Guerra Mundial, em 1914, a Alemanha dispunha de um plano militar - o Plano Schlieffen - que tinha como principal objetivo:
a) o ataque naval à Inglaterra.
b) neutralizar os Estados Unidos.
c) a aliança com a Itália e o Japão.
d) agir ofensivamente contra a França e a Rússia.
e) a anexação da Áustria.


resposta:[D]

33. (G1) São rivalidades que antecederam a Primeira Guerra Mundial, EXCETO:
a) a anglo-alemã pela hegemonia industrial.
b) a franco-alemã, devido às decisões do Tratado de Frankfurt.
c) o nacionalismo sérvio contra o domínio austro-húngaro.
d) a sino-britânica, devido às decisões do Tratado de Nanquim.
e) a russo-alemã, devido ao projeto de construção da ferrovia Berlim-Bagdá.


resposta:[D]

34. (Puccamp)
I. "... longe (...) das melodiosas valsas vienenses (...) eram audíveis os lamentos das nacionalidades abortadas pela prepotência dos grandes impérios..."
II. "... o capitalismo se transformou num sistema de opressão colonial e de asfixia financeira da intensa maioria da população do globo por um punhado de países avançados..."

Aos excertos pode-se associar:
a) a Comuna de Paris.
b) a Primeira Guerra Mundial.
c) o conflito Sino-Soviético.
d) o Congresso de Viena.
e) a política da Santa Aliança.


resposta:[B]

35. (G1)
I - Ente as propostas dos 14 Pontos de Wilson, incluía-se a criação de uma Liga das Nações para a preservação da paz mundial;
II - O Tratado de Versalhes impôs propostas humilhantes à Alemanha, refletindo o revanchismo francês;
III - A Rússia saiu da Primeira Guerra após a Revolução socialista de 1917;
IV - As propostas de paz impostas à Tríplice Aliança, ao final da Primeira Guerra Mundial, são conhecidas como a Paz dos Vencedores.
V - Após a Primeira Guerra, emergiram Estados totalitários na Alemanha e na Itália.

Assinale a alternativa correta, quanto às afirmativas acima:
a) todas estão incorretas.
b) todas estão corretas.
c) somente a I e a II estão corretas.
d) somente a II e a III estão corretas.
e) somente a III, a IV e a V estão corretas.


resposta:[B]

36. (Pucpr) A Primeira Guerra Mundial foi seguida da assinatura ou de imposição de tratados aos Estados derrotados. O mais famoso, denominado Tratado de Versalhes, destinado à Alemanha, seria chamado de "Ditado de Versalhes" pelos nazistas, que souberam explorá-lo em sua propaganda. Identifique as opções que contém cláusulas daquele famoso documento:
I - A Alemanha perderia em favor das Principais Potências aliadas (Estados Unidos, Inglaterra, França, etc.) todos os seus direitos e títulos sobre possessões de além-mar, onde se destacavam terras na África.
II - Declarada única culpada pela guerra, a Alemanha pagaria como indenização a soma de 33 bilhões de dólares, em prestações, quantia estipulada em 1921.
III - A República, proclamada na Alemanha em 1918, era tida por ilegítima e a dinastia Hohenzollern, se o desejasse, teria apoio dos vencedores para retornar ao trono.
IV - Os territórios, cedidos pela França em 1871, com o tratado de Frankfurt deveriam retornar ao domínio daquele Estado.

Está correta ou estão corretas:

a) Apenas I, III e IV.
b) Apenas I, II e IV.
c) Apenas II e IV.
d) Apenas II e III.
e) Apenas III e IV.


resposta:[B]


37. (UFBA)
"Nos anos iniciais do século XX, reinava um clima de tensão e grande rivalidade na Europa. As ambições imperialistas associadas ao nacionalismo exaltado fomentavam todo um clima internacional de tensões e agressividade. Sabia-se que a guerra entre as grandes potências poderia explodir a qualquer momento".
(COTRIM, p. 337-8)

As informações do texto, associadas aos conhecimentos sobre a expansão do capitalismo e a Primeira Guerra Mundial, permitem afirmar:
(01) As ambições imperialistas citadas no texto caracterizavam a política externa de nações que tinham alcançado plena industrialização e cuja produção extrapolava a capacidade de consumo de suas próprias populações.
(02) O pan-eslavismo, o pangermanismo e o revanchismo francês constituíam-se movimentos nacionalistas responsáveis, entre outros fatores, pela instalação das tensões e agressividades referidas no texto.
(04) A adoção de uma política de alianças, no período anterior à Primeira Guerra Mundial, decorreu da necessidade de conter o avanço de interesses capitalistas norte-americanos no mercado europeu.
(08) O período histórico a que o texto se refere é também denominado de "paz armada", por ter registrado o avanço da produção de armamentos pesados e o crescimento dos efetivos militares.
(16) O continente africano também foi envolvido pelas ambições imperialistas, registrando-se o choque de interesses franceses, ingleses e alemães, na disputa pela posse de terras desse continente.
(32) As exportações de produtos manufaturados brasileiros foram prejudicadas durante a Primeira Guerra Mundial, visto terem sido privadas do mercado consumidor, representado pelos países beligerantes.

Soma ( )


resposta:01 + 02 + 08 + 16 + 32 = 59

38. (Ueg) "Se alguém perguntar por que morremos, diga-lhe, porque nossos pais mentiram" (Epitáfio de um combatente da Primeira Guerra Mundial)
SEVCENKO, N. "Orfeu extático na Metrópole". São Paulo: Cia das letras, 1998. p. 333

No contexto da Primeira Guerra Mundial, é INCORRETO afirmar que o epitáfio
a) é uma crítica ao nacionalismo chauvinista e xenófobo das potências européias, responsável por mobilizar milhões de jovens para os combates.
b) representa o fim do otimismo da Belle Époque (1890-1914), período em que os países europeus gozavam de tranqüilidade social e dos benefícios materiais propiciados pela tecnologia.
c) expressa a frustração dos europeus com o não-cumprimento da promessa norte-americana de intervir diretamente no conflito militar.
d) demonstra a desilusão dos contemporâneos com a Primeira Guerra Mundial, pois contrariamente à crença de que seria uma guerra rápida, foi uma guerra de trincheiras, longa e sangrenta.


resposta:[C]

39. (UFU) "Como se explica que um período de tanto progresso pudesse levar o Velho Continente, berço da civilização ocidental, a experimentar novamente a barbárie, como se viu durante a Primeira Guerra Mundial? (...) Em 11 de novembro (1918), terminava a Grande Guerra. Morreram 8 milhões de pessoas, 20 milhões ficaram inválidas, sem falar nos prejuízos econômicos e financeiros que atingiram os países europeus envolvidos diretamente com a guerra".
(REZENDE, Antônio Paulo; DIDIER, Maria Thereza. "Rumos da História: nossos tempos" - O Brasil e o mundo contemporâneo. São Paulo: Atual, 1996. v.3.)

Tomando como referência a citação acima e os seus conhecimentos sobre os antecedentes e a eclosão da 1ª Guerra Mundial, podemos afirmar que

I - no campo das artes, a velocidade, a máquina, o movimento, a energia foram os grandes temas do futurismo no início do século, evocados como símbolos da beleza e da tecnologia da sociedade industrial moderna, provocando, entretanto, mais tarde, grande desilusão por causa da carnificina da guerra.
II - o discurso internacionalista do movimento operário, que procurava negar as disputas entre os Estados-nações, fez com que os trabalhadores se recusassem a pegar em armas no início da guerra, tal como se verificou na negativa de participação da Rússia e nos motins liderados pelo Partido Comunista Francês em 1914.
III - entre os fatores que levaram as nações européias à guerra estavam as disputas imperialistas por novos territórios, os ideais expansionistas incentivados por teorias raciais e a formação gradual de alianças entre as grandes potências, conhecida como Paz Armada.
IV - como resultado da derrota alemã, o Tratado de Versalhes, assinado depois da guerra, pôs fim ao ódio racial e ao clima de revanchismo na Europa, e a Inglaterra garantiu a sua supremacia no capitalismo internacional.

Assinale a alternativa correta.

a) II e IV são corretas.
b) I e IV são corretas.
c) II e III são corretas.
d) I e III são corretas.


resposta:[D]


40. (UFSM) A 1ª Guerra Mundial decorreu da disputa pela hegemonia mundial entre os principais países imperialistas, agrupados em duas alianças: Tríplice Aliança e Tríplice Entente.
O fim do conflito não eliminou as divergências mas, sim, agravou-as, provocando o(a)
a) guerra russo-japonesa pela conquista da Mandchúria.
b) emergência do nazismo na Alemanha e do fascismo na Itália.
c) criação da ONU e da OTAN e guerra na Coréia.
d) agravamento da questão social e organização da Associação Internacional dos Trabalhadores.
e) guerra hispano-americana pela independência de Cuba e anexação de Porto Rico e Filipinas pelos EUA.


resposta:[B]

41. (Uel) Após a Primeira Guerra Mundial (1914 -18), os Estados Unidos em sua política "isolacionista", desenvolveram a produção industrial e também a agrícola, em ritmo acelerado, o que provocou uma grande crise econômica mundial. Em função dessa crise, surgiram alguns elementos, que contribuíram para a eclosão da Segunda Guerra Mundial. Foram eles:
a) a vitória do Socialismo na Rússia e o crescimento econômico e expansionista do Japão.
b) o aparecimento de regimes totalitários de direita em países prejudicados pelo Acordo de 1919, que os levaram ao expansionismo territorial, enquanto os países democratas-liberais adotavam a política do apaziguameto.
c) o fortalecimento do movimento operário apoiado na ideologia socialista e o massacre dos fascistas, durante a Guerra Civil Espanhola.
d) a formação do Eixo, em 1935, entre a Alemanha e a União Soviética e o crescimento econômico e expansionista do Japão.
e) a Guerra Civil Espanhola (1936-39), onde italianos e alemães apoiando a falange, enfrentaram as tropas de Stalin, que apoiava os republicanos e a formação da Tríplice Entente (Inglaterra, França e Rússia).


resposta:[B]


42. (Uerj) " (...) a guerra de 1914-18 foi, de ambos os lados, uma guerra imperialista (isto é, uma guerra de conquista, de pilhagem, de pirataria), uma guerra pela partilha do mundo, pela distribuição e redistribuição das colônias, das zonas de influência do capital financeiro , etc. ...O capitalismo se transformou num sistema universal de opressão colonial e de asfixia financeira da imensa maioria da população do globo por um punhado de países avançados. E a partilha deste saque faz-se entre duas ou três aves de rapina, com importância mundial, armadas até os dentes (América, Inglaterra, Japão), que arrastam consigo toda a Terra na sua guerra pela partilha de seu saque". (LENIN, Vladimir I. "O imperialismo: fase superior do capitalismo". São Paulo, Global, 1985. p.9-11.)
a) Explique uma das principais características da fase monopolista do capitalismo.
b) Relacione capitalismo monopolista à Primeira Guerra Mundial.

resposta:
a) Iniciada no século XX, esta fase vai ter no sistema bancário, nas grandes corporações financeiras e no mercado globalizado as molas mestras de desenvolvimento. Podemos dizer que este período está em pleno funcionamento até os dias de hoje. Grande parte dos lucros e do capital em circulação no mundo passa pelo sistema financeiro.
b) As potências imperialistas do século XIX começaram uma briga por domínios que garantiriam as empresas sediadas em suas nações mercados e fontes de matérias primas.Quando não havia mais como os monopólios industriais de cada país se expandirem, estas empresas começaram a pressionar seus governos a entrarem em disputas com outras nações, tais atritos transformaram a Europa em um barril de pólvora e quando Francisco Ferdinando foi assassinado, isso serviu de desculpa para se iniciar esta guerra sangrenta.

43. (Uerj) 
 

Nas primeiras duas décadas do século vinte, as sociedades latino-americanas distinguiam-se pela pobreza generalizada da grande maioria de sua população, que contrastava com a opulência dos grandes proprietários primário-exportadores. Na ordem econômica internacional, continuávamos ocupando o papel de "primo pobre" do sistema capitalista: exportadores de gêneros primários e importadores de manufaturados. A Primeira Guerra Mundial, contudo, estabeleceu uma conjuntura externa que permitiu o estabelecimento de uma política de substituição de importações.
a) Relacione o período da Primeira Guerra Mundial com o estabelecimento de uma política de substituição de importação em diversos países da América Latina.
b) Indique uma consequência econômica dessa política para as sociedades latino-americanas.

resposta:

 
a) A Primeira Guerra Mundial diminuiu e, em alguns casos até interrompeu, o abastecimento de industrializados importados da Europa e dos EUA (que priorizavam o abastecimento interno e da Europa em Guerra) . Esse fato, somada à queda do câmbio, reduziu bastante a concorrência estrangeira, permitindo o crescimento da indústria nacional, especialmente a de bens de consumo não-duráveis.
b) Do ponto de vista econômico a política de substituição das importações fez com que a indústria nacional ganhasse importância, dispensando a importação  de determinados artigos estrangeiros. O estímulo financeiro para o desenvolvimento da industrialização nacional veio do setor agrário, que diante da impossibilidade de expansão, por conta da Guerra, passou investir nas indústrias de bens de consumo; dessa forma a classe dos empresários e industriais passou a ter profundas ligações com a aristocracia rural. Uma das conseqüências mais importantes dessa industrialização foi o desenvolvimento urbano e, com ele, o do operariado latino-americano e da classe média e sua conseqüente inserção no mercado consumidor local. Tal desenvolvimento, solidificou um intenso questionamento das tradicionais estruturas oligárquicas em favor de novas concepções políticas que pudessem atender às expectativas desses novos agrupamentos sociais.

 
44. (Uel) As Unificações Italiana e Alemã alteraram profundamente o quadro político da Europa na Século XIX, rearticulando um equilíbrio de forças que resultaria na
a) Primeira Guerra Mundial.
b) Revolução dos Cravos.
c) Guerra Civil Espanhola.
d) Revolta dos Cipaios.
e) Segunda Guerra Mundial.


resposta:[A]

45. (Ufes) Explique como a questão da Bósnia-Herzegovina influiu na deflagração da Primeira Grande Guerra Mundial.


resposta: resposta-longa "Em 1908 a Áustria anexou a Bósnia contrariando o imperialismo sérvio nos Balcãs e acirrando o nacionalismo sérvio que culminou com o assassinato do arquiduque Francisco Ferdinando, o príncipe austríaco, em 28 de junho de 1914, por um nacionalista do grupo ""mão-negra"", fato que deu início à Primeira Guerra Mundial."


46. (Uerj) Observe as gravuras referentes ao período da Primeira Guerra Mundial.

 
Considerando as transformações desse período, descreva:
a) uma transformação social que, decorrente da guerra, está diretamente relacionada às gravuras;
b) um reflexo da Primeira Guerra sobre a economia do Brasil.

resposta:
a) Durante o período da Primeira Guerra Mundial foi necessário a mobilização de milhares de homens fazendo com que a utilização da mão-de-obra feminina fosse necessário.
b) O Brasil, cuja economia era voltada para o mercado externo foi prejudicada porque com a eclosão da guerra desorganizou o mercado internacional trazendo grandes dificuldades para a exportação do café, tendo seu preço em grande declínio.








47. (Puccamp) Observe a gravura.
 
A imagem simboliza o fim da Primeira Guerra Mundial. Ao associar a imagem aos acontecimentos daquele momento histórico, pode-se afirmar que
a) os conflitos prosseguiram depois da assinatura dos Tratados de Versalhes, já que a França não concordou em ceder à Alemanha as regiões da Alsácia e Lorena.
b) não foram resolvidos os problemas que deram origem à Primeira Guerra, já que os tratados de paz previam apenas uma trégua, com a suspensão dos conflitos bélicos.
c) na verdade não houve paz, uma vez que a Alemanha recusou-se a assinar o Tratado de Versalhes, elaborado pela França e Inglaterra, que estabelecia o término dos conflitos.
d) os países europeus não tinham condições bélicas de prosseguir os conflitos, motivo pelo qual pode-se explicar a rendição de todos os países envolvidos na guerra.
e) apesar da paz estabelecida, a guerra afetou profundamente a economia dos países europeus, que tiveram que arcar com prejuízos imensos, mesmo os países vitoriosos.

resposta:[E]


48. (Unesp) A Primeira Guerra Mundial (1914-1918) resultou de uma alteração da ordem institucional vigente em longo período do século XIX. Entre os motivos desta alteração, destacam-se
a) a divisão do mundo em dois blocos ideologicamente antagônicos e a constituição de países industrializados na América.
b) a desestabilização da sociedade européia com a emergência do socialismo e a constituição de governos fascistas nos países europeus.
c) o domínio econômico dos mercados do continente europeu pela Inglaterra e o cerco da Rússia pelo capitalismo.
d) a oposição da França à divisão de seu território após as guerras napoleônicas e a aproximação entre a Inglaterra e a Alemanha.
e) a unificação da Alemanha e os conflitos entre as potências suscitados pela anexação de áreas coloniais na Ásia e na África.


resposta:[E]

49. (UFF) O período que antecedeu a Primeira Guerra Mundial (1914-1918) mostrou um panorama de crise, evidenciado pela força dos movimentos sociais liberais, socialistas e anarquistas, em decorrência dos primeiros sinais de fracasso da expansão imperialista. Tais sinais foram expressivos na Rússia dos czares, onde provocaram o avanço das desigualdades e a eclosão de movimentos grevistas, como o de 1905, que prenunciavam a revolução. Esse clima na Rússia decorreu, de vários fatores, dentre os quais se destacam:
a) os investimentos financeiros realizados por ingleses e franceses, que aumentaram as diferenças sociais e as desigualdades entre cidade e campo, estimulando os movimentos sociais e a corrida expansionista dos czares;
b) os processos de financiamento da economia agrária, que melhoraram as condições de vida do campesinato, dificultando o desenvolvimento industrial, promovendo o desemprego nas grandes cidades e aumentando a tensão social;
c) os problemas de relacionamento entre as grandes áreas geladas improdutivas, que dificultaram o deslocamento da população e limitaram a remessa de alimentos para as grandes cidades, dando origem aos movimentos sociais urbanos liderados, desde o final do século XIX, pelos bolcheviques;
d) os conflitos entre os países imperialistas em função das limitações do mercado russo, que motivaram o apoio da França aos movimentos sociais rurais e o apoio da Inglaterra, aos urbanos;
e) os projetos de desenvolvimento criados pelos czares, que levaram ao aumento desregrado dos impostos e ao beneficiamento das regiões européias em detrimento das áreas rurais dominadas pelo Japão, originando os movimentos contrários à monarquia.


resposta:[A]

50. (Uerj)

 
ARRUDA, José Jobson de A. Atlas histórico básico. São Paulo: Ática, 1995.) No mapa anterior assinalam-se transformações territoriais verificadas no continente europeu após a Primeira Guerra Mundial. Uma causa dessas transformações e um efeito da Primeira Guerra Mundial sobre as relações internacionais no período entre-guerras, respectivamente, são:
a) formação de novos estados-nação - início da União Européia
b) enfraquecimento da Inglaterra - consolidação de regimes fascistas
c) recrudescimento de disputas imperialistas - explosão da revolução bolchevique
d) aplicação do princípio das nacionalidades - enfraquecimento político da Europa

resposta:[D]

51. (Fuvest) A Primeira Guerra Mundial, (1914-1918), foi o primeiro conjunto de acontecimentos que abalou seriamente o domínio colonial e a existência de impérios europeus no século XX. Tendo por base o texto, explique:
a) A associação entre o colonialismo europeu e a Primeira Guerra.
b) A relação entre a Primeira Guerra e a destruição do Império Russo.


resposta:
a) Durante o século XIX os países industrializados europeus, foram em busca de colônias para suprir sua necessidades de matérias primas, mão-de-obra, mercado consumidor e áreas para investimentos, e por conta disso, surgiu disputas por essas áreas dando origem á Primeira Guerra Mundial.
b) A Rússia enfrentava uma grande crise por conta da guerra e da insatisfação da população perante o governo. As derrotas para a Alemanha aceleraram a radicalização da política e o início das lutas internas.


52. (Puc rj) Entre o fim da Primeira Guerra Mundial (1918) e o início da Segunda (1939), as sociedades européias passaram por inúmeras transformações. Entre essas transformações, estão as citadas abaixo, À EXCEÇÃO DE:
a) A instabilidade econômica no decorrer dos anos 1930, em decorrência da internacionalização dos efeitos da quebra da bolsa de Nova York.
b) A inoperância da Liga das Nações, frente às pretensões expansionistas do Estado nazista.
c) O reconhecimento, por parte dos governos metropolitanos europeus, das reivindicações autonomistas de áreas coloniais na Ásia e na África.
d) A proliferação de críticas ao liberalismo político, materializadas na difusão de projetos autoritários.
e) O acirramento das disputas nacionalistas e de manifestações anti-semitas, estimulando, entre outros aspectos, a migração de grupos judeus.


resposta:[C]


53. (UFU) Depois das duras experiências da Primeira Guerra Mundial, observa-se a criação e a expansão de partidos nacionalistas de extrema direita em vários países europeus. Podemos considerar como razões para o crescimento destes partidos, EXCETO:
a) o temor da expansão do comunismo, especialmente após o sucesso da Revolução Russa de 1917, que repercutiu intensamente na Europa, influenciando os movimentos operários.
b) o empobrecimento das classes médias, especialmente naqueles países que sofreram intensos processos inflacionários, durante os anos 20, como a Alemanha e a Itália.
c) a ingerência norte-americana na economia européia, em decorrência da política do New Deal, ocasionando uma forte crise no final da década de 1920.
d) a imposição de pesadas reparações de guerra e perdas territoriais aos derrotados na Primeira Guerra Mundial, insuflando os movimentos nacionalistas.
e) o impasse político enfrentado pelos regimes parlamentares democráticos recém-instalados, como a República de Weimar, diante da radicalização dos conflitos entre a direita e a esquerda.


resposta:[C]

54. (Unicamp) Leia os trechos a seguir e responda à questão: Após a Primeira Guerra Mundial, a República de Weimar teve controle muito limitado sobre as forças militares e policiais necessárias à manutenção da paz interna. No final, a República caiu em conseqüência dessa limitação, fragilidade explorada por organizações da classe média, as quais achavam que o regime parlamentar-republicano as discriminava e, assim, procuraram destruí-Io. (Adaptado de Norbert Elias, "Os alemães". Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1997, p. 199 e 204). A exigência da anulação da paz imposta pelo Tratado de Versalhes foi, ao lado do anti-semitismo, o ponto mais importante na propaganda nazista durante a República de Weimar. (Adaptado de Peter Gay, "A cultura de Weimar". Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1978, p. 31 e 168).
a) O que foi a República de Weimar? Relacione-a à ascensão do nazismo.
b) O que foi o Tratado de Versalhes e qual o significado da expressão paz imposta ?


resposta:
a) A República de Weimar foi instaurada na Alemanha logo após a Primeira Guerra Mundial, tendo como sistema de governo o modelo parlamentarista democrático. O Presidente da República nomeava um chanceler que seria responsável pelo poder Executivo. Quanto ao poder Legislativo, era constituído por um parlamento (Reichstag). Sucedeu ao Império Alemão. Este período tem este nome pois foi a República proclamada na cidade de Weimar.
b) O Tratado de Versalhes (1919) foi um tratado de paz assinado pelas potências europeias que encerrou oficialmente a Primeira Guerra Mundial. A expressão "paz imposta"quer dizer que com este tratado a Alemanha teve que pagar algumas penalidades, e com elas sendo pagas a paz estaria de volta(fim da guerra), mas de um jeito que nem todos concordavam, ou seja, imposto.

55. (Puccamp) O texto identifica dois momentos da história contemporânea associados, respectivamente, à
a) Revolução Francesa, que pôs em prática os ideais de liberdade e fraternidade e à Revolução Socialista, que se inspirou no princípio de igualdade social.
b) Primeira Guerra Mundial, que acabou por ressaltar as contradições do capitalismo e à Segunda Grande Guerra, que dividiu o mundo em dois blocos antagônicos.
c) Guerra do Oriente Médio, que provocou a crise econômica do mundo capitalista e à Primeira Grande Guerra, que enfraqueceu os países com regimes democráticos.
d) Primeira Guerra Mundial, que criou condições para o desenvolvimento do capitalismo moderno e à Revolução Russa, que desmantelou a ordem capitalista e burguesa.
e) Segunda Guerra Mundial, que combateu os regimes políticos totalitários na Europa e à Revolução Russa, que promoveu o desenvolvimento econômico dos países pobres.


resposta:[B]


56. (Uerj) 

 
 
(KENNEDY, Paul. Ascensão e queda das grandes potências. Rio de Janeiro: Campus, 1989.)

Os planos de guerra apresentados no mapa acima demonstram como o sistema de alianças, constituído pelos países europeus no período denominado "Paz Armada" (1871-1914), acabou por levar o mundo à Primeira Guerra Mundial. Outro elemento importante para a compreensão das relações políticodiplomáticas neste período é a instrumentalização do nacionalismo por parte dos Estados.
a) Estabeleça a relação existente entre o pan-eslavismo e o plano de ataque austro-húngaro à Sérvia.
b) Tendo em vista as tensas relações entre franceses e alemães desde a década de 1870, aponte duas razões para a existência tanto do Plano XVII (invasão francesa da Lorena), quanto do Plano Schlieffen (ataque alemão à França).


resposta:
a) A Sérvia, reino eslavo de origem eslava, pretendia constituir um grande estado eslavo na região dos Bálcãs. Com o propósito de construir a Grande Sérvia, apoiados no pan-eslavismo russo, os sérvios iniciaram as lutas nacionais pela independência dos demais povos esclavos que estavam sob o domínio do império austro-húngaro. Temendo a desestabilização de seu controle nos Bálcãs, a Áustria-Hungria passou a considerar a Sérvia como sua inimiga potencial, preparando-se para um eventual conflito bélico.
b) As determinações do Tratado de Frankfurt ao término da Guerra Franco-Prussiana impondo a perda dos territórios da Alsácia e Lorena pela França que deu origem ao revanchismo francês e o aumento das tensões entre as potências acirradas pelas disputas imperialistas dos dois países, principalmente no norte da África, são as razões para a existência de planos de ocupação de ambos os lados. 

57. (UFRJ) "A mesma velha trincheira, a mesma paisagem, Os mesmos ratos, crescendo como mato, Os mesmos abrigos, nada de novo, Os mesmos e velhos cheiros, tudo na mesma, Os mesmos cadáveres no front, A mesma metralha, das duas às quatro, Como sempre cavando, como sempre caçando, A mesma velha guerra dos diabos."
(soldado inglês)

"Estamos tão exaustos que dormimos, mesmo sob intenso barulho. A melhor coisa que poderia acontecer seria os ingleses avançarem e nos fazerem prisioneiros. Ninguém se importa conosco. Não seremos substituídos. Os aviões lançam projéteis sobre nós. Ninguém mais consegue pensar. As rações estão esgotadas - pão, conservas, biscoitos, tudo terminou! Não há uma única gota de água. É o próprio inferno."
(soldado alemão)
(Fonte: Marques, Adhemar Martins et at (orgs.). História Contemporânea através de textos. São Paulo, Contexto, 2000, pp. 118 e 120.) Os fragmentos apresentam o depoimento de dois soldados, um inglês e o outro alemão, durante a Primeira Guerra Mundial (1914-1918).
a) Identifique duas características que estejam presentes em ambos os textos e expressem os sentimentos dos combatentes nessa fase da Primeira Guerra.
b) Cite duas consequências geopolíticas da Primeira Guerra para a Europa entre 1918 e 1939.

resposta:
a) Ambos os textos demonstram a dificuldade de se manter na miséria, com fome, sem perspectiva de reversão.
b) Surgimento da Tchecoslováquia, Polônia, Iugoslávia e Hungria e a outra, a perda de parcelas do território alemão para a França.

58. (UFRRJ) Leia o texto a seguir, sobre o início do processo revolucionário na Alemanha, em fins de 1918, e responda à questão a seguir. Entre o primeiro dia de agitação das equipagens e o dia da queda do regime imperial e da proclamação da República, passou pouco tempo. O Movimento teve início nas cidades costeiras como Wilhelmshavem, Kiel e Hamburgo, estendendo-se depois para o interior. Partiu dos marinheiros o brado de rebeldia contra a ordem para retornar a guerra. (...) Rapidamente o movimento se generalizou, com a criação de conselhos de operários e soldados, com uma força espontânea e irresistível.
ALMEIDA, Â. M. "A República de Weimar e a Ascensão do Nazismo". São Paulo: Brasiliense, 1982. p.26.

A assim chamada "Revolução Alemã" de 1918/1919 pode ser relacionada a um movimento
a) de amplo espectro político e de cunho liberal-nacionalista, que objetivava resistir à intervenção estrangeira e às humilhantes condições impostas pelo tratado de Versailles.
b) que buscava realizar, num momento em que a monarquia se encontrava particularmente fragilizada pela derrota na Guerra, os ideais liberais e democráticos de 1848.
c) político diretamente inspirado no modelo de revolução social e política seguido pelo partido bolchevique russo, na revolução de outubro de 1917.
d) dirigido por setores da extrema direita nacionalista que, com um programa que combatia o liberalismo e tinha traços claros de anti-semitismo, prenunciava o nazismo.
e) que buscava através de uma revolução política conservadora restabelecer uma ordem social derrubada após a derrota na Primeira Guerra Mundial: a monarquia parlamentar.


resposta:[C]

59. (UFRS) A Primeira Guerra Mundial singularizou-se por uma certa conjugação de fatores até então inéditos nos conflitos entre povos. Assinale com V (verdadeiro) ou F (falso) as afirmações abaixo, relativas a esse tema.
( ) A esperança de suprimir as causas dos litígios levou à fundação da Sociedade das Nações, onde as relações internacionais seriam regulamentadas visando à paz.
( ) A conferência de paz iniciada em Paris, em janeiro de 1919, realizou-se com a presença dos derrotados e elaborou um documento final, chamado Tratado de Versalhes, que previa a destinação de recursos para a reconstrução dos países vencidos. ( ) A Alemanha, país fortemente envolvido no conflito, considerava-se prejudicada na partilha colonial da Ásia e da África.
( ) Com a derrota alemã em 1918, surge na Alemanha a República de Weimar.
( ) Em 1917, quando a Rússia estava por se retirar da guerra, os EUA entraram com novas forças.

A seqüência correta de preenchimento dos parênteses, de cima para baixo, é
a) F - V - F - F - V.
b) V - F - V - F - F.
c) F - V - V - V - F.
d) V - F - V - V - V.
e) F - V - F - V - F.


resposta:[D]

60. (Puccamp) A Sociedade das Nações mencionada no texto, também conhecida como Liga das Nações, foi criada em 1919 com o objetivo de
a) promover a paz armada, após o Tratado de Versalhes, através da liderança do governo dos Estados Unidos, que presidiu essa organização.
b) unir as nações democráticas e economicamente mais poderosas, para impedir a volta do nazi-fascismo, cuja expansão causara a Primeira Guerra Mundial.
c) executar as determinações previstas pelo documento conhecido como "14 pontos de Wilson" e que favoreciam os países da Tríplice Aliança.
d) promover o neocolonialismo na África, Ásia e Oceania, condição fundamental para a expansão mundial do capitalismo monopolista.
e) intermediar conflitos internacionais a fim de preservar a paz mundial, fiscalizando o cumprimento dos tratados pós-guerra.


resposta:[E]


61. (Unifesp) Estamos no promontório dos séculos! De que serve olhar para trás... Queremos glorificar a guerra - a única cura para o mundo - o militarismo, o patriotismo, o gesto destruidor dos anarquistas... e o desprezo pelas mulheres. Queremos demolir os museus, as bibliotecas, combater a moralidade, o feminismo e toda a covardia oportunista e utilitária". Essa citação, extraída do Manifesto Futurista de 1909, expressa uma estética que contribuiu ideologicamente para a
a) negação da idéia de progresso e, posteriormente, para a reação conservadora.
b) Guerra Civil Espanhola e, posteriormente, para o movimento vanguardista.
c) Revolução Russa de 1917 e, posteriormente, para a Segunda Guerra Mundial.
d) Primeira Guerra Mundial e, posteriormente, para o fascismo.
e) afirmação do surrealismo e, posteriormente, para a polarização dos anos vinte.


resposta:[D]

62. (Pucrs) Dentre as características e tendências da ordem internacional conformada após o fim da Primeira Guerra (1914-1918), NÃO é correto apontar
a) o fortalecimento progressivo da Liga das Nações, a organização supranacional criada pelo Tratado de Versalhes.
b) a intensificação dos antagonismos entre as potências capitalistas, devido às duras condições impostas aos vencidos.
c) a reformulação política radical da região balcânica mediante a aplicação do princípio de reconhecimento das nacionalidades.
d) o declínio da hegemonia européia sobre o mundo, com o crescimento do poderio dos Estados Unidos e do Japão.
e) a internacionalização crescente da questão operária devido à repercussão mundial da revolução socialista na Rússia.


resposta:[A]

63. (Unifesp) Para o historiador Arno J. Mayer, as duas guerras mundiais, a de 1914-1918 e a de 1939-1945, devem ser vistas como constituindo um único conflito, uma segunda Guerra dos Trinta Anos. Essa interpretação é possível pelo fato
a) de as duas guerras mundiais terem envolvido todos os países da Europa, além de suas colônias de ultramar.
b) de prevalecer antes da Segunda Guerra Mundial o equilíbrio europeu, tal como ocorrera antes de ter início a primeira Guerra dos Trinta Anos, em 1618.
c) de, apesar da paz do período entre guerras, a Segunda Guerra ter sido causada pelos dispositivos decorrentes da Paz de Versalhes de 1919.
d) de terem ocorrido, entre as duas guerras mundiais, rebeliões e revoluções como na década de 1640.
e) de, em ambas as guerras mundiais, o conflito ter sido travado por motivos ideológicos, mais do que imperialistas.


resposta:[C]


64. (Cefetmg) Em relação à Primeira Guerra Mundial, o desenvolvimento técnico e industrial das potências européias entre 1871-1914 acarretou a:
a) criação de armas poderosas e destrutivas.
b) utilização do carvão como fonte de energia alternativa.
c) melhoria nas condições de vida e de trabalho do proletariado.
d) luta dos países europeus pela conquista de novos mercados na América.


resposta:[A]

65. (Ueg) A Primeira Guerra Mundial foi denominada por seus contemporâneos como "Grande Guerra". Essa denominação aponta para uma diferença substantiva desse conflito. Comparada às guerras do século XIX, na Primeira Guerra,
a) a duração do conflito foi maior, pois a guerra de trincheiras impedia os avanços militares.
b) a infantaria destacou-se como opção estratégica no combate ao inimigo.
c) os acordos diplomáticos foram responsáveis pelo fortalecimento do equilíbrio europeu.
d) as ações bélicas tiveram alcance mundial porque se desenvolveram em todos os continentes.
e) as inovações tecnológicas, utilizadas em larga escala, ampliaram o potencial beligerante.


resposta:[E]

66. (FGV) O contexto europeu do final do século XIX e início do XX relaciona-se à eclosão da Primeira Guerra Mundial porque
a) a Primeira Revolução Industrial desencadeou uma disputa, entre os países europeus, por fontes de carvão e ferro e por consumidores dos excedentes europeus.
b) a unificação da Itália rompeu o equilíbrio europeu, pois fez emergir uma nova potência industrial, rival da Grã-Bretanha e do Império Austríaco.
c) o revanchismo alemão, devido à derrota na Guerra Franco-Prussiana, fez a Alemanha desenvolver uma política militarista e expansionista
d) a difusão do socialismo, principalmente nos Bálcãs, acirrou os movimentos emancipacionistas na área, então sob domínio do Império Turco.
e) a corrida imperialista, com o estabelecimento de colônias e áreas de influência na África e na Ásia, aumentou as rivalidades entre os países europeus.


resposta:[E]

67. (UFPI) Sobre os tratados firmados logo após o fim da Primeira Guerra Mundial, é correto afirmar que:
a) determinaram o surgimento de vários novos países, que deixavam de se submeter à influência alemã, austríaca e russa.
b) mantiveram intocado o Império Turco, que assegurou o domínio sobre a Mesopotâmia, a Palestina, a Síria e o Líbano.
c) preocuparam-se em assegurar, baseando-se no princípio da autodeterminação, a existência e a expansão do regime bolchevique na Rússia.
d) impuseram penas leves à Alemanha derrotada, garantindo-lhe o controle sobre seu território e suas colônias, como tentativa de evitar uma nova guerra.
e) foram integralmente impostos pelos Estados Unidos, através de seu presidente Woodrow Wilson, o que assegurou a severidade das penas impostas aos vencidos.


resposta:[A]

68. (UFPR) "A Grande Guerra Mundial de 1939 a 1945 estava umbilicalmente ligada à Grande Guerra de 1914-1918. [...] Estes dois conflitos constituíram nada menos que a Guerra dos Trinta Anos da crise geral do século XX. [...] A Grande Guerra de 1914, ou a fase primeira e protogênica dessa crise geral, foi uma conseqüência da remobilização contemporânea dos anciens regimes da Europa. Embora perdendo terreno para as forças do capitalismo industrial, as forças da antiga ordem ainda estavam suficientemente dispostas e poderosas para resistir e retardar o curso da história, se necessário recorrendo à violência. [...] Após 1918 - 1919 as forças da permanência se recobraram o suficiente para agravar a crise geral da Europa, promover o fascismo e contribuir para a retomada da guerra total em 1939."
(MAYER, Arno. "A força da tradição: a persistência do Antigo Regime". São Paulo: Companhia das Letras, 1987, p. 13 -14.)

Com base no texto e nos conhecimentos sobre o período, é correto afirmar:
a) A imobilização dos exércitos na chamada "guerra de trincheiras", característica da I Guerra Mundial, foi atribuída ao desequilíbrio econômico dos principais países envolvidos na disputa, já que a unificação tardia da Alemanha impossibilitou um desenvolvimento capaz de fazer frente ao poderio da Inglaterra e da França.
b) No episódio da I Grande Guerra Mundial, a identificação de elementos sociais oriundos do Antigo Regime destaca a importância da tensão constante entre o potencial para as transformações e a força das permanências na análise dos acontecimentos históricos.
c) As organizações de militantes fascistas e nazistas, surgidas no contexto dos anos entre-guerras, tinham por base uma concepção aristocrática de mundo herdada do "ancien régime", caracterizando-se assim mais como forças da antiga ordem do que como resultado da modernidade capitalista.
d) A retomada da guerra total, em 1939, foi marcada por uma mudança radical no cenário econômico internacional, pois, ao contrário das disputas imperialistas que antecederam o conflito na I Guerra Mundial, a Europa beneficiou-se amplamente da Grande Depressão que atingiu os Estados Unidos da América.
e) É fundamental reconhecer o fracasso do socialismo e da social-democracia a partir da emergência do nazi-fascismo, o que explica a inequívoca opção do movimento trabalhista internacional pelas forças partidárias da denominada antiga ordem, sobretudo nos anos que sucederam as duas Grandes Guerras Mundiais.


resposta:[B]

(PITÁGORAS) 

 
O mapa acima refere-se
a)  ao envolvimento da Alemanha nas disputas imperialistas entre a Sérvia e a Áustria-Hungria, que tinham com o foco a disputa pelas regiões da Bósnia e Herzegovina.
b)  à política econômica do Zolverein, proposta pela Alemanha, que possibilitou o estabelecimento de relações comerciais diretas com o Império Otomano.
c)  aos interesses econômicos da Alemanha na Península Balcânica, o que agravou as tensões na Europa e desencadeou a Primeira Guerra Mundial.
d) à existência de uma política de expansão econômica do Império Otomano através do estabelecimento de uma ligação comercial entre Bagdá e Berlim.

resposta: [C]



Um comentário:

  1. qual periodo historico se associa a uma imagem do mapa e que tem 8 letras? o periodo historico..

    ResponderExcluir