domingo, 29 de abril de 2012

Conheça os principais aspectos da Primeira República no Brasil.


Saiba mais sobre a Primeira República no Brasil (1889-1930)




Teste seus conhecimentos sobre a Primeira República no Brasil

1. (Unesp) Com a proclamação da República no Brasil, as antigas províncias receberam a denominação de estados. A mudança de província no Império para estado na primeira República não foi somente questão de nomenclatura, considerando que
a) os presidentes das províncias indicavam o primeiro ministro no parlamentarismo brasileiro e os estados eram administrados por interventores nomeados pelo presidente.
b) os governantes das províncias eram membros das famílias tradicionais da sociedade local e os presidentes dos estados atendiam aos interesses gerais da nação.
c) os presidentes das províncias exerciam um mandato de quatro anos, enquanto na presidência dos estados havia grande rotatividade política provocada por lutas partidárias.
d) as províncias substituíam o poder central na manutenção da integridade territorial do país, enquanto os estados delegavam essa função ao presidente da república.
e) os presidentes das províncias eram indicados pelo poder central, enquanto os presidentes dos estados eram eleitos pelas situações políticas e sociais regionais.


resposta:[E]

2. (ENEM 2011) É difícil encontrar um texto sobre a Proclamação da República no Brasil que não cite a afirmação de Aristides Lobo, no Diário Popular de São Paulo, de que “o povo assistiu àquilo bestializado”. Essa versão foi relida pelos enaltecedores da Revolução de 1930, que não descuidaram da forma republicana, mas realçaram a exclusão social, o militarismo e o estrangeirismo da fórmula implantada em 1889. Isto porque o Brasil brasileiro teria nascido em 1930.

MELLO, M. T. C. A república consentida: cultura democrática e científica no final do Império. Rio de Janeiro: FGV, 2007 (adaptado).

O texto defende que a consolidação de uma determinada memória sobre a Proclamação da República no Brasil teve, na Revolução de 1930, um de seus momentos mais importantes. Os defensores da Revolução de 1930 procuraram construir uma visão negativa para os eventos de 1889, porque esta era uma maneira de

a) valorizar as propostas políticas democráticas e liberais vitoriosas.
b) resgatar simbolicamente as figuras políticas ligadas à Monarquia.
c) criticar a política educacional adotada durante a República Velha.
d) legitimar a ordem política inaugurada com a chegada desse grupo ao poder.
e) destacar a ampla participação popular obtida no processo da Proclamação.


resposta:[D]

 
3. (UFRS) Observe o cartum a seguir, que faz referência à proclamação da República no Brasil.

 
Considere as seguintes afirmações, referentes a elementos do cartum.
I - A figura feminina empunhando a bandeira representa a nova república brasileira, instaurada através do golpe militar de 15 de novembro.
II - A bandeira representada na imagem constituiria a versão preliminar da atual, que seria acrescida da divisa positivista.
III - Em segundo plano, montado a cavalo, aparece a figura do suposto "proclamador" da República, o marechal Floriano Peixoto.

Quais estão corretas?
a) Apenas II.
b) Apenas I e II.
c) Apenas I e III.
d) Apenas II e III.
e) I, II e III.


resposta:[B]

4. (Uerj) Um dos documentos mais curiosos para a história da grande data de 15 de novembro consiste, a nosso ver, no aspecto inalterável da rua do Ouvidor, nos dias 15, 16 e 17, onde, a não ser a passagem das forças e a maior animação das pessoas, dir-se-ia nada ter acontecido. Tão preparado estava o nosso país para a República, tão geral foi o consenso do povo a essa reforma, tão unânimes as adesões que ela obteve, que a rua do Ouvidor, onde toda a nossa vida, todas as nossas perturbações se refletem com intensidade, não perdeu absolutamente o seu caráter de ponto de reunião da moda. (Adaptado de THOME,J. "Crônica do chic". 1889. Apud PRIORE,M.D.et alli. Documentos de História do Brasil de Cabral aos anos 90. São Paulo: Scipione, 1997.)

"Em frase que se tornou famosa, Aristides Lobo, o propagandista da República, manifestou seu desapontamento com a maneira pela qual foi proclamado o novo regime. Segundo ele, o povo, que pelo ideário republicano deveria ter sido protagonista dos acontecimentos, assistira a tudo bestializado, sem compreender o que se passava, julgando ver uma parada militar."
(CARVALHO, J.M. "Os bestializados: o Rio de Janeiro e a República que não foi. São Paulo: Companhia das Letras, 1987.)

Nos textos apresentados, encontram-se as opiniões de dois observadores do fim do século XIX - José Thome e Aristides Lobo - a respeito da Proclamação da República. A divergência entre as posições dos autores sobre o evento refere-se ao seguinte aspecto:
a) ideário republicano
b) reação da população
c) caráter elitista do movimento
d) caracterização política do regime


resposta:[B]

5. (Uerj) 


 

(Apud FAUSTO, Boris. HISTÓRIA DO BRASIL. São Paulo: Edusp, 1995.)

"Glória à pátria!", dizia a "Revista Illustrada", um dia após a proclamação da República no Brasil, numa comemoração que representava o desejo de mudanças que trouxessem ampliação dos direitos políticos e da cidadania. No que se refere ao exercício dos direitos políticos, a primeira Constituição republicana - de 1891 - tem como uma de suas características:
a) o direito de cidadania às mulheres, pela introdução do voto feminino
b) a exclusão das camadas populares, com a instituição de sistema eleitoral direto
c) o aumento do colégio eleitoral, pela atribuição do direito de voto aos analfabetos
d) a possibilidade do controle dos eleitores pelos proprietários rurais, através do voto aberto

resposta:[D]

6. (Unicamp) Após a proclamação da República, uma nova bandeira nacional foi criada para substituir a antiga bandeira do Império. O lema da nova bandeira era Ordem e Progresso.
a) Por que o governo republicano determinou que se substituísse a antiga bandeira?

b) Explique por que, naquele momento, era importante para o governo republicano demonstrar sua preocupação com a ordem pública e seu compromisso com o progresso.


resposta:
a) Para simbolizar um novo regime.

b) Para mostrar sua preocupação com a ordem e o progresso do país, demonstrando as vantagens do nosso regime e garantir á todos de que houve mudança.

7. (Unicamp) Quando, na madrugada de 15 de novembro de 1889, uma revolta militar depôs Pedro II, ninguém veio em socorro do velho e doente imperador. A espada do Marechal Deodoro da Fonseca abria as portas da República para que por ela passassem os republicanos carregando um novo rei: o café de São Paulo."
(Adaptado de I. R. Mattos, HISTÓRIA DO BRASIL IMPÉRIO)

a) De que maneira se explica o isolamento político de Pedro II?

b) Por que o texto afirma que, na República recém-proclamada, o café se tornava um "novo rei"?


resposta:
a) O isolamento político de Pedro II deu-se porque o exército, o clero e a aristocracia deixaram de apoiá-lo, assim ele se isolou porque estava politicamente enfraquecido.

b) A expressão um "novo rei"refere-se a uma nova elite que surgira na proclamação da república, a oligarquia cafeeira.

8. (Mackenzie) "Policarpo era um patriota; monarquista conservador, foi ardoroso defensor do governo (forte) de Floriano a favor do qual engajou-se na luta contra a Armada rebelada. Acabou preso, condenado e executado. Teve um triste fim."
(Afonso H. Lima Barreto, TRISTE FIM DE POLICARPO QUARESMA).

O período da República referido no texto é:
a) a República da Espada.
b) o Estado Novo.
c) a República dos Coronéis.
d) a República Nova.
e) a Fase Populista.


resposta:[A]

9. (Unifesp) "Mete dinheiro na bolsa - ou no bolso, diremos hoje - e anda, vai para diante, firme, confiança na alma, ainda que tenhas feito algum negócio escuro. Não há escuridão quando há fósforos. Mete dinheiro no bolso. Vende-te bem, não compres mal os outros, corrompe e sê corrompido, mas não te esqueças do dinheiro... E depressa, depressa, antes que o dinheiro acabe".
(Machado de Assis, 1896.)

Essa passagem evoca o clima que se criou no país com
a) a valorização do café.
b) a Abolição.
c) a Guerra do Paraguai.
d) o Encilhamento.
e) o ciclo da borracha.


resposta:[D]

10. (IFCE) São aspectos do Governo de Floriano Peixoto:
a) promulgação da Constituição de 1891, Revolta da Chibata e Crise do Encilhamento.
b) a grande naturalização de estrangeiros, Revolta da Vacina e Política dos Governadores.
c) a questão da legalidade, a Revolta da Armada e a Revolta Federalista no Rio Grande do Sul.
d) reorganização da Comissão Verificadora de Poderes, aplicação de uma nova política econômica marcada pelo "funding loan" e fortalecimento da Política do Café com Leite.
e) a Guerra do Contestado, o combate ao coronelismo e o tenentismo.


resposta:[C]

11. (G1) Foram as revoltas ocorridas durante o governo de Floriano Peixoto:
a) Revolução Federalista e Revolta da Armada;
b) Revolta de Canudos e Revolução Praieira;
c) Revolta da Chibata e Revolta do Contestado;
d) Revolução Federalista e Coluna Prestes;
e) Revolta da Armada e Revolta do Forte de Copacabana.


resposta:[A]

12. (FGV) A cidade do Rio de Janeiro foi bombardeada em setembro de 1893. O acontecimento refere-se à:
a) Revolta da Vacina
b) Reação Republicana
c) Revolta da Armada
d) Derrubada de Floriano Peixoto
e) Revolta da Chibata


resposta:[C]

13. (Uff) "O instrumento clássico de legitimação de regimes políticos no mundo moderno é, naturalmente, a ideologia, a justificação racional da organização do poder. Havia no Brasil pelo menos três correntes que disputavam a definição da natureza do novo regime: o liberalismo à americana [Alberto Salles], o jacobinismo à francesa [Floriano Peixoto] e o positivismo [Miguel Lemos]. As três correntes combateram-se intensamente nos anos iniciais da República, até a vitória da primeira delas, por volta da virada do século"
CARVALHO, J. M. de. A Formação das Almas - o imaginário da República no Brasil. S. Paulo, Companhia das Letras, 1990, p. 9. (Adaptado)

Com base no texto, analise o projeto de República proposto por cada uma das correntes mencionadas.


resposta:
 
Liberalismo à americana
- defesa de uma sociedade regulada pelo mercado, sem a interferência estatal;
- adotado pelas oligarquias paulistas e mineiras;
Jacobinismo à francesa
- pregava a participação direta dos cidadãos no governo;
- defendido por profissionais liberais;
Positivismo
- defendia um Executivo forte e um Estado intervencionista;
- grande parte dos militares identificava-se com esse projeto;


14. (Uerj) Poucos anos após sua proclamação, a república no Brasil já sofria contestações. A Revolta da Armada, que eclodiu no governo de Floriano Peixoto, refletiu as insatisfações decorrentes da implantação do sistema republicano no país, somando-se a outras rebeliões como a Federalista, ocorrida na mesma época, no Rio Grande do Sul. Esta última, apesar de ser uma rebelião regional, também foi influenciada pelas tensões políticas que caracterizaram esse governo.

a) Explique um fator que tenha levado os membros da Marinha a se rebelarem contra o governo de Floriano Peixoto.

b) Descreva a situação política do Rio Grande do Sul durante esse governo, de forma a explicar a aproximação entre federalistas gaúchos e integrantes da Revolta da Armada.


resposta:
 
a) Uma dentre as explicações:
- Descontentamento de oficiais da Marinha, com a perda dos postos de destaque no cenário político nacional, em detrimento dos oficiais do Exército.
- Eram contrários à posse de Floriano Peixoto na presidência, considerando-a inconstitucional por não haverem transcorridos dois anos do mandato de Deodoro da Fonseca.

b) Os dois grupos oligárquicos gaúchos - os maragatos e os chimangos ou pica-paus  divergiam quanto ao caráter da política nos níveis regional e nacional. Os maragatos eram federalistas e acusados de simpatizantes da monarquia, levando o governo federal a apoiar os chimangos, defensores da centralização política que caracterizava o governo de Floriano Peixoto.

15. (UFRS 2007) Observe a charge a seguir, publicada na "Revista Ilustrada".
 


Esta charge refere-se aos efeitos da alta da inflação brasileira observados durante o governo de
a) Deodoro da Fonseca.
b) Floriano Peixoto.
c) Prudente de Morais.
d) Rodrigues Alves.
e) Campos Sales.

resposta:[C]

16. (Unitau) "...o maior líder sertanejo do Brasil e comandante do maior e mais importante movimento camponês de luta pela posse da terra e de resistência à opressão dos latifundiários da história brasileira."

A frase acima refere-se a:
a) Manoel Vinagre, líder da Cabanagem.
b) Francisco Sabino Alvares da Rocha Vieira, líder da Sabinada.
c) Raimundo Gomes, líder da Balaiada.
d) Antonio Conselheiro, líder de Canudos.
e) Luis Carlos Prestes, líder Tenentista.


resposta:[D]

17. (Ufg) A Guerra de Canudos (1896-1897) é emblemática no debate sobre a formação da nação no período republicano. A República recém-proclamada enfrentou um Brasil desconhecido: o sertão e os sertanejos. A guerra, tragicamente, significou um aprendizado para os brasileiros demonstrando que a
a) fragmentação e as grandes distâncias das regiões litorâneas impediram a organização e o crescimento das comunidades sertanejas.
b) unidade cultural do país é fruto de um longo processo de gestação iniciado com a ocupação do litoral e o fabrico do açúcar.
c) presença da Igreja Católica no sertão representava um elo entre a comunidade e as autoridades republicanas.
d) frágil base política em que se assentava o governo republicano foi incapaz de reconhecer a questão social e cultural suscitada por Canudos.
e) resistência política dos monarquistas organizados no arraial de Canudos era uma ameaça à ordem republicana.


resposta:[D]

18. (UFC) "Na manhã do dia seis Canudos foi destruída Com bombardeios e incêndios Não ficou nada com vida Dizem que o Conselheiro Tinha morrido primeiro Na Belo Monte querida"
(FRANÇA, Antônio Queiroz de e RINARÉ, Rouxinol do. "Antonio Conselheiro e a Guerra de Canudos." Fortaleza, Tupynanquim, 2002, p 32.)

Em relação aos movimentos como o de Canudos é correto afirmar que:
a) foram movimentos que se limitaram às regiões Norte e Nordeste do Brasil, marcadas pela presença dos latifúndios.
b) foram movimentos sem grande repercussão, visto que se situavam no campo e a maior parte dos trabalhadores do país encontrava-se nas cidades.
c) no campo o domínio dos coronéis era absoluto, e esses movimentos sociais tiveram que se disfarçar como um movimento de conteúdo religioso, para evitar a repressão.
d) foram movimentos nos quais se combinavam conteúdos religioso e social, pois questionavam o poder das autoridades civis e religiosas.
e) foram movimentos de conteúdo exclusivamente religioso, marcados pelo fanatismo, reprimidos por Pedro II e pelos republicanos que se esforçavam para construir um país civilizado.


resposta:[D]

19. (Mackenzie) Durante o governo Campos Sales foi negociado o acordo financeiro "Funding Loan", visando restaurar as finanças da república e que trouxe como efeitos imediatos:
a) o corte de despesas e abandono de obras públicas, desemprego, queda da indústria brasileira e favorecimento das importações.
b) a implantação de uma política industrialista, abandonando-se a crença de um país exclusivamente agrícola, defendida por parte da elite da época.
c) grandes investimentos em obras para vencer o desemprego.
d) um período de grande estabilidade econômica e política em função das boas condições sociais.
e) grande popularidade do governo, sobretudo nas camadas baixas da população, em virtude de sua política social.


resposta:[A]

20. (Fatec) "É tempo de tornarmos ao caminho certo. E nos esforçarmos para importar tudo quanto eles possam produzir em melhores condições do que nós".
Declaração de Manuel Ferraz de Campos Sales. ln: MELO L. e César, L. "História do Brasil." São Paulo: Scipione, 1999.

Sobre o governo de Campos Sales é correto afirmar:
a) idealizou o sistema de alianças entre os governadores dos estados e o governo federal, que consistia, basicamente, em uma troca de interesses e favores e que ficou conhecido como política dos governadores.
b) foi organizado o convênio de Taubaté, cuja finalidade era encontrar solução para a crise da superprodução do café.
c) sua intenção era tornar o Brasil um país industrializado, uma vez que a agricultura estava levando o país ao caos econômico.
d) foram iniciadas as reformas urbanas que tinham como objetivo transformar a cidade do Rio de Janeiro na "capital do progresso".
e) eclodiu, na Bahia, um grande movimento de sertanejos, liderados por Antônio Mendes Maciel, que ficou conhecido como Guerra dos Canudos.


resposta:[A]

21. (Unesp) As grandes noites do teatro Amazonas chegavam ao fim. [...] Manaus despediu-se definitivamente do antigo esplendor no carnaval de 1915. No mesmo ano, o preço da borracha caiu verticalmente. Em 1916 já não houve carnaval. [...] . [Manaus e Belém] começaram a entrar num marasmo típico dos centros urbanos que viveram um luxo artificial.
(Márcio Souza, "A Belle-Époque amazônica chega ao fim".)

Considerando o texto, responda.
a) Por que "o preço da borracha caiu verticalmente" a partir de 1915?
b) Por que a crise da economia da borracha produziu estagnação econômica na região amazônica, enquanto no sul do país a crise da economia cafeeira não levou a semelhante marasmo econômico? Apresente uma razão desta diferença.


resposta:
 
a) A queda do preço da borracha brasileira deveu-se à concorrência da produção das colônias européias do Sudeste Asiático.
b) A extração da borracha caracterizou-se por ter sido um ciclo efêmero, que produziu um boom temporário na economia da Região Amazônica. Após o término do surto da borracha, não houve uma atividade econômica que a substituísse à altura.
Já no que concerne ao café, este teve um período de duração maior (segunda metade do século XIX até a década de 1930), auferindo lucros mais significativos para a economia da região. Além disso, a produção da rubiácea criou precedentes (mão-deobra imigrante européia e acúmulo de capitais) que impulsionaram a industrialização na primeira metade do século XX.

22. (Faap) Até o começo do século XX, pertence à Bolívia. Com o ciclo da borracha (1827-1915), os brasileiros tornam-se a maioria da população e, em 1899, quando os bolivianos começam a recolher impostos, eles se revoltam. Os conflitos terminam com a assinatura do Tratado de Petrópolis (17/11/1903): o Brasil recebe a posse definitiva do território em troca de áreas no Mato Grosso, do pagamento de 2 milhões de libras esterlinas e do compromisso de construir a estrada de ferro Madeira-Mamoré para o escoamento de produtos bolivianos. Integrado ao Brasil como território, é elevado à condição de Estado em 15/6/1962, durante o governo João Goulart.

O Estado da Federação de que fala o texto é:
a) Acre
b) Amapá
c) Amazonas
d) Bahia
e) Alagoas


resposta:[A]

23. (Unesp) O presidente da Bolívia, Evo Morales, acusou, no mês de maio de 2006, o Estado brasileiro de ter adquirido o Acre em troca de "um cavalo". A área foi incorporada ao Brasil em 1903 com o Tratado de Petrópolis. Em que circunstâncias se deu esta incorporação e que significado econômico tinha a região naquele momento?


resposta:
O Acre foi incorporado ao Brasil pelo Tratado de Petrópolis, assinado em 1903, sendo que o país foi representado pelo Barão do Rio Branco. Pelo tratado o Brasil pagaria a Bolívia uma indenização de 110.000 libras esterlinas, cederia parte do Mato Grosso e construiria a ferrovia Madeira-Mamoré. O Barão ainda conseguiu convencer a Bolivian Syndicate a renunciar seus direitos sobre o Acre. A importância da região se deve à produção de látex - matéria-prima utilizada na fabricação da borracha - produto fundamental a partir da Segunda Revolução Industrial -  e desde o final do século XIX ainda pertencente à Bolívia, foi incorporado por milhares de seringueiros recrutados como mão de obra barata entre as populações do Nordeste.

24. (Puc-rio) Leia o texto abaixo, no qual Lima Barreto refere-se às reformas realizadas no Rio de Janeiro - capital da nascente República - durante as gestões do Presidente Rodrigues Alves (1902-1906) e do prefeito do Distrito Federal Pereira Passos.

"De uma hora para outra, a antiga cidade do Rio de Janeiro desapareceu e outra surgiu como se fosse obtida por uma mutação de teatro. Havia mesmo na coisa muito de cenografia."

a) Indique 2 (duas) transformações marcantes na paisagem da Capital Federal, decorrentes das reformas a que foi submetida, que confirmem a afirmativa do autor.
b) Considerando o lugar ocupado pelo Brasil na dinâmica das relações capitalistas internacionais no início do século XX, explique 1 (um) objetivo da reforma urbana empreendida pelos dirigentes republicanos.


resposta:

 
a) O candidato poderá indicar, por exemplo:
- A abertura da Avenida Central, atual Rio Branco;
- A construção do Teatro Municipal;
- O alargamento de diversas ruas;
- A abertura da Avenida Beira Mar;
- O desmonte parcial do Morro do Castelo;
- A modernização do porto da cidade;
- A derrubada de inúmeros cortiços no centro da cidade e imediações;
- O surgimento de favelas nas encostas de morros;
- A aceleração da ocupação dos subúrbios, principalmente, aqueles cortados pelas linhas férreas.

b) Os dirigentes republicanos objetivavam reiterar uma determinada concepção de progresso e civilização, norteando a reforma urbana por um modelo inspirado em cidades, como Paris e Londres. Associando-se o passado ao atraso, fazia-se necessário botar abaixo os elementos do traçado urbano característico do passado colonial e dotar a capital de uma fisionomia européia, que a assemelhasse, por exemplo, à cidade de Paris, reformada durante a gestão do Barão de Hausmann. Assim, pretendia-se criar uma imagem que contribuísse para um maior afluxo de capitais e para o incremento das trocas comerciais, vitais a uma economia dependente como a brasileira.

25. (Uerj) A questão da qualidade de vida já aparecia, no início do século XX, na reforma urbana realizada pelo prefeito Pereira Passos na cidade do Rio de Janeiro. Identifique a opção que revela características dessa reforma.
a) Possibilitou que os grupos monarquistas fizessem da capital uma cidade-corte, privilegiando o embelezamento em detrimento da utilidade econômica e política da cidade do Rio de Janeiro.
b) Imitou as reformas de Paris realizadas pelo Barão Haussmann em 1850, trazendo para o Rio de Janeiro um modo de vida europeu. Entretanto, os vestígios da arquitetura colonial permaneceram no centro da cidade devido à força política dos proprietários dos cortiços.
c) Associou beleza e saneamento ao considerar que, em uma cidade moderna, além de se construírem avenidas e jardins, devia-se cuidar, também, das instalações de água e esgoto, eliminando-se os odores fétidos e combatendo-se a falta de asseio de seus habitantes.
d) Transformou a cidade-capital em cidade moderna, o que representou o avanço brasileiro em direção ao modelo europeu. Pereira Passos manteve o centro como cidade portuguesa e atuou, apenas, nas áreas periféricas.
e) Atendeu às reivindicações de engenheiros e médicos que queriam uma cidade limpa, saneada, com características exclusivamente brasileiras e sem nenhuma semelhança com Paris.


resposta:[C]

26. (Uerj) Em 2003, fez um século que, sob a direção de Pereira Passos, uma grande reforma urbana teve início na cidade do Rio de Janeiro. As charges, com seus respectivos textos, indicam aspectos marcantes dessas reformas.
 
 
Figura I "O inquilino: - Mas, então, eu pago-lhe o aluguel pontualmente e o senhor consente que me ponham os troços na rua?!
O senhorio: - Meu amigo, tenha paciência: São cousas da Prefeitura! Trate de ver outra casa...
O inquilino: - Aonde? Pois o senhor não vê que não há? Que só há palácios de mármore e granito? Igrejinhas para música e pagodes e o raio que os parta?
O senhorio: - Que quer que lhe faça! O governo quer embasbacar a estranja, mostrando-lhe uma taboleta supimpa!
O inquilino: - Taboleta de Casa de Orates, de Hospício de Malucos! Estas cousas nunca se fazem assim! Primeiro acomodam-se os pobres! Aqui, dá-se-lhes um pontapé! Muito bonito, isto, hein?
O senhorio: - Que quer que lhe faça?"

Figura II O médico: - Esta injeçãozinha é precisa para poder vestir a sua toilette nova.

(Adaptado de BRENNA, Giovanna Rosso Del (org.). "O Rio de Janeiro de Pereira Passos". Rio de Janeiro: Index, 1985.)

Analisando as charges, aponte um objetivo da Reforma Pereira Passos e uma das conseqüências dessa reforma para as camadas populares.

resposta:
 

 Um dentre os objetivos:
-  transformar a cidade do Rio de Janeiro numa capital europeia
-  implantar novos padrões de vida relacionados ao modelo europeu de civilização
-  destruir as casas coloniais e os cortiços considerados nocivos à imagem de uma cidade moderna

Uma dentre as consequências:
-  transferência da população do centro para os subúrbios e a ocupação das encostas da cidade
-  destruição das moradias populares provocando a expulsão das populações pobres do centro da cidade

27. (Ueg)
Sobre o contexto que envolve a Revolta da Vacina, importante evento social urbano ocorrido na cidade do Rio de Janeiro em 1904, é INCORRETO afirmar que a charge
a) descreve a maneira prepotente e hostil com que os primeiros governos republicanos trataram as classes populares; esse tratamento evidencia-se também nas revoltas de Canudos e Contestado.
b) contém uma crítica ao autoritarismo da campanha de vacinação contra a varíola, vista pelos segmentos populares como desrespeitosa à honra das mulheres.
c) expressa a desconfiança em relação à ciência médica e à desinformação de parte da população. Até intelectuais importantes, como Rui Barbosa, consideraram uma temeridade injetar um vírus na corrente sanguínea.
d) demonstra a insatisfação das camadas urbanas em relação à carestia, ao desemprego e à falta de democracia da República Velha.
e) apresenta o reconhecimento das classes populares do Rio de Janeiro pela forma como foi desenvolvida a campanha de vacinação liderada por Oswaldo Cruz.

resposta:[E]

28. (Puc-rio) Anda o povo acelerado Com horror à palmatória Por causa dessa lambança da vacina obrigatória(...) Eu não vou nesse arrastão Sem fazer o meu barulho Os doutores da Ciência Terão mesmo que ir no embrulho Não embarco na canoa Que a vacina me persegue Vão meter ferro no boi Ou no diabo que os carregue
("A Vacina Obrigatória". In "Memória da Pharmácia", disco Odeon)

Os versos apresentados se referem ao episódio conhecido como a Revolta da Vacina (Rio de Janeiro, 1904).

Sobre este acontecimento, assinale a única afirmativa CORRETA.
a) O desconhecimento popular sobre os efeitos da vacina antivariólica, somado à imposição ilegal de sua obrigatoriedade, estimulou a insubordinação de vários grupos sociais, como militares e agentes sanitários.
b) A revolta popular correspondeu a uma reação à lei de vacinação obrigatória contra a varíola, decretada pelo governo federal nos quadros da reforma urbana e sanitária, que então ocorria na capital da República, a cidade do Rio de Janeiro.
c) A população carioca rebelou-se contra o médico responsável pela campanha sanitarista, Dr. Oswaldo Cruz, que realizou, além da vacinação obrigatória, a destruição de domicílios populares considerados insalubres - os cortiços.
d) Grupos monarquistas contrários à modernização instaurada pelo governo republicano, na qual se incluíam ações de saneamento da capital federal, iniciaram uma revolta militar, recebendo o apoio de segmentos populares.
e) A abertura da Avenida Central, hoje Avenida Rio Branco, ocasionou a demolição de diversas moradias populares, estimulando saques e motins e uma revolta de trabalhadores urbanos que almejava derrubar o governo republicano.


resposta:[B]

29. (Unicamp 2008) "Com 800 mil habitantes, o Rio de Janeiro era uma cidade perigosa. Espreitando a vida dos cariocas estavam diversos tipos de doenças, bem como autoridades capazes de promover sem qualquer cerimônia uma invasão de privacidade. A capital da jovem República era uma vergonha para a nação. As políticas de saneamento de Oswaldo Cruz mexeram com a vida de todo mundo. Sobretudo dos pobres. A lei que tornou obrigatória a vacinação foi aprovada pelo governo em 31 de outubro de 1904; sua regulamentação exigia comprovantes de vacinação para matrículas em escolas, empregos, viagens, hospedagens e casamentos. A reação popular, conhecida como Revolta da Vacina, se distinguiu pelo trágico desencontro de boas intenções: as de Oswaldo Cruz e as da população. Mas em nenhum momento podemos acusar o povo de falta de clareza sobre o que acontecia à sua volta. Ele tinha noção clara dos limites da ação do Estado."
(Adaptado de José Murilo de Carvalho, "Abaixo a vacina!". "Revista Nossa História", ano 2, n- 13, novembro de 2004, p. 74.)

A partir da leitura do texto e de seus conhecimentos, responda às questões a seguir:
a) De que maneira as medidas sanitárias, no Rio de Janeiro do início do século XX, "mexeram com a vida de todo mundo, sobretudo dos pobres"?
b) Indique dois fatores que restringiam a participação política dos trabalhadores na Primeira República.


resposta:
 
a) As medidas decorrentes das políticas de saneamento propostas por Osvaldo Cruz para a cidade do Rio de Janeiro durante a administração do presidente Rodrigues Alves (1902-1906), afetaram a vida das camadas mais pobres, quando se promoveu a mobilização da  população na caça de ratos que seriam comprados pelo governo e quando os agentes sanitários, para desinfetar ruas e cortiços, tiveram que adentrar às casas, com poderes de interditar moradias e até mesmo determinar sua demolição. A obrigatoriedade da vacina, pode ser considerada o auge das interferências sobre a vida da populção, o que justifica, juntamente com as demais, a violenta reação expressa na Revolta da Vacina.

b) A restrição do direito de voto aos homens alfabetizados, o que reduzia consideravelmente número de eleitores e o voto aberto assegurava aos coronéis o controle do eleitorado em seus domínios, configurando-se o "voto de cabresto" e o "curral eleitoral", indicam fatores de restrição política às classes populares.
Pode-se acrescentar ainda, a violência policial usada pelo governo contra as formas de representação dos trabalhadores urbanos (sindicatos, jornais, agremiações) e a seus líderes, implicando em dificuldades para a organização das classes trabalhadoras.

30. (IFMG) O Convênio de Taubaté (1906), firmado entre os governadores de São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro, tinha como objetivo
a) promover investimentos baseados em capitais externos no País, por meio do controle cambial.
b) estimular o desenvolvimento da indústria de bens de consumo não duráveis na região Sudeste.
c) criar mecanismos políticos eficazes para a intervenção do Estado no mercado de produção cafeeira.
d) diversificar a produção agrícola brasileira para o atendimento aos pequenos produtores rurais.


resposta:[C]

31. (UFF) Durante a Primeira República, a liderança do movimento operário no Rio de Janeiro e em São Paulo foi disputada por diversas correntes políticas. Dentre essas correntes pode-se identificar :
a) o socialismo utópico e o PTB
b) o trabalhismo e o PT
c) o anarco-sindicalismo e o socialismo
d) o queremismo e o anarco-sindicalismo
e) o Partido Comunista Brasileiro e o PTB


resposta:[C]

32. (UFMG) Durante os anos 20, a República Brasileira foi marcada por uma grande crise. Todas as alternativas apresentam evidências dessa crise, EXCETO:
a) A Campanha Civilista de Rui Barbosa pela presidência da República.
b) A eclosão das revoltas tenentistas pela moralização do Estado.
c) A erupção de inúmeras greves e movimentos sociais dos trabalhadores urbanos.
d) A ocorrência de atos de banditismo social como o cangaço.
e) A decretação do estado de sítio no governo Artur Bernardes.


resposta:[A]

33. (FAAP) Nome dado à campanha eleitoral de Rui Barbosa à presidência da República, opondo-se à candidatura do marechal Hermes da Fonseca. Rui era contra militares na presidência da República.
a) Política Interna
b) Questão Militar
c) Campanha Civilista
d) Convênio de Taubaté
e) Política das Salvações


resposta:[C]

34. (Outros) "Conhecido como o navegante negro; Tinha a dignidade de um mestre-sala;..." O fragmento acima é da música de João Bosco e Aldir Blanc, "O mestre-sala dos mares", numa homenagem ao "Almirante Negro" que liderou a revolta dos marinheiros em 1910 contra os castigos físicos e a discriminação por parte dos oficiais.
O líder e a revolta a que se refere o texto, são, respectivamente:
a) João Cândido e a Revolta da Chibata;
b) Osvaldo Cruz e a Revolta da Vacina;
c) o beato José Maria e a Revolta do Contestado;
d) Lampião e a Revolta de Juazeiro;
e) Giuseppe Garibaldi e as greves operárias de São Paulo.


resposta:[A]

35. (Uel) Durante a Primeira República (1889-1930), ocorreram várias revoltas populares contra a situação de opressão e miséria e que colocavam em xeque os interesses da oligarquia agrária.

 
O mapa refere-se a uma dessas revoltas, conhecida por
a) Guerra dos Canudos, entre 1893 e 1897.
b) Revolta da Vacina, em 1904.
c) Revolta da Chibata, em 1910.
d) Guerra do Contestado, entre 1912 e 1916.
e) Coluna Prestes, em 1926.

resposta:[D]

36. (Fuvest) "Voto de cabresto", "curral eleitoral", "eleição a bico de pena", "juiz nosso", "delegado nosso", "capangas" e "apadrinhamento" são expressões que lembram em nosso país o:
a) liberalismo.
b) totalitarismo.
c) messianismo.
d) coronelismo.
e) comunismo.


resposta:[D]


37. (Uerj 2003)
 
(STORNI, 1927. In: LEMOS, Renato. Uma história do Brasil através da caricatura. Rio de Janeiro: Bom Texto, Letras e Expressões, 2001.)

A dominação dos grandes proprietários rurais durante a República Velha deu origem à expressão popular "voto de cabresto", mecanismo eleitoral que resulta de:
a) influência política das oligarquias regionais
b) adaptação do campesinato à realidade do mundo urbano
c) inconformismo do eleitor nas pequenas cidades do interior
d) submissão dos trabalhadores rurais aos valores soberanos das cidades

resposta:[A]

38. (Ufpel) Analise o documento sobre as eleições no Brasil.
 
A charge critica o sistema eleitoral no período da (o)
a) República Velha, quando o voto era aberto e não havia Justiça Eleitoral.
b) Estado Novo, quando o autoritarismo de Vargas manipulou o eleitorado.
c) Segunda República, quando as eleições diretas para presidente, através do voto "a cabresto", elegeram Vargas.
d) República do Café-com-Leite, dominada pelas oligarquias paulista e mineira, que usavam o voto censitário para se alternarem no poder.
e) Primeira República, quando o PSD e a UDN se valiam da violência e fraudes para alcançar o poder.

resposta:[A]




39. (Enem 2011) Completamente analfabeto, ou quase, sem assistência médica, não lendo jornais, nem revistas, nas quais se limita a ver figuras,o trabalhador rural, a não ser em casos esporádicos, tem o patrão na conta de benfeitor. No plano político, ele luta com o “coronel” e pelo “coronel”. Aí estão os votos de cabresto, que resultam, em grande parte, da nossa organização econômica rural.

LEAL, V. N. Coronelismo, enxada e voto. São Paulo: Alfa-Ômega, 1978 (adaptado).

O coronelismo, fenômeno político da Primeira República (1889-1930), tinha como uma de suas principais características o controle do voto, o que limitava, portanto, o exercício da cidadania. Nesse período, esta prática estava vinculada a uma estrutura social

a) igualitária, com um nível satisfatório de distribuição da renda.
b) estagnada, com uma relativa harmonia entre as classes.
c) tradicional, com a manutenção da escravidão nos engenhos como forma produtiva típica.
d) ditatorial, perturbada por um constante clima de opressão mantido pelo exército e polícia.
e) agrária, marcada pela concentração da terra e do poder político local e regional.




resposta:[E]

40. (UFMG) Observe esta charge:
(FONTE: LEMOS, Renato. Uma história do Brasil através da caricatura. Rio de Janeiro: Bom Texto/Letras & Expressões, 2001. p.34.)

Nessa charge, faz-se referência à
a) REAÇÃO REPUBLICANA, conflito entre as oligarquias mineira e paulista e os coronéis dos estados do Sul e do Nordeste.
b) ALIANÇA LIBERAL, formada pelos estados de Minas Gerais, São Paulo e Rio Grande do Sul no contexto da crise da República Velha.
c) CAMPANHA CIVILISTA, articulada por Rui Barbosa com o objetivo de dominar os executivos estaduais.
d) POLÍTICA DO CAFÉ COM LEITE, caracterizada pela alternância de políticos mineiros e paulistas na Presidência da República.

resposta:[D]


41. (ENEM 2011) Até que ponto, a partir de posturas e interesses diversos, as oligarquias paulista e mineira dominaram a cena política nacional na Primeira República? A união de ambas foi um traço fundamental, mas que não conta toda a história do período. A união foi feita com a preponderância de uma ou de outra das duas frações. Com o tempo, surgiram as discussões e um grande desacerto final.

FAUSTO, B. História do Brasil. São Paulo: EdUSP, 2004 (adaptado).

A imagem de um bem-sucedido acordo café com leite entre São Paulo e Minas, um acordo de alternância de presidência entre os dois estados, não passa de uma idealização de um processo muito mais caótico e cheio de conflitos.Profundas divergências políticas colocavam-nos em confronto por causa de diferentes graus de envolvimento no comércio exterior.

TOPIK, S. A presença do estado na economia política do Brasil de 1889 a 1930. Rio de Janeiro: Record, 1989 (adaptado).

Para a caracterização do processo político durante a Primeira República, utiliza-se com frequência a expressão Política do Café com Leite. No entanto, os textos apresentam a seguinte ressalva a sua utilização:

a) A riqueza gerada pelo café dava à oligarquia paulista a prerrogativa de indicar os candidatos à presidência, sem necessidade de alianças.
b) As divisões políticas internas de cada estado da federação invalidavam o uso do conceito de aliança entre estados para este período.
c) As disputas políticas do período contradiziam a suposta estabilidade da aliança entre mineiros e paulistas.
d) A centralização do poder no executivo federal impedia a formação de uma aliança duradoura entre as oligarquias.
e) A diversificação da produção e a preocupação com o mercado interno unificavam os interesses das oligarquias.




resposta:[C]

42. (Ueg) Os anos iniciais da República foram marcados por rupturas e continuidades que vão além da mudança de regime político. Sobre esse período, é CORRETO afirmar:
a) A passagem do regime imperial para o regime republicano transformou o panorama político das províncias através do processo de centralização, observado na política do "encilhamento".
b) Como no restante do país, a mudança de regime em Goiás provocou a ascensão de novos grupos sociais que vinham se organizando sob as bandeiras do abolicionismo e do republicanismo.
c) A dicotomia entre o Brasil litorâneo e o Brasil sertanejo é explícita: em oposição à modernidade do Rio de Janeiro, misticismo, banditismo e pobreza caracterizam o interior do país.
d) O predomínio dos grupos urbanos, oriundos do comércio e da indústria, possibilitando uma maior representatividade das camadas populares, é uma realidade, como se observa já no governo de Campos Sales.


resposta:[C]

43. (Pucpr) O governo republicano apoiaria os grupos dominantes nos Estados, enquanto estes, em troca, apoiariam a política do presidente. Esse arranjo, concebido por Campos Sales, ficou conhecido como:
a) Política dos Governadores.
b) Encilhamento.
c) Plano de Metas.
d) Café-com-leite.
e) Civilismo.


resposta:[A]

44. (Mackenzie) "Preocupado em derrubar as velhas oligarquias..., acabou utilizando os velhos costumes políticos de corrupção e coação, anteriormente criticados através de um novo elemento: as tropas federais ( ... ). Substituindo uma oligarquia por outra, mantinha a desigualdade social, agora com novos beneficiados."
(Antônio Mendes Jr. e Ricardo Maranhão, BRASIL HISTÓRIA-REPÚBLICA, vol. III)

O texto relata um momento histórico do governo Hermes da Fonseca que se denominou:
a) Política do Café com Leite.
b) Política das Salvações.
c) "Funding-Loan".
d) Política Desenvolvimentista.
e) Socialização dos Prejuízos.


resposta:[B]



45. (Ufpel 2006)
 
Texto 1
João Cândido é o marinheiro assinalado. Apesar do mito da passividade do povo brasileiro frente às injustiças e violências institucionalizadas, nossa história está repleta de revoltas. 
 
Texto 2
"O pânico já estava generalizado. Só em um dia ocorreram 12 composições especiais para Petrópolis levando 3.000 pessoas. [...] A guarnição dos navios revoltados intimou as Fortalezas de Santa Cruz, Laje e São João a não atirarem sobre as belonaves, sob pena de os fortes serem arrasados. [...] A noite caiu e a cidade conheceu um novo senhor, João Cândido, simples marinheiro."
MOREL, Edmar. [...]. Rio de Janeiro: Graal, 1979.

Texto 3
"Há muito tempo, Nas águas da Guanabara, O Dragão do Mar reapareceu, Na figura de um bravo feiticeiro A quem a História não esqueceu. Conhecido como Navegante Negro, Tinha a dignidade de um mestre-sala E, ao acenar pelo mar, na alegria das regatas, Foi saudado no porto Pelas mocinhas francesas Jovens polacas e por batalhões de mulatas". A letra "O Mestre Sala dos Mares" foi composta em 1975 por João Bosco e Aldir Blanc, e devido a censura, teve substituído no texto original "bravo marinheiro" e "Almirante Negro" por "bravo feiticeiro" e "Navegante Negro".

Os documentos apresentados referem-se à
a) Revolta da Armada na República da Espada, porém a alteração no poema foi determinada pelo governo Médici.
b) Revolta da Chibata na República Velha, enquanto a censura à canção ocorreu na Ditadura Militar.
c) Revolta dos "Dezoito do Forte de Copacabana" na República do "Café-com-Leite", ao passo que a restrição à letra da música foi determinada pelo Departamento de Imprensa e Propaganda, no governo de Vargas.
d) Revolução Praieira no Segundo Reinado, contudo a modificação no poema ocorreu no governo Geisel.
e) Revolução Federalista na Primeira República, mas a substituição dos termos originais da música se deu durante a "abertura" pós Ditadura Militar.

resposta:[B]

46. (Unicamp) "O bandido social é, em geral, membro de uma sociedade rural e, por razões várias, encarado como proscrito ou criminoso pelo Estado e pelos grandes proprietários. Apesar disso, continua a fazer parte da sociedade camponesa de que é originário e é considerado herói por sua gente, seja ele um justiceiro, um vingador, ou alguém que rouba dos ricos."
(Carlos Alberto Dória, SAGA. A GRANDE HISTÓRIA DO BRASIL)

Utilizando a definição anterior, explique o movimento do cangaço brasileiro.


resposta:
. Movimento considerado banditista (fora da lei), mas que deve ser inserido na condição miserável gerada pelos latifundiários do nordeste na primeira metade do século XX.



47. (Unesp) "O nome CANGAÇO vem do conjunto de armas carregadas por homens que prestavam serviços de proteção e defesa a chefes políticos locais. Suas armas eram tantas que pesavam sobre seus ombros como pesa a CANGA sobre o pescoço do boi. Daí o nome CANGACEIROS. Entretanto, nem sempre estiveram à disposição dos chefes políticos locais".

Responda:
a) Qual era a zona de ação do cangaço?
b) Por que surgiu esse fenômeno social?
c) Quais acontecimentos e transformações estruturais concorreram para seu fim?


resposta:
 
a) sertão nordestino.
b) A fome, salários miseráveis, tudo isso pela falta de apoio governamental.
c) O Cangaço perdeu a força com o governo provisório de Getúlio Vargas, e foi ordenado a morte de todos os cangaceiros, capturaram e mataram Lampião e consequentemente Maria Bonita em 1939.

48. (Puc-mg) A implantação do regime republicano não modificou a situação de miséria dos trabalhadores do campo, fazendo surgir um movimento denominado Cangaço. Sobre isso, é correto afirmar, EXCETO:
a) Seus integrantes rebelaram-se contra uma ordem social injusta e opressiva.
b) Em quase todos os bandos, as mulheres participavam em pé de igualdade com os homens.
c) Os cangaceiros eram assalariados do crime, lutando a serviço dos coronéis que melhor pagassem.
d) Como fenômeno social, foi uma manifestação da revolta não organizada em termos políticos.
e) Os cangaceiros assaltavam propriedades e buscavam justiça pelas próprias mãos.


resposta:[C]

49. (Fuvest) Na Primeira República, o processo de industrialização no Brasil sofreu sensível impulso com:
a) a extinção em 1906 da política de valorização do café, definida pelo Convênio de Taubaté.
b) a adoção da política protecionista, que impedia o estabelecimento de empresas estrangeiras no país.
c) o desencadear da Primeira Guerra Mundial, que acentuou as dificuldades para a importação de produtos.
d) a organização da "Comissão Verificadora", que controlava a entrada de manufaturas no Brasil.
e) a criação do Ministério da Indústria e Comércio, ocupado por Rui Barbosa.


resposta:[C]

50. (Uerj) 
 
Observe as gravuras referentes ao período da Primeira Guerra Mundial.
Considerando as transformações desse período, descreva:
a) uma transformação social que, decorrente da guerra, está diretamente relacionada às gravuras;
b) um reflexo da Primeira Guerra sobre a economia do Brasil.


resposta:
a) Durante o período da Primeira Guerra Mundial foi necessário a mobilização de milhares de homens fazendo com que a utilização da mão-de-obra feminina fosse necessário.
b) O Brasil, cuja economia era voltada para o mercado externo foi prejudicada porque com a eclosão da guerra desorganizou o mercado international trazendo grandes dificuldades para a exportação do café, tendo seu preço em grande declínio.


51. (Unesp) Durante a República Velha, os "tenentes" apresentavam-se como salvadores, propondo solução para velhos problemas como a inflação, a alta do custo de vida, o "voto de cabresto", a corrupção e outros. Esclareça o que foi o "tenentismo" e assinale sua importância histórica.


resposta:
Movimento de caráter positivista, propondo mudanças políticas que poriam fim as velhas oligarquias. Contribuiu com reformas: desencadeou a revolução de 1930.

52. (Puccamp) Sobre o fracasso da exploração da seringueira (produção da borracha) na Amazônia, é correto afirmar que uma de suas principais causas foi
a) a falta de mão-de-obra especializada na região, suprida pela migração nordestina que, no entanto, mostrou-se insuficiente.
b) a concorrência com a borracha produzida nas colônias britânicas do Sudeste asiático, cujo preço no mercado internacional era inferior.
c) a inadequação dessa atividade ao clima tropical úmido, que dificultava o transporte e o armazenamento do látex.
d) a crise econômica decorrente da Primeira Guerra Mundial, que paralisou as exportações brasileiras e a produção da borracha.
e) o subsídio governamental à produção de algodão, fumo e cacau no Nordeste, que tornou esses produtos mais lucrativos.


resposta:[B]

53. (Unesp) Um líder anarquista assim se manifestou sobre a greve geral dos operários de 1917 em São Paulo: "Diga-se antes de tudo, que a greve geral, de 1917 não pode de maneira alguma se equiparar, sob qualquer aspecto que seja examinada, com outros movimentos (...) Isso não, absolutamente não! A greve geral de 1917 foi um movimento espontâneo do proletariado sem interferência, direta ou indireta, de quem quer que seja. Foi uma manifestação explosiva, conseqüente de um longo período de vida tormentosa que então levava a classe trabalhadora."
(Edgard Leuenroth, "O Estado de S. Paulo", 27/03/1966).

A partir deste depoimento:
a) destaque, copiando, a parte do texto que evidencia as ideias anarquistas do referido líder;
b) caracterize as condições de trabalho da classe operária, no decorrer da República Velha, demonstrando a sua "vida tormentosa".


resposta:
 a)A greve geral de 1917 foi um movimento espontâneo do proletariado sem interferência, direta ou indireta, de quem quer que seja. Foi uma manifestação explosiva, conseqüente de um longo período de vida tormentosa que então levava a classe trabalhadora.
b) Os trabalhadores urbanos durante a República Velha possuíam péssimas condições de vida e trabalho, estavam sujeitos à longas jornadas, recebiam baixos salários, tinham alimentação precária, condições insalubres de moradia, ausência de direitos trabalhistas, etc.
54. (Uerj) 

 
(CAMPOS, Flavio de e MIRANDA, Renan G. "Oficina de história". São Paulo: Moderna, 2000.)

Ao longo do século XX, o movimento operário brasileiro se organizou e lutou de diferentes formas. Em 1917, ocorreu em São Paulo e no Rio de Janeiro a primeira greve geral na história desse movimento. A orientação ideológica das lideranças dessa greve e uma de suas reivindicações estão indicadas, respectivamente, em:
a) socialista - fim dos castigos corporais
b) comunista - luta por melhores salários
c) liberal - intervenção do Estado na economia
d) anarcossindicalista - diminuição da jornada de trabalho

resposta:[D]

55. (Unicamp) Na repressão à greve de 1917, em São Paulo, o Comitê de Defesa dos Direitos do Homem do Rio de Janeiro denunciou: Todos os componentes do Comitê de Defesa Proletária e os membros mais ativos dos sindicatos, das ligas, dos centros e dos periódicos libertários foram agarrados e encarcerados. As oficinas em que se fazia o semanário A Plebe foram invadidas, tendo sido o seu diretor preso. Para muitos presos, foi preparada a expulsão do território nacional.
(Adaptado de Paulo Sérgio Pinheiro & Michael Hall, A classe operária no Brasil, 1889-1930. Documentos. São Paulo: Ed. Brasiliense, 1981, vol. II, p. 265-266).

a) Qual foi a importância da greve de 1917 em São Paulo?
b) A partir do texto, identifique as formas de repressão adotadas pelo governo de São Paulo contra a greve de 1917.
c) Qual o papel da imprensa operária nas primeiras décadas do século XX no Brasil?


resposta:

56. (FGV) (...) tem-se ressaltado o [seu] caráter espontâneo (...) e não há motivo para se rever o fundo dessa qualificação. A ausência de um plano, de uma coordenação central, de objetivos pré-definidos é patente. Os sindicatos têm restrito significado; o Comitê de Defesa Proletária - expressão da liderança anarquista e em menor escala socialista - não só se forma no curso do movimento como procura apenas canalizar reivindicações. O padrão de agressividade da greve relaciona-se com o contexto sociocultural de São Paulo e com a fraqueza dos órgãos que poderiam exercer funções combinadas de representação e controle.
(Boris Fausto, "Trabalho urbano e conflito social")

O texto faz referência
a) à Greve Geral de 1917.
b) à Greve pelas oito horas de 1907.
c) à Intentona Comunista de 1935.
d) à Revolução Constitucionalista de 1932.
e) ao Levante Tenentista de 1924.


resposta:[A]

57. (FGV) 7 de julho [1922] - Com um saldo de 17 mortos, todos entre os rebeldes, tropas leais ao presidente Epitácio Pessoa sufocaram hoje uma revolta de oficiais que há dois dias haviam tomado o Forte de Copacabana. Eles protestavam contra o fechamento do Clube Militar e a prisão de seu presidente (e também ex-presidente da República) Hermes da Fonseca.
(Jayme Brener, "Jornal do século XX")

Sobre o tenentismo, é correto afirmar que
a) apesar das divergências ideológicas em relação às correntes revolucionárias - como o anarquismo, o movimento dos oficiais fez uma série de alianças com o movimento operário, como na greve geral de 1917.
b) esse movimento não tinha uma clara proposta de reformulação política e defendia um poder centralizado e a purificação das instituições republicanas, além da diminuição do poder das oligarquias regionais.
c) foi um movimento inspirado no nazifascismo, que defendia o fortalecimento das instituições liberais-democráticas, como as eleições gerais e diretas, ao mesmo tempo em que apoiavam o federalismo.
d) teve como principal liderança em São Paulo o capitão Luis Carlos Prestes, mais tarde organizador da Ação Integralista Brasileira - AIB, defensor de uma ordem centralizada e de uma economia internacionalizada.
e) a ação de julho de 1922 foi contida com facilidade pelas tropas leais ao governo federal e se constituiu na única ação importante relacionada com os militares rebeldes, que passaram a apoiar uma saída negociada para a crise.


resposta:[B]

58. (UFRRJ) A charge exposta a seguir trata da política brasileira durante o período de crise do que se convencionou chamar de República Oligárquica.
 
Charge de STONI na revista Careta, ano 22, n 1103, de 10/08/1929 In: LEMOS, Renato (organizador). "Historia do Brasil através da caricatura" (1840-2001). Rio de Janeiro: Bom Texto Editora e Produtora de Arte e Editora Letras & Expressões, 2001. p.61.

A charge em questão joga com o nome de personagens importantes da política brasileira da época para compor o nome daquele que, conhecido como "Cavaleiro da Esperança", carregava então um enorme prestígio e as aspirações de mudança de grandes parcelas do povo brasileiro a partir de sua atuação
a) na revolta de julho de 1922, conhecida como os 18 do Forte de Copacabana, em contestação à eleição e posse de Artur Bernardes, representante das oligarquias dominantes.
b) no levante de novembro de 1935, em nome da Aliança Nacional Libertadora (ANL), contra o integralismo e o governo de Getúlio Vargas (1934/37).
c) na direção do Partido Comunista do Brasil (PCB), que se tornou vítima do autoritarismo do governo de Eurico Dutra (1946/51).
d) na direção da luta operária do período, com a organização do Bloco Operário e Camponês (BOC), que o lançou candidato à presidência da República em 1930.
e) na chamada "Coluna Miguel Costa - Prestes", que percorreu o Brasil buscando organizar um levante contra o governo das oligarquias rurais.
 
resposta:[E]

59. (Ufrj 2011)  Porcentagem de votantes nas eleições presidenciais entre 1894 e 1930
 
Candidato vencedor
Nº de votantes
(em milhares)
% de votantes sobre a população
Prudente de Morais (1894)
345
2,2

Campos Sales (1898)
462
2,7

Rodrigues Alves (1902)
645
3,4

Afonso Pena (1906)
294
1,4
Hermes da Fonseca (1910)
698
3,0
Venceslau Brás (1914)
580
2,4
Rodrigues Alves (1918)
390
1,5
Epitácio Pessoa (1919)
403
1,5
Artur Bernardes (1922)
833
2,9

Washington Luís (1926)
702
2,3
Júlio Prestes (1930)
1890
5,6



Fonte: adaptado de Carvalho, José Murilo de. “Os três povos da República”. In: Carvalho, Maria Alice Resende de (org). República no Catete. Rio de Janeiro: Museu da República, 2001, p. 72.

Os dados eleitorais presentes na tabela indicam uma pequena participação popular nas eleições presidenciais na Primeira República (1890-1930).
Identifique duas restrições impostas pela Constituição de 1891 ao exercício do voto.

resposta: 
O candidato poderá indicar que estavam excluídos do voto: os mendigos; analfabetos; praças de pré, excetuando os alunos das escolas militares de ensino superior; os religiosos de ordens monásticas, sujeitas a voto de obediência, regra ou estatuto, que importasse a renúncia da liberdade individual.

Comentário:

Uma das características mais destacada quanto à limitação ao exercício da cidadania é a exigência de alfabetização. Vale notar a que os “praças” não votavam, ou seja, os soldados que não possuíam patente (a maioria).                                      

 
60. (Uerj)  Canudos ficava num cenário que lembrava as paisagens descritas na Bíblia: uma região árida repleta de caatingas, rodeada por cinco serras ásperas e atravessada por um rio, o Vaza-Barris.
Decidido a permanecer naquela autêntica fortaleza natural, e isso não deve ter escapado à percepção de Conselheiro, ele e seu grupo entraram em ação para construir uma comunidade onde estivessem livres do incômodo das autoridades religiosas católicas e políticas, bem como das leis republicanas, dos "coronéis", dos juizes, dos impostos, da justiça arbitrária, da política etc.
              (COSTA, Nicola S. Canudos - Ordem e Progresso no Sertão. São Paulo, Moderna, 1990.)

O movimento de Canudos (1896-97), liderado pelo beato Antônio Vicente Mendes Maciel, o "Antônio Conselheiro", no sertão nordestino, é um dos mais conhecidos exemplos de movimentos místicos-populares que marcou o início da República no Brasil. As problemáticas sociais que deram vida àquele movimento permanecem, até hoje, em grande parte sem solução.
a) A partir do cenário descrito no texto e das condições de produção que caracterizavam o Nordeste brasileiro no final do século XIX, explique um fator que contribuiu para o movimento de Canudos.
b) Cite dois motivos pelos quais o povoado de Canudos incomodava as "autoridades religiosas católicas e políticas".

resposta:
 
a)  A concentração fundiária brasileira e, em especial, nordestina - fazia com que a esmagadora maioria da população não tivesse acesso à propriedade de terra, tendo de se submeter a relações de trabalho marcadas pela super-exploração. Essa população sofria ainda os efeitos das grandes secas que assolaram o sertão nordestino, em parte resultando na falência das culturas tradicionais (algodão e açúcar), provocando uma grave crise econômica.

b) - dificuldades de domínio dos grandes proprietários de terra sobre a mão de obra;
 - o rompimento da hierarquia e do controle da Igreja oficial sobre a população local;
- a pregação do beato não se coadunava com a ortodoxia veiculada pela hierarquia eclesiástica;
Canudos, enquanto um espaço social, negava a ordem instituída, uma vez que exercia um forte poder de atração sobre a massa sertaneja.


2 comentários: