domingo, 15 de abril de 2012

Confira a correção da avaliação de História (Prova 1 - segundo bimestre)

Colégio Notre Dame de Lourdes

P 1 de História - Segundo Bimestre

Segunda Série


1.(UFPR) Na chamada "conjuntura revolucionária", animada pelos ideais de liberdade, igualdade e soberania do povo, destaca-se a crise dos antigos sistemas coloniais europeus. As colônias espanholas e o Brasil se rebelam e separam-se de suas metrópoles. No que diz respeito às colônias espanholas da América, indique alguns dos fatores determinantes do seu processo de emancipação.

resposta da questão 1:

Entre os principais fatores da chamada "conjuntura revolucionária" que influenciaram os movimentos de emancipação política da América Espanhola pode-se citar a independência das treze colônias inglesas na América do Norte, a Revolução Industrial, a Revolução Francesa e as Guerras Napoleônicas que abalaram as estruturas do Antigo Regime europeu desestabillizando a Coroa Espanhola.

2. (Fuvest) Que relação há entre as guerras napoleônicas e os movimentos de independência da América Espanhola?

resposta da questão 2:

Com a desarticulação do poder monárquico, ou seja, o Antigo Regime, abriu-se uma possibilidade para o fortalecimento das relações internas das colônias no sentido de lutar por sua autonomia política.

3. (G1) Sobre a independência da América Latina, podemos afirmar:

a) foi um movimento espontâneo das elites "criollas" contra a dominação espanhola, sem nenhuma influência externa.

b) após a conquista da independência, os mestiços e indígenas passaram a ter direitos civis, devido à contribuição nas lutas contra o domínio espanhol.

c) Simon Bolivar, um dos principais Libertadores da América defendia a integração latino-americana, como forma de evitar a dependência econômica e política em relação aos Estados Unidos e à Inglaterra.

d) os "criollos", implantaram governos republicanos e aboliram a escravidão por influência dos iluministas.

e) a Inglaterra apoiou a independência latino-americana, a fim de afastar a influência dos Estados Unidos.

resposta da questão 3:[C]

4. (UFRS) Que elementos caracterizam a formação histórica dos Estados latino-americanos?

a) Todos incluíam politicamente a população indígena, com a conseqüente criação de Estados controlados pela elite local.

b) Todos tiveram presente a idéia de uma "nação latino-americana", que embasava a libertação colonial.

c) Todos surgiram da crise do sistema colonial e do amadurecimento dos interesses antimetropolitanos de grupos locais.

d) Todo o conjunto do território colonial se dividia em áreas autônomas com o surgimento de várias monarquias absolutistas.

e) Todo o caráter de dependência econômica desapareceu com a tomada do poder pelos produtores coloniais.

resposta da questão 4:[C]

5. (Unesp) Após a emancipação política e ao longo do Século XIX, a vida institucional, na maioria dos países latino-americanos, foi marcada pelas seguintes características:

a) prolongada instabilidade política, predomínio das oligarquias dirigentes e submissão das massas pauperizadas.

b) velhas oligarquias em crise e o desenvolvimento do populismo atrelado ao capital multinacional.

c) predomínio do modo de produção capitalista que promovia a unificação política e a integração econômica.

d) estabilidade política alicerçada em modelo republicano de governo.

e) sujeição dos políticos às exigências dos grupos oprimidos.

resposta da questão 5:[A]

6. (Unesp) "Por volta dos anos de 1880, era óbvio que a abolição estava iminente. O parlamento, reagindo ao abolicionismo de dentro e de fora do país, vinha aprovando uma legislação gradualista. As crianças nascidas de mães escravas foram declaradas livres em 1871..."

(Emília V. da Costa, DA MONARQUIA À REPÚBLICA.)

a) Além da Lei do Ventre Livre, qual outra teve esse mesmo caráter gradualista?

b) Justifique o caráter gradualista do movimento da abolição.

resposta da questão 6:

a) A Lei do Sexagenário (1885) que libertava os escravos com mais de 60 anos.

b) No Parlamento, a questão escravista era mais delicada. Como a maioria dos deputados era proprietária de terras e de escravos, defendia a emancipação lenta e gradual dos cativos, com o pagamento, pelo governo, de indenizações aos seus senhores.

7. (UFC) Em sua obra "O Abolicionismo", Joaquim Nabuco afirma: "Para nós a raça negra é um elemento de considerável importância nacional, estreitamente ligada por infinitas relações orgânicas à nossa constituição, parte integrante do povo brazileiro. Por outro lado, a emancipação não significa tão somente o termo da injustiça de que o escravo é martyr, mas também a eliminação simultânea dos dois typos contrários, e no fundo os mesmos: o escravo e o senhor."


(NABUCO, Joaquim. "O Abolicionismo." Edição fac-similar. Recife. Fundação Joaquim Nabuco. Ed. Massangana. 1988. p. 20)

Em relação à condição do negro na sociedade brasileira, é correto afirmar que:


a) a abolição representou uma perda total da mão-de-obra pelos antigos senhores.

b) o fim da escravidão possibilitou ao negro liberto a integração no mercado de trabalho e o livre acesso à terra.

c) as Sociedades Libertadoras tinham como objetivo principal promover a integração do ex-escravo na sociedade, garantindo-lhe os direitos de cidadania.

d) a diferença entre o processo abolicionista ocorrido nos Estados Unidos da América e o ocorrido no Brasil foi a ausência de preconceito racial em nosso país.

e) o negro livre permaneceu à margem do universo cultural estabelecido por uma sociedade regida pelo branco e continuou sujeito ao preconceito e a novos mecanismos de controle social.

resposta da questão 7:[E]


8. (UFRJ) A Lei Euzébio de Queiroz e a Lei de Terras, ambas de setembro de 1850, são consideradas marcos na modernização da sociedade brasileira.

a) Explicite o conteúdo de cada uma dessas leis.

b) Explique os motivos pelos quais ambas as leis são consideradas marcos na modernização da sociedade brasileira.

resposta da questão 8:

a) Lei Eusébio de Queirós proibia o tráfico de escravos da África para o Brasil.

Lei de Terras de 1850 atribuía um valor imobiliário às terras, que não seriam mais doadas como haviam sido as sesmarias. Essa lei foi um dos estatutos responsáveis para a consolidação dos latifúndios no Brasil.

b) A Lei Eusébio de Queirós permitiu a liberação de capitais do tráfico negreiro p/ setores mais produtivos (industrialização, bancos, mecanização das fazendas, etc), enquanto a Lei de Terras valorizou comercialmente as terras brasileiras, aquecendo o mercado interno.


9. (UFU) Considere o fragmento a seguir:

"O nosso caráter, o nosso temperamento, a nossa organização toda, física, intelectual e moral, acha-se terrivelmente afetada pelas influências com que a escravidão passou trezentos anos a permear a sociedade brasileira. A empresa de anular essas tendências é superior, por certo, aos esforços de uma só geração, mas, enquanto essa obra não estiver concluída, o abolicionismo terá sempre razão de ser."

Joaquim Nabuco. "O Abolicionismo". 1883.

Neste trecho, Joaquim Nabuco, um dos principais líderes abolicionistas da década de 1880, sugere que o fim da escravidão é necessário não apenas pela "barbaridade" que representa em relação aos cativos, mas por ser responsável por efeitos nefastos na sociedade, na política e na economia brasileira. Para o autor, não se impunha somente a necessidade de eliminar o cativeiro dos escravos, mas também de regenerar as influências da escravidão na sociedade brasileira.

A respeito deste assunto, cite três efeitos (um na sociedade, um na política e um na economia) negativos que a escravidão, aos olhos dos abolicionistas, possa ter criado no Brasil ao longo de seus trezentos anos de existência.

resposta da questão 9:

Os efeitos negativos que a escravidão provocou na sociedade brasileira são diversos. Poderia-se mencionar o fato de ter desenvolvido uma mentalidade preconceituosa (racismo) em relação ao negro, do ponto de vista político foi a não extensão dos princípios de cidadania (direito ao voto) a essa pessoas, e do ponto de vista econômico foi a preservação de uma economia agrária ligada ao trabalho compulsório.

10. (ENEM)

Um dia, os imigrantes aglomerados na amurada da proa chegavam à fedentina quente de um porto, num silêncio de mato e de febre amarela. Santos. - É aqui! Buenos Aires é aqui! - Tinham trocado o rótulo das bagagens, desciam em fila. Faziam suas necessidades nos trens dos animais onde iam. Jogavam-nos num pavilhão comum em São Paulo. - Buenos Aires é aqui! - Amontoados com trouxas, sanfonas e baús, num carro de bois, que pretos guiavam através do mato por estradas esburacadas, chegavam uma tarde nas senzalas donde acabava de sair o braço escravo. Formavam militarmente nas madrugadas do terreiro homens e mulheres, ante feitores de espingarda ao ombro.

Oswald de Andrade. "Marco Zero II - Chão". Rio de Janeiro: Globo, 1991.

Levando-se em consideração o texto de Oswald de Andrade e a pintura de Antonio Rocco reproduzida acima, relativos à imigração européia para o Brasil, é correto afirmar que

a) a visão da imigração presente na pintura é trágica e, no texto, otimista.

b) a pintura confirma a visão do texto quanto à imigração de argentinos para o Brasil.

c) os dois autores retratam dificuldades dos imigrantes na chegada ao Brasil.

d) Antonio Rocco retrata de forma otimista a imigração, destacando o pioneirismo do imigrante.

e) Oswald de Andrade mostra que a condição de vida do imigrante era melhor que a dos ex-escravos.

resposta da questão 10:[C]

Tanto a imagem quanto o texto expressam de forma significativa as difíceis condições em que se estabeleceram os imigrantes europeus no Brasil no contexto da transição do trabalho escravo para o trabalho livre no país.


Questões extras

1. (FGV) A Lei de Terras, aprovada em 1850, duas semanas após a proibição do tráfico de escravos, "tentou pôr ordem na confusão existente em matéria de propriedade rural, determinando que, no futuro, as terras públicas fossem vendidas e não doadas, como acontecera com as antigas sesmarias, estabeleceu normas para legalizar a posse de terras e procurou forçar o registro das propriedades."


Boris Fausto, "História do Brasil", 1994.

Sobre essa Lei de Terras é correto afirmar que:


a) Sua promulgação coincidiu com a Lei Eusébio de Queiroz, mas não há nenhuma relação de causalidade entre ambas.

b) Ao entrar em vigor, não foi respeitada, podendo ser considerada mais uma "lei para inglês ver".

c) Sua promulgação foi concebida como uma forma de evitar o acesso à propriedade da terra por parte de futuros imigrantes.

d) Sua aprovação naquele momento decorreu de os Estados Unidos terem acabado de aprovar uma lei de terras para o seu território.

e) Ao entrar em vigor, teve efeito contrário ao de sua intenção original, que era a de facilitar o acesso à propriedade.

resposta da questão 1:[C]

2. (UFU) A instalação de famílias de colonos estrangeiros, no interior do Brasil, foi inicialmente incentivada pelo governo de D. João VI, durante a permanência da corte e, posteriormente também, pelo governo imperial brasileiro. A colônia de Nova Friburgo (RJ), fundada em 1818 para abrigar cem famílias suíças, e a colônia de São Leopoldo (RS), formada por alemães desde 1824, com apoio do Império, são dois exemplos pioneiros desse tipo de ocupação. Posteriormente, no final do século XIX, as políticas de imigração diversificaram-se e foram amplamente utilizadas. Um exemplo disso foi a imigração subsidiada, especialmente para abastecimento das lavouras de café no sudeste do país. Considere as informações acima e responda ao que se pede.


a) Caracterize duas diferentes formas de imigração adotadas no Brasil ao longo do século XIX.

b) Explique os objetivos principais das duas políticas de imigração incentivadas no Brasil.


resposta da questão 2:


a) O sistema de parceria idealizado pelo senador Vergueiro. O fazendeiro pagava as despesas da viagem do imigrante, fornecia a alimentação a crédito, as ferramentas de trabalho, alguns pés de café e um lote de terra para que plantassse gêneros de subsistência. O imigrante dificilmente conseguia pagar o fazendeiro e ficava preso à fazenda, o que causava tensões e conflitos.

Pela imigração subvencionada, o Estado pagava as despesas de viagem do imigrante, garantia-lhe um salário fixo e participação na colheita.

b) A solução do problema de mão de obra ocasionada pelo fim do tráfico negreiro e a consolidação do trabalho assalariado no país.

3. (UFF) Ao final das guerras de independência na América Espanhola, o clima de instabilidade política alastrou-se por toda parte, multiplicando-se as lutas de facções e a sucessão de governos frágeis em quase todos os territórios hispano-americanos.

Assinale a opção que explica corretamente a instabilidade política vigente na América Espanhola na primeira metade do século XIX.

a) Nesse período não foi possível a formação de blocos de poder hegemônicos que viabilizassem estruturas estatais sólidas nos países resultantes do esfacelamento do império hispano-americano. Isto favoreceu o poder pulverizado e efêmero de vários caudilhos.

b) As economias hispano-americanas estavam totalmente destruídas, rompendo-se, por conseguinte, o comércio com a Europa, outrora vigoroso, e a possibilidade de alianças políticas no interior das classes dominantes.

c) A manutenção das heranças políticas coloniais, sobretudo a estrutura dos Vice-Reinados, favoreceu o caudilhismo e retardou a formação dos Estados Nacionais.

d) A opção pelo regime republicano, ao invés do monárquico, é a chave para se compreender não só a instabilidade política das jovens nações hispano-americanas, mas também a fragmentação territorial e a descentralização dos regimes nelas instauradas.

e) A instabilidade política hispano-americana deveu-se, basicamente, à multiplicação de regimes militares, a exemplo do pan-americanismo bolivariano, herança do pós-independência que marcaria a tradição política do continente.

resposta da questão 3:[A]

Ao final do processo de independência política da América Espanhola houve uma fragmentação do poder político na região com a emergência de novas nações, onde o poder exercido por lideranças locais os chamado caudilhos foi muito forte.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário