quarta-feira, 8 de junho de 2011

Confira a correção das avaliações de História (segunda chamada) do segundo bimestre

AVALIAÇÃO DE HISTÓRIA – SEGUNDA CHAMADA
AVALIAÇÃO DE HISTÓRIA - PRIMEIRO ANO

1. (PITÁGORAS) Observe o gráfico


a) ANALISE o ritmo de crescimento da população colonial entre os séculos XVII e XVIII, relacionando as atividades econômicas predominantes na colônia nesse mesmo período.


resposta: a) No final do século XVII e XVII ocorreu um grande crescimento da população colonial, este rápido crescimento foi motivado pela descoberta de ouro e pedras preciosos no Brasil.

b) COMPARE o desempenho do açúcar e do ouro na pauta de exportações coloniais e estabeleça uma conclusão sobre a importância econômica desses dois produtos para a colônia.

resposta: b) O comércio colonial teve entre seus principais produtos exportados o açúcar e o ouro. Estes foram os produtos que mais deram lucros para a metrópole, embora o açúcar tenha sido o produto que mais deu resultado na pauta das exportações.

2. (PITÁGORAS) A escravidão estimulou pensamentos racistas. Os negros foram escravizados porque eram considerados seres humanos inferiores aos europeus.

Leia as afirmativas relativas à escravidão.


I - Os africanos foram escravizados por serem mais dóceis e aceitarem com serenidade a escravidão.

II - A justificativa dada para buscar negros na África e que os nativos brasileiros eram preguiçosos e não eram dados ao trabalho.

III - A busca de negros na África para serem escravizados só se justifica pelos altos lucros obtidos com o tráfico.

IV – A Igreja foi a única do período colonial que condenava a escravidão negra.

São CORRETAS as afirmativas

A) Apenas a I e II

B) Apenas a I e III

C) Apenas a II e III

D) Apenas a I, III e IV

E) Apenas a I e IV

resposta: C

3. (UFRJ)


(Fonte: Vestibular da UFRJ)
a) DETERMINE o fato histórico retratado no mapa acima.
resposta: a) O tráfico negreiro

b) EXPLIQUE os fatores econômicos que contribuíram para a ocorrência de tal fato.

resposta: b) O tráfico de escravos da África para o Brasil só se explica pelo fato do negro ser considerado um mercadoria que dava grandes lucros dentro do sistema mercantilista.


4. (UFPEL) "No decorrer do período colonial no Brasil os interesses entre metropolitanos e colonos foram se ampliando. O descontentamento se agravou quando, a 1º de abril de 1680, a Coroa estabeleceu a liberdade incondicional dos indígenas, proibindo taxativamente que fossem escravizados. Além disso confiou-os aos jesuítas, que passaram a ter a jurisdição espiritual e temporal das aldeias indígenas. Visando solucionar o problema da mão-de-obra para as atividades agrícolas do Maranhão, o governo criou a Companhia do Comércio do Estado do Maranhão (1682). Durante vinte anos, a Companhia teria o monopólio do comércio importador e exportador do Estado do Maranhão e do Grão-Pará. Cabia-lhe fornecer dez mil escravos africanos negros, à razão de quinhentos por ano, durante o período da concessão outorgada."

(AQUINO, Rubim Santos Leão de [et al.]. "Sociedade Brasileira: uma história através dos movimentos sociais". 3 ed., Rio de Janeiro: Record, 2000.)

Pelos elementos mercantilistas, geográficos e cronológicos, o conflito inferido do texto foi a Revolta

a) dos Emboabas. b) dos Mascates. c) de Amador Bueno. d) de Filipe dos Santos. e) de Beckman.

resposta: E


5. (UNEMAT - 2011) O ciclo econômico da mineração no Brasil trouxe várias consequências e mudanças no contexto colonial. Sobre este ciclo, assinale a alternativa incorreta.

a) O eixo econômico da colônia deslocou-se da região Nordeste para a região Sudeste.

b) Houve acelerado crescimento urbano e o desenvolvimento de um grande mercado consumidor interno na região das Minas.

c) Com a expansão urbana, vários profissionais surgiram na colônia como arquitetos, médicos, artesãos, funcionários públicos, sendo uma sociedade caracterizada pela mobilidade social.

d) Ocorreram algumas revoltas de cunho nativista nesse período, entre elas, a Revolta de Filipe dos Santos ou Revolta de Vila Rica em MG, 1720, que tinha caráter de protesto contra os impostos sobre o ouro e contra a implantação da Casa de Fundição.

e) Na região da mineração não havia opressão fiscal, nem excessivo controle exercido por Portugal sobre a colônia, portanto, não existiram conflitos coloniais.

resposta: E

Questão desafio


(PITÁGORAS) Leia os textos a seguir.


Mulher, mulheres: como seriam no passado? O que faziam? Como viviam, ou melhor, sobreviviam? [...] [Na América Portuguesa, sua quase invisibilidade as identificava "aos de baixo". Isso porque a maioria das mulheres era analfabeta, subordinada juridicamente aos homens e politicamente inexistente. Sua condição as excluía de qualquer exercício de função nas câmaras municipais, na administração eclesiástica, proibindo-as de ocupar cargos de administração que Ihes garantissem reconhecimento social. O sistema patriarcal instalado no Brasil colonial, sistema que encontrou grande reforço na Igreja Católica, que via as mulheres como indivíduos submissos e inferiores, acabou por deixar-Ihes, aparentemente, pouco espaço de ação explícita.

PRIORE, Mary Dei. Mulheres no Brasil Colonial. São Paulo: Contexto, 2000. p. 9-10 (Repensando a História).

Um rápido olhar sobre as ruas e praças das cidades brasileiras logo destaca a crescente e colorida presença das mulheres, marcando fortemente uma diferença em relação ao passado. Os espaços públicos se tornam menos constrangedores, percebe a observadora recém-chegada, concluindo que houve uma grande mudança nos hábitos e costumes da população. Progressivamente também nota que nos postos de gasolina, nos restaurantes e bares, nas lojas, bancos, empresas, nas escolas e universidades, ou nas delegacias, seu número aumentou consideravelmente, mesmo que, muitas vezes, não nos postos de comando. Ainda assim, uma mulher é a atual prefeita da maior cidade do país e as negras começam a compor o ministério do governo de esquerda. Alvarez, Sonia - Engendering Democracy in Brazil. Princeton University Press, 1990

Após uma leitura dos textos ESTABELEÇA as permanências e as rupturas na condição da mulher no Brasil Colonial e na atualidade.

resposta: Na atualidade as mulheres obtiveram grandes conquista e cada vez mais vai buscando seu espaço na sociedade. A presença da mulher pode ser notada em todos os setores da vida econômica, política e social. A situação da mulher mudou consideravelmente, porém ainda percebemos que em muitos a mulher é marginalizada. Na relação de trabalho ainda são os homens que ocupam a maioria dos cargos de chefia e ainda ganham os melhores. Percebemos que muita coisa mudou, mas ainda esta longe de ser o ideal.


AVALIAÇÃO DE HISTÓRIA - SEGUNDO ANO

1. (PITÁGORAS) Com relação ao Brasil Imperial pode-se afirmar que a organização política do Segundo Reinado é percebida essencialmente como produto do triunfo da elite agrária. Isto teria motivado a população a compor o seguinte versinho:

Por subir Pedrinho ao trono

Não fique o povo contente

Não pode ser boa coisa

Subindo com a mesma gente.

Analisando o versinho acima podemos INFERIR que

a) o Segundo Reinado foi um período de grandes transformações sociais.

b) a figura inexpressiva do imperador possibilitou a adoção do voto livre e universal.

c) os partidos passam a apoiar o imperador sem nenhum interesse político.

d) a manutenção da elite agrária no poder impossibilitou as transformações econômicas e sociais.

e) as disputas políticas partidárias contribuíram para o surgimento do pluripartidarismo no Brasil.

RESPOSTA: D

2. (PITÁGORAS) Observe o fluxograma abaixo.




Fonte: Livro 4, Ensino Médio, Coleção Pitágoras,1999

a) IDENTIFIQUE os partidos de maior expressão durante o II Reinado.

resposta: a) Os partidos Liberal e Conservador.

b) DETERMINE os objetivos políticos dos partidos identificados.

resposta: b) Os Partidos Liberal e Conservador não tinham grandes diferenças ideológicas, mas buscavam sempre estar no poder.

3. (PITÁGORAS) A implantação do café no Brasil provocaria diversas transformações socioeconômicas, entre as quais a estabilização financeira, a implantação de um mercado interno e a formação de uma nova aristocracia. Em 1850, o Brasil passaria por um surto industrial. Na política interna, a característica principal seria a conciliação partidária.

INDIQUE duas diferenças entre a cafeicultura no Vale do Paraíba e a cafeicultura no Oeste Paulista. resposta: No Vale do Paraíba predominava a mão de obra escrava e utilizavam-se técnicas mais rudimentares de cultivo agrícola, ao passo que no Oeste Paulista, apesar da utilização de escravos, foi incentivado o uso de mão de obra livre de imigrantes europeus, a produção era de melhor qualidade pois se utilizava de técnicas mais modernas de cultivo do café.


4. (PITÁGORAS) “A lei 3353, de 13 de maio de 1888, foi o ponto culminante de um conjunto de transformações econômicas e sociais que, na segunda metade do século XIX, desencadearam o processo de transição do trabalho escravo para o trabalho livre no país. Essas transformações, que se chocavam com uma estrutura política centralista e unitária, foram fatores determinantes para a crise do Segundo Reinado e a consequente substituição do Império pela República”.

MELLO, Leonel Itaussu, História do Brasil. Ed. Scipione, São Paulo, 1999

Os principais fatores que contribuíram para a crise do Segundo Reinado foram, EXCETO

a) A questão Religiosa.

b) A questão Abolicionista.

c) A questão Militar.

d) A campanha Republicana.

e) A Questão Christie.

resposta: E

5. (UFRJ) “A produção artística desse período [fundação do Império do Brasil] é caracterizada, sobretudo, pela absorção do romantismo e apresenta alguns traços distintivos. Em primeiro lugar, o interesse e a proteção pessoais do imperador D. Pedro II – monarca que construiu a imagem pública de político liberal e intelectual amante das ciências e das artes. Em segundo lugar, as artes em geral (...) vão fazer parte nesse momento de esforço político de construção do imaginário da nova nação, buscando os temas nacionais dentro de um modelo de uma história celebrativa dos fatos e dos homens relevantes à sua soberania – como a Guerra do Paraguai, por exemplo – e dos elementos constitutivos de sua formação étnica peculiar - em especial o indianismo.”
(PEREIRA, Sonia Gomes. A arte brasileira no século XIX. BH, C/ Arte, 2008. p. 34)
Assinale a imagem que NÃO corresponde à citação apresentada acima:



a) Vitor Meireles. A Primeira Missa no Brasil. Óleo s/ tela, 1860, 268 x 356 cm (MNBA – RJ)



b) Francisco Chaves Pinheiro. Alegoria ao Império Brasileiro. 1872, 192 X 75 X 31 cm. (MNBA – RJ)



c) Ex-voto, Batalha dos Guararapes. Óleo s/ tela, 1758, 122 X 217 cm (Museu Histórico Nacional – RJ)




d) Pedro Américo.D. Pedro II na Abertura da Assembléia Geral. 1872, óleo s/ tela, 288 X 205 cm. (Museu Imperial – Petrópolis RJ)



e) Vitor Meireles. Moema. Óleo s/ tela, 1866, 129 X 190 cm (Masp – SP)

resposta: C


Questão desafio (PITÁGORAS) Analise as tabelas que se seguem.


EXPLIQUE o que motivou a queda na importação de escravos a partir de 1850, bem como o aumento nos preços dos escravos no referido período.

resposta: A adoção da Lei Eusébio de Queirós que proibia definitivamente o tráfico negreiro no Brasil.


AVALIAÇÃO DE HISTÓRIA - TERCEIRO ANO


1. (PITÁGORAS) Analise o gráfico sobre as principais exportações do Brasil.




Analisando o gráfico sobre a economia do Primeiro Reinado, podemos CONCLUIR que

a) a economia brasileira mantinha o mesmo perfil do período colonial baseada na agricultura de subsistência.

b) a atividade açucareira ainda era a principal fonte de renda e o açúcar o produto mais exportado.

c) o fumo e o couro eram os principais produtos exportados visto que eram usados na compra de escravos.

d) o café surgiu como principal produto de exportação superando os demais produtos.

e) as exportações de algodão declinaram devido ao aumento da produção de roupas de couro.


resposta: B



2. (PUC-PR) "Esta batalha vamos vencer. Después alguém conta a notícia para Bento Gonçalves, lá no Rio de Janeiro, para alegrá-lo um pouco em seus pesares. O tio há de apreciar essa vitória. Uma vitória macanuda. Os imperiais estão fugindo feito formigas." (Wierzchowski, Letícia. "A casa das sete mulheres". 5ª ed.,Record, 2003, p.149).

O texto lembra a:

a) Cabanagem.

b) Revolução Federalista.

c) Sabinada.

d) Balaiada.

e) Revolução Farroupilha.

resposta: E


3. (PITÁGORAS) Analise a tabela sobre os produtos de exportação do Brasil.



Analisando a tabela sobre a economia do Segundo Reinado podemos CONCLUIR que

a) o Brasil deixou de ser um país monocultor e diversificou sua pauta de exportação sendo o café o principal produto exportado.

b) a segunda fase da Revolução Industrial ocorrida a partir de 1850 contribuiu para que o algodão tornasse o produto mais exportado.

c) o fim do tráfico negreiro ocorrido a partir de 1850 contribuiu para queda das exportações de café devido a falta de mão-de-obra.

d) a entrada maciça de imigrantes ingleses ocorrida na segunda metade do século XIX, fez com que a Erva-mate tornasse o principal produto agrícola brasileiro.

e) a diversificação da agricultura de exportação foi um dos fatores que contribuiu para o grande desenvolvimento industrial brasileiro no final do século XIX.

resposta: A

4. (PITÁGORAS) Antes da guerra, o Paraguai era uma potência econômica na América do Sul. Além disso, era um país independente das nações europeias. Para a Inglaterra, um exemplo que não deveria ser seguido pelos demais países latino-americanos, que eram totalmente dependentes do império inglês. Foi por isso, que os ingleses ficaram ao lado dos países da Tríplice Aliança, emprestando dinheiro e oferecendo apoio militar. Era interessante para a Inglaterra enfraquecer e eliminar um exemplo de sucesso e independência na América Latina. Após este conflito, o Paraguai nunca mais voltou a ser um país com um bom índice de desenvolvimento econômico, pelo contrário, passa atualmente por dificuldades políticas e econômicas.

www.historiadobrasil.net/guerraparaguai

DETERMINE dois reflexos políticos e econômicos para o Brasil a partir da Guerra do Paraguai

resposta: Aumento da dívida externa brasileira, enfraquecimento político do império e fortalecimento da causa republicana e abolicionista.


5. (UFBA - adaptada) TEXTO 1: Eu não vejo salvação possível para o estado desolador desta província, senão quando variarmos de cultura e tratarmos de proteger direta e indiretamente a indústria manufatureira. Sem esta indústria não pode manter-se a riqueza pública. (Gordilho apud ALENCAR, p. 150)

TEXTO 2: Não pertenço ao número dos que se incomodam por existir em nossa Província um só gênero de cultura: em regra geral ninguém vai explorar uma fonte de que lhe provenha receita menor, quando pode ter outra mais abundante. (Barão de Parnaíba apud TEIXEIRA, p. 205) Com base na análise dos textos, EXPLIQUE como era a situação econômica do Brasil durante o Segundo Reinado.

resposta: De acordo com o texto é possível inferir que a economia brasileira permanecia com as mesmas características que predominaram durante todo o período colonial brasileiro tais como a monocultora, as grandes propriedades agrárias (latifúndios) e a mão de obra escrava.

Questão extra (PITÁGORAS) Leia a quadrinha a seguir.

"Passa fora pé de chumbo Vai-te do nosso Brasil Que o Brasil é brasileiro Depois do 7 de Abril".

a) IDENTIFIQUE o acontecimento retratado na quadrinha.

resposta: A abdicação de D. Pedro I.

b) DETERMINE dois fatores que contribuíram para o fato histórico retratado pela quadrinha.

resposta: O crescimento da impopularidade do imperador, o aumento da crise econômica, o autoritarismo de D. Pedro I, a perda da Guerra da Cisplatina, o envolvimento do imperador na crise de sucessão do trono português, entre outros fatores.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário