sábado, 5 de março de 2011

Confira o Simulado Notrevest com as questões de História do Brasil (Primeiro bimestre)

Questões simulado CNDL – PRIMEIRO BIMESTRE 2011


PRIMEIRO ANO – HISTÓRIA DO BRASIL

1. (UFRS) As Câmaras municipais foram instituições fundamentais em todos os lugares onde houve a presença do Império ultramarino lusitano. Na América portuguesa não foi diferente, pois nas principais aglomerações urbanas elas exerciam um papel político essencial.

Considere as seguintes afirmações, referentes à caracterização dessas instituições. ´

I - Eram os canais de expressão política das elites locais, dos "homens bons" residentes nas diferentes vilas coloniais. Através da ocupação dos cargos na Câmara, essas elites expressavam suas demandas junto aos poderes centrais, como os governadores e a própria Coroa.

II - Eram órgãos legislativos dedicados à aplicação das Ordenações Filipinas, sendo a eleição para os cargos camarários feita pelo voto direto e democrático do conjunto da população.

III - Eram corpos deliberativos para os quais podia ser elegível a maior parte da população, excetuando-se somente os escravos africanos e os indígenas. Quais estão corretas?

a) Apenas I.

b) Apenas III.

c) Apenas I e II.

d) Apenas I e III.

e) Apenas II e III.



2. (UNESP) O Brasil foi dividido em quinze quinhões, por uma série de linhas paralelas ao equador que iam do litoral ao meridiano de Tordesilhas, sendo os quinhões entregues (...) [a] um grupo diversificado, no qual havia gente da pequena nobreza, burocratas e comerciantes, tendo em comum suas ligações com a Coroa. (Boris Fausto, "História do Brasil".)

No texto, o historiador refere-se às

a) câmaras setoriais.

b) sesmarias.

c) colônias de povoamento.

d) capitanias hereditárias.

e) controladorias.



3. (UFMG) Leia este trecho do documento:







Eu el-rei faço saber a vós [...] fidalgo de minha casa que vendo eu quanto serviço de Deus e meu é conservar e enobrecer as capitanias e povoações das terras do Brasil e dar ordem e maneira com que melhor e seguramente se possam ir povoando para exaltamento da nossa santa fé e proveito de meus reinos e senhorios e dos naturais deles ordenei ora de mandar nas ditas terras fazer uma fortaleza e povoação grande e forte em um lugar conveniente para daí se dar favor e ajuda às outras povoações e se ministrar justiça e prover nas coisas que cumprirem a meus serviços e aos negócios de minha fazenda e a bem das partes [...]


É CORRETO afirmar que, nesse trecho de documento, se faz referência




a) à criação do Governo Geral, com sede na Bahia.

b) à implantação do Vice-Reinado no Rio de Janeiro.

c) à implementação da Capitania-sede em São Vicente.

d) ao estabelecimento de Capitanias Hereditárias, no Nordeste.

GABARITO


1. A

2. D

3. A





SEGUNDO ANO – HISTÓRIA DO BRASIL



1. (UNESP) Sobre as revoltas do Período Regencial (1831-1840), é correto afirmar que

a) indicavam o descontentamento de diferentes setores sociais com as medidas de cunho liberal e antiescravista dos regentes, expressas no Ato Adicional.

b) algumas, como a Farroupilha (RS) e a Cabanagem (PA), foram organizadas pelas elites locais e não conseguiram mobilizar as camadas mais pobres e os escravos.

c) provocavam a crise da Guarda Nacional, espécie de milícia que atuou como poder militar da Independência do país até o início do Segundo Reinado.

d) a Revolta dos Malês (BA) e a Balaiada (MA) foram as únicas que colocaram em risco a ordem estabelecida, sendo sufocadas pelo Duque de Caxias.

e) expressavam o grau de instabilidade política que se seguiu à abdicação, o fortalecimento das tendências federalistas e a mobilização de diferentes setores sociais.

2. (ENEM) Substitui-se então uma história crítica, profunda, por uma crônica de detalhes onde o patriotismo e a bravura dos nossos soldados encobrem a vilania dos motivos que levaram a Inglaterra a armar brasileiros e argentinos para a destruição da mais gloriosa república que já se viu na América Latina, a do Paraguai.

CHIAVENATTO, J. J. Genocídio americano: A Guerra do Paraguai. São Paulo: Brasiliense, 1979 (adaptado).


O imperialismo inglês, "destruindo o Paraguai, mantém o status quo na América Meridional, impedindo a ascensão do seu único Estado economicamente livre". Essa teoria conspiratória vai contra a realidade dos fatos e não tem provas documentais. Contudo essa teoria tem alguma repercussão. DORATIOTO. F. Maldita guerra: nova história da Guerra do Paraguai. São Paulo: Cia. das Letras, 2002 (adaptado).

Uma leitura dessas narrativas divergentes demonstra que ambas estão refletindo sobre

a) a carência de fontes para a pesquisa sobre os reais motivos dessa Guerra.

b) o caráter positivista das diferentes versões sobre essa Guerra.

c) o resultado das intervenções britânicas nos cenários de batalha.

d) a dificuldade de elaborar explicações convincentes sobre os motivos dessa Guerra.

e) o nível de crueldade das ações do exército brasileiro e argentino durante o conflito.

3. (ENEM) O texto a seguir foi extraído de uma crônica de Machado de Assis e refere-se ao trabalho de um escravo:

Um dia começou a guerra do Paraguai e durou cinco anos, João repicava e dobrava, dobrava e repicava pelos mortos e pelas vitórias. Quando se decretou o ventre livre dos escravos, João é que repicou. Quando se fez a abolição completa, quem repicou foi João. Um dia proclamou-se a República. João repicou por ela, repicaria pelo Império, se o Império retornasse. (Machado de Assis. Crônica do escravo João, 1897.)

A leitura do texto permite afirmar que o sineiro João:

a) Por ser escravo, tocava os sinos, às escondidas, quando ocorriam fatos ligados à Abolição.

b) Não poderia tocar os sinos pelo retorno do Império, visto que era escravo.

c) Tocou todos os sinos pela República, proclamada pelos abolicionistas que vieram libertá-lo.

d) Tocava os sinos quando ocorriam fatos marcantes porque era costume fazê-lo.

e) Tocou os sinos pelo retorno do Império, comemorando a volta da Princesa Isabel.

4. (UFMG) Analise estas duas imagens:





Relacionando-se essas imagens à crise da ordem imperial brasileira, é CORRETO afirmar que elas expressam

a) a força dos ideais contrários à abolição da escravidão e à república, que retardou a crise da ordem imperial brasileira após a Guerra do Paraguai.

b) a fusão dos ideais monárquicos e republicanos, o que ajudou a acelerar a abolição da escravidão no final do século XIX.

c) o militarismo predominante no Império do Brasil, indicado pela presença marcante dos militares - inclusive o próprio Imperador - no poder.

d) os efeitos da Guerra do Paraguai sobre a ordem imperial e a crescente influência do republicanismo no cenário político brasileiro.


GABARITO

1. E

2. D

3. D

4. D

TERCEIRO ANO – HISTÓRIA DO BRASIL




Nova História Crítica da América, São Paulo, Editora Atual, 1996, p. 36.





1. A charge acima está relacionada a um importante problema da estrutura social e econômica brasileira. Marque a alternativa que melhor traduz o conteúdo da charge.

a) A charge faz referência à concentração de terra no Brasil, problema que tem suas raízes na estrutura agrária criada no período da colonização.

b) A charge faz referência ao processo da escravidão no período colonial e mantido durante a fase monárquica brasileira.

c) A charge analisa, de forma irônica, o processo de divisão das terras, iniciado a partir de 1850, com a lei de terras.

d) Os personagens da charge são colonos preocupados em defender os seus interesses agrários, por isso recebem apoio de um grande proprietário.

2. (ENEM) Os tropeiros foram figuras decisivas na formação de vilarejos e cidades do Brasil colonial. A palavra tropeiro vem de "tropa" que, no passado, se referia ao conjunto de homens que transportava gado e mercadoria. Por volta do século XVIII, muita coisa era levada de um lugar a outro no lombo de mulas. O tropeirismo acabou associado à atividade mineradora, cujo auge foi a exploração de ouro em Minas Gerais e, mais tarde, em Goiás. A extração de pedras preciosas também atraiu grandes contingentes populacionais para as novas áreas e, por isso, era cada vez mais necessário dispor de alimentos e produtos básicos. A alimentação dos tropeiros era constituída por toucinho, feijão preto, farinha, pimenta-do-reino, café, fubá e coité (um molho de vinagre com fruto cáustico espremido). Nos pousos, os tropeiros comiam feijão quase sem molho com pedaços de carne de sol e toucinho, que era servido com farofa e couve picada. O feijão tropeiro é um dos pratos típicos da cozinha mineira e recebe esse nome porque era preparado pelos cozinheiros das tropas que conduziam o gado.

Disponível em http://www.tribunadoplanalto.com.br. Acesso em: 27 nov. 2008.

A criação do feijão tropeiro na culinária brasileira está relacionada à

a) atividade comercial exercida pelos homens que trabalhavam nas minas.

b) atividade culinária exercida pelos moradores cozinheiros que viviam nas regiões das minas.

c) atividade mercantil exercida pelos homens que transportavam gado e mercadoria.

d) atividade agropecuária exercida pelos tropeiros que necessitavam dispor de alimentos.

e) atividade mineradora exercida pelos tropeiros no auge da exploração do ouro.


3. “Em breve, todos os aspectos “culturais” da empresa colonial lusitana foram entregues aos jesuítas, encarregados também da conversão dos “gentios” na Índia (e em toda a Ásia) e no Brasil. As colônias, especialmente o Brasil, se desenvolveram sem livros, sem universidade, sem imprensa, sem debates e inquietações culturais: em uma palavra, sem o frescor do humanismo renascentista.” (BUENO, Eduardo, Brasil: Uma História - Cinco séculos de um país em construção, São Paulo: Editora Leya, 2010, p.55)

A situação do Brasil colonial descrita no texto está relacionada:

a) à presença dos holandeses no Brasil e da sua intolerância religiosa.

b) ao avanço das práticas capitalistas e do fortalecimento do catolicismo nos países do norte da Europa.

c) a uma preocupação da preservação da cultura indígena no Brasil.

d) às iniciativas da Igreja Católica no processo da contrarreforma iniciadas no Concílio de Trento.


4. “A coroa portuguesa e outros estados europeus devastaram a África, marcando para sempre a sua história. Estimularam guerra entre seus habitantes e praticaram o escambo de produtos manufaturados, aguardente, fumo e tecidos por cativos de tribos rivais. Até o século XIX, enquanto durou a escravidão no novo mundo, milhões de africanos foram retirados do continente e encaminhados para as plantations americanas, em torno de 5 milhões só para a América Portuguesa. O comércio de seres humanos foi um dos mais lucrativos negócios do mercado mundial nesse período e garantiu o acúmulo de capital necessário para o posterior desenvolvimento do sistema capitalista.”(Campos, Flavio de. A escrita da história. São Paulo: Escala Educacional, 2005, p.213.)

Com base no texto anterior e nos conhecimentos acerca do escravismo, é correto afirmar:

a) Antes da expansão comercial e ultramarina europeia que teve início no século XV, as tribos africanas já utilizavam a prática do escravismo. Os conflitos intertribais redundavam na perda da liberdade por parte dos vencidos.

b) A partir do século XV, os europeus passaram a comprar escravos provenientes da África através dos caravaneiros árabes que controlavam as rotas do Saara, utilizando-as para introduzir na Europa a mão de obra adquirida no continente africano.

c) A escravização dos negros da terra era referenda por religiosos e teólogos indignados com a injustificada escravização dos negros da Guiné.

d) Apesar da escravidão ter contribuído para a desestruturação das tribos e estados africanos, tal processo, por outro lado, possibilitou a plena inserção dos negros africanos na sociedade européia da Idade Moderna.

e) A democracia racial existente no Brasil durante a vigência do período colonial flexibilizou e criou um ambiente favorável à convivência harmônica entre negros e brancos.

5. (UFPI) Algumas décadas depois da chegada de Cabral à América, os portugueses viram-se na necessidade de efetivar a ocupação das suas descobertas territoriais. Sobre o processo de colonização implementado pelos lusitanos na América, podemos afirmar que:

a) Foi viabilizado pela descoberta de ouro e diamantes no interior, particularmente, em terras hoje pertencentes aos Estados de Minas Gerais e Goiás.

b) Teve, no cultivo da cana para a fabricação de açúcar a ser comercializado no mercado europeu e na utilização do trabalho escravo, fatores centrais.

c) Teve, na exploração do pau-brasil, na utilização da mão-de-obra africana e na criação de um sistema colonial centrado na vida urbana, elementos vitais para o sucesso inicial do empreendimento colonial.

d) Teve, na Coroa Espanhola e nos mercadores da Nova Lusitânia, parceiros vitais para o êxito do empreendimento.

e) Só foi efetivamente viabilizado com a unificação da Península Ibérica em 1580.



6. O gráfico acima pode indicar que:

a) a exportação de açúcar, no final do século XVI, diminuiu em razão da política metropolitana adotada após a União Ibérica.
b) a produção açucareira manteve-se regular durante todo o século XVII, pois o investimento feito pelos holandeses garantiu o comércio do açúcar na Europa.
c) o declínio das exportações de açúcar no final do século XVII pode ser creditado ao avanço do comércio inglês nesse setor.
d) a concorrência do açúcar produzido pelos holandeses nas Antilhas pode explicar o declínio das exportações brasileiras na segunda metade do século XVII.



7. (UFSM) Observe a figura e assinale a resposta que NÃO é correta.




Escravos trabalhando num engenho de açúcar no Nordeste. (Gravura de C. J. Visscher, 1640).
a) A organização da produção açucareira ocorreu de forma intensificada, com divisão de tarefas e utilização da tecnologia do período.
b) A atividade açucareira no Brasil foi principalmente realizada por escravos negros, envolvidos em todas as etapas da produção.
c) A escravidão estabeleceu-se na América a fim de sustentar atividades altamente lucrativas para a metrópole, ou seja, o tráfico e a produção de açúcar.
d) As condições de trabalho implantadas na atividade açucareira ocupavam a mão-de-obra de forma intensiva, durante o período de produção.
e) A utilização de mão-de-obra indígena originária da América foi definidora na organização produtiva implantada nas várias etapas do fabrico do açúcar.



GABARITO

1. A

2. C

3. D

4. A

5. B

6.D

7. E






SOCIOLOGIA - PRIMEIRO ANO

1. Quando a Sociologia, no século XIX, se desenvolve enquanto disciplina, ocorreu uma separação entre este conhecimento científico e o senso comum. Sobre esta realidade, NÃO seria correto afirmar que

a) o senso comum se caracteriza por opiniões subjetivas e generalizantes, sem fundamentação científica.

b) ao contrário do senso comum, a atitude científica sobre as interpretações do comportamento humano é expressa na Sociologia.

c) faz parte desta atitude científica a constatação de um problema social, observar os fatos e a realidade dos indivíduos e grupos, suas relações, formular uma hipótese de explicação e, ao final, pronunciar leis ou tendências de que um fato ocorre por motivos específicos.

d) para a Sociologia, seria desnecessária a preocupação com a investigação de causas e efeitos, relações entre os fatos e acontecimentos assim como com o contexto histórico dos fatos analisados.

e) diferentemente do senso comum, a Sociologia não parte para generalizações, ao primeiro contato com um fenômeno social.


2. O contexto histórico de surgimento da Sociologia, a Europa dos séculos XVIII e XIX, foi marcado pela ascensão da burguesia ao poder. Tomando por base essa afirmação, podemos constatar que os principais fatos históricos e sociais que propiciaram o surgimento da sociologia foram a(as)

a) unificação italiana e a revolução francesa.

b) revolução industrial e a independência dos Estados Unidos.

c) revolução francesa e a revolução industrial.

d) unificações alemã e italiana.

e) revolução industrial e a Primavera dos Povos.

3. Émile Durkheim (1858-1917) é considerado o fundador da Sociologia moderna; dentre suas obras, destacam-se As Regras do Método Sociológico (1894) e O Suicídio (1897). Para Durkheim, a Sociologia

a) depende, diretamente, da Filosofia.

b) não deve dar ênfase aos fenômenos coletivos.

c) percebe que as causas de um fenômeno social são irrelevantes para o sociólogo.

d) não deve se ocupar do estudo dos fatos sociais, privilegiando as manifestações culturais.

e) tem por objeto de estudo os fatos sociais que deveriam ser estudados como uma realidade específica.


GABARITO

1. D 2. C 3. E


SOCIOLOGIA - SEGUNDO ANO

1. (UEL) Ao receber um convite para uma festa de aniversário, é comum que o convidado leve um presente. Reciprocamente, na festa de seu aniversário, este indivíduo espera receber presentes de seus convidados. Do mesmo modo, se o vizinho nos convida para o casamento de seu filho, temos certa obrigação em convidá-lo para o casamento do nosso filho. Nos aniversários, nos casamentos, nas festas de amigo-secreto e em muitas outras ocasiões, trocamos presentes. Segundo o sociólogo francês Marcel Mauss, a prática de “presentear” é algo fundamental a todas as sociedades: segundo ele, a relação da troca, esta obrigatoriedade de dar, de receber e de retribuir é mais importante que o bem trocado.

Com base no texto e nos conhecimentos sobre o tema, considere as afirmativas a seguir.

I. O ato de presentear instaura e reforça as alianças e os vínculos sociais.

II. A troca de presentes cria e alimenta um circuito de comunicação nas sociedades.

III. O lucro obtido a partir dos bens trocados é o que fundamenta as relações de troca de presentes.

IV. O presentear como prática social originou-se quando da consolidação do modo capitalista de produção.

Estão corretas apenas as afirmativas:

a) I e II.

b) I e III.

c) III e IV.

d) I, II e IV.

e) II, III e IV.

2. Observe as imagens a seguir. Elas retratam ícones femininos de épocas diferentes.



a) Em cada época a cultura determina os padrões de beleza e de comportamento das pessoas.

b) As fotos das modelos e atrizes, ao longo das décadas, demonstram as permanências nos hábitos da sociedade.

c) Percebe-se que os hábitos alimentares e a preocupação com a saúde permaneceram inalterados.

d) Apesar das novas tecnologias os hábitos das pessoas continuaram os mesmos do início do século XX.

e) A beleza estética da figura feminina sempre esteve associada à gordura, pois representava as pessoas que viviam na ociosidade e não faziam trabalho braçal.


3. Observe as imagens abaixo e analise as proposições.


fig. 1. e-mail (correio eletrônico)




fig. 2. carta convencional





I - Os dois instrumentos de comunicação cumprem seu objetivo, mas destacam-se as diferenças: velocidade da comunicação, emprego de tecnologia avançada, utilização da escrita e do teclado, linguagem mais formal e linguagem codificada.
II - Os avanços tecnológicos provocaram mudanças nos hábitos de linguagem, comunicação em tempo real, acesso à internet que proporciona o acesso a diversas informações e o estabelecimento de amizades via redes sociais.
III - O crescente uso da internet trouxe a possibilidade de comunicação à longa distância a baixo custo e em tempo real fazendo com que a utilização do instrumento carta fosse completamente abolida do cotidiano das pessoas.
IV - Ocorreu uma transformação nos hábitos das pessoas fazendo com que as mesmas se tornassem dependentes da internet.
Estão corretas apenas as afirmativas:
a) I e II.
b) I e III.
c) III e IV.
d) I, II e IV.
e) II, III e IV.

GABARITO
1. A
2. A
3. D








SOCIOLOGIA – TERCEIRO ANO

1. (ENEM)
Você está fazendo uma pesquisa sobre a globalização e lê a seguinte passagem, em um livro:
A SOCIEDADE GLOBAL
As pessoas se alimentam, se vestem, moram, se comunicam, se divertem, por meio de bens e serviços mundiais, utilizando mercadorias produzidas pelo capitalismo mundial, globalizado.

Suponhamos que você vá com seus amigos comer Big Mac e tomar Coca-Cola no Mc Donald's. Em seguida, assiste a um filme de Steven Spielberg e volta para casa num ônibus de marca Mercedes.

Ao chegar em casa, liga seu aparelho de TV Philips para ver o videoclip de Michael Jackson e, em seguida, deve ouvir um CD do grupo Simply Red, gravado pela BMG Ariola Discos em seu equipamento AIWA.

Veja quantas empresas transnacionais estiveram presentes nesse seu curto programa de algumas horas.
Adap. Praxedes et alli, 1997. O MERCOSUL. SP, Ed. Ática, 1997.

Com base no texto e em seus conhecimentos de Geografia e História, marque a resposta correta.

a) O capitalismo globalizado está eliminando as particularidades culturais dos povos da terra.
b) A cultura, transmitida por empresas transnacionais, tornou-se um fenômeno criador das novas nações.
c) A globalização do capitalismo neutralizou o surgimento de movimentos nacionalistas de forte cunho cultural e divisionista.
d) O capitalismo globalizado atinge apenas a Europa e a América do Norte.
e) Empresas transnacionais pertencem a países de uma mesma cultura.


(ENEM)
Em 1999, o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento elaborou o Relatório do Desenvolvimento Humano, do qual foi extraído o trecho abaixo.
[...]
Nos últimos anos da década de 1990, o quinto da população mundial que vive nos países de renda mais elevada tinha:
¬* 86% do PIB mundial, enquanto o quinto de menor renda, apenas 1%;
¬* 82% das exportações mundiais, enquanto o quinto de menor renda, apenas 1%;
¬* 74% das linhas telefônicas mundiais, enquanto o quinto de menor renda, apenas 1,5%;
¬* 93,3% das conexões com a internet, enquanto o quinto de menor renda, apenas 0,2%.
A distância da renda do quinto da população mundial que vive nos países mais pobres - que era de 30 para 1, em 1960 - passou para 60 para 1, em 1990, e chegou a 74 para 1, em 1997.

De acordo com esse trecho do relatório, o cenário do desenvolvimento humano mundial, nas últimas décadas, foi caracterizado pela:
a) diminuição da disparidade entre as nações.
b) diminuição da marginalização de países pobres.
c) inclusão progressiva de países no sistema produtivo.
d) crescente concentração de renda, recursos e riqueza.
e) distribuição equitativa dos resultados das inovações tecnológicas.



A tira aborda uma situação presente na economia mundial e sua mensagem indica que:


a) A globalização beneficia as nações mais ricas e não oferece as mesmas vantagens aos
países pobres na competição por mercados.
b) Com a mundialização da economia, a competitividade se torna igual para todos os países do globo.
c) A exclusão dos países mais pobres no processo de globalização se deve a ausência de
parques industriais nestas economias.
d) O desenvolvimento da sociedade mais pobre ocorre no mundo globalizado de forma mais lenta e gradativa em relação à sociedade mais abastada.
e) Inexiste diferença no tratamento das nações mais ricas e mais pobres no processo de globalização da economia.

GABARITO
1. A
2. D
3. A

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário