segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Confia a correção da Avaliação de História (Segundo Ano AB)



Correção da Avaliação de História do terceiro bimestre (Segundo Ano AB)
 
1. (UNESP) O início da Época Moderna está ligado a um processo geral de transformações humanística, artística, cultural e política. A concentração do poder promoveu um tipo de Estado. Para alguns pensadores da época, que procuraram fundamentar o Absolutismo:
a) a função do Estado é agir de acordo com a vontade da maioria.
b) a História se explica pelo valor da raça de um povo.
c) a fidelidade ao poder absoluto reside na  separação dos três poderes.
d) o rei reina por vontade de Deus, sendo assim considerado o seu representante na Terra.
e) a soberania máxima reside no próprio povo.



resposta:[D]
A clássica definição da teoria do Direito divino dos reis, de acordo com os preceitos de Jean Bodin e Jacques Bossuet.

2. (Cesgranrio) A frase de Luiz XIV, "L Etat c’est moi" (O Estado sou eu), como definição da natureza do absolutismo monárquico, significava:
a) a unidade do poder estatal, civil e religioso, com a criação de uma Igreja Francesa (nacional);
b) a superioridade do príncipe em relação a todas as classes sociais, reduzindo a um lugar humilde a burguesia enriquecida;
c) a submissão da nobreza feudal pela eliminação de todos os seus privilégios fiscais;
d) a centralização do poder real e absoluto do monarca na sua pessoa, sem quaisquer limites institucionais reconhecidos;
e) o desejo régio de garantir ao Estado um papel de juiz imparcial no conflito entre a aristocracia e o campesinato.


resposta:[D]
A absolutismo monárquico se caracterizou pela centralização do poder político nas mãos do rei, pela sociedade de ordens e pela intervenção do Estado na economia.

3. (UFRJ) "A monarquia absolutista, com uma longa gestação no espírito da realeza, tornou-se a realidade dominante em França apenas durante o reinado de Luís XIV (1643-1715). A Fronda de 1648-1653 representou a última vez que seções da nobreza territorial pegaram em armas contra a realeza centralizadora."
SKOCPOL Theda. "Estados e Revoluções Sociais". Lisboa, Editorial Presença, 1985. p. 62.
O Antigo Regime estendeu-se em França até a Revolução Francesa de 1789. Um dos impedimentos à consolidação do poder monárquico era justificado pela tenaz resistência da nobreza. Uma vez dominada a nobreza, consolidava-se a monarquia absoluta.
a) Cite duas características do Absolutismo.
b) Estabeleça uma relação entre o reinado de Luís XIV e o Absolutismo.




resposta:
a) Intervenção do Estado na economia, mercantilismo, sociedade rigidamente dividida, concentração do poder político nas mãos do rei.
b) Luis XIV, o rei sol, foi o principal representante do absolutismo, personificou o poder político ao eternizar a expressão “o Estado sou Eu”, empreendeu uma agressiva política militarista com o objetivo de transformar a França na principal potência da Europa e construiu o Palácio de Versalhes, nos arredores de Paris,  onde hospedou a corte francesa.


4. (Unesp) Não há a menor dúvida de que as guerras cada vez mais dispendiosas contribuíram para o desenvolvimento do mercantilismo. Com a ampliação da artilharia, dos arsenais, das marinhas de guerra, dos exércitos permanentes e das fortificações, as despesas dos Estados modernos dão um salto. Guerras pressupõem dinheiro e mais dinheiro, e assim a posse de dinheiro, a acumulação de metais nobres, torna-se uma mania e domina, como última conclusão de toda sabedoria, o pensamento e o juízo.
(F. Braudel, citado em R. Kurz, "O colapso da modernização".)

A política econômica predominante na época do Absolutismo ficou conhecida com o nome de mercantilismo, cujo maior expoente foi Colbert, ministro de Luís XIV, rei da França.
Além da política econômica que era estimulada por guerras, como demonstra o texto de Fernand Braudel, quais as características principais da economia mercantilista?

resposta:
O mercantilismo, política econômica dos Estados absolutistas europeus da Era Moderna, caracterizou-se pelo esforço do Estado-nação em acumular metais preciosos via comércio e através de taxas alfandegárias protecionistas, que estimulassem as exportações e inibissem as importações; caracterizou-se ainda pela instauração de colônias de exploração fora da Europa, reguladas pelo regime de monopólio.



5. (Unicamp) Uma vez terminada a Reconquista, o ímpeto espanhol encontrou na colonização americana o campo amplo onde aplicar sua energia; e nas cidades regulares do fim da Idade Média, como Granada, estava o esboço da grande tarefa urbanística, que encheu um continente de cidades traçadas com rigor geométrico muito superior ao da metrópole.
(Adaptado de Fernando Chueca Goitia, Breve História do Urbanismo. Lisboa: Editorial Presença, 1982, p. 99).
a) Segundo o texto, qual foi a grande tarefa urbanística hispano-americana?

b) Explique o que foi a Reconquista.
 
c) Indique duas edificações que caracterizavam a colonização ibérica no Novo Mundo.


resposta:

a) Para responder esta questão, o candidato poderia utilizar parte do enunciado, observando que a tarefa urbanística foi formar cidades com rigor geométrico, em geral mais elaborado que na metrópole.
b) Para definição de Reconquista, poderia mencionar que esta é a denominação de uma guerra ocorrida na Península Ibérica entre os séculos XI e XV, na qual se enfrentaram  reinos cristãos e muçulmanos, ou árabes, motivada pela disputa do domínio territorial da Península e também por questões religiosas.
c) Dentre as edificações da colonização ibérica no Novo Mundo, figuram igrejas, conventos, palácios da administração espanhola, cabildos, fortalezas, cadeias, portos, colégios católicos, universidades, casas de fundição e fazendas.

comentários:
Esta questão enfocava a transferência de um modelo construtivo e urbanístico, da Península Ibérica para o Novo Mundo, passando pela Reconquista deste território para reinos cristãos.
De um lado, abordava a herança política e cultural cristã e européia na América Hispânica e Portuguesa. Por outro lado, esta questão sobre organização urbana enfatizava a importância dos edifícios em uma dada localidade, tal qual se via na presença da igreja na Idade Média na questão aborda-se o ponto de vista da elaboração de um conceito (herança histórica e suas retomadas), seja na interpretação de um objeto arquitetônico como um documento histórico, ou ainda nas relações e mediações entre a Europa, o Oriente, e o Novo Mundo.



6. (UERJ)
 
 
O gráfico mostra as flutuações da população das Américas entre meados do século XIII e fins do século XVIII.
a) Cite dois fatores que contribuíram para a acentuada queda da população americana a partir do século XVI.

b) Indique dois fatores que contribuíram para a recuperação da população americana a partir do século XVIII.



resposta:
a) O candidato poderá mencionar, dentre outros, a Conquista, o choque microbiano resultante, as mudanças nos ritmos de trabalho impostos aos aborígines, a desestruturação cultural das sociedades nativas e os deslocamentos espaciais impostos pelos conquistadores aos indígenas.
b) O candidato poderá mencionar, dentre outros, a adaptação dos nativos à esfera microbiana resultante da conquista, a recuperação das taxas de natalidade dos aborígines, a migração para a América de milhares de habitantes das metrópoles européias e o incremento do tráfico de escravos africanos.

5. (Uerj) Uma comparação superficial entre as sociedades ibéricas e ibero-americanas por volta de 1700 sugere que os ibéricos haviam logrado reproduzir no México, no altiplano andino e ao longo das costas brasileiras, uma réplica (pelo menos um simulacro) de suas próprias sociedades.
(STANLEY, J. S. e STEIN, B. A Herança Colonial na América Latina. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1979.)
a) Cite duas características da sociedade colonial da América portuguesa.

b) Estabeleça uma diferença quanto à participação política dos "chapetones" e "criollos" nas colônias espanholas da América.

c) Cite as formas de exploração da mão de obra na América Espanhola.


 resposta:
a) Sociedade aristocrática,escravidão.
b) Os chapetones eram colonos nascidos na Espanha, porém, viviam na América, ocupavam os principais cargos administrativos, militares e religiosos.Já os criollos, embora constituíssem as aristocracias regionais no universo colonial, não lhes eram permitidos tais cargos.
c) Neste item, esperava-se que o aluno abordasse as formas de exploração da mão de obra indígena (mita e encomienda) e da mão de obra africana (escravidão).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário