sábado, 6 de agosto de 2011

Confira as provas de História (P1) do Terceiro Bimestre

AVALIAÇÃO DE HISTÓRIA

PRIMEIRO ANO

1. (CNDL) Observe atentamente as imagens abaixo.

Tiradentes Esquartejado, quadro que ficou praticamente esquecido por 70 anos e depois foi incorporado pela cultura de massa




















Pedro Américo. Tiradentes Esquartejado.

Cândido Portinari. Despojos de Tiradentes.

Apresente a leitura das obras mencionadas acima enfatizando o tema em comum retratado nas mesmas e explicando os motivos que levaram a Coroa Portuguesa a estabelecer uma pena tão severa contra esta personagem da História do Brasil.

Resposta: As telas mostram a morte e esquartejamento de Tiradentes. A punição da Coroa portuguesa foi severa para desencorajar a eclosão de novas revoltas coloniais.

2. É característica comum das três últimas rebeliões do Período Colonial – Inconfidência Mineira, Conjuração Baiana e Revolução Pernambucana

a) o fato de terem sido lideradas pelos mesmos grupos sociais.

b) defenderem a adoção do mesmo tipo de governo revolucionário.

c) apresentarem medidas reivindicatórias, sem oferecerem um projeto de separação política de Portugal.

d) sofrerem influências de ideais políticos externos, principalmente franceses e norte-americanos.

Resposta: [D]

3. (PITÁGORAS) Leia o fragmento abaixo.

LIBERDADE, AINDA QUE TARDE,

Ouve-se em redor da mesa.

E a bandeira já está viva,

e sobe, na noite imensa.

E os seus tristes inventores

já são réus -pois se atreveram' .

a falar em liberdade

(que ninguém sabe o que seja).

(...)

(Liberdade -essa palavra

que o sonho humano alimenta:

que não há ninguém que explique,

e ninguém que não entenda!)

MEIRELES, Cecília. Romanceiro da Inconfidência.

O trecho acima refere-se à Conjuração Mineira. Sobre ela é correto afirmar, EXCETO

A) o movimento foi influenciado pelas ideias iluministas.

B) o movimento propunha acabar com a escravidão no Brasil.

C) os planos dos inconfidentes foram delatados e desta forma o movimento foi abafado.

D) os inconfidentes propunham a independência de Minas e não da colônia como um todo.

E) o movimento foi reprimido violentamente e a pena exemplar foi imposta a Tiradentes sendo este executado.

resposta: [B]

4. (PITÁGORAS) Leia o texto abaixo.

“Os sentimentos antilusitanos presentes durante todo o período colonial baseavam-se, entre outros motivos, nos interesses conflitantes entre os proprietários de terras e os comerciantes portugueses. Se esses sentimentos não eram novos, a situação agravou-se a partir de 1815 com a crise econômica nordestina derivada da baixa do preço do açúcar e do algodão no mercado internacional a que se aliou uma intensa seca que prejudicou ainda mais os proprietários rurais nordestinos. Insatisfeitos os nordestinos rebelaram contra o governo português sediado no Rio de Janeiro”.

Fonte: ANASTASIA, Carla Maria Junho. História - Ensino Médio. 1ª Série. Belo Horizonte. Ed. Educacional.

O texto faz REFERÊNCIA à

A) Revolta de Beckman

B) Guerra dos Mascates

C) Confederação do Equador

D) Guerra dos Emboaba

E) Revolução de 1817

Resposta: [E]

5. (PITÁGORAS) O texto e a charge abaixo fazem referências a um movimento de insatisfação ocorrido no Brasil na segunda metade do século XVIII. Após analisá-los responda à questão.

"Na mineração, como de resto em qualquer atividade econômica da colônia, a força de trabalho era basicamente escrava, havendo, entretanto grupos de trabalhadores livres ou semilivres. Dificilmente o homem livre e pobre poderia se manter como proprietário, sobretudo em Minas, região que, apesar de tida tradicionalmente como rica e democrática, apresentava possibilidades favoráveis apenas a um pequeno número de pessoas, mesmo assim a Metrópole mantinha um rígido aparato fiscal e repressor na região."

(DESCLASSIFICADOS DO OURO, Laura de Mello e Souza)

Fonte: NOVAES, Carlos Eduardo & LOBO, César. História do Brasil para principiantes. São Paulo, Ática, 1998. P. 122.

Relacione a imagem e o fragmento do texto ao movimento emancipacionista ocorrido na região mineradora.

Resposta: A Inconfidência Mineira foi um movimento organizado pela elite mineradora, motivada sobretudo pelo abusiva cobrança de impostos e a imposição da derrama

QUESTÃO DESAFIO

(PITÁGORAS)

Aviso ao povo Bahiense

Ó vós, Homens cidadãos; ó vós, Povos curvados, e abandonados pelo Rei, pelos seus despotismos, pelos seus Ministros.

Ó vós, Povo, que nascesteis para sereis livre e para gozares dos bons efeitos da Liberdade, ó vós Povos que viveis flagelado com o pleno poder do indigno coroado, esse mesmo rei que vós criastes; esse mesmo rei tirano é quem se firma no trono para vos veixar; para vos roubar e para vos maltratar.

Homens, o tempo é chegado para a vossa ressurreição, sim para ressuscitareis do abismo da escravidão, para levantareis a sagrada Bandeira da Liberdade.

A Conjuração Baiana foi um movimento separatista ocorrido na Bahia em 1798. Sobre este movimento pode-se AFIRMAR

A) O movimento foi influenciado pelos ideais de liberdade defendidos pelas Revoluções Puritana e Gloriosa ocorridas na Inglaterra.

B) Os revoltosos defendiam a transformação da colônia brasileira em uma República autônoma, governada por integrantes da elite agrária açucareira.

C) A Conjuração Baiana influenciou outros movimentos revolucionários como a Guerras dos Emboabas e a Guerra dos Mascates.

D) O movimento não deu resultado pelo fato das lideranças não terem chegado ao consenso sobre a questão da escravidão.

E) O movimento foi influenciado pelas ideias da loja maçônica Cavaleiros da Luz, que defendiam a república, a liberdade e a igualdade entre os homens.

Resposta: [E]


SEGUNDO ANO

1. (FUVEST) A expressão “política do café com leite” é muito utilizada para caracterizar a Primeira República no Brasil. Sobre essa política, descreva

a) seu funcionamento.

b) seu colapso na década de 1920.

Resposta:

a) A Política do Café com Leite caracterizou-se pelo domínio das oligarquias paulista e mineira na política nacional, com a alternância de poder entre seus representantes. Para garantir esse predomínio foi indispensável a montagem e manutenção de um sistema eleitoral que permitisse o controle do eleitorado e conseqüentemente a garantia do resultado das eleições, isso se dava através do “voto de cabresto” e da “Política dos Governadores”.

b) O colapso da “Política do café com leite” é percebida ao longo da década de 20, a partir de um conjunto de manifestações contrárias ao predomínio das oligarquias e que refletem a crescente urbanização do país, como a manutenção das mobilizações operárias e do movimento sindical, o movimento militar tenentista que se colocou frontalmente contra os mecanismos de poder vigentes, o Movimento Modernista, que questionou os valores culturais e comportamentais, e a organização do empresariado urbano com o apoio crescente da pequena classe média. Soma-se a essa situação a crise de superprodução agravada na década, que foi responsável pela ruptura eleitoral entre o PRP e o PRM, manifestada na escolha de Julio Prestes como candidato em 1930, em um momento onde se faziam sentir os primeiros efeitos da quebra da Bolsa de valores de Nova York.

2. (UNESP) Entre 11 e 16 de fevereiro de 1922, realizou-se no Teatro Municipal de São Paulo a Semana de Arte Moderna. Segundo Mário de Andrade, as mudanças ocorridas a partir da Semana de 22 e do Movimento Modernista significaram a fusão de três princípios: o direito permanente à pesquisa estética, a atualização da inteligência artística brasileira e a estabilização de uma consciência criadora nacional. Está inteiramente correto considerar como consequências da Semana de Arte Moderna:

a) a formação de uma geração de artistas que romperam com a arte barroca; o reconhecimento e a valorização das expressões artísticas do Renascimento Italiano; a formação de grupos de artistas e salões de arte moderna em todo o Brasil.

b) a formação de uma geração de artistas acadêmicos; o reconhecimento e a valorização das expressões artísticas da Missão Artística Francesa; a formação de grupos de artistas e de salões de arte neoclássicos.

c) a formação de uma geração de artistas que romperam com a estética modernista; o reconhecimento e a valorização das expressões artísticas contemporâneas; a formação de grupos de artistas e salões de arte em São Paulo e no Rio de Janeiro destinados a exposições de arte moderna.

d) a formação de uma geração de artistas que romperam com os ditames acadêmicos; o reconhecimento e a valorização das expressões artísticas dos primitivos; a formação de grupos de artistas, tais como o Clube dos Artistas Modernos e a Sociedade Pró Arte Moderna de São Paulo.

e) a formação de uma geração de artistas que romperam com o estilo clássico; o reconhecimento e a valorização das expressões artísticas do estilo Rococó; a formação de grandes exposições de Arte, como a Bienal de São Paulo.

Resposta: [D]

3. (UFSC/adaptada) Na década de 1920, eclode no Brasil um descontentamento de um setor militar, o qual ficou conhecido como “tenentismo”. Em relação a este assunto, é CORRETO afirmar que:

a) o movimento tenentista pregava a moralização da vida pública, o combate a corrupção e a defesa dos interesses nacionais e da implantação do voto secreto.

b) dentre sua liderança destacou-se Luís Carlos Prestes, que liderou a “Coluna Prestes” e percorreu mais de 24.000 km pelo interior do Brasil. Seu maior objetivo era depor o governo de Getúlio Vargas.

c) a “Coluna Prestes” propunha criar mecanismos de sustentação ao presidente Artur Bernardes e da República Oligárquica.

d) o movimento tenentista foi fortalecido no sertão nordestino com o apoio decisivo de “Lampião”, líder dos cangaceiros.

e) a “Coluna Prestes” sempre foi derrotada pelas tropas do exército, por esse motivo, internou-se na Bolívia onde se dispersou em 1927. Seu líder maior, Luís Carlos Prestes, ficou conhecido como “Cavaleiro da Esperança”.

Resposta: [A]

4. (Mackenzie) Contribuíram para a eclosão da Revolução de 1930:

a) o programa da Aliança Liberal, francamente favorável aos setores rurais e oligárquicos da República Velha.

b) a oposição de João Pessoa aos políticos aliancistas, fato que culminou com seu assassinato.

c) O apoio do Tenentismo ao governo de Washington Luís e a política oligárquica.

d) A vitória de Getúlio Vargas nas eleições e a ameaça de golpe pelos situacionistas.

e) A ruptura da Política do Café com Leite nas eleições de 1930, em decorrência da crise econômica que afetou o setor cafeeiro.

Resposta: [E]

5. (UECE-2008) "A década de 1920 terminou presenciando uma das poucas campanhas eleitorais da Primeira República em que houve autêntica competição para o cargo da Presidência".

(FONTE: CARVALHO, José Murilo. Marco Divisório. In "Cidadania no Brasil: o longo caminho". Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001, pp.89-126.)

Assinale a alternativa que contém os nomes dos dois candidatos que disputaram a Presidência da República, na ocasião.

a) Washington Luis e Getúlio Vargas.

b) Washington Luis e Júlio Prestes.

c) Hermes da Fonseca e Getulio Vargas.

d) Getúlio Vargas e Júlio Prestes.

Resposta: [D]

QUESTÃO DESAFIO

(CNDL) No início da década de 1930 ocorreu a emergência de uma nova ordem no Brasil a partir do movimento de 1930 que levou Getúlio Vargas ao poder. Contudo, a implantação dessa nova ordem foi precedida por uma década – a de 1920 – que trazia em si os prenúncios dessas profundas mudanças.

Explique por que a década de 1920 foi o prenúncio de uma nova ordem no Brasil e mencione o nome de três importantes movimentos ocorridos nessa época no país.

TERCEIRO ANO

1. (UFF) “A Revolução de 1930 pôs fim à hegemonia do café, desenlace inscrito na própria forma de inserção do Brasil no sistema capitalista internacional”.

(Fausto, Bóris. A revolução de 30: Historiografia e História. SP, Brasiliense, 1972, p.112).

a) Vários fatores sociais determinaram este processo revolucionário. Cite dois deles.

b) Analise os desdobramentos da Revolução de 1930 na industrialização brasileira.

Resposta: Na alternativa “a” você tem uma ampla gama de personagens que podem ser citados, dentre eles os tenentes, as oligarquias dissidentes, as oligarquias não cafeeiras, os tenentes civis, os setores médios urbanos, as classes médias (expressas pelo tenentismo), a Aliança Liberal, a oligarquia gaúcha, a dissidência de Minas Gerais e os setores operários.

Na “b” você pode responder que com a derrota da oligarquia cafeeira ou com a saída da burguesia paulista do poder, o Estado procurou reorientar a economia para o desenvolvimento da indústria pesada, de modo a superar a dependência do país das exportações do café. A burguesia industrial alinhou-se às forças vitoriosas, já que a política de câmbio baixo, favorável às exportações cafeeiras, lhe era desfavorável. O novo Estado, postulando a estabilidade cambial, criou uma conjuntura favorável à industrialização, pois assim tornava-se mais barata e fácil a importação de máquinas e equipamentos industriais. Assim, a partir dos efeitos negativos da crise de 29 sobre o preço do café, o que deixou evidente a situação precária do país em manter-se na dependência estrita da exportação de um só produto-chave, o governo passa a estimular o desenvolvimento industrial, fosse pelo favorecimento do câmbio alto, fosse pelo fato de o próprio Estado passar a investir em indústrias de base, tais como siderúrgica, de álcalis, de motores, hidrelétricas etc.

2. (ENEM) O autor da constituição de 1937, Francisco Campos, afirma no seu livro, O Estado Nacional, que o eleitor seria apático; a democracia de partidos conduziria à desordem; a independência do Poder Judiciário acabaria em injustiça e ineficiência; e que apenas o Poder Executivo, centralizado em Getúlio Vargas, seria capaz de dar racionalidade imparcial ao Estado, pois Vargas teria providencial intuição do bem e da verdade, além de ser um gênio político.

CAMPOS, F. O Estado nacional. Rio de Janeiro: José Olympio, 1940 (adaptado).

Segundo as ideias de Francisco Campos,

a) os eleitores, políticos e juízes seriam mal-intencionados.

b) o governo Vargas seria um mal necessário, mas transitório.

c) Vargas seria o homem adequado para implantar a democracia de partidos.

d) a Constituição de 1937 seria a preparação para uma futura democracia liberal.

e) Vargas seria o homem capaz de exercer o poder de modo inteligente e correto.

Resposta: [E]

(UERJ-modificada) Reza a lenda que, numa noite chuvosa de agosto de 39, Ary estava na sua sala, jogando conversa fora com a patroa e um casal de cunhados. De repente, levantou do sofá e disse, indo pro piano (...): vou fazer um samba cheio de inovações. Começou imitando no teclado a batida de um tamborim e, meia hora depois, música e letra estavam prontas. O cunhado foi o primeiro a esboçar um protesto que acompanharia a canção até hoje: coqueiro que dá coco, Ary? E você queria que ele desse o quê?!? Ary não deu bola. (...) Ele, esperto como sempre foi, sabia que estava inventando um gênero, o samba-exaltação. Com sua letra que cantava o bom e o belo dessa terra, estava inaugurando uma nova era, numa época onde marchas e sambas, como diria Noel Rosa, só falavam de mulher, malandragem e prontidão (falta de grana). (...) O fato é que nunca se descobriu se a Aquarela foi mesmo composta ou não sob encomenda de Getúlio.

Em 2003, comemorou-se o centenário do nascimento de um dos maiores compositores da Música Popular Brasileira, Ary Barroso. O samba-exaltação, sua criação, foi utilizado como peça de propaganda pelo Estado Novo.

Explique de que forma o Estado Novo utilizou-se de manifestações da cultura popular, como o samba, em seu projeto de legitimação.

Resposta : O Estado Novo apropriou-se dessas manifestações para exaltar o nacionalismo e consolidar ideias de uma só cultura e de uma só nação, propiciando, assim, a incorporação social e a valorização dos trabalhadores urbanos, necessários ao processo de industrialização como cidadãos.

4. (ENEM) A partir de 1942 e estendendo-se até o final do Estado Novo, o Ministro do Trabalho, Indústria e Comércio de Getúlio Vargas falou aos ouvintes da Rádio Nacional semanalmente, por dez minutos, no programa “Hora do Brasil”. O objetivo declarado do governo era esclarecer os trabalhadores acerca das inovações na legislação de proteção ao trabalho.

GOMES, A. C. A invenção do trabalhismo. Rio de Janeiro: IUPERJ / Vértice. São Paulo: Revista dos Tribunais, 1988 (adaptado).

Os programas “Hora do Brasil” contribuíram para

a) conscientizar os trabalhadores de que os direitos sociais foram conquistados por seu esforço, após anos de lutas sindicais.

b) promover a autonomia dos grupos sociais, por meio de uma linguagem simples e de fácil entendimento.

c) estimular os movimentos grevistas, que reivindicavam um aprofundamento dos direitos trabalhistas.

d) consolidar a imagem de Vargas como um governante protetor das massas.

e) aumentar os grupos de discussão política dos trabalhadores, estimulados pelas palavras do ministro.

Resposta: [D]

5. Observe a charge abaixo.

NOVAES, Carlos Eduardo & LOBO César. História de Brasil para principiantes. Ática. 2003, p. 230.

Assinale a alternativa que explica a importância do rádio durante o Estado Novo (1937-1945).

a) O rádio era um bem de consumo de fácil acesso, portanto um meio de comunicação de massa.

b) O rádio divulgava, em todo o território nacional os novos produtos que surgiam com a industrialização.

c) O rádio levava as mensagens de Vargas ao povo brasileiro, criando uma imagem positiva do presidente.

d) O rádio contribuiu para popularizar a música norte-americana em todo o país.

e) O rádio foi responsável pela divulgação de programas jornalísticos, diante da falta de novelas e programas humorísticos.

Resposta: [C]

QUESTÃO DESAFIO

(Fuvest 2010) O conceito de revolução, aplicado ao movimento de 1930 no Brasil, e alvo de polêmica entre historiadores. Independentemente da controvérsia, não há como negar que houve mudanças importantes, nessa década, com relação as diretrizes da política econômica e a questão social.

Explique as mudanças no que se refere a

a) política econômica.

b) questão social.

a) Durante a Era Vargas, decorrente do movimento de 1930, a política econômica concentrou-se no estimulo a diferentes atividades produtivas, visando minimizar os efeitos da hegemonia da cafeicultura e, sobretudo promover a industrialização com vistas à substituição das importações.

b) No plano social, no início do governo Vargas foram concedidos os primeiros direitos trabalhistas e mais tarde, foram criadas a Previdência Social e a CLT (Consolidação das Leis Trabalhistas). Também foram legalizados os sindicatos, porém mantidos sob a tutela do Estado no que se convencionou chamar de “peleguismo”. Verifica-se ainda na Era Vargas, o início da aceleração do processo de urbanização.

Um comentário:

  1. Valeu, Edenilson, continue desenvolvendo esse trabalho maravilhoso!

    ResponderExcluir